Alguém sabe responder?

Percival Puggina

Questionado pela Folha sobre qual a postura que o Brasil adotaria caso alguns médicos se recusem a voltar a Cuba, o advogado-geral da União disse não ver a possibilidade de asilo. “Nesse caso me parece que não teriam direito a essa pretensão. Provavelmente seriam devolvidos.”

Então pergunto aos formuladores de políticas tão incongruentes: se os médicos cubanos vêm em missão de solidariedade internacional que o mundo capitalista não consegue compreender, se eles vêm ao Brasil felizes por poderem prestar seus serviços às nossas populações carentes, por que, raios, há que cogitar da possibilidade de pedirem asilo? E se pedirem, por que negar? E, por fim, por que tenho este pressentimento de que tudo já ficou combinado com o IIº Reich cubano, inclusive quanto a essa possibilidade?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

9 thoughts on “Alguém sabe responder?

  1. Se o Sr Percival tem alguma dúvida sobre o combinado com os irmãos Castro… eu não tenho!
    E não vão parar por aí… Aguardemos mais “novidades” capimunistas para breve.

    É o óbvio ululante, como diria Nelson Rodrigues.

  2. Elementar, meu caro: – “não faça o que eu digo, nem se meta a fazer o que eu faço”. E pensar que uma figura exponencial da república (teoricamente) nega peremptoriamente uma faculdade reconhecida do Direito Internacional. Mais uma insensatez da plêiade dos inconsequentes encastelados no governo.

  3. E a governanta cancela sua ida aos EUA, conforme nota.
    Quer dizer que a decisão da presidenta do Brasil foi tomada também pelo presidente dos EUA? É o que está escrito: “Dessa forma, OS DOIS presidentes decidiram adiar a visita de Estado”. Isso é que é independência e soberania!

  4. O Brasil está se encaminhando para um confronto com os EUA. Espero que não declare guerra. Vai se ganha. Teremos que assumir a dívida americana de 300 bilhões de dólares a vencer em outubro.

  5. Ai existem outras coisas.

    Primeiro: a Dilma, por incrível que pareça NÃO TEM AGENDA NENHUMA com o OBAMA.

    O Pré-sal não existe.

    Abrir entendimento para uma extensão de livre comércio, impossível. Ela não tem autorização da patrulha Bolivariana para isto, tanto interna como externa. No campo interno é o pior, pois já fraca politicamente, abriria outra frente de confronto.
    Terrorismo, narco- tráfico, lavagem de dinheiro, bandidagens etc., são agendas proibidas, também pelos bolivarianos. Se levada adinte, sepulta de vez os irmãos Castro, que sempre financiaram a TURMA..

    No resto ela não tem o que dizer.

    Arranjou uma boa desculpa para não pagar mico.

    No dia a dia os americanos estão radiantes com os brasileiros, que se endividam e gastam bilhões de dólares em Miami e arredores, comprando quinquilharia e imóveis.

    Segundo, inventar um inimigo externo, imperialista, de olho nas riquezas “galhardamente defendidas por Dilma e pelo PT”, vem a calhar e faz parte da marquetagem programada. Nada como inventar um inimigo para mascarar um desgoverno. Chaves o fez, e os irmãos Castro continuam por fazer.

    É da cartilha totalitária.

    Por acaso, não foram os americanos que acabaram com o papel higiênico e apagaram a luz, na Venezuela? eh! eh! eh! Porque aqui seria diferente?

    Espionagem sempre existiu e sempre vai existir. De marido e mulher, de time de futebol etc.. Dirceu, foi agente de Cuba no Brasil e não consta como duplo.

    Ele, quando no governo, continuou colaborando com o patrão cubano. Disto ela nunca reclamou.

    Agora, espionagem pautada pela REDE GOLDO, digo; GLOBO é jabuticaba, só no Brasil e nos trapalhões.

  6. Pergunta que não quer calar: Por que não fazem concursos para médicos irem para o interior? Esse é o problema, ninguém questiona as contratações fraudulentas. Fazem concursos para tudo quanto é cargo no BR. Nunca o poder público empregou tanto quanto nesses tempos. Mas concursos para médicos, com bons salários e planos de carreira? NADA!!
    A AGU dispensou os “médicos” cubanos da prova do Revalida…Mas precisam de um registro provisório.
    Para terem acesso ao registro provisório, os estrangeiros precisam entregar o comprovante de adesão ao programa e cópias do registro profissional e do diploma. Adams vê a inclusão de novos documentos como uma “tentativa de impedimento do programa”. “Nós entendemos que essas exigências são apresentadas com cunho político, não com cunho técnico. Elas têm a intenção de impedir a intenção do programa”, afirmou o advogado-geral nesta segunda-feira. “Não podemos aceitar que o programa seja atacado com medidas protelatórias”, continuou.
    Que estão fazendo? O mínimo do mínimo é muita exigência?
    Quanta ilegalidade!! Que republiqueta é essa?

  7. Por isso é que as famílias ficaram lá. São uma espécie de garantia de que as coisas andarão nos trilhos. O assunto está mais parecendo uma cortina de fumaça para desviar a atenção da prorrogação do julgamento do mensalão.

  8. Sr. Puggina, esta questão do salário ser entregue ao governo cubano, e não ao trabalhador(médico) caracteriza “ESCRAVIDÃO), e para não morar na rua ou morrer de fome, o “poder menor” prefeituras, lhe dará “casa e comida”, se isso não é senzala, o que é!??
    Dª Dilma, e Chefe do AGU,e adjacências, contrariando a “Colcha de retalhos” conseguiram reviver a “escravidão”, no passado, navios negreiros, no presente aviões negreiros (modernizaram!!).
    Porque aos dos outros Países, o salário é entregue ao trabalhador-médico!?, no Brasil todos não são iguais perante à Lei!??.
    Que País é esse?, De Gaulle, você está certo.
    Dia D: 05 de outubro de 2014, o “Zé Bagaço” toma vergonha na cara, não reelegendo, ou vai continuar no “pão e circo” e no “me engana que eu gosto!? EÇA DE QUEIROZ NELES!!!

  9. Em terras de Casa Grande, Criadagem e Senzala, os legados dos centros de pesquisas e debates universitários acabam sendo suplantados pelos produtos finamente ornamentados pelos camelódromos opiniáticos, via de regra, conforme apressada avaliação histórica do segmento, completamente reféns de interesses em que as quedas de braços das facções políticas partidárias não dá a dimensão exata, pelo contrário, assim como a indústria de entretenimento de cultura de massas, adota os rituais de douração de pílulas e reprodução de almanaques capivarol.

    Há de convir-se, objetivamente, em que o Brasil seria diferente de outra nação periférica, diga-se, mesmo os de ditos BRICS? Não sendo as dimensões geográficas, aqui como em Cuba, – Rússia, India e China -, os processos de produção de riquezas ainda não fornece acesso aos bens fundamentais para a maioria da população, ainda sobre uma versão moderna de valores escravocratas, seja, economia planificada ao custo de mão de obra barata, acentuando-se, – fato fora do alcance e sensibilidade da maioria da fauna pensante mundo a fora -, paises sublocadores de pescoços e lombos para as gangalhas de grandes empresas multinacionais.

    Pela letra, até que o Puggina acaba sendo um consolo, pena que não tenha anel de Ph.D!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *