Alpino e a decadência do Rock in Rio

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

7 thoughts on “Alpino e a decadência do Rock in Rio

  1. Rock nem é do Brasil. A maioria das bandas é de segunda classe. Cantam em inglês e ninguém entende nada, mas ficam se requebrando como galinhas e (naturalmente) cheirando.

  2. Charge mal feita. Em 1991 eu colocaria o Judas Priest ou até o Megadeth que tem estilo parecido com o do Sepultura, mas é uma banda americana ENE vezes melhor que a banda de Minas.

  3. Mas não existe “Pagode in Rio”, seu Fred. Nem “Axe in Rio.” O que existe é o miúdo Medina tirando proveito da música que nem mais é objeto de festivais no exterior, ganhando dinheirão dos trouxas que vão lá se sacudir até vomitar fogo, ou ressuscitar morto. E essa repetição enfadonha com bandinhas de segunda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *