Alternância no poder é a melhor maneira de  aperfeiçoar a democracia

Moacir Pimentel

Defendo o capitalismo, embora injusto, me alinho com os valores ocidentais, mas jamais conheci um país desenvolvido cujo povo fosse pobre – principalmente no quesito educacional. Considero os governos socialistas pelo mundo afora – e não essa chula cleptocracia lulopetista – socialmente mais justos. O que se quer é uma direita empreendedora e liberal e uma esquerda socialmente inclusiva – ambas bem intencionadas, éticas e honestas – se revezando no poder.

No meu mundo moram os republicanos e os democratas, os tories e os labours, les socialistes e os da UMP, os portugas do PSD e do PS, a democrazia cristiana e o partito comunista, o PP e o PSOE, a CDU/CSU e o SPD versus o SPD alemãos, todos eles variando suas posturas no espectro ideológico e suas decisões políticas – mais à esquerda ou mais à direita ou mais ao centro – conforme a vida muda, pois o meu mundo é mutante e plural e tolerante e civilizado e não quero outro.credito em democracia.

CATALISADORES

Creio que as mídias, os blogs, as redes sociais deveriam funcionar como catalisadores para as nossas opiniões e frustrações. Espaços onde pudéssemos dar curso ao nosso senso de necessária justiça. Mas mesmo justiça é uma palavra ou definição relativa, com base em nossas próprias crenças individuais.

Nós estamos vivendo em um mundo socialmente complexo, partilhado por pessoas com todos os tipos de vivência, com crenças sociais, políticas e religiosas diferentes, onde temos de aprender a conviver e respeitar uns aos outros e a viver dentro das leis.

Se não fizermos isso, é melhor que nos prepararemos para o sepultamento da humanidade/civilização como a conhecemos atualmente.

ESFERAS PÚBLICAS

Juergen Habermas nos forneceu a melhor base para a compreensão e consequente valorização das comunicações hoje em dia. Ele fala de “esferas públicas” como lugares onde as pessoas se reúnem, como iguais, como aqui, para tentar criar “significado” e para constituir normas para o projeto humano em curso.

Ele escreve sobre uma “ética do discurso”, que, baseada na razão, mantém uma conversa democrática empírica. E que esse é o valor mais alto na teoria política republicana recente.

Tenho avaliado que estamos nos radicalizando cada vez mais. Pergunto: quando finalmente formos situação, será que permitiremos oposição?

CONVIVÊNCIA VIÁVEL

Aprendi, com os meus muitos anos, que os principais problemas e obstáculos para criar uma convivência viável para a humanidade e uma relação civilizada, na maioria das vezes são criados por grupos ou indivíduos radicais.

Eu, pessoalmente, não acredito em escolhas à esquerda ou à direita – muito menos extremadas – mas simplesmente em liberdade versus tirania.

“FORMA MAIS JUSTA”

Aqui reside a raiz dos nossos problemas. As oscilações do pêndulo entre tirania e liberdade são permanentemente rejuvenescidas pelas ilusões de como se viver de forma “mais justa”.

Essas ilusões são manipuladas pelos assuntos da política, mas a “moralidade” dos comportamentos sociais deve ser ditada pelo nosso anseio de viver em liberdade e pela nossa repulsa contundente de viver sob opressão.

3 thoughts on “Alternância no poder é a melhor maneira de  aperfeiçoar a democracia

  1. Belíssimo Artigo, como sempre muito bem escrito, do brilhante Autor, Sr. MOACIR PIMENTEL.
    Poderíamos também dizer como o também brilhante e experiente Prof. DELFIM NETTO: “Do embate entre os Mercados e as Urnas, saem sempre as melhores soluções”.
    Parabéns, penso da mesma forma que o Sábio AUTOR. Abrs.

  2. Muito bom artigo. E eu até concordo com o articulista, desde que a alternância do poder se dê dentro da centro direita.

    Nada mais de esquerda. São sessenta anos com o Brasil mergulhado na esquerda que nos arrastou para a atual situação.

    Precisamos de um choque de direita e daí para frente flutuarmos dentro da linha centro/direita.

    Xô esquerda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *