Amigo quis defender Fernando Pimentel e complicou ainda mais a situação do ministro.

Carlos Newton

A situação do ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, se complica cada vez mais. Agora, surge mais uma grave denúncia em O Globo, feita pelo repórter Thiago Herdy, que está sempre um passo à frente dos outros jornalistas que cobrem o assunto. A reportagem mostra que jamais aconteceu a série de palestras de Pimentel nas unidades regionais da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), citadas pelo ex-presidente da entidade Robson Andrade como prova dos serviços prestados à entidade pelo atual ministro.

Andrade quis defender o amigo e o deixou em péssima situação. Levantamento feito junto a representantes das unidades da Fiemg em todo o estado mostra que Pimentel não fez palestras em 2009, ano em que sua empresa P-21 Consultoria e Projetos foi contratada por R$ 1 milhão para prestar serviços à federação.

Atualmente, Andrade é presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e, na última semana, deu entrevista em Brasília para explicar o trabalho realizado por Pimentel quando ele deixou a prefeitura de Belo Horizonte. Na época do contrato com a P-21, Andrade estava à frente da Fiemg.

“O Pimentel, na época, também fez, a pedido da federação das indústrias, uma série de palestras nas regionais. A federação tem dez regionais, e ele participou de palestras nessas regionais e também em outras cidades-polo da indústria mineira” – disse Andrade na ocasião. E era tudo mentira.

***
PERGUNTAS QUE PIMENTEL NÃO RESPONDEU

O cerco do jornal O Globo ao ministro Pimentel é implacável. Em seu site, o jornal carioca publicou que, embora aliados afirmem que o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, já prestou todos os esclarecimentos a respeito de suas atividades como consultor, ainda há muitos outros pontos que o ministro não explicou:

PROGRAMAS – A Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) informou que Fernando Pimentel, então ex-prefeito de Belo Horizonte, foi contratado, por meio da P-21 Consultoria e Projetos Ltda., para propor programas de desoneração tributária e desenvolvimento ao governo federal. Quais foram esses programas?

NOMES – A Fiemg informou que Pimentel deu “orientação aos técnicos e colaboradores para elaboração e desenvolvimento de conteúdos”. Quem são os técnicos e colaboradores que trabalharam sob sua orientação?

CONTRATO VERBAL
– Por que negócios de R$ 514 mil, R$ 400 mil e R$ 130 mil foram feitos sem contratos formais e apenas verbais?

RESULTADOS – Que garantias de prestação do serviço o então ex-prefeito Fernando Pimentel dava?

SERVIÇO PRESTADO – E por que o ministro não apresenta a comprovação dos serviços prestados, já que confirma ter recebido todos os valores publicados pelo Globo?

ETA – Por que o ministro omitiu ao jornal O Globo ter prestado serviços à ETA Bebidas Ltda., na hora de somar os valores recebidos com sua atividade de consultoria, quando o caso veio à tona?

DOADOR – O ministro conhece Eduardo Luis Bueno, sócio da ETA Bebidas e acusado por doação ilegal de recursos na campanha eleitoral de 2006? Se sim, desde quando e como se conheceram?

PERNAMBUCO – Para prestar serviços à ETA, o então ex-prefeito de BH viajou a Pernambuco para conhecer detalhes do mercado de refresco de guaraná no Nordeste? Ou prestou o serviço a partir de Belo Horizonte?

CONTATOS – Na quarta-feira passada, O Globo contactou todos os donos da ETA desde a fundação, que negaram conhecer o ministro Pimentel. No dia seguinte, a empresa divulgou nota confirmando a contratação e informou que ninguém daria mais entrevistas. Quem são os diretores da ETA com quem o então ex-prefeito de Belo Horizonte afirmou ter mantido contato telefônico durante a prestação de seus serviços de consultoria?

NOS EUA – Quem é o ex-dono da ETA que o ministro Fernando Pimentel afirma estar vivendo nos Estados Unidos?

FATURAMENTO – O ministro sabe dizer qual era o faturamento médio da ETA quando prestou consultoria?

INDICAÇÃO – Quem é o dirigente da Federação das Indústrias de Pernambuco que o ministro Pimentel afirmou, em entrevista à “Folha de S. Paulo”, ter indicado seu trabalho aos donos da ETA?

QUITAÇÃO – O então ex-prefeito de Belo Horizonte orientou a construtora Convap — para quem afirma ter prestado consultoria tributária – a pagar a dívida de quase meio milhão de reais em taxas e tributos da empresa com a prefeitura de Belo Horizonte?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *