Amizade com empresário Bumlai complica a situação de Lula

Virgilio Tamberlini

O deputado Eduardo Cunha tem culpa no cartório, então que pague. Porém, a impren$$ona, a soldo do PT, está querendo fazer dele o alvo principal da Lava Jato. Quem lê as notícias acaba até pensando que Cunha foi o criador do Petrolão… Mas segundo o juiz federal Sérgio Moro, o esquema de corrupção foi montado pelo prisioneiro reincidente José Dirceu, a quem o magistrado qualificou como ‘um profissional do crime’.

Como se sabe, para ser nomeado, um diretor da Petrobras precisa do aval da Presidência da República e do Conselho Administrativo da empresa. O deputado Cunha é uma peça menor do maior assalto aos cofres públicos do planeta.

Já a situação do “Brahma” se complica a cada dia. Apesar dos esforços do ministro Teori Zavaskci no ‘fatiamento‘ da Lava Jato, as investigações sobre Lula e o amigão do peito José Carlos Bumlai continuam com o Dr. Moro e a força-tarefa acabou de descobrir mais um caso…

ESTEVES E BUMLAI

O banqueiro André Esteves, do BTG-Pactual, outra vez aparece ligado a gente enrolada em escândalos do PT. O empresário José Carlos Bumlai, amigão de Lula, vendeu a Esteves sua fazenda de 150 mil hectares, no Pantanal. O local foi cenário de programas eleitorais de Lula, em 2002, e do início da amizade do ex-presidente com Bumlai. E o lobista Fernando Baiano contou que Bumlai lhe tomou R$ 2 milhões para dar à nora de Lula.

Bumlai é uma das novidades mais bombásticas da Operação Lava Jato. Sua ligação a Lula coloca o ex-presidente na “cena do crime”. Lulistas mais “religiosos” sempre desconversam quando se pergunta a eles quem, afinal, apresentou Bumlai ao banqueiro André Esteves.

Uma Subrelatoria da CPI da Petrobras investigou negócios da Petrobras na África que geraram lucros a André Esteves de fazer inveja aos irmãos Lulinhas.

Mas os parasitas do Estado acham que o país e deles e que roubar é um direito adquirido. São tão audaciosos que Bumlai, o amigo íntimo do “Brahma”, vai pedir acesso aos documentos sigilosos do Supremo Tribunal Federal.

###

NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGUma fotografia que circula na internet diz tudo sobre Lula e Bumlai. Mostra que, na portaria do Planalto, quando Lula era presidente, havia uma autorização contendo três fotos do empresário, sob o título “ATENDIMENTO ESPECÍFICO”, para que o empresário amigo de Lula pudesse entrar no palácio do governo a qualquer momento, sem autorização oficial. Bumlai era uma espécie de Rasputin sem barba. (C.N.)

28 thoughts on “Amizade com empresário Bumlai complica a situação de Lula

  1. O pior é que o Sr, Bumlai, em entrevista ao Estadão, declarou que nunca teve nem crachá nem acesso privilegiado ao Palácio do Planalto, também declarou que nem sabe escrever a palavra lobista…

    • porque entao na portaria do Palacio do Planalto um aviso dizia..o Sr Bumlai tem prioridade para entrar e sair a hora e dia que bem entender, para duas visitas em 8 anos? ai tem amigos, na minha opinião ele e testa de ferro do Lula, tipo vendeu a fazendo pro Lula e continua administrando, so bobo nao ve, veja envolvimento dele Bumlai com os filhos do Lula, nora do Lula e vai aparecer mais ainda

  2. Não é uma questão de amizade, mas sim do que vem associado. Pode ser amigo de meio mundo, mas não tem de misturar interesses públicos e privados. Imagino que o Mandela, por exemplo, devia tem um universo de amigos. Por falar em Mandela, lembram quando lula comparou dilma com ele?

  3. Mediante as infindáveis provas do envolvimento do Barba em tenebrosas transações e sua capacidade anti aderente, que nada gruda, cabe perguntar se as forças que blindam o farsante seriam as mesmas ocultas que expeliram Janio Quadros da presidência da república. Creio que as ordens vêm da matriz (EUA) e por enquanto a intenção é protegê-lo. Até quando?

    • Faz sentido, até porque, já foi amplamente divulgado aqui, o ex-presidente Lula fez curso, nos EUA,
      braço sindical da CIA. E, assim que foi eleito, antes da posse, foi visitar o presidente Bush na Casa Branca. E ele nunca negou…

  4. Comprovar aquilo que é notório e que todo o país está cansado de saber a respeito de Lula, tem sido um desafio a paciência dos brasileiros e algo infernal ! CAZZO !

  5. Quando eu era criança, e isso já faz uma eternidade relativa, as piadas de português eram muito populares, e costumávamos contar a mesma piada muitas vezes. Quando reclamavam informando que já conheciam aquela que alguém começara a contar, o contador rebatia dizendo que havia criado um novo final.

    O problema eram as piadas infames, aquelas que o contador puxa o riso para que os ouvintes entendam que ele terminou de contar. Esse era o caso da piada do assaltante português.
    Diz que o assaltante português entrou no banco, rendeu o caixa e exigiu todo o dinheiro ali disponível. O caixa esvaziou as gavetas, entregou tudo, um grande volume de cédulas, que não coube na sacola que o assaltante levou. Ele, então, acondicionou o que pôde na sacola, em seguida empurrou o resto de volta para o caixa e, entregando-lhe um bilhete, ordenou: “Deposite o resto na minha conta. O número está aí”. Pois é o que parece que o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) fez.

    Cunha é acusado de extorquir empresa sul-coreana do Grupo Samsung, uma das maiores corporações transnacionais do mundo, quando esta atuava em parceria com a japonesa Mitsui, outro grupo empresarial entre as gigantes no cenário mundial.

    A Diretoria Internacional da Petrobras, sob a influência do PMDB de Cunha, negociava a compra de dois navios-sonda diretamente com a Mitsui. Esta, por sua vez, encomendou equipamentos à Samsung Heavy Industries. No total, a transação alcança a estratosférica quantia de US$ 1,2 bilhão (um bilhão e duzentos milhões de dólares).

    Usando prerrogativas parlamentares, Cunha teria pressionado o representante da Samsung no Brasil, o empresário Júlio Camargo, ameaçando criar obstáculos ao fechamento dos negócios, caso os fornecedores não lhe pagassem vultosa propina. Isso está registrado em vídeo de depoimento de Camargo, preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, ao Juiz Sérgio Moro, sob a condição de delação premiada.

    O procurador-geral da República (PRG), Rodrigo Janot, apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) denúncia contra o deputado achacador Eduardo Cunha, hoje presidente da Câmara dos Deputados.

    Segundo apurações de Janot, Cunha recebeu um total de US$ 40 milhões (quarenta milhões de dólares) de propina, simplesmente para não dificultar os contratos da Petrobrás com a Mitsui/Samsung Heavy Industries, na transação de fornecimento de navios-sonda à estatal.
    A PGR identificou várias operações de lavagem de dinheiro, grande parte em remessas ao exterior, também o uso de dinheiro vivo, simulação de contratos de consultoria, com emissão de notas fiscais frias, até mesmo transferências para uma igreja evangélica, à qual Cunha é vinculado, sob a forma de “doações religiosas”.

    Ainda de acordo com a denúncia do PGR, o maior volume da propina paga pela Samsung foi depositada no exterior, em contas indicadas pelo lobista Fernando Baiano, apontado como operador do PMDB no esquema de corrupção, preso na Operação Lava Jato e delator sob acordo firmado na Justiça.

    Pouco antes desses fatos se tornarem públicos, com todos esses detalhes, principalmente através das internáuticas redes sociais, amigos e confrades de Cunha teceram elogios ao parceiro, defenderam-no com veementes argumentos, inocentando-o das acusações iniciais, tudo ainda na fase de especulações, fundadas apenas nas palavras de delatores, antes de o Ministério Público da Suíça ter enviado à Justiça brasileira toda a documentação comprobatória fornecida por um banco (não identificado para o público) daquele país.

    O “pastor evangélico” Silas Malafaia, em entrevista a programa da TVeja, afirmou: “Eduardo Cunha é um cara inteligentíssimo! Alguém pode não saber, mas como eu o conheço um pouco, ele é um cara de um Q.I., vamos falar do antigo Q.I., ele é um gênio! Se os estudiosos classificarem esse cara, ele é um gênio! A maneira da acusação é muito infantil! A acusação é muito ridícula, pra o nível do cara. O nível da inteligência e da capacidade do cara”.

    Estabelecendo a relação Cunha/bandido português

    Não se pode conceber que um elemento com muitos anos de experiência no submundo da corrupção política tenha a petulância de chantagear e achacar empresas do porte de Mitsui e Samsung, acossando, pressionando suas representações e diretorias, incomodando, perturbando-os insistentemente, conforme Júlio Camargo relatou à Justiça, e, depois de tudo isso, o espertalhão aceita que os achacados corruptores escolham a instituição bancária em que depositaria a propina extorquida sob violenta ameaça.
    .
    Evidente que não foi o lobista Fernando Baiano quem indicou a instituição bancária em que os constrangidos corruptores depositaram a propina. Certamente não. É muito provável que os próprios achacados tenham providenciado o pagamento da propina num banco em que eles tenham facilidade de movimentação de valores, interesses financeiros e muita influência, talvez até acionária.

    E, por tudo isso, creio que, na primeira oportunidade que teve, o senhor “Mitsam” ligou para o diretor do banco suíço e falou:
    – Pode entlegar aquele santagista balato às autolidades blasileilas. Si?! Quelo vê como ele faz na hola do tigle bebê água.

    E Cunha foi acometido de “Síndrome de Maluf”: jura que nunca teve conta no exterior, garante que não é dono de um só centavo de toda aquela fortuna.

    • Ednei, concordo com tudo o que você escreveu.
      Porém é inegável que o governo, com a ajuda da imprenssona, está querendo colocar o Cunha como foco central da Lava Jato, criando assim uma nuvem de fumaça par que se ‘esqueça’ dos vários outros indiciados e das responsabildades do governo federal sobre o fato. Esse diretor que você menciona, foi teve o aval da presidência e do Conselho Consultivo da empresa. O Cunha não o colocou lá sem a autorização das instâncias superiores.
      Outro fato inegávem é a diferença de ritimo, que o Teori e o Janot, deram ao caso Cunha em relação aos outros casos. Enquanto o Cunha foi indiciado em 35 dias, os outros, como a Gleise, o Humberto Costa, etc, tem os seus casos sendo conduzido a passos de tartaruga e sob a asquerosa sombra do sigilo.

    • A Diferença entre Cunha e Maluf e que Maluf falou por diversas vezes !!Esse Denheeeeirrrroo não e meu, Disse que a conta não e dele, apesar da assinatura dele e da mulher ser, mas a conta nao é, entao podemos deduzir que esta conta e do PMDB e o dinheiro e distribuido entre todos, inclusive Temer

  6. Virgilio quem criou o Petrolão não foi o Cunha, foi o “istadista” do Gilmar Mentes. Cunha so se aproveitou da Lei que FHC criou, para acabar com as licitações da Petrobras. Os grandes ladroes que estão tendo o dinheiro repatriados da Suiça abriram contas – “naquele pais que quase não tem dinheiro roubado em seus bancos” -em 1996, 1997, nenhuma conta que pertence aos ladroes foram abertas a partir de 2002. So que a grande midia esconde isso, para proteger o criador do Petrolão

  7. Informativo MPF/PR sobre as divisões das diretorias:

    Lava Jato: PGR pede investigação dos fatos criminosos envolvendo 49 autoridades com prerrogativa de foro
    Integrantes de três partidos políticos distintos estão envolvidos na investigação do crime de quadrilha

    O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a abertura de 28 inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF). O principal deles trata do esquema de pagamento de propina a agentes políticos responsáveis pela indicação de integrantes de três diretorias da Petrobras. O PGR pretende investigar a participação de pessoas com prerrogativa de foro nesse esquema. Os fatos envolvendo a relação entre o núcleo administrativo, financeiro e econômico permanecem a cargo da 1ª instância. A atuação da Procuradoria-Geral da República (PGR) na Operação Lava Jato foi motivada pelo envolvimento de pessoas com prerrogativa de foro citadas em depoimentos do ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e do operador financeiro Alberto Youssef.

    Divisão política – Segundo os depoimentos, os agentes políticos responsáveis pela indicação de Paulo Roberto Costa para Diretoria de Abastecimento da Petrobras recebiam mensalmente um percentual do valor de cada contrato firmado pela diretoria, outra parte era destinada a integrantes do PT responsáveis pela indicação de Renato Duque para Diretoria de Serviços. Era essa diretoria que indicava a empreiteira a ser contratada, após o concerto entre as empresas no âmbito do caratel . De 2004 a 2011, eram os integrantes do PP quem davam sustentação à indicação de Paulo Roberto, e partir de meados de 2011, os integrantes do PMDB responsáveis pela indicação do diretor da área internacional da estatal passaram a apoiar o nome de Paulo Roberto para o cargo de Diretor. Daí porque também passaram a receber uma fatia da propina.

    Os colaboradores ainda esclareceram que o esquema operado no âmbito da diretoria de abastecimento se repetia no âmbito das diretorias de serviços e internacional. O pagamento da propina era feito pelas empreiteiras diretamente aos agentes políticos ou por meio dos operadores financeiros, Alberto Youssef, Fernando Baiano e João Vacari Neto.

    As apurações mostram que a divisão política das diretorias da Petrobras era estabelecida assim:

    – Diretoria de Abastecimento, ocupada por Paulo Roberto Costa entre 2004 e 2012, de indicação de integrantes do PP e posterior apoio de integrantes do PMDB, elo entre os integrantes era o doleiro Alberto Youssef;

    – Diretoria de Serviços, ocupada por Renato Duque entre 2003 e 2012, de indicação de integrandes do PT, sendo o tesoureiro do partido, João Vaccari, responsável pela distribuição dos valores

    – Diretoria Internacional, ocupada por Nestor Cerveró entre 2003 e 2008, de indicação de integrantes do PMDB, com integração feita pelo doleiro Fernando Baiano.

    Com o aprofundamento das investigações, é possível que fatos novos sejam descobertos e surjam outros envolvidos.

    No caso do mensalão, o inquérito 2245 que tratou de todo o esquema de corrupção foi instaurado em relação a um parlamentar, mas isso não impediu que a denúncia abrangesse inúmeras pessoas cuja participação no esquema restou comprovada ao longo da investigação.

    Inquéritos específicos – além desse esquema, outros fatos criminosos mencionados pelos colaboradores processuais também foram objeto de pedidos de investigações em outros inquéritos específicos.

    Confira os fatos que são objeto dos pedidos e os nomes dos 55 supostos envolvidos.

  8. Sr Virgilio estou curiosa sobre o seguinte: o seu dia é todo dedicado, exceto na hora de dormir, a ler notícias e participá-las e comentá-las na TI? Percebe que neste texto que tem a sua assinatura há 12 comentários (até o momento que li) e sete são seus também… caramba, isto que é dedicação.

    • Você aprendeu a cagoetar com o ganso do Tuma ? No acampamento dos MAVs, em São José dos Campos, o Vilarino deu um curso sobre isso, intitulado ” Redes Sociais – Como e Porque Controlar “. Como se vê o X 9 do Dops fazendo escola.
      Eu ao menos não atuo como os “rattus norvegicus”, nas sobras dos bueiros e esgoto do anonimato.
      Quanto ao que faço da minha vida, não devo satisfações a ninguém, muito menos aos bambinis da seita do Barba…

    • Ia esquecendo. Adoro esse tipo de comentário, que me fazem com frequancia. Cada um deles reforça a minha convicção de estar no caminho certo.

  9. “Mas os parasitas do Estado acham que o país e deles e que roubar é um direito adquirido. São tão audaciosos que Bumlai, o amigo íntimo do “Brahma”, vai pedir acesso aos documentos sigilosos do Supremo Tribunal Federal.”

    Ótima observação. A cretinice a quase certeza da impunidade dimensiona a audácia dessa turma que está no poder e dos amigos que a orbita.

    É por isso mesmo que a única solução para o país é defenestrar esta corja do poder. Se isso, ainda, for possível?!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *