Anistia fiscal, sem reforma tributária

Luiz Tito

É sentimento quase unânime no Brasil o de que o acervo da nossa legislação tributária passou da hora de ser revisto. Empresários, juristas, economistas, membros do Judiciário, profissionais de contabilidade, produtores e centenas de lideranças de categorias e atividades diversas falam a mesma voz quando o apelo é a adequação da norma tributária aos princípios da isonomia, da justiça e da responsabilidade fiscal, que o Legislativo não se organiza para discutir e mudar.

A tão reclamada reforma tributária não sai das mesas de negociação dos parlamentares e partidos políticos. Virou moeda de troca, instrumento de “dá lá, toma cá”, porque, se é um apelo inadiável dos contribuintes e de tantos outros afetados pelas distorções que encampa, do outro lado não interessa ao Executivo, especialmente na instância federal, que se beneficia politicamente da melhor repartição do bolo aos amigos mais chegados. Guerra fiscal, bitributação, regimes especiais, renúncias de arrecadação e até mesmo perdão de dívidas são práticas às quais todos os dias assistimos, que ocorrem em todo país por interesses políticos e outras formas de desvio. A lei não é para todos; há exceções.

Para aplacar tal balbúrdia, a federação, os Estados e municípios, de tempos em tempos, socorrem devedores com o instituto da anistia. Na verdade, como é sabido, tais concessões reduzem o agravamento de dívidas fiscais, reconsiderando a incidência de multas exageradas, de juros extorsivos e outros penduricalhos que tornam, quando cobrados integralmente, impagáveis tais obrigações. O tributo-base nunca é anistiado; é sempre cobrado, quando o processo é legal. Na sua maior parte, contribuintes com passivos tributários assim não se tornaram por má-fé ou dolo; decorrem de má interpretação da norma, confusa ou mal aplicada e, muitas vezes, injusta na sua atribuição.

SONEGADORES

Há, óbvio, uma legião de sonegadores, para os quais os códigos têm tratamento adequado e assim devem ser considerados, sem concessões de qualquer espécie, por sua manifesta má-fé. Enquanto não vem uma ampla reforma, para o saneamento desse quadro de injustiças e imperfeições, a anistia fiscal ainda é o remédio mais à mão. No plano federal, cogita-se a edição de um novo Refis; justiça seja feita, o primeiro Refis recolocou nos trilhos uma enorme composição de contribuintes que não tinham para onde correr. Iam fechar as portas e sumir. As edições posteriores do Refis complementaram a obra, fazendo de devedores excluídos novos contribuintes. Lucraram todos, o erário e quem devia.

Em Minas, clama-se por uma medida do Estado que recoloque na rota da formalidade expressiva parcela de empresários, que hoje têm status apenas de devedores insolventes. Esses empresários, a cada dia menos resgatáveis, se nada for feito com criatividade e justiça, serão sempre e potencialmente mais devedores. Seus faturamentos, o patrimônio de suas empresas e deles próprios, como sócios, são insuficientes para quitar passivos fiscais inchados pela injustiça das multas e outras penas.

Antes que o ano se acabe, esse é o momento para o governo de Minas avaliar com grandeza os benefícios de sua concessão, para a reconstrução de empresas e de suas atividades. A injustiça tributária sempre foi lembrada como cena referencial de nossa história, e a luta pela sua revogação nos colocou no caminho da liberdade. Alvíssaras, senhor governador!

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

28 thoughts on “Anistia fiscal, sem reforma tributária

  1. Os impostos brasileiros não são somente altos. Também é complicado pagá-los. Segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), a carga tributária brasileira, que está próxima de 36% do Produto Interno Bruto (PIB), é a quarta maior do mundo, ficando atrás somente de Suécia, Noruega e Dinamarca. O excesso de regulação exige que as empresas cumpram 97 obrigações contábeis, o que representou, em 2011, um custo médio de 1,5% de seu faturamento.

    “As empresas gastam muito nas chamadas informações parafiscais, que as empresas são obrigadas a enviar para a Receita”, disse o economista Mendonça de Barros. Ele destacou que, se o Fisco simplificasse e tornasse mais claros os regulamentos, se reduzisse a quantidade de relatórios que as empresas precisam fornecer, já haveria um aumento de competitividade, mesmo sem mexer na carga tributária.

  2. O ICMS (imposto sobre a circulação de mercadorias e prestação de serviços) é o tributo mais pesado para a população, principalmente o de baixa-renda. É tributo indireto que recai sobre todas as compras da população. É cobrado desde a produção até a venda final do produto ao consumidor, que é quem, de fato, suporta o ônus tributário. Tem de ser substituído pelo IVA (produto sobre valor agregado), de menor complexidade e menos oneroso para a população, já que, quem paga o tributo é quem acresceu o valor do produto em cada fase de sua circulação, e, somente sobre a parcela desse acréscimo. Além de estabelecer bases de cálculos e alíquotas decrescentes em razão da necessidade do produto, ou, até mesmo, desonerando completamente as mercadorias de extrema necessidade como a cesta-básica.

    Com o ICMS não é assim, não é um tributo progressivo – que respeita a capacidade do contribuinte -, portanto, seja pobre ou rico o cidadão, a carga tributária é a mesma; representando maior peso sobre a parcela mais pobre da população – que é maioria – e que tem menor capacidade de pagamento.

    Já existe estudo sobre a menor impactação no bolso do consumidor e os efeitos sobre os cofres dos Estados, se fosse, por acaso, substituído pelo IVA. Tendo o governo federal a incumbência de compensar os Estados com a transferência de outros tributos. Mas, os Governos estaduais não querem abrir mão da sua autonomia em relação ao ICMS, pois, justamente por apresentar-se mais complexo, além de ficar mais difícil a sua compreensão por parte da população, fica mais fácil, para os Governos, colocarem penduricalhos como diferenciais de alíquotas, tabelas diferenciadas de agregação, boletins de preços não praticados pelo mercado, a fim de acrescer a receita tributária.

    Em suma, o ICMS é uma colcha de retalhos criada propositalmente para aumentar a arrecadação tributária dos Estados.

    A reforma tributária é urgente – urgentíssima!

    A equipe do governo da Dilma retirou os tributos federais (PIS, COFINS e IPI) sobre a cesta básica – mercadorias de primeira necessidade (0% sobre feijão, arroz, óleo, ovos, macarrão etc.), mas, os efeitos da carga de 19% do ICMS em cima destes produtos continuam.

  3. Prezado Francisco Bendl,
    Você educadamente me deu um pito.
    Fora os posts do jornalista Hélio Fernandes, Carlos Newton e Carlos Chagas provavelmente teus posts e comentários aqui na TI são os que mais me agradam.
    Sim, percebo que você é inteligente, culto e educado. Nunca li por aqui ofensas suas dirigidas a outros comentaristas.
    Talvez o que te falta é aquela coisa chamada “saber pensar” e talvez até, ser dotado de uma boa intuição. Se você tivesse estes 2 dons em abundância não escreveria aquele comentário comentando daquela maneira sobre o que escrevi.
    Tinha uma jornalista (já trabalhou na Folha) que escrevia na revista Caros Amigos e certa vez ela escreveu um texto e nele falou que a classe média brasileira era burra. Se é que tem Burros Classe Média, tenho absoluta certeza que você não faz parte desse grupo.
    Pois bem, estudei pouco e em escolas públicas de pouca qualidade, mas se tem uma coisa que a natureza fez de bom comigo foi deixar-me alguns neurônios destravados.
    Nasci num povoado pobre do interior da Bahia, aos 14 anos vim morar em Salvador. Como já citado estudei pouco e em colégios públicos e sem nenhuma tradição. Além do mais, por ser pobre não tive uma boa alimentação e no livro de Biologia diz que quando há uma pobreza de proteínas na infância podem-se ter sérios problemas de raciocínio na fase adulta como, por exemplo, fraco desenvolvimento intelectual.
    Mesmo não tendo, quando criança, consumido proteínas de alto valor nutritivo, percebo que meus neurônios não ficaram completamente danificados, não me tornei um ignorante por completo e sem exibicionismo me arisco a dizer que se existisse um aparelho com numeração de 1 a 10 para medir o meu “Saber Pensar” creio que eu alcançaria a nota 2.
    Aos 16 anos não tinha cultura suficiente (até hoje não tenho, mas dá pra entender um pouco sobre a importância e contribuição que estes homens deram através dos seus livros ao mundo) para ler e entender as obras de um Karl Marx, Aristóteles, Maquiavel, René Descartes, Rousseau, Dante Alighieri, Franz Kafka, Miguel de Cervantes e outros eu procurava ler algo mais fácil de entender.
    Sempre gostei de ler livros biográficos, enciclopédias e livros de Litas de maiores e melhores.
    Lia jornais, revistas e assistia a muitos telejornais.
    Com poucos anos na capital eu sempre ouvia alguém dizer que o Comunismo/Socialismo era bom, que ninguém passava fome na União Soviética, que Fidel Castro era um cara retado e enfrentava o imperialismo americano e outros tipos de endeusamento aos governantes e aos regimes de esquerda impostos às algumas nações.
    Mas, eu cá com meus botões lia minhas revistas, assistia noticiários e estes meios de comunicações sempre divulgavam que atletas e até intelectuais destas nações pediam asilo aos países ocidentais.
    Bom, temos cérebro para pensar e às vezes ele nos leva a questionar e era o que eu fazia, querendo saber das pessoas o porquê de países como a União Soviética serem um paraíso, mas muitos dos seus atletas e intelectuais queriam sair de lá.
    Se Cuba era o paraíso e porque muitos tentavam fugir pelo mar em embarcações precárias e muitos até perdiam a vida?
    Lia na revista Manchete reportagem dizendo que o Jornal Pravda da URSS e o Granma de Cuba só publicavam coisas do interesse do governo. Estes jornais criticar o seu próprio governo ditatorial? Nem pensar.
    Que para sair destes países só com o visto das autoridades. E eu pensava: Isso é mesmo bom?
    Em Cuba você poderia até ser um ótimo médico, mas ganhava uma merrecazinha só para sobreviver.
    Quando a URSS se desmantelou (ou quando a desmantelaram a mesma) vi num noticiário o repórter falando que nas bibliotecas de lá era proibido ter algum livro mostrando a obra dos Beatles e livros do Adam Smith.
    Como admirar gente que oprime todo um povo, tirando-lhe direitos sagrados do ser humano que é o direito à liberdade, de ir e vir, de pensar etc. Imaginem 30/50/70 ou 100 milhões de pessoas terem que pensar, falar, ouvir e só fazer o que querem meia dúzia de pessoas?
    E muitos de nós do Brasil admirando este tipo de gente. Aliás, eu já dizia desde os anos 70 que, ser comunista no Brasil é bom!
    O Lobão falou que para perceber que Che Guevara era um psicopata não basta você ter um QI maior do que (se) precisa para amarrar o seu sapato ou a pessoa realmente levou uma lavagem cerebral ou porque é MUITO BURRO mesmo.

  4. Prezado Francisco Bendl, sei que você não é socialista, mas te contei esta historinha por escrito para te mostrar que alguns dos meus neurônios andam ativos e fez-me pensar elevando-o minha intuição a um patamar que desse para perceber que você só escreveu este seu comentário porque algumas pessoas se manifestaram a respeito do que escrevi e principalmente você precisava dar seu apoio ao Aquino.
    Vejam só, você nunca se manifestou (que eu lembre) em nada do que escrevi por aqui.
    Mais outra, se você colocasse seu raciocínio a funcionar ele te diria que eu já escrevi aqui que sou a favor da iniciativa privada, sou contra assistencialismo vindo do governo, de políticos, de celebridades e até de religiosos.
    Logo, se eu sou a favor da iniciativa privada, se eu sou a favor do Capitalismo, se eu sou a favor de cada um ter o seu através do seu próprio esforço, como eu iria querer que quem têm muito tem que dividir com quem tem pouco?
    Nem os socialistas pensam assim, porque EU pensaria?
    Agora me diz, aonde escrevi falando que pessoas que alcançam notoriedade têm a obrigação de ajudar pobres?
    aonde escrevi falando que é crime uma pessoa mediante seu talento e vocação atingir um patamar de reconhecimento mundial?
    Desculpe meu prezado, mas aí é querer colocar as palavras na minha boca.

    Francisco Bendl,
    EU nunca escrevi em lugar algum, EU nuca falei em lugar algum, EU nunca em pensamento imaginei que pessoas ao ficarem ricas e famosas deveriam dar dinheiro aos pobres. Se EU achasse que assim fosse eu seria um idiota, um ignorante por completo, um anticapitalista e seria um socialista mesmo que de mentirinha.

    Vou te explicar o que penso a respeito desses fatos em discussão:
    Por você ser culto, creio que não preciso explicar tudo nos mínimos detalhes para entendê-lo.
    Sobre os 30 dinheiros doados pelo Ronaldo eu tentei mostrar que, logo que ele quis fazer este tipo de caridade não precisava da presença dos holofotes. Quando se dá de coração não se precisa fazer Marketing. Deixem que os próprios dirigentes do hospital o elogie e divulgue o ato de bondade do doador.
    O que eu critico é o Estado brasileiro ser omisso, ausente no cuidar da população pobre e daí aparecer os “bons samaritanos” com suas creches e fundações se dizendo com peninha dos pobres e dando-lhes pratinhos de sopa e ensinando a arte da capoeira e a bater tambor. Isto não ajuda em nada o Brasil.
    Me entenda senhor Francisco Bendl, o que critico é a questão do dinheiro público entrar na jogada.
    O cara é campeão mundial, suspende uma taça e cita o nome da vila pobre que nasceu. Daí volta ao Brasil; aluga um galpão; pega uma crianças carentes; faz um social com elas dando-lhes um prato de sopa e um curso de artesanato; a imprensa vai lá; filma e nós os tolos (um jornal americano escreveu falando que nós brasileiros nos conformamos com muito pouco e disse que tínhamos como ídolo um lutador de nome Todo Duro) damos ibope à “pessoa caridosa”; daí ele começa a receber dinheiro público para sustentar sua creche, ONG ou Fundação.
    Mas que bonito! Fazendo um social à custa do suor de explorado povo pagador de impostos direto e indireto
    Quer fazer bonito? Que seja com seu dinheiro.
    Entendeu senhor Francisco Bendl?
    Ah, aonde eu escrevi falando que tal pessoa famosa e rica tem que dar dinheiro aos pobres?
    Critico esta coisa de pessoas “bondosas” fundarem creches e fazer Marketing e posar de bacana na frente dos holofotes. Eu sou contra quem ajuda pobre? Não, não sou. Eu sou contra quando entra dinheiro público. Faça caridade com seu dinheiro, não com o meu.
    De vez em quando ouço alguém falar: O que você já fez para ajudar o próximo? Ah, se cada um fizesse um pouquinho!
    Então já falei para umas três pessoas o seguinte: Olha, eu trabalhei e paguei imposto direto durante mais de 30 anos, e continuo pagando o imposto indireto.

  5. Prezado Francisco Bendl,
    conheço uma pessoa que entre os anos 80/90 criticava o Senna porque o mesmo ganhava 20 milhões de dólares por ano. Eu discordava dele.
    Pelé andou criticando os altos salários dos jogadores e dirigentes. Eu discordo dele.
    Dizem que Faustão, Gugu e outros ganham milhões para danificar o cérebro das pessoas. Eu não os critico.
    Sabe por que eu discordo de quem critica os altos salários de Senna, jogadores, apresentadores de TV e atores globais? Porque são pagos por particulares.
    Bilionários russos gastam fortunas com seus clubes e jogadores ingleses.
    Então quero mais uma vez te lembrar senhor que não estou nem aí se pessoas fiquem ricas à custa da iniciativa privada. O que me incomoda é dinheiro público na conta de pessoas já ricas que dizem tá fazendo um social. DEU para entender senhor Francisco? Estou sendo repetitivo não é?
    Agora me diga: Onde escrevi falando que pessoas que alcançam notoriedade têm a obrigação de ajudar pobres?
    E onde escrevi falando que é crime uma pessoa mediante seu talento e vocação atingir um patamar de reconhecimento mundial?

    Prezado Francisco Bendl,
    Não vou continuar fazendo um texto bonitinho, pois estou sem tempo (cuidando dos meus pais), mas vou colocar alguns pequenos textos que venho escrevendo desde 2005.
    Sou a favor do Estado mínimo (talvez eu não conheça com profundidade o que seja isto, mas sou), sou a favor do livre mercado, sou a favor de tirar a Petrobras da mão do Estado (da mão do PT) e que na privatização seja entregue ao capital nacional, segundo li a Petros é sustentada com 1 Dólar do empregado e 2 da própria empresa, sou contra o Brasil ter mais de 100 mil ONGs, creches e Fundações sustentadas com dinheiro público.
    Sou a favor do CAPITALISMO (enriquecer trabalhando); sou a favor de Reagan, Thatcher e Merkel; sou contra governo de esquerda lapidar o Estado brasileiro, sou contra Bolsa Empresário.
    Lembrando que nos EUA sempre torço pelo partido Democrata, mas gostei do Reagan quebrar o Comunismo soviético e influenciar na derrubada do muro da vergonha.

  6. ELES VIVEM PRATICANDO O ASSISTENCIALISMO e temos…
    … nossas Madres Teresa tupiniquins.
    Tem gente que acha o máximo quando a candidata Dilma prometeu criar milhares de creches.
    Deviam raciocinar melhor e entender que se um país está abarrotado de CRECHES e INSTITUIÇÕES DE CARIDADE significa que este mesmo país está também abarrotado de pobres, precisados e necessitados.
    Aqui nesta nação de 3º mundo tem a creche da Xuxa, a creche do cantor sertanejo, Instituição do Senna (recebe dinheiro público), Gol de Letra (também recebe dinheiro público), a ONG do Fulano e do Beltrano…
    há, e a ONG do Cicrano.
    E o tipo de ASSISTENCIALISMO que rola aqui nesta nação de pessoas carentes é feita em cima de grande marketing e demagogia.
    Lembrando que muitas instituições e fundações de caridades são sustentadas com verbas públicas.
    Numa revista o jogador Sócrates escreveu dizendo que se fosse uma autoridade importante fecharia estas fundações, a começar pela do seu irmão, a Gol de Letra.
    Acredito que muitas pessoas (jogadores, artistas, políticos e coligados) alugam um galpão, pegam umas crianças de rua e os aloja por lá. No início colocam um pouco de dinheiro do próprio bolso e por ser famoso e idolatrado pelo povão tenta mostrar que tá fazendo “UM SOCIAL”. Tempos depois a mídia escrita e falada vai até a “casa da bondade” e lá constata crianças nas mesinhas tomando um prato de sopa e outras jogando capoeira. Pronto, a parte do “bom samaritano” está cumprida. Agora é só esperar a verba pública para abastecer sua instituição de caridade.
    Lá em Porto Alegre o Ronaldinho Gaúcho tem o seu Instituto de caridade.
    E como funciona o mesmo? Com o dinheiro do seu próprio bolso? Não parece ser, pois a prefeitura de Porto Alegre em 2010 doou à Instituição do jogador “caridoso” R$ 1,4 milhão. Achando pouco o seu irmão/empresário pediu um aumento de 160% ao COFRE da prefeitura. Além de querer um aumento no repasse, chegando a R$ 3,7 milhões, a “dupla bondosa” (entre aspas mesmo!) queria manter a mesma quantidade de jovens na sua “casa de caridade”.
    Segundo o site do Tribunal de Contas do Estado (TCE), “o Instituto Ronaldinho Gaúcho recebeu ao longo dos últimos três anos um total de R$ 5,3 milhões por parte da prefeitura da Capital.”
    Que bonito, um jogador milionário fazendo “UM SOCIAL” com DINHEIRO PÚBLICO.
    Segundo o jornal Zero Hora “os vereadores pedirão informações sobre como foi gasto o dinheiro público recebido pela instituição nos últimos três anos.”
    E o óbvio aconteceu, como o “Instituto da bondade’ e a prefeitura de Porto Alegre não entraram em acordo quanto a repasse de verbas a “casa da bondade” fechou as portas.
    Mas cadê a bondade do bom samaritano?
    Se ele recebe R$ 1,4 milhão por mês, por ano tem um rendimento de 16,8 milhões.
    Se ele tem uma renda anual de R$ 16.800.000,00 poderia tirar os 3.700.000,00 que ele e seu irmão pediram à prefeitura e ainda sobrariam R$ 13.100.000,00.
    Só tem sabido!!!
    É o jeitinho brasileiro, eu faço o social, mas com o dinheiro alheio.

    DEU PRÁ ENTENDER SENHOR PREZADO FRANCISCO BENDL?

  7. Em junho de 2009 o Ronaldinho Gaúcho desembarca em Salvador para fazer mais UM SOCIAL pelos jovens carentes da terra do axé.
    Aqui em Salvador ele lança uma parceria entre seu Instituto e o Governo do Estado. O convênio vai beneficiar mais de 2 mil jovens, oferecendo atividades esportivas, de informática e inglês.
    .
    Tou achando que o craque da bola não trouxe nadinha de dinheiro para fazer esta parceria com uma tal “Secretaria de Combate à Pobreza” (que tipo de bondade é esta meu rei!!!?) e que foi intermediada por um vereador do PT.
    Como não poderia deixar de acontecer o “bondoso e caridoso” jogador foi recebido no Palácio de Ondina (sede do governo) pelo governador Jaques Wagner.

    Gostaria de dizer aqui que a pobreza continua aqui em salvador, não vi sinais de queda da pobreza entre os jovens soteropolitanos.

    Quanto a criticar quem já morreu, eu usaria aquela velha frase: “Que atire a primeira pedra quem nunca criticou pessoas mortas”. Há quem critique Santos Dumont, ACM, Nero, Getúlio Vargas, Hebe Camargo, Brizola, Mário Covas, Kennedy, o pai de Kennedy, Al Capone e há até quem critique Jesus Cristo que morreu a mais de 2 mil anos.

  8. O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE – divulgou a Pesquisa Nacional da Cesta realizada para o mês de setembro.

    Houve queda no preço do conjunto de gêneros alimentícios essenciais em 14 das 18 capitais pesquisadas. As retrações mais significativas foram registradas em Aracaju (-5,36%), Brasília (-3,61%) e Vitória (-2,74%). As altas ocorreram em Belo Horizonte (1,87%), Curitiba (0,66%), Campo Grande (0,48%) e Recife (0,02%).

    Apesar do recuo de 2,37% ocorrido no último mês, São Paulo continuou a ser a capital
    com o maior valor (R$ 312,07) para os gêneros alimentícios de primeira necessidade. Porto Alegre registrou o segundo maior custo, com (R$ 311,34), seguido por Manaus (R$ 304,33) e Vitória (R$ 301,55). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 220,68), Salvador (R$ 256,16) e Goiânia (R$ 257,99).

    O DIEESE também estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser capaz de suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência. Com base no custo apurado para a cesta de São Paulo, o maior do país, os salários mínimos necessários apresentam a seguinte evolução:

    Janeiro/2013: R$2.674,88
    Fevereiro/2013: R$2.743,69
    Março/2013: R$2.824,92
    Abril/2013: R$2.892,47
    Maio/2013: R$2.873,56
    Junho/2013: R$2.860,21
    Julho/2013: R$2.750,43
    Agosto/2013: R$2.685,47
    Setembro/2013: R$2.621,70

  9. Entendi, sim, João de Uma Região Atrasada,
    Não era necessário comentares a tua origem simples, pois ela não te servirá como escudo para dizeres o que pensas, assim como a tua falta de cultura, conforme disseste, pois neste patamar eu me encontro, João, haja vista a profissão que tenho – taxista – e apenas o Segundo Grau ou Ensino Médio, e concluído, meu caro, AOS SESSENTA ANOS!
    Então, empatamos na condição de gente que se hoje consegue expor seus pensamentos mais é pela coragem que conhecimento, mais pela experiência que aprendizado acadêmico.
    Desta forma, esqueces que eu já te elogiei anteriormente e, se desta vez discordei do teu arrazoado, faz parte quando publicamos um texto termos apoio ou discordância, desde que educadamente, conforme confirmaste que é assim que faço com aqueles que eventualmente discordo, pois é obrigação a manutenção do respeito entre nós.
    Não teci o meu comentário me baseando no Aquino, de modo a fortalecer a minha desigualdade de pensamento contigo, não, mas para realçar esta cobrança que é feita com personagens brasileiros que alcançaram fama e riqueza de maneira HONESTA e mediante talento e vocação como o caso do Senna, especificamente.
    Assim, quando trazes para nossa informação casos de uso de verbas públicas que se desvirtuaram de seus objetivos e enaltecem mais ainda o famoso e rico brasileiro, evidentemente que vou concordar contigo, sendo verdade o que relataste do Ronaldinho Gaúcho, INOCENTE ÚTIL do seu irmão, o Assis, que comanda suas finanças e é seu bastante procurador!
    Ora, João, antes de criticarmos esta gente que tem o seu nome envolvido em desvios de verbas ou mal aplicadas, precisamos analisar como elas foram locadas, por quem e por quê!
    O governo tem sido hábil em distribuir quantias que estejam ligadas ao esporte, haja vista entender ser esta a maneira mais prática de se retirar das ruas a criança e adolescente, ao dar-lhes uma ocupação sadia.
    Agora, as razões pelas quais os governos municipais, estaduais e federal agem desta maneira, determina que observemos a sua omissão criminosa quanto aos rumos que a Educação vem tomando, colocando nos ombros da própria população a responsabilidade da resolução do problema que eles, os governos, não QUEREM, e não que não consigam, mas porque não querem, repito.
    A junção de um nome famoso, vencedor, identificado com o povo, cai como uma luma às intenções políticas, que se apresentam sempre como apoiadoras e solidárias a iniciativas deste porte. Ora, quando elas dão errado, e tu mencionaste o Ronaldinho, para quem serão as críticas dirigidas?
    Não irão apontar a falta de critérios e nem de fiscalização inexistente e de forma proposital, mas ao jogador, ao piloto, ao artista, aquele que inocentemente imaginou estar fazendo o bem, enquanto que estava sendo criminosamente manipulado!
    De fato, a quantidade de ONG’s existentes extrapola a necessidade, havendo muita elaboração de táticas e estratégias quanto ao uso dessas entidades para outras finalidades que não àquelas que se apresentaram inicialmemnte, ainda mais com a questão indígena, que ameaça o nosso território.
    Defendo as nossas figuras esportivas neste aspecto, João, e principalmente os que já se foram, pois não podem corrigir o que de errado aconteceu depois de suas mortes, ainda mais quando temos a pretensão de conhecer suas personalidades e caráter deixados na profissão que desempenharam.
    Assim, muito antes de os acusarmos ou os criticarmos, deveríamos analisar e pesquisar como que o governo liberou verbas a essas organizações e que proveito delas tirou ou vem ainda obtendo dividendos políticos, este é o cerne da questão, a meu ver.
    E, mais uma vez, repito, João:
    Não critico ou discordo pessoalmente, mas da idéia, do pensamento, do conceito, da opinião.
    Estamos sujeitos a isso, João, a textos que nos animam quando solidários e comentários que nos entristecem, que não servem para que desanimemos ou abandonemos registrar nossos pareceres quando entendendemos ser pertinentes e pontuais.
    Parabéns por teres vencido na vida, por cuidares dos teus pais, uma bênção que tu os tenha ainda, portanto, ama-os agora, em vida.
    Os meus foram embora muito cedo. A mãe, aos 42 anos, morta por câncer de mama; meu pai, aos 49, enfarte, sentado à mesa almoçando.
    Obrigado pela consideração e respostas tão longas, mas se fui oposição ao que escreveste anteriormente, leva em conta que foi pela importãncia das tuas palavras, que mereceram ser debatidas porque havia razões para manifestações, e não deixadas em branco, pois inócuas e sem sentido.
    Um abraço, João.

  10. Nós brasileiros costumamos só criticar o governo e os políticos.
    Neste país todo o povo colabora com toda esta nossa má fama de país do jeitinho, pobre, atrasado etc.
    Nos anos 80 li na revista Placar (perdi a mesma numa chuva) o Pelé falando algo tipo “todo brasileiro já nasce corrupto”.
    Ninguém tá nem aí para melhorar nada. É o mundo cão, cada um por si.
    EU fico INDIGNADO com coisas tipo:
    ASSISTENCIALISMO, DEMAGOGIA, ENGANAR PESSOAS POBRES, DINHEIRO PÚBLICO FINANCIANDO AS TAIS “FORMAS DE ARTES”, BILHÕES GASTOS EM PROPAGANDAS POR GOVERNANTES, CELEBRIDADES IGNORANDO OS TOLOS QUE LHES BAJULAM, LEI ROUANET, PESSOAS POBRES DE DINHEIRO E CULTURA ENRIQUECENDO PASTORES DE SEITAS EVANGÉLICAS EM TROCA DE CURA FÁCIL E UM LUGARZINHO NO CÉU…
    Devo dizer que sou pobre e estudei pouco, mas não sou ignorante por completo.

    O povo brasileiro em junho foi às ruas e também foi às redes sociais com alguns cartazes e um deles dizia: “O gigante acordou”.
    Não acordou coisa alguma.
    Para este gigante acordar é preciso uma força descomunal que este mesmo povo além de não ter e se tiver é imponente no saber usar. Não somos educados para tanto. Somos fracos. E olhe que o povo representa a 2º força mais poderosa do planeta atrás apenas da natureza.

    VAMOS NOS REVOLTAR COM COISAS TIPO:
    Músicos que cantam e são pagos com dinheiro público. Lembram-se da cantora que recebeu (para cantar axé na inauguração de um hospital) mais de 600 mil pagos pelos cofres públicos de um estado pobre?
    Anos passados a revista Carta Capital fez uma matéria e lá dizia que músicos baianos eram pagos com dinheiro da EBAL-Empresa Baiana de Alimentos. Esta empresa é ligada ao governo do estado e cuida da distribuição de alimentos nas lojas Cesta do Povo, frigoríficos, Ceasa-Ba etc.
    Isto no governo do ACM e claro, se eles são financiados pelo estado em troca darão seu apoio a um só candidato e este candidato era o todo poderoso ACM.

  11. Muitas prefeituras de cidades pobres da Bahia atrasam o salário e 13º dos garis e outras categorias de funcionários, mas nas suas micaretas pagam fortunas para cantores de axé, pagode e sertanejo se apresentarem nas festas.
    Se as cervejarias, operadoras de telefone ou uma rede de supermercado os bancassem, tudo bem, mas é o meu, o teu, o nosso dinheiro que banca esta subcultura, esta farra do pão e circo.

    No ano de 2011 aqui em Salvador, em duas edições semanais um jornal fez denúncias sobre o desperdício do dinheiro público por prefeituras do estado da Bahia.
    São Francisco do Conde, uma cidade da região metropolitana de Salvador é um município brasileiro que por receber royalties da Petrobras tem o maior produto interno bruto per capita.
    Pois bem, com fotos o jornal mostra a penúria em que vive esta citada cidade.
    Como não posso mostrar as fotos aí vai o que tá escrito embaixo delas:
    FOTO Nº 1 DIZ: Subúrbio do município padece sem esgotamento sanitário
    FOTO Nº 2 DIZ: Mesmo com o maior PIB per capita do País, população de São Francisco do Conde tem IDH muito baixo
    E MAIS, A MATÉRIA DIZ:
    “Mesmo com o maior PIB per capita do País, população de São Francisco do Conde tem IDH muito baixo”
    “De olho na reeleição, prefeita de São Francisco do Conde esbanja com São João, enquanto parte da cidade vive em miséria”
    “Cidade enfeitada, subúrbio na miséria”
    “Enquanto isso, o saneamento básico é precário e o Índice de Desenvolvimento Humano é péssimo. É a ‘velha e boa’ política do pão e circo.”
    “Prefeita contrata maiores cachês do País para o São João”
    “Com as eleições municipais de 2012 batendo à porta, os prefeitos no interior que pretendem reeleger-se sabem que, para ter sucesso, é preciso seguir à risca a cartilha da política do ‘pão e circo’.”
    “Para conseguir votos, ela (a Prefeita) gastará mais de R$ 3 milhões entre ornamentação e para pagar atrações musicais.”
    “Mas, embora o município tenha o maior PIB per capita do Brasil (R$ 288.370,81) e arrecade anualmente cerca de R$ 390 milhões, parte da população vive na miséria. Cerca de 32,5% são analfabetos funcionais e a cidade está em 4.564º lugar no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).”
    “As prioridades da prefeita, parecem ser opostas aos pilares saúde.”
    “O dinheiro seria útil, por exemplo, para as obras de esgotamento da região conhecida como Porto de Brotas, que fica a 2 km do centro da cidade. ‘A gente tem banheiro no quintal, faz AS NECESSIDADES NUM SACO E JOGA NO RIO ou no mangue’, relata um marisqueiro de 26 anos. Entretanto, o caso não parece ser prioridade para a administração atual.”

    AGORA O GRANDE ABSURDO,
    Lendo a reportagem do jornal percebe-se a penúria em que vive a população desta cidade, mas PASMEM, a prefeita não cuida decentemente da cidade, mas cuida, e muito bem, do bolso do cantor Luan Santana que é o Pop Star do momento deste país tupiniquim. A este cantor de 3ª categoria a prefeita pagou ao mesmo R$ 500 mil,
    ao Chiclete de Banana pagou 270 mil,
    ao Pisirico 70 mil
    ao Exaltasamba 350 mil e por aí vai.

    Tenho certeza de que na cidade de São Paulo, a mais rica do país, não se paga nem um terço do que eles ganharam na Bahia, um estado bem mais pobre que o Estado de SP.
    Como bem disse uma publicação americana, o brasileiro se conforma com muito pouco.

  12. OUTRAS CIDADES TAMBÉM ESBANJAM O DINHEIRO PÚBLICO PATROCINANDO FESTANÇAS PARA O POVÃO:
    “As cidades Berimbau, São Gonçalo e Cruz das Almas preparam grande São João, mas deixam necessidades básicas em segundo plano”
    “Berimbau, São Gonçalo e Cruz das Almas gastarão cerca de R$ 1 milhão apenas com as atrações para o São João, mas investem pouco em qualidade de vida da população”
    “Cidade sem infraestrutura”
    “Falso aterro em Berimbau acumula toneladas de lixo sem tratamento”
    “Segundo o IBGE, dos 9.015 domicílios pesquisados em 2010, apenas 626 tinham banheiros ligados à rede geral de esgoto – 7% do total.”
    “Segundo os moradores, a ambulância da cidade fica trancada na casa do prefeito.”
    Prefeitos destas três cidades “Berimbau, São Gonçalo e Cruz das Almas” não usam o dinheiro público para melhorar a infra-estrutura da cidade, a educação e saúde do povo, mas pagaram 160 mil a um tal César Menotti & Fabiano, 120 ao Calypso, 160 (qué qué isso!!!) a um tal Michel Teló, 150 (meu DEUS, que absurdo”!!!) a Paula Fernandes, 60 ao Harmonia do Samba, 50 ao Colher de Pau etc.

    Certa vez aqui a dona Ofélia escreveu alertando-me que “Tem lugar pra todo mundo nesse país tão grande. Até pra vc.”, ela após ler o que aqui escrevi deve pensar, achar ou escrever dizendo: “Tem dinheiro pra todo mundo nesse país tão grande. Até pra vc.”.
    Não senhora, para nós que apenas somos os bobos eleitores não sobra nada.

    PERDI MEU TEMPO ESCREVENDO ESTE TEXTO TAMANHO FAMÍLIA SÓ POR UM MOTIVO: É QUE ESTÁ EM JOGO O DINHEIRO PÚBLICO.

  13. Sobre a mamata da tal Lei Rouanet:
    LEI ROUANET, “a critica principal é que o governo, ao invés de investir diretamente em cultura, começou a deixar que as próprias empresas decidissem qual forma de cultura merecia ser patrocinada. Outras críticas incluem a possibilidade de fundos serem desviados inapropriadamente.”
    Este textuzinho peguei no Wikipédia.

    DEU PRÁ ENTENDER? Como neste país a corrupção é grande, o que não fazem por aí estes financiadores de cultura…

    Sabemos que a tal lei Rouanet foi feita para incentivar a produção artística do Brasil. Até aí tudo bem, o problema é que quando uma empresa privada financia o show de um músico, uma peça teatral, um batedor de tambor etc. Que acontece? O governo aplica a tal lei de incentivos fiscais que deixa de recolher certo percentual de imposto desta empresa. Significa que o governo deixou de receber uma grana que iria como imposto para os cofres públicos.

    POESIAS CHOROSAS DA BETHÂNIA.
    Por aí tem muita gente pobre que abre um Blog e lá disponibiliza músicas para Download.
    Por aí tem muita gente pobre que coloca seus vídeos domésticos (feito na sala da residência e até na rua) no Youtube.
    Não é? Corrija-me se eu estiver errado, pois sou leigo em Internet, mal sei o básico.
    Então quero dizer que, se os pobres tão divulgando seus trabalhos da forma que exliquei, por a Bethânia que é rica quer mais de $ UM MILHÃO do meu, do teu e do nosso para choramingar poesias num blog?
    Tenha dó!

    Pelo que sei quem gosta de moleza e usufruir da coisa pública são os políticos e não as pessoas que lida com o mundo das artes.
    E já li por aí que os mais beneficiados desta lei (Rouanet) são as grandes estrelas da MPB.

    E MAIS: É correto o filme “Lula o filho do Brasil” ser financiado com dinheiro público, digo, com nosso dinheiro
    É correto a trajetória musical do Gilberto Gil ser financiado com dinheiro público, digo com nosso dinheiro… !!!???
    E vão fazer um documentário sobre a trajetória do mensaleiro Zé Dirceu.
    AH! TENHA DÓ.
    Minha crítica a estas pessoas é porque está envolvendo dinheiro público e temos de contestar este tipo de coisa.
    Pois é, e eu aqui querendo consertar o mundo. Como não posso, delego este poder ao OBAMA, PUTIM, o líder lá da China, Merkel, o ministro britânico e outros menos cotados.

  14. Não me agradeces, João de Uma Região Atrasada, não me agradeces, por favor!
    Trata-se de minha obrigação ser educado, respeitador, e tu me mereces que eu considere tais pressupostos para o entendimento, ainda mais quando são duas pessoas simples a conversar, a aparar arestas, a se entender.
    Não há nada mais difícil que escrever e não deixar ponto sem nó, como se diz no jargão popular, meu caro, justamente porque não estamos nos olhando diretamente nos olhos, e vendo como estão nossos rostos.
    Mais a mais, se nos encontramos em um dia de péssimo humor ou contrariado porque algo aconteceu que nos tenha desgostado, qualquer palavra lida contrária ao que registramos será interpretada com mais veemência, como se o recado partisse de um inimigo.
    Assim, as más interpretações devem ser resolvidas à base do diálogo franco, sincero, entre duas pessoas que querem externar as suas verdades, seus pontos de vistas, o que aprenderam com suas vidas e com as de outras pessoas.
    Daí, da tua região e, eu, do Sul do Brasil, queremos o mesmo objetivo: um País melhor, tanto para nós quanto às demais pessoas, razão pela qual estamos participando deste Blog incomparável no sentido de colaborar, de oferecer o que vemos, que sabemos, que entendemos ser positivo à realização deste aperfeiçoamento e melhorias desejadas.
    Certamente haverá assuntos que pensaremos da mesma forma e, outros, que discordaremos, João, mas tais desigualdades serão frutos da maneira como entendemos a situação e a interpretamos, possibilitando que sejam passíveis de mudanças ou, até mesmo, de reforçar as nossas convicções, cujo objetivo é somar, multiplicar, e não dividir ou diminuir o ímpeto pela grandiosa Nação brasileira, ao contrário, de cada vez mais enaltecê-la mediante reivindicações e apontamentos de erros que devem ser corrigidos.
    Neste particular, o Brasil se orgulha de ti, João, pelos exemplos de filho carinhoso e de um brasileiro trabalhador e digno!
    Um abraço deste gaúcho.

  15. Tudo bem, neste blog praticamente só se fala de política e um pouco de futebol. É corrupção prá lá e prá cá. Políticos corruptos e demagogos.
    Pensamos que só os políticos e governantes usam a nação para seus usos e frutos.
    Em minha opinião tem muita gente por aí que através de papo furado, enganação, demagogia, aproveitamento da classe menos culta (eu incluído, pois só tenho o 2º grau feito em escolas ruins) são endeusados e aplaudidos por muitos, como se a tal celebridade ou personalidade estivesse dando uma grande contribuição para a grandeza do Brasil e o bem estar do seu povo.
    De todos os ditados este é um dos que melhor se encaixa aqui no Brasil: “O que seria dos sabidos se não fossem os bestas”.
    Já disseram que eu sou mal amado, não é não e também não estou descarregando minhas mágoas e desabafo por aqui, é que de tanto ler este blog e o do cara da VEJA eu fico INDIGNADO com esta nação.
    Outra bobagem que muitos escrevem na NET: E você tá fazendo o que para mudar esta situação? Se todos fizessem um pouquinho. Ora, ora, ora, eu sou um anônimo que não tenho ferramenta alguma nas mãos para fazer alguma coisa pelo nosso país.

  16. Este cidadão que chamam de cantor, apresentador e humorista, o Sérgio Malandro. Meu Deus, mas qual é mesmo a graça deste moço!!!?
    Conheço uma senhorita que diz que o personagem “Agostim” da Grande Família” mesmo de boca fechada é engraçado. E diz que o mesmo é mais engraçado que o Jim Carey. Deus do Céu. O Brasil vai passar 500 anos para ter um ator daquele nível e fazer uma comédia no nível de “O Mentiroso” estrelado pelo citado Jim Carey.

    Lá prá 1984 o jogador Sócrates antes da data da votação das “Diretas Já” na Câmara Federal estava sendo comprado por uma fortuna acho que pela Fiorentina da Itália.
    Pois bem, o jogador espalhou pela mídia que se a emenda das diretas passasse, digo, fosse aprovada o mesmo não sairia do Brasil para jogar no futebol estrangeiro.
    2 coisas:
    1º Sócrates abria mão de fazer sua independência financeira através de milhares de dólares em pro da sua pátria e seus amados súditos. Mas que bonzinho!
    2º Eu um cara de pouca cultura sabia que o governo Figueiredo ia articular sua base de apoio para compra de políticos (o que é normal na política do Brasil), imaginem o Sócrates não saber, um homem letrado, um dos poucos jogadores a ter curso superior.

  17. O “estado” é o sócio MAJORITÁRIO em qualquer empreendimento e sem investir 1 centavinho somente.
    Temos que continuar trabalhando para pagar os impostos que irão parar no bolso da bandalheira no judiciário, legislativo e executivo.

  18. Humm! Um fanzoca de F1 e do Ayrton.
    Brasilllll!!! É o Ayrton Senna do Brasil!!!
    Nunca mais as manhãs de domingo serão as mesmas!
    Como bem diria um jornal americano: “O Brasil se conforma com muito pouco”.

    Senhor antonio santos aquino,
    Você diz que a região que moro não é atrasada. Sim ela é. Aliás, todo o Brasil é atrasado, só que o Sul e Sudeste tem índices sociais melhores que todas as outras três.
    Me desculpe por não saber da tua paixão doentia por F1 e pelo mártir.

    Brasilsilsilsil

  19. CRIANÇA ESPERANÇA,
    Acho que quando o povo doa esta fortuna para a Rede Globo está fazendo escada para esta empresa de mídia se fortalecer mais e mais neste país pobre.
    Os donos da rede Globo estão mais preocupados com as crianças necessitadas ou estão mais preocupados com a próxima reunião com algum membro das empresas do Sr. Rupert Murdock (Bilionário da mídia) para fechar mais um grande negócio? A Skynet no Brasil é representada pelo grupo Globo, foi comprada deste magnata (Só os direitos de transmissão).
    Quer dizer, eu pego meu dinheirinho que ganhei aos trancos e barrancos, dou à Globo e ainda pago a taxa da ligação telefônica. A Globo usa meu dinheiro em seu nome, diz ao Brasil que ela está fazendo muito pelo social, ponto pra ela, ganha um bom ibope e em troca ganha gordas quantias de seus anunciantes.
    Bonito, eu dou meu dinheiro, e a Rede Globo é agraciada com prêmios pela UNICEF e o que é pior, não resolve o problema do menor carente e abandonado.
    Mui amigo!!!

  20. Darcy,
    Por falta de tempo não leio todos os posts e comentários. Meu projeto é arquivar todos eles com comentários (já tenho muitos arquivados, pena que se perdeu os comentários de maio 2009 até abril de 2013) e num futuro próximo lê-los.
    De maio 2009 a até os dias de hoje devo ter lido + ou menos uns 80% de tudo que foi publicado e não lembro destas ofensas citadas.
    E obrigado por gostar do que escrevo.

  21. PORQUE SOU CONTRA ONGS, CRECHES, INSTITUIÇÕES DE CARIDADE e similares:
    – Põem o dono da organização como um deus, alma caridosa, santifica-o sem ao menos ter noção de que o dito santo usufrui mais do que dá. E o que é pior, não resolve o problema dos pobres e sim eleva às alturas seu próprio ego.
    – Muitos doam lá atrás, quando chegam lá na frente abatem no imposto de renda.
    – Estas esmolas doadas, além de não resolver o problema da pobreza ainda tiram a responsabilidade dos governantes.
    – O povo não quer caridade quer dignidade

    E SEMPRE O DINHEIRO PÚBLICO:
    Quando vejo pela TV as instituições do governo ou não que amparam crianças e adolescentes só enxergo eles batendo em latas, tambores, tocando berimbau e jogando capoeira.
    Porque não ensinam eles a tocarem piano, ler partitura musical e se aprofundarem um pouco em música clássica?
    E nestas instituições se ensina Matemática, Gramática Portuguesa, Inglês, Física, Química ou lá só se aprende artesanato, fazer chinelo de couro, tambor, pandeiro, cuica e tirar samba em caixa de fósforos?

    APÓS O CRIANÇA ESPERANÇA 2011 li aqui na NET que a Sandy pediu um camarim exclusivo e que tal regalia só é concedida às grandes estrelas como Xuxa e Renato Aragão.
    Então mesmo sendo um espetáculo para angariar dinheiro para as crianças pobres, um show beneficente estas celebridades tupiniquins mostram sua vaidade e pose de superstar.

  22. Em agosto de 2006 a revista VEJA entrevistou sete economistas americanos, todos já ganharam premio Nobel, para opinarem a respeito dos obstáculos que impedem o crescimento do Brasil.
    Um destes economistas falou o seguinte: “Para piorar, os políticos costumam ter uma visão de curto prazo. Querem eliminar a desigualdade, e como fazem isso? Dando dinheiro para os pobres. Essa política pode até reduzir a desigualdade no curto prazo, mas investir nas crianças e na qualidade da escola criaria bases mais sólidas para o aumento na qualidade de vida.”
    E AGORA MINHA OPINIÃO A RESPEITO DO QUE DISSE O ECONOMISTA:
    “Tou achando que os bons samaritanos saíram da Palestina e vieram instalar-se aqui no Brasil.
    Só que, aqui eles em vez de praticarem a verdadeira bondade divina estão praticando o ASSISTENCIALISMO barato e que lhes dá um bom retorno. Quem pratica o assistencialismo é considerada uma pessoa bondosa, caridosa, pode abater no imposto de renda etc.
    É a creche da Xuxa, do jogador, do cantor sertanejo, é a fundação do Fulano, do Cicrano e do Beltrano. É a ONG da bondade, é a ONG da caridade, é o Teleton pra lá e o Criança Esperança pra cá. É doação de cesta básica pra lá e restaurante a R$ 1 pra cá. E tem também as milhares de Creches prometidas pela presidenta.
    E devo lembrar que muitas destas ONGs e fundações são sustentadas com verbas públicas.
    SE LÁ NA CONSTITUIÇÃO ESTÁ ESCRITO…
    – A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos….
    – A saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício.
    … SE LÁ NA CONSTITUIÇÃO ESTÁ ESCRITO…
    -A educação é direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.
    … SE LÁ NA CONSTITUIÇÃO ESTÁ ESCRITO…
    “É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los à salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.”
    … PORQUE O POVO TEM QUE VIVER DE CARIDADE DOS ESPERTALHÕES?”

  23. ESTE TEXTO A SEGUIR TIREI DE UMA REVISTA:
    “O nome de Teresa, após o seu falecimento, foi alvo de uma enxurrada de elogios. Os jornais subitamente se encheram de ditos elogiosos de dezenas de chefes de Estado, líderes religiosos e do próprio Papa, que se apressou em canonizá-la oficiosamente. Teresa teve realmente qualidades notáveis. Seu amor sincero pelo ser humano a levou a exercer a caridade com dedicação e heroísmo. Mas aquele estranho coro póstumo recomenda que se vá devagar com o andor e que se pergunte: o que fez Madre Teresa se tornar objeto de tão suspeita unanimidade, que soa mais como um demérito do que como uma homenagem? Dom Paulo Evaristo Arns, numa entrevista sobre o assunto, pareceu indicar a resposta: “Teresa -disse o cardeal- transformou a mentalidade mundial pela simplicidade de sua ação, sem fazer criticas a nenhuma autoridade. O ASSISTENCIALISMO É COMO OS REMÉDIOS CONTRA A FEBRE: COMBATE OS EFEITOS DEIXANDO INTACTA A CAUSA. MADRE TERESA COMBATEU A MISÉRIA, MAS NÃO AS SUAS CAUSAS. Ela cuidava dos pobres sem criar problemas para o establisbment, e este é o segredo por trás da criação do ídolo Madre Teresa.”

    Para chamar a atenção do leitor coloquei em letras maiúsculas parte deste texto acima e que poderia ser aplicado para definir nossos “bons” Samaritanos.
    E Diga não ao assistencialismo
    Diga não a esmola
    Diga não as creches da Xuxa e do Paulo Coelho
    Não faça escada para Renato Aragão, Padre Marcelo e Xuxa subirem na vida
    Exija seus direitos.
    Exija estudar numa boa escola, pois para isto pagamos imposto ao governo.
    Não precisamos de caridades de espertalhões.
    Nós queremos ser tratados com dignidade e não com caridade.

  24. Numa cidade do Estado da Bahia (Itabuna), no início dos anos 90, teve um político que quando foi seu prefeito descobriram que ele ganhava na época mais que o presidente americano, na época o Bush (pai).
    Ele ganhava uma fortuna e ao ser denunciado anunciou que doaria seu salário a uma instituição de caridade.
    Ele doou, só que a instituição que ele “caridosamente” doou a dinheirama pertencia a ele mesmo e tinha como presidente sua esposa.
    Viram para que servem estas instituições?
    Ele era do PMDB e hoje está num destes partidos que apoia ACM.
    Quando ele deixou de ser prefeito foi ser deputado federal e votou contra todos os projetos que vinham a beneficiar os trabalhadores.
    E não é que ele voltou a se candidatar a prefeito novamente e ganhou a eleição. Pode?
    É isto que me deixa indignado. E tem gente que diz que eu sou mal amado, frustrado etc.
    Não é nada disto, é que eu fico indignado, revoltado com este tipo de coisa.
    A revista Veja ainda fez uma matéria mostrando que este político citado era semianalfabeto, pobre e que enriqueceu dentro da política (indiretamente mostrou que o cara ficou rico roubando).
    Mas, o povo foi às urnas e voltou a eleger o cara! Ah, tenha dó!!!
    Esse povo quer melhorar este país? Deste jeito?
    (Fiz este texto em 2006)

  25. BORIS CASOY: Aquele bordão do “isto é uma vergonha” não me convence. Quando um homem deste senta-se com o patrão o mesmo lhe dá o contrato milionário para o mesmo assinar e lhe mostra suas limitações. É-lhe mostrado o que deve e o que não deve ser dito na TV.
    Certa vez o Boris Casoy mostrou uma matéria sobre um determinado hospital público de Salvador. Fila enorme, falta de médicos e desrespeito com os doentes. Boris fez seu comentário crítico, mas não cita o nome de político algum, critica sem citar nome e usa a palavra governante sem criticar diretamente o governador do estado.
    Sabem quem era o governador da Bahia? Ou o próprio ACM ou alguém colocado por ele.
    Eu gostaria de ouvir o Boris falar o seguinte: – Olha, este descaso com a saúde pública é justamente no estado governado pelo Sr. Antônio Carlos Magalhães que anda dizendo que seu estado é um eldorado. Isto é uma vergonha Sr. ACM!
    Ah Boris! Você não tem peito para fazer uma crítica dura ao ACM. Precisa ser muito corajoso. Você e a Hebe só criticam diretamente políticos de pouca expressão nacional que já estejam no fundo do poço ou políticos democráticos como o Lula, o Waldir Pires e mais alguns que não são agressivos, vingativos e poderosos.
    (Fiz este texto em 2006)

  26. Wilhelm Reich. Atemporal. Lapidar: “ESCUTA, ZÉ NINGUÉM.”

    “Chama-te ‘Zé Ninguém!’, ‘Homem Comum’ e, ao que dizem, começou a tua era, a ‘Era do Homem Comum’. Mas não és tu que o dizes, Zé Ninguém, são eles, os vice-presidentes das grandes nações, os importantes dirigentes do proletariado, os filhos da burguesia arrependidos, os homens de Estado e os filósofos (…) Deixas que os homens no poder o assumam em teu nome. Mas tu mesmo nada dizes. Conferes aos homens que detêm o poder, quando não o conferes a importantes mal intencionados, mais poder ainda para te representarem. E só demasiado tarde reconheces que te enganaram uma vez mais”.

    “Perguntas-me se poderei dizer-te quando saberás viver a tua vida em paz e segurança; a resposta consiste no inverso da tua forma de ser actual: viverás bem e em paz quando a vida significar para ti mais do que a segurança; o amor mais do que o dinheiro; a tua liberdade mais do que as linhas diretivas do partido ou a opinião pública; quando a tua forma de pensar estiver de acordo, e não, como hoje, em discordância , com a tua forma de sentir; quando te for possível reconhecer os teus dotes a tempo e reconhecer a tempo o teu declínio, a tua velhice; quando te for possível viver o pensamento dos grandes homens em lugar dos crimes dos ditos grandes guerreiros; quando os professores dos teus filhos forem mais bem pagos que os políticos; quando tiveres maior respeito pelo amor entre um homem e uma mulher do que por um certificado de casamento; quando puderes puderes reconhecer os teus erros reflectindo a tempo, e não demasiado tarde, como o fases hoje; quando sentires que o teu espírito se engrandece conhecendo a verdade e as formalidades te inspirarem horror; quando comunicares directamente com os teus camaradas de trabalho, não mais tendo diplomatas por intermediários; quando a alegria que a tua filha adolescente possa encontrar no amor for também a tua alegria, e não motivo da tua cólera (…) Pedes orientação e conselho, Zé Ninguém. Quantas vozes, boas e más, se ergueram, pelos séculos, em resposta… Não é porque delas careças que permaneces na desgraça; é a tua própria mesquinhez que te condena. Também eu poderia aconselhar-te, mas sendo como és e pensando como pensas não seria capaz de pôr em acção o que quer que te fosse aconselhado no interesse de todos”.

  27. PELÉ: (Tenho como ídolo).
    Se o Pelé jogasse seu futebol como muito bem jogou, se aposentasse e fosse ser técnico ou comentarista de futebol, ou melhor, se o Pelé continuasse envolvido só com futebol e de vez em quando desse um pito sobre política ou outros assuntos, tudo bem, eu lhe daria nota 10 (grande coisa, quem sou eu para julgar e dar nota ao Pelé! Bom, Pelé é uma pessoa pública e seu público pode comentar sobre sua vida pública… é o que estou fazendo). Certa vez o Pelé falou no Jô que sua filha Sandra jamais teria os mesmos direitos e o mesmo carinho que ele dedica a seus filhos legítimos. Isto depois que já se tinha comprovado através do DNA que a Sandra era de fato sua filha. E o Pelé andou bajulando e apoiando o FHC e toda esta gente que anda estragando o Brasil. Ele sempre lança na mídia algumas críticas contra os políticos, mas anda com os políticos.

    LULA: (Tenho como ídolo). Ainda em campanha o Lula falou que não era deus para fazer milagres. Tirei o recorte do jornal e sempre mostrava as pessoas. Também, eu comentava que se o Lula fosse presidente o 4º poder (a mídia) ia conspirar contra o seu governo. Lula ainda não fez nada que o desabonasse eticamente. Avião todo presidente de qualquer país tem à disposição. Querem que o Lula viaje pela TAM? O presidente americano tem de 2 a 3. Claro, o Lula por ter confiado em pessoas tipo Zé Dirceu, Genuíno e outros se distraiu e deu no que deu. Estou avaliando o Lula através da sua honestidade. Collor era corrupto, o Lula não. Estou avaliando a pessoa Lula e não O PT do Lula.
    (Escrevi este texto em 2006, época em que acreditava no Lula)

    SELEÇÃO BRASILEIRA ATÉ 1974: Adorava. Lembro-me que no ano de 1972 na final da Mini-Copa, realizada em nosso país e fomos para a final contra Portugal eu não tinha TV. Como estava chegando TV em cores ao nosso país e só quem tinha eram os mais abastados eu tive que me deslocar uns 8 km de coletivo até um ginásio de esportes onde colocaram diversas TV’s a cores. Hoje eu tenho uma Tevê melhorzinha e grande e a todo momento a “nossa” seleção está jogando e a tevê está diante dos meus olhos e não tenho ânimo algum para ver estes jogadores atuais. Só assisto jogos contra seleções do nível de uma Argentina. Na Copa de 1974 me desloquei uns 9 km da minha residência e fiquei em pé diante de uma loja que vendia TV’S coloridas. O jogo foi entre Brasil e a grande Holanda do grande Cruyff. (A famosa Laranja Mecânica). Tomamos 2 a zero. Naquele dia fiquei arrasado, triste e decepcionado com nossa Seleção. Jamais nossas Seleções de 1994 e 2002 ganhariam para aquela Seleção da Holanda.

    SELEÇÃO BRASILEIRA PÓS 1974: Ainda gostava muito do futebol, mas fui perdendo o encanto por nossos craques da bola. Afinal Pelé parou e veio a era Zico o que dizem que era jogador de maracanã. A Copa de 1978 já não me empolgou muito. Aquela Seleção de 1982 foi fantástica, mas não teve peito para desbancar Paulo Rossi e Cia. Não vou dizer que não tiro o chapéu para o futebol desta época, só que já não era um futebol nota 10.

    ROBERTO CARLOS: Gosto muito do rei Roberto Carlos. Principalmente suas músicas anos 60 e anos 70. Para mim foi e continua sendo o maior cantor deste país. Teve uma carreira gloriosa. Seria o Elvis tupiniquim. Dizem que nos anos de chumbo ele foi um cantor omisso. E daí? Os rebeldes sem causa tipo Caetano, Gil, Milton Nascimento por acaso agiram como um Mandela ou um Martin Luther King? Vestir uma calça desbotada, pegar um violão, um banquinho, sentar e cantar abobrinhas se achando que estava contestando não levou o Brasil a caminho algum. Hoje estão todos burgueses e a serviço do sistema. Uns andam no Show da Xuxa, outros bajulando um poderoso da mídia que cresceu dentro da ditadura…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *