Antes de se despedir da PGR, Dodge pede federalizao do Caso Marielle e acusa conselheiro do TCE-RJ

Suspeita de Dodge que Brazo possa ser um mandante

Breno Pires
Folha

Em seu adeus Procuradoria-Geral da Repblica, Raquel Dodge denunciou nesta tera, dia 17, o crime de obstruo investigao dos assassinatos da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, ocorridos em maro de 2018, e pediu a federalizao do inqurito sobre o mandante do duplo homicdio, alegando ineficincia na investigao conduzida na esfera estadual.

O principal alvo da denncia Domingos Brazo, conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro. De acordo com a PGR, Brazo, aliado a um dos funcionrios de seu gabinete, Gilberto Ribeiro da Costa, ao PM Rodrigo Ferreira, advogada Camila Nogueira e ao delegado da PF Hlio Khristian, atuaram para que as investigaes em mbito estadual passassem longe dos reais autores do crime. A suspeita de Raquel Dodge que Brazo possa ser um mandante.

FEDERALIZAO – Quanto apurao sobre os mandantes do crime, a procuradora-geral solicitou a federalizao do caso justificando o insucesso nas apuraes estaduais. Se aceito o pedido, ser aberto um novo inqurito, que ter como investigado Brazo. Caber ao Superior Tribunal de Justia (STJ) decidir se o caso ser deslocado para a PGR ou no.

H inrcia e dificuldade de investigar e identificar os mandantes, elucidando esta parte da trama criminosa, justificou. A acusao e o pedido de abertura de inqurito no alteram o processo sobre os executores do crime, Ronnie Lessa e Elcio Queiroz. O caso seguir no Rio de Janeiro.

DESVIO – Na denncia apresentada nesta tera-feira, Raquel acusa Brazo e outros investigados por supostamente desviarem a investigao para no se desvelar organizao criminosa e por insero de declaraes falsas em depoimento oficial.

O modo como foram engendrados depoimentos que conduziram a Polcia Civil, a um certo tempo, a indicar que os autores eram pessoas que no tinham participado da atuao. O inqurito inicial apontou para receptores que no eram os verdadeiros. Estou pedindo o deslocamento de competncia para que haja uma investigao para se chegar aos mandantes, diz.

SIMULAO – Segundo Raquel Dodge, Domingos Brazo valeu-se do cargo e da estrutura do gabinete no TCE-RJ, acionou um dos servidores um agente da PF aposentado que exercia cargo no gabinete para engendrar simulao para conseguir desvirtuar a investigao, com ajuda do delegado da Polcia Federal Helio Khristian.

5 thoughts on “Antes de se despedir da PGR, Dodge pede federalizao do Caso Marielle e acusa conselheiro do TCE-RJ

  1. Ineficincia na investigao conduzida na esfera estadual? Parece at que est falando do Rio. Nem se pode saber a razo de todos peixes gordos da corrupo preferirem cumprir pena na cidade maravilhosa, jamais na repblica de Curitiba. Quanto a Dodge, at hoje ela no explicou o jantar fora da agenda na casa de Temer.

  2. A ex Procuradora Geral Raquel Ddge est coberta de razo. Este indivduo um bandido conhecido de muito tempo. Domingos Brazo to perigoso e audacioso que em uma reunio na Assemblia Lesgilativa do Rio de Janeiro ameaou de morte a deputada Cidinha Campos chamou-a de puta e repetiu: Eu mando matar mesmo!. Todos que estavam na reunio ficaram calados e no disseram nada e nem defenderam Cidinha. Prova de que Brzo um indivduo perigosissmo. Quem surpreendentemente defendeu Cidinha foi Clarisse Garotinho filha de Garotinho. Brazo j tomou terra de moradores e j foi acusado de mandar matar. A Procuradora bateu na ferida: Tentaram incriminar um vereador que nada tinha a ver com o caso. E ainda mandaram matar um seu auxiliar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.