Ao manter direitos políticos de Dilma, Renan apenas quis acalmar Cunha

Resultado de imagem para renan e cunha

Cunha e Renan atuam sempre em cumplicidade

Carlos Newton

Na madrugada de quinta-feira (dia 1º), logo após a sessão do impeachment, causou surpresa o fato de a “Tribuna da Internet”, com absoluta exclusividade, ter publicado que o fatiamento da sentença do Senado tinha sido uma armação do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), para beneficiar não apenas a presidente cassada Dilma Rousseff, mas também o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e todos os demais políticos corruptos.

Os grandes jornais correram atrás e logo confirmaram a denúncia. Passaram então a dar detalhes da ardilosa armação dessa curiosa jogada política, que aparentemente até deu certo, mas tem um encontro marcado como o fracasso.

TUDO CONFIRMADO – Para milhares de brasileiros que acompanham diariamente a “Tribuna da Internet”, único órgão de informação que previu o impeachment de Dilma Rousseff antes mesmo de sua reeleição, não foi nenhuma surpresa essa revelação sobre o golpe armado por Renan.

E no dia seguinte, sexta-feira (dia 20), as informações foram confirmadas pelos três maiores jornais do país – “O Globo”, “Folha de S.Paulo” e “Estado de S.Paulo”, não necessariamente nesta ordem.

O Globo confirmou nossas denúncias na coluna de Merval Pereira, nosso querido amigo, irmão, camarada; a Folha saiu com uma matéria do diretor da Sucursal de Brasília, Leandro Colon; e o Estadão publicou reportagem assinada por Ricardo Brito, Carla Araújo e Tânia Monteiro.

ERA UMA TRAMA – Ao contrário do que inicialmente se pensava, a preservação dos direitos políticos de Dilma Rousseff não se devia a um simples destaque da bancada do PT, mas a uma trama urdida por Renan Calheiros e que acabou tendo apoio do ministro Ricardo Lewandowski e de 36 senadores da República.

Por uma questão de cautela, deve-se ressalvar que muitos desses 36 senadores julgavam estar apenas praticando um ato humanitário em relação à presidente Dilma Rousseff. Não sabiam que estavam servindo como massa de manobra para os objetivos de Renan. Afinal, não havia provas de envolvimento direto de Dilma em atos de corrupção, ela não tem contas no exterior, tríplex nem sítio hollywoodiano.

BRASILEIRO É BONZINHO – Além disso, brasileiro é assim mesmo, gosta de bancar o bonzinho, embora no caso de Dilma já existissem abundantes provas de caixa 2 de campanha, de obstrução à Justiça, de crimes de responsabilidade e de maquiagem nas contas públicas, sob codinome de “contabilidade criativa”. Portanto, sabia-se que Dilma não é nenhuma santinha.

Na verdade, o impeachment de Dilma foi mais do que necessário. Em países mais sérios, ela já teria sido algemada. Mas estamos no Brasil, como diria o pensador petista Sérgio Buarque de Hollanda, que genialmente sacou a incomensurável cordialidade do homem sapiens brasileiro (e da mulher sapiens, é claro).

PARA ACALMAR CUNHA – A manobra executada por Renan Calheiros, que conseguiu dar uma volta no PT, no ministro Ricardo Lewandowski, que presidia o julgamento de Dilma, e em 35 senadores, tinha exato objetivo de acalmar o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o homem que sabe demais, em termos de suspense à moda de Alfred Hitchcock.

Com a complacência de Lewandowski, para Renan foi fácil aprovar a manobra com o voto de 36 senadores, incluindo ele próprio. Mas o presidente do Senado esqueceu de combinar com os outros dez ministros do Supremo, com a mídia e com a opinião pública em geral. E agora a suposta “bondade” do Senado em relação a Dilma Rousseff se transformou em novo escândalo de corrupção.

É claro que o Supremo, sob o comando da nova presidente Cármen Lúcia, vai demolir essa armação, que jamais teve objetivo de beneficiar Dilma Rousseff, uma figura medíocre e totalmente fora do baralho político. Concretamente, essa jogada visou a favorecer  todos os políticos corruptos deste Brasil varonil.

12 thoughts on “Ao manter direitos políticos de Dilma, Renan apenas quis acalmar Cunha

  1. Dizem que para que o ciclo da vida se complete os homens tem que Ter um filho, Plantar uma árvore e Escrever um livro.

    Eu tenho mais de um filho é JÁ plantei dezenas de árvores. Falta escrever um livro e o farei contando a seguinte história.

    Era uma vez uma nação muito rica, cujo povo era extremamente criativo e trabalhador mas esse povo era governado por quadrilhas nos seus três poderes.

    Cansados de tanta corrupção o povo começou a se reunir e criar em todas as cidades grupos de pessoas a quem deram o nome de COMANDO DE CAÇA A CORRUPTOS – CCC.

    A função dos diversos CCCs era invadir cada repartição pública dos tres poderes, localizar cada corrupto lá instalado, matar e esquartejar em praça pública.

    Em menos de três meses tudo foi resolvido. Centenas de corruptos foram mortos, a roubalheira acabou e corrupção foi varrida dessa nação.

    Para que a corrupção não voltasse os cccs continuaram ativos, de olho vivo e exportaram para todas as outras nações corruptas a solução do problema que enfrentaram .

  2. O comentário já havia sido publicado, em resposta a Ofelia:

    Nada disso, Ofelia.

    A lei é de Dilma, serve como crédito de reforço à despesa já prevista na lei orçamentária. Pela Constituição Federal, a liberação desses créditos extraordinários tem que ser aprovada pelo Congresso, mas a legislação permite que, até determinado percentual, isso seja feito sem o aval dos parlamentares, desde que o Executivo esteja cumprindo a meta de superávit primário ou meta fiscal (economia que o governo tem de fazer para conter o aumento da dívida pública). Pedalada é maquiagem contábil, sem autorização do Congresso.
    Abs.

    CN

  3. Vai ser cassado, mas tem as garantias da volta em 2018.
    E tenho certeza, por fazer parte do Conglomerado Religioso, terá votos suficientes para cair nos braços dos fiéis e dos 217 amigos do Congresso…..

    Fica na Paz Irmão……..

  4. Como sempre, análise perfeita. Agora, esperemos que a Corte Guardiã da Constituição Federal não dê uma de Republiqueta da Banânia. Apesar de tudo isso, ainda conseguimos conservar um pouquinho de fé nas forças do bem.

  5. Bom dia Newton, acredito que haja um equívoco na frase “tinha exato objetivo de acalmar o deputado Eduardo Campos (PMDB-RJ), o homem que sabia demais,” O correto não seria “Eduardo
    Cunha, o homem que SABE demais” ao invés de “Eduardo Campos, o home que sabia demais”?
    Eduardo Campos faleceu em 2014, num acidente que muitos acham que não foi tão acidente assim.

  6. Newton, os fatos existiram, mas as versões se multiplicam. Outra versão vinda pelo “gavião do bico torto de penas brancas”: Ele é que me disse se Dilma fosse desrespeitada no interrogatório, lançaria mão de materilal explosivo lhe dado por senadores não petistas. Sua reação depois soube foi que não usaria esse material de maneira nenhuma; que respeitaria os senadores. Acontece que pessoalmente Temer tomou conhecimento do material explosivo contra ele, que lançado ao ar poderia criar-lhe um problema grave, concordou em chamar Renan para costurar o fatiamento. Renan não faria nada sem a iniciativa ou o aval de Temer. Temer submeteu-se a uma sutil chantagem. Eu mais ou menos sei o que é. Como o gavião insinuou mas não deixou claro seria uma irreponsabilidade eu falar. Se repercurtirem posso até falar alguma coisa.Mas agora seria uma imprudência.

  7. O que espanta é que tem muita gente no jornalismo que de boa fé referenda a falácia de que o golpe foi articulado e aplicado para beneficiar dilma, com certeza, isso também acontece, porém esse benefício nada mais foi que o apelo utilizado pelo maquiavélico renam, como forma de engabelar alguns senadores incautos para aprovar o golpe cujo objetivo principal era calar o cunha, o que também era desejo do temer, jucá, eliseu e outros, daí o apoio deles. lembrem-se de que cunha poderia indigitar mais de uma centena de congressistas, talvez até duas, e o medo disso era tanto que houve quem de direito dissesse que não aceitaria a delação dele.

  8. Quem manda ou é Poder nesse imenso prostíbulo a céu aberto que virou o Brasil das entranhas mundanas de Lewan e Renan a nova Dupla Bolivariana apelidada de EU ACABO E TU TERMINA ?????

  9. Comparo o Lewandowiski com o pai que consente e aceita ver o estrupador(Calheiros) estrupar a própria filha na sua frente.

    A filha no caso a a Constituição que ele, mais do que ninguém deveria proteger, afinal estava lá para isso.

    Agora mais uma vez estamos numa encruzilhada: Ou o Supremo corrige e limpa essa cag#$da) ou fica aberto um precedente muito perigoso para as instituições. Aliás em nome de respeito às instituições passamos por um longo e desgastante processo que se arrastou por mais de um ano e agora no fim acontece esse absurdo.
    Mas em se tratando de RENAN CANALHEIROS vale o velho ditado secular e injustamente atribuído aos negros; QUANDO NÃO CAGA NA ENTRADA CAGA NA SAÍDA!
    ESTOU AFIRMANDO E REAFIRMANDO QUE ESSE DITADO É INJUSTO EM RELAÇÃO AOS NEGROS E NÃO EM RELAÇÃO AO CANALHEIROS QUE É BEM BRANQUINHO POR SINAL, ASSIM COMO O PILANTROWISKI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *