Aos amigos que se unem em poemas e canções

O administrador de empresa, músico, letrista e poeta carioca Francisco Antonio Pereira, conhecido como Chico Pereira, nos versos de “Cidade dos Amigos (Poemas e Canções)”, presta homenagem aos parceiros e amigos que sempre estiveram juntos na alegria e na dor.

CIDADE DE AMIGOS (POEMAS E CANÇÕES)
Chico Pereira

Com as mãos
colocamos as pedras
no chão
fizemos ruas de amizades
cidades de amigos
a boa música foi se embrenhando
em nossos ouvidos
melodias, poesias,
contos e causos,
encontro de amigos
risadas e risadas
contemplando a verdadeira
amizade

Eles se juntam nas
praças, nas ruas, esquinas,
cantam, proclamam e elevam
suas vozes infinitas… infinitas
expressões alegres, tão leves e divinas.

Com nossas vozes cantamos,
navegamos em sonhos, sonhos tão simples
onde despertamos na mais pura emoção
de podermos dividir  momentos inesquecíveis
e entender que com as nossas próprias mãos
podemos escrever e escrever poemas e canções
que nos fazem balões de gás nas manhãs
de domingos…

Com  mãos fortes e sensíveis
colocamos as pedras no chão
simplesmente para fazer amigos
deixamos brotar sentimentos
de pura fantasia e de puro delírio

Dentro de nossas veias sanguíneas
que estufam e estufam
como se fossem arrebentar
de tanto estrelar, cantarolar
palavras que alimentam o coração…

Essas vozes e mãos
possuem o dom de realizar e realizar
já construíram sombras em quintais
pintaram portais, deram brilho aos cristais…
e se aborrecem se o assunto for
moedas e metais

Se embriagam na própria imaginação
e se sentem verdadeiros
soldados,  guardiões
de seus poemas e canções.

             (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *