Após três semanas foragida, a mulher de Queiroz enfim se apresenta à Polícia Civil

Concurso Polícia Civil-RJ: publicado aval oficial com 864 vagas ...

Polícia levou Márcia para ficar na casa dela, com tornozeleira

Catia Seabra
Folha

Foragida desde o último dia 18 de junho, Márcia Aguiar, mulher do policial militar aposentado Fabrício Queiroz, apresentou-se à polícia na noite desta sexta-feira (10) e já está ao lado do marido no Rio de Janeiro, onde cumprem prisão domiciliar.

Foi graças às mensagens encontradas no celular de Márcia que o Ministério Público do Rio chegou ao paradeiro de Queiroz, em Atibaia, no interior de São Paulo.

DE VOLTA À CASA – Queiroz deixou o Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio de Janeiro, na noite desta sexta-feira (10), para cumprir prisão domiciliar. Ele seguiu para sua casa na Taquara, zona oeste da cidade.

O ex-assessor estava preso preventivamente desde o dia 18 de junho, no âmbito de investigação sobre a prática de “rachadinha” no gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio.

Nesta quinta-feira (9), o presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), João Otávio de Noronha, atendeu pedido da defesa e concordou com a transferência de Queiroz para a prisão domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica e restrição de comunicação.

PRISÃO DOMICILIAR – Pela decisão, Márcia obteve o direito à prisão domiciliar sob o argumento de que deve acompanhar o marido no tratamento de um câncer.

Ao conceder a prisão domiciliar, Noronha afirmou que, consideradas as condições de saúde de Queiroz, o caso se enquadra em recomendação do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que sugere o não recolhimento a presídio em face da pandemia do novo coronavírus.

O presidente do STJ contrariou suas próprias decisões ao conceder prisão domiciliar a Queiroz. Ministros de tribunais superiores e advogados ouvidos pela Folha apontam ao menos três aspectos jurídicos considerados inusuais no despacho do magistrado, que trabalha para ser indicado pelo presidente Jair Bolsonaro a uma vaga no STF (Supremo Tribunal Federal).

BENEFÍCIO À FORAGIDA – O mais gritante, afirmam, é a concessão de liberdade para Márcia Aguiar, que estava foragida. De acordo com especialistas ouvidos pela Folha, é muito raro, apesar de não ser proibido, um juiz dar benefícios a quem foge para escapar de uma ordem judicial.

Da mesma forma, após o fim do recesso, o Habeas Corpus impetrado pelo novo advogado do ex-faz tudo dos Bolsonaros, Emílio Catta Pretta, chegará às mãos do ministro do STJ, Félix Fischer. Ele é o relator dos casos envolvendo as investigações em torno da rachadinhas ocorridas no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, na Assembleia Legislativa do Rio. Fischer poderá rever a decisão de Noronha ou leva-la à apreciação da 5ª Turma daquela corte.

Nas fotos encontradas de Queiroz em Atibaia, nada demonstrava que ele precisasse da presença da mulher para lhe cuidar.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Parodiando o famoso quadro de humor de Kate Lyra na televisão, podíamos dizer que “juiz brasileiro é tão bonzinho…”. (C.N.)

4 thoughts on “Após três semanas foragida, a mulher de Queiroz enfim se apresenta à Polícia Civil

  1. Já agendaram o depoimento da senhora Queiroz à Polícia?
    Aut non? Como teria dito Cláudio, no Coliseu, aos gladiadores, no inicio de um dos Jogos mais populares da Roma Antiga.

  2. -A Justiça é cega.Também pudera, ela usa detector de dólares!
    -Deve continuar folgada a Toga, pois, se ela fosse “justa”, não seria veste de juiz!
    -Nos tribunais, há uma estátua, representando a Justiça, com uma venda na vista: pronta para venda à vista!
    -Ainda há uma saída para o gordo brasileiro: basta ele acreditar que a gordura é a sua própria esperança, e assim murchará a cada dia!
    -Enquanto sofria perseguição policial, o casal Queiroz era, noite e dia, um casal COITADO!
    Agora que está livre e junto, toda noite estará COITADO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *