Aposentados e ex-funcionários da Varig dizem que governo quer fechar acordo sobre ações judiciais

Luana Lourenço
Agência Brasil

Representantes de aposentados e ex-funcionários da Varig estiveram hoje (13) no Palácio do Planalto para discutir com ministros um possível acordo com o governo para três ações judiciais contra a União, envolvendo a companhia aérea e o Aerus, fundo de pensão dos ex-funcionários da empresa.

O grupo foi recebido pelos ministros da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e da Advocacia-Geral da União, Luis Inácio Adams, e pelo secretário executivo do Ministério da Previdência, Carlos Eduardo Gabas. Eles saíram otimistas da reunião, segundo a ex-presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Graziella Baggio.

“Esta foi a reunião mais produtiva, houve empenho por parte dos ministros de buscar uma solução. Teremos uma nova reunião na próxima semana. A União está dizendo: vamos fazer acordo em todas as ações”, disse.

Juntas, as três ações judiciais tratam de interesses de cerca de 10 mil aposentados e mais 10 mil funcionários que estavam na ativa quando a Varig quebrou. Segundo Graziela, o valor devido pela União ultrapassa os R$11 bilhões.

De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil, Celso Klafke, a União está disposta a fechar acordos nos três processos. “Ao fazer esse acordo, o governo quer zerar todas as ações”.

Ex-comandante aéreo da Varig e da Cruzeiro do Sul, o aposentado Zoroastro Lima, de 82 anos, disse que o acordo é fundamental para repor as perdas salariais dos aposentados do Aerus. “Mais de 850 colegas morreram desde 2006. Estamos correndo contra o tempo. Nossa pressão é para o acordo, porque precisamos disso para sobreviver, acabaram as reservas”.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

4 thoughts on “Aposentados e ex-funcionários da Varig dizem que governo quer fechar acordo sobre ações judiciais

  1. Enfim, uma luz no fim do túnel para os empregados da VARIG. O estranho nesta história de terror é que li ontem no jornalão do Rio de Janeiro, que o governo irá ajudar as empresas aéreas TAM e GOL, que estão em sérias dificuldades financeiras, a ponto de terem que demitir aeronautas e aeroviários através de Planos de Demissão Incentivada, um eufemismo atroz e desumano. No mínimo, faltou isonomia nos fatos narrados, ou seja, se vão ajudar as empresas aéreas atuais, qual a razão de não terem ajudado a nossa maior empresa aérea de todos os tempos e orgulho da nação brasileira, a NOSSA VARIG?

    Para ajudar os amigos do PODER sempre há uma saída, já para os outros deixam o caminho da falência e desemprego de milheres de trabalhadores.

  2. Balela! Eles não resolvem nada para os aposentados. O que eles estão fazendo e coloca-los em um verdadeiro Campo de Concentração Nazista e ir exterminando os mesmo aos poucos. Assim sobra mais para eles fazerem as maracutaias costumeiras.

  3. Se essa ajuda a TAM e a GOL for verdade é uma incoerência muito grande. Na ocasião, quando a Varig enfrentava os mesmos problemas que essas empresas o que se ouvia era que ela tinha que encontrar uma solução de mercado (isso foi dito várias vêzes pelo vice-presidente José de Alencar e também por outras autoridades), ou seja, o governo não podia ajudar empresas privadas.
    Logo depois viu-se quanto dinheiro foi distribuido a bancos, , montadoras de automóveis, construtoras, etc…
    Jamais a Varig deveria ter sido eliminada , uma empresa com a tradição, tecnologia e um excelente corpo técnico que possuia..
    muitosa outros interesses ceifaram essa grande empresa que deixou um grande vazio para muitos brasileiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *