Articulao de Flvio Bolsonaro contra CPI da Toga racha PSL e provoca ameaa de baixa

Flvio tem agido em nome do partido para tentar enterrar a CPI


Daniel Weterman, Breno Pires,
Renato Onofre e Marina Haubert
Estado

O movimento da cpula do PSL, articulado pelo senador Flvio Bolsonaro (PSL-RJ), para abafar a criao de uma Comisso Parlamentar de Inqurito (CPI) no Senado que tenha como foco ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) provocou um racha no partido e at uma ameaa de baixa nesta tera-feira, dia 10. Diante da presso partidria pela chamada CPI da Lava Toga, a senadora Juza Selma (PSL-MT) disse que pode deixar a sigla. Filho do presidente Jair Bolsonaro, Flvio o nico dos quatro senadores do PSL que no apenas no assinou a petio pela abertura da comisso como agiu para enterr-la.

Tanto no Congresso como no Palcio do Planalto as investigaes da CPI so vistas como perigosas, com potencial para afetar a relao entre os Poderes. O presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE), admitiu que Flvio foi chamado para convencer seus pares a retirar assinaturas do pedido de abertura da CPI. A preocupao porque o objetivo da comisso apurar o que parlamentares chamam de ativismo judicial de magistrados, incluindo ministros do Supremo. A crtica de senadores favorveis CPI de que a Corte muitas vezes toma decises sobre assuntos ainda em discusso no Congresso, sobrepondo a atribuio dos parlamentares de legislar. Tambm questiona inqurito aberto pelo ministro Alexandre de Moraes para apurar ataques virtuais contra integrantes do tribunal.

ALVO DE LAVAJATISTAS – A CPI tem sido defendida principalmente por parlamentares classificados como lavajatistas, que se elegeram com a bandeira do combate corrupo. O Supremo se tornou alvo do grupo aps atuar como um contraponto operao e rever decises tomadas em primeira instncia. Ao ameaar deixar o partido, a senadora Juza Selma magistrada aposentada que foi eleita com a alcunha de Moro de Saias apontou desavenas polticas. A senadora Juza Selma esclarece que devido a divergncias polticas internas, entre elas a presso partidria pela derrubada da CPI da Lava Toga, est avaliando a possibilidade de no permanecer no PSL, diz nota divulgada pela assessoria da parlamentar.

O lder da legenda no Senado, Major Olmpio (SP), que na ltima semana tambm j havia ameaado deixar o partido, foi outro a se manifestar contra a articulao para derrubar a CPI. No adianta presso no porque vamos para cima, afirmou Olmpio em vdeo divulgado pelas redes sociais. Na postagem, ele convoca uma manifestao para o dia 25, na Praa dos Trs Poderes, para pressionar senadores pela criao da CPI. A quarta integrante da bancada do PSL, Soraya Thronicke (MS) minimizou a ao partidria. O Bivar e nenhum outro dirigente do partido nunca me pressionou para nada, afirmou. Ela disse manter seu apoio comisso.

INCONSTITUCIONAL – Esta a terceira tentativa para emplacar a comisso no Senado. As outras duas foram enterradas pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que j classificou a medida como inconstitucional. Se h entendimento de que a comisso no pode investigar deciso judicial, como vou passar por cima disso?, questionou. Para ser criada, a CPI precisa da assinatura de ao menos 27 dos 81 senadores. O nmero, segundo o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), autor do requerimento de criao da CPI j havia sido atingido, mas sua colega Maria do Carmo (DEM-SE) anunciou que vai retirar o nome na lista. Segundo ela, atendendo a Alcolumbre. O presidente do Senado, por sua vez, negou ter pedido diretamente a senadores que retirassem assinaturas, mas admitiu que tentou convencer parlamentares sobre seu posicionamento contrrio Lava Toga.

A ao de Flvio para derrubar a CPI no Senado parte de uma estratgia para aparar arestas com o Supremo. Nos ltimos dias, o filho 01 do presidente iniciou uma aproximao at pouco tempo inimaginvel entre o presidente da Corte, Dias Toffoli, com parlamentares do partido, incluindo um jantar conjunto no dia 21 de agosto. A deputada Carla Zambelli (PSL-SP), que j levou um boneco do presidente do STF a manifestaes, no compareceu. Segundo o Estado apurou, Flvio v Toffoli como uma autoridade que traz estabilidade para o cenrio poltico nacional.

O presidente da Corte foi o autor da ordem para paralisar todas as investigaes no Pas que utilizassem informaes de rgos de controle sem aval da Justia. A deciso teve como base um pedido de Flvio. O presidente do STF apontou ilegalidade no compartilhamento dos dados do Coaf com o Ministrio Pblico do Rio de Janeiro sem a prvia autorizao judicial. Flvio tambm tem mantido contato com o ministro Gilmar Mendes, que j o recebeu em casa. No Supremo, o ministro o principal crtico do que chama de abusos da Lava Jato e tratado como inimigo por defensores da operao. Procurado, Flvio no se manifestou.

13 thoughts on “Articulao de Flvio Bolsonaro contra CPI da Toga racha PSL e provoca ameaa de baixa

  1. KKK esto juntando a fome com a vontade de comer, os Zeros 1, 2 e 3 querem ver o diabo mas no querem se ver no banco dos rus. E o presidente da suprema corte quer tudo menos ter que se explicar com os senadores. Esta coisa do supremo legislar coisa que no agrada nenhum senador e deputado. A coisa promete, saindo esta CPI da Lava Toga muita m… vai ser jogada no ventilador.

  2. Quem tem medo de CPI e de investigao bandido.
    Quem tem medo do Supremo e fica de parelhas com ele senador ladro.
    Portanto, se nada ainda se sabe sobre os tais coveiros, logo saberemos.

  3. Mas e a??? A Maricotinha histrica do Coturno vai mandar xordadinho e cabo pra prender o Flavio????

    “Aiiinnnn, eu v mand tanque Urutu pra prend o Flavio!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”

  4. No sei se choramos ou gargalhamos. Se cercar vira hospcio e se cobrir vira circo. O Senado Federal investigar o STF, que tambm gosta de investigar a quem fala mal deles? Quem sabe um dia definem quem faz o que nesta Repblica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.