As pessoas dos dias atuais demonstram que estão sendo afetadas por estreiteza de ideias

Chief data officer - TechCentral.ie

Ilustração reproduzida do Arquivo Google

Antonio Fallavena

As pessoas estão, cada vez mais, ficando com estreiteza de ideias, cabeças fechadas, pobres de espírito. E isto é o tempo todo, com tudo e com todos, principalmente, com quem não pensa como elas. Desconhecem o que seja individual e coletivo, direitos e deveres e o papel de cada um na sociedade.

Não sabem debater, não sabem ouvir, não sabem raciocinar e, assim, não podem contribuir, corretamente, para as soluções que precisamos.

É PRECISO PENSAR – Antes de fazer qualquer coisa, individual ou coletivamente, como interagir na internet em blogs, sites e redes sociais, é preciso pensar, analisar e identificar o que é correto e como fazer.

E por vezes, pelo menos algumas vezes, as decisões não serão de nosso agrado!

As redes sociais são espaços abertos para todos. Mas poucos, muito poucos, aproveitam essa oportunidade para melhorar conhecimento e cultura.

TRABALHO COMO NUNCA – Tenho trabalhado demais, no entanto, eu gosto e não reclamo. Chego a ler entre 100 e 150 textos e comentários por dia. São copiados, lidos, analisados e grifados.

Faz muito navego num mar de insensatez! Raras são as pessoas verdadeiramente humanas. Na maioria, são apenas “cidadãos”.

Em breve poderemos divulgar informações que, esperamos, mostrem com clareza como as pessoas, em geral, adoeceram, perderam conhecimento, rumo e tudo mais.

COISAS DO DIA-A-DIA – Esta ampla pesquisa que estamos fazendo nada tem a ver com passionalidade. É tudo sobre fatos e comportamentos o que encontramos no dia-a-dia.

O coronavírus veio apenas para levar alguns de nós e mostrar a face verdadeira da atual humanidade. Esperanças? Um dia desses escrevo sobre a juventude, as novas gerações: aqueles que são produto nosso e que alguns afirmam, com ferrenha convicção, que serão melhores do que nós!

Pessimismo? Não. Otimismo? Também não. O realista trabalha e deve apresentar só os fatos.

29 thoughts on “As pessoas dos dias atuais demonstram que estão sendo afetadas por estreiteza de ideias

    • Marcos, a sociedade das últimas décadas optou por decidir a moda “miguelão”, ou seja, escolha quem dará mais para nós!
      Sem modificar a forma de escolha e do funcionamento das instituições, lides não servem mais, para nada.
      Enfim, entendo que teremos de caminhar para um governo único, onde a supremacia será dos objectivos e fundamentos.
      Abraço.
      Fallavena

  1. Caro Fallavena,

    Que alegra tê-lo de volta!!
    Andaste sumido por muito tempo.
    Fizeste falta à TI, pelos teus textos bem escritos, sensatos, lúcidos e interessantes como este, em tela.

    Um forte abraço, conterrâneo.
    Te cuida!

    • Prezado Bendl
      Que bom saber que estás na luta!
      Os afazeres são muitos e o dia cada vez menor. Se der uma sumida, novamente, sempre estarei com coces.
      Abraço fraterno amigo.
      Fallavena

    • SERMÃO DE QUARTA-FEIRA DE CINZA EM ROMA, NA IGREJA DE S. ANTÔNIO DOS PORTUGUESES.
      ANO DE 1672

      Memento homo, quia pulvis es, et in pulverem reverteris.

      O pó futuro, em que nos havemos de converter, é visível à vista, mas o pó presente, o pó que somos, como poderemos entender essa verdade? A resposta a essa dúvida será a matéria do presente discurso.

      Duas coisas prega hoje a Igreja a todos os mortais, ambas grandes, ambas tristes, ambas temerosas, ambas certas. Mas uma de tal maneira certa e evidente, que não é necessário entendimento para crer; outra de tal maneira certa e dificultosa, que nenhum entendimento basta para a alcançar. Uma é presente, outra futura, mas a futura vêem-na os olhos, a presente não a alcança o entendimento. E que duas coisas enigmáticas são estas? Pulvis es, tu in pulverem reverteris: Sois pó, e em pó vos haveis de converter, – Sois pó, é a presente; em pó vos haveis de converter, é a futura. O pó futuro, o pó em que nos havemos de converter, vêem-no os olhos; o pó presente, o pó que somos, nem os olhos o vêem, nem o entendimento o alcança.

      Que me diga a Igreja que hei de ser pó: In pulverem reverteris, não é necessário fé nem entendimento para o crer. Naquelas sepulturas, ou abertas ou cerradas, o estão vendo os olhos. Que dizem aquelas letras? Que cobrem aquelas pedras? As letras dizem pó, as pedras cobrem pó, e tudo o que ali há é o nada que havemos de ser: tudo pó. Vamos, para maior exemplo e maior horror, a esses sepulcros recentes do Vaticano. Se perguntardes de quem são pó aquelas cinzas, responder-vos-ão os epitáfios, que só as distinguem: Aquele pó foi Urbano, aquele pó foi Inocêncio, aquele pó foi Alexandre, e este que ainda não está de todo desfeito, foi Clemente.

      De sorte que para eu crer que hei de ser pó, não é necessário fé, nem entendimento, basta a vista. Mas que me diga e me pregue hoje a mesma Igreja, regra da fé e da verdade, que não só hei de ser pó de futuro, senão que já sou pó de presente: Pulvis es? Como o pode alcançar o entendimento, se os olhos estão vendo o contrário? É possível que estes olhos que vêem, estes ouvidos que ouvem, esta língua que fala, estas mãos e estes braços que se movem, estes pés que andam e pisam, tudo isto, já hoje é pó: Pulvis es? Argumento à Igreja com a mesma Igreja: Memento homo. A Igreja diz-me, e supõe que sou homem: logo não sou pó. O homem é uma substância vivente, sensi­tiva, racional. O pó vive? Não. Pois como é pó o vivente? O pó sente? Não. Pois como é pó o sensitivo? O pó entende e discorre? Não. Pois como é pó o racional? Enfim, se me concedem que sou homem: Memento homo, como me pregam que sou pó: Quia pulvis es?

      Nenhuma coisa nos podia estar melhor que não ter resposta nem solução esta dúvida. Mas a resposta e a solução dela será a matéria do nosso discur­so. Para que eu acerte a declarar esta dificultosa verdade, e todos nós saibamos aproveitar deste tão importante desengano, peçamos àquela Senhora, que só foi ex­ceção deste pó, se digne de nos alcançar graça.

      O homem foi pó e há de ser pó, logo é pó, pois tudo o que vive não é o que é, é o que foi e o que há de ser. O exemplo da vara de Arão que se converte em serpente. Deus se definiu a Moisés como aquele que é o que é, porque só ele é o que foi e o que há de ser. Se alguém puder afirmar o mesmo de si próprio também é digno de ser adorado. Porque tudo o que vive nesta vida, não é o que é: é o que foi e o que há de ser.

      Ora vede. . É verdade que a serpente naquele tempo estava viva, e andava, e comia, e batalhava, e vencia, e triunfava, mas como tinha sido vara, e havia de tomar a ser vara, não era o que era: era o que fora e o que havia de ser: Virga.

      Ah! serpentes astutas do mundo vivas, e tão vivas! Não vos fieis da vossa vida nem da vossa viveza; não sois o que cuidais nem o que sois: sois o que fostes e o que haveis de ser.

      Por mais que vós vejais agora um dragão coroado e vestido de armas douradas, com a cauda levantada e retorcida açoitando os ventos, o peito inchado, as asas estendidas, o colo encres­pado e soberbo, a boca aberta, dentes agudos, língua trifurcada, olhos cintilantes, garras e unhas rompentes, por mais que se veja esse dragão já tremular na bandeira dos lacedemônios, já passear nos jardins das hespérides, já guardar os tesouros de Midas, ou seja dragão volante entre os meteoros, ou dragão de estrelas entre as constelações, ou dragão de divindade afetada entre as hierarquias, se foi vara, e há de ser vara, é vara; se foi terra, e há de ser terra, é terra; se foi nada, e há de ser nada, é nada, porque tudo o que vive neste mundo é o que foi e o que há de ser.

  2. Meu presado perderia
    definir melhor qual a distância de um pessoa humana para cidadã?
    Nós somos mascarados , lacrados todos os dias de que só temos ÓDIO esse é o discurso dos esquerdistas corruptos. Se você se contra põe ao que eles fazem, mostra o que houve nesse país de 2003 a 2018 então você é uma pessoa desumana o assassino um facista um merda.
    Ah país vagabundo.

    • Lacerda,

      Finalmente uma definição clara do que é ser um esquerdista de verdade, legítimo, onde tu és o exemplo clássico:

      ” … lacrados todos os dias de que só temos ÓDIO esse é o discurso dos esquerdistas corruptos. Se você se contra põe ao que eles fazem, mostra o que houve nesse país de 2003 a 2018 então você é uma pessoa desumana o assassino um facista um merda.”

      Lacerda não poderia ter sido mais explícito e nítido sobre como ser um esquerdista fanático e radical!

      Obviamente, se fosse um direitista, jamais usaria dessa agressividade contra o articulista, mas os esquerdistas são assim mesmo, dissimulados …

    • Gregório, o tema é muito complexo, mas tentarei ser breve e direito. O termo “cidadão”, tem sido tornado comum nas últimas décadas. Tem um princípio filosófico pouco conhecido e que terminou sendo deturpado para facilitar o “cativas” das pessoas.
      Embora, para muitos seja a mesma coisa, sempre entendi e defendi que, na excelência, cidadão é aquele que assume direitos e deveres na mesma intensidade. Se procurares, encontrarás coisas do tipo: a criança, um pequeno cidadã; cidadão é aquele que cobra os seus direitos; cidadão é aquele que exerce plenamente lutas, e por ai afora. Procure encontra algum cidadão que assume seus deveres!
      Assim, resumidamente, entendo que todos somos seres humanos, mas poucos são cidadãos!
      Ser humano é um estado de vida e cidadão é o individuo que incorporou qualidades inerentes a sua participação na sociedade.
      Tomara possa ter esclarecido.
      Estou preparando textos sobre o tema. Quem sabe apareço na TI com alguns deles.
      Obrigado pela pergunta.
      Abraço.
      Fallavena

    • Prezado Vidal, bom receber teu comentário e poder te responder.
      No final de março completei 31 anos de caminhada pelo Brasil. Tens razão quanto a perda de valor da razão.
      Amigos me acompanham e, aqui e ali, sempre alguém pergunta se não cansei de repetir, repetir, tantas vezes.
      Confesso, tem momentos que penso em parar, mas algo ou alguém me “cutuca” e manda continuar.
      Não podemos parar. Cada passo dado, cada mente que se abre é uam conquista. Precisamos caminhar juntos.
      Abraço fraterno
      Fallavena

  3. A bíblia para quem acredita , fala que nos fim do mundo virá o anti cristo e uma de suas estrategias será a implantação do governo único .
    Onde só vai vender e comprar que tiver a marca da besta , a saber a marca estará na testa ou na mão ..
    A implantação já começou via OMS , os governos já perderam a soberania ..
    O Bolsonaro perde a batalha contra os governadores antes mesmo de baixar qualquer medida , o STF volta e meia impõe derrota antecipada ..
    Vide essa última decisão do M. Alexandre de Morais ..
    Alguém em plena sanidade pode dizer q estou errado ?

    • bagaçado
      Teu pseudónimo não te faz jus! Mereces algo muito melhor.
      O mundo passará por mudanças profundas, muitas delas inexplicáveis, para muitos de nós.
      Estamos divididos em continentes, nações, estados, municípios, cidades, bairros. Estamos todos divididos.
      Mas pior: estamos desorganizados, desorientados e despreocupados.
      Me fizeste lembrar meu irmão Vicente que desencarnou fará um ano em Junho próximo.
      Tinha 15 anos quando me disse: “irmão, para viver num mundo assim e ainda ter alegrias, é preciso não ter consciência!” isto fazem 55 anos.
      Sem conhecimento, responsabilidade e organização, somos presas fáceis das minorias organizadas!
      Abraço.
      Fallavena

    • Prezado Perez, que bom poder de ouvir/ler e com muita saúde.
      Reflectir é o princípio, a base para decidir e agir. Tomara possas nos ajudar.
      Abraço fraterno.
      Fallavena

    • Antonio que bom compartilhar contigo pensamentos.
      Gostemos ou não, queiramos ou não, aqui e ali todos nós odiamos um pouquinho. O problema é quando ódio toma conta da pessoa e o deixa sem raciocínio.
      Dias atrás, em entrevista a uma emissora aqui do sul, ao vivo, o radialista me perguntou sobre o ódio das pessoas.
      Eu lhe disse que algumas coisas eu também odiava. Ele pediu um exemplo e, prontamente, lhe disse: palpites! Como assim, me indagou? Explioquei que sentia isto quando alguém fala/escreve sobre o que não conhece, não sabe e nunca procurou saber. Ou seja, um palpiteiro querendo ser opinador.
      Quando alguém diz algo que nada a tem com esta sendo debatido, deve ser chamado a atenção. Eu sempre recomento, nestes casos, que a pessoa estudo e depois retorne com uma opinião que seja aproveitável e que ajude aos demais a ampliar conhecimentos ou fortalecer os que já tem.
      O ódio sistemático faz mal, muito mais ao portador do que ao que é dirigido.
      Quando isto acontecer com amigo, pula por cima, desvia e segue em frente. Nos últimos 30 anos tenho feito isto.
      Abraço fraterno.
      Fallavena

  4. Um jovem declarou-me que votou em certo candidato pelo simples fato dele ser jovem como ele. Enfim, na força jovem do candidato foi tudo o que foi capaz de pensar, porque apenas isso enxergou.
    Pensar exige perguntas, mas se a pergunta não for sabia, a resposta será inconclusiva e até errada.
    O não saber PENSAR é a pior cegueira e produz um dano pior do que o vírus que nos obriga a parar e muitos pararam sem saber o que vão fazer da vida, por que são leitores de um livro só. Este é o homem que o Pe. Vieira temia.
    Obrigado Fallavena, por pensar que é preciso saber pensar, analisar e identificar o que é preciso fazer antes de interagir visando colaborar com ideias construtivas para as soluções que precisamos.
    Matéria edificante!

    • Prezado Andrade Araújo
      Obrigado por teu comentário. Também é edificante.
      Um ato como votar, sem recheio de responsabilidade, é insano pois anula um voto consciente e de qualidade.
      O sistemas democráticos precisam passar por reformas de estrutura, caso contrário, mesmo sendo a única forma de participação plena se destruirão pela falta de qualidade do voto, ou seja, do eleitor.
      Quanto a pensar, o que mais ouço e leio é que é algo “muito pesado, cansativo e perda de tempo”. E não se deixe enganar, muitos, muitos mesmo pensa e agem assim!
      Pensar, raciocinar, organizar ideias é perda de tempo, para a maioria das pessoas. Vivemos numa sociedade de IDIOTAS! A definição de idiota que aqui uso é: “O sentido primitivo de idiotes era o de “homem privado”, isto é, metido com seus próprios afazeres, afastado da gestão da coisa pública”. Em resumo: aquele que olha só para o seu umbigo!
      Olhe o mundo como está, e nossa sociedade em particular: cada um querendo mais e mais para si!
      Tomara possamos caminhar sempre juntos, na mesma direcção.
      Abraço fraterno.
      Fallavena

  5. “Pessimismo? Não. Otimismo? Também não. O realista trabalha e deve apresentar só os fatos.”

    De fato, nós humanos deveríamos trabalhar apenas com os fatos. Contudo eles é que são o problema. Eles, os fatos, são elásticos e dependem de quem os lê, seu estado emocional, ambiente, tendencias pessoais e por aí vai.

    Já os *fatos* lidos sobre o olhar da ciência, do método científico, tem leitura isenta de tendenciosidades. É o que todos nós desejamos relativamente a pandemia. Acho. Grande abraço conterrâneo.

    • Caro Fallavena.

      Veja a falta que pessoas como você fazem pra a TI e para vida inteligente.

      A luta esta cada vez mais difícil e é quase imposfivel saber com quem contar??

      Parafraseando a que célebre pensador alagoano :

      Não nos deixe sós

      Grande retorno,grande abraço

      • Bom amigo Duarte
        A TI e os comentários/textos dos Tribunários também me fazem muita falta!
        Foi a saudade que me trouxe hoje aqui.Tive poucos vícios na minha vida e, agora ao final dela me viciei na nossa TI.
        Vou tentar estar presente, mesmo que “en passant”.
        Alem do que já tinha de compromissos, agora estou coordenando a construção de 11 sites, 9 deles em nível nacional.
        Em breve, se o Pai permitir, queremos estar no ar!
        Agora é 00.01 de 12.04.2020. Devo parar pelas 02.00 hrs.
        Amanhã começo |às 08.30 hrs. Meus dias são assim!
        Estamos juntos, para o que der e vier!
        Abraço fraterno.
        Fallavena

    • Ricardo Miguel, obrigado pela oportunidade de trocar opiniões. E acabas de abrir mais uma porta para um tema complexo: a verdade.
      No final de 2019, convidado para evento, debati com outros cinco palestrastes o tema “VERDADE”.
      É comum alguém dizer que, a sua verdade não é a do outro.
      Já tenho me debruçado sobre o tema a vários anos e sempre me perguntava: como é possível ter mais do que uma verdade para o mesmo tema? O argumento é de que existem verdades pois podem ter várias versões.
      Hoje, depois de tantas pesquisar e ouvir opiniões, me convenci que somente existe uma verdade para cada tema, assunto, fato. A leitura dos fatos nunca é a verdade! A leitura feita por um ou por vários pode levar a várias posições, mas a verdade, o que realmente aconteceu é uma só!
      O realista tem de trabalhar com a verdade, pois só assim pode modificar os fatos!
      O pessimista se derrota antes de começar a luta. Nada dará certo!
      Já o otimista acha que pode ficar esperando: o que deseja alcançar acontecerá.
      O realista faz a coisa acontecer por trabalho, esforço, dedicação, estudo, apoio e tantas coisas mais.
      Por fim, nem a ciência é exata. Tenho acompanhado opiniões de cientistas, médicos e diversas áreas: as opiniões se dividem. Todos buscam a solução mas ela não está na cabeça e nas mãos de um ou outro e sim na busca de todos.
      Vamos passar por esta. Temos de passar por ela. Com a ajuda de nossas mestres e guias passaremos por mais esta!
      Fraterno abraço.
      Fallavena

      .

  6. Estimado Newton, estimados colegas Tribunários, de todos os costados.
    Publicaram este texto alguns dias atrás, em blog de um amigo. Já estamos com muitos comentários.
    O tempo é curto e as tarefas muitas. E não bastasse, aparece um virus danado.
    Me comprometo, pelo respeito a TI, ao Newton e a todos que frequentam este maravilhoso, único e necessário espaço que, nas próximas horas, com muita alegria, respondo com uma mensagem a cada um.
    Um Feliz Páscoa e que a saude esteja em primeiro lugar para cada um. O resto faremos com ela.
    Fraterno abraço.
    Fallavena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *