As vidas desencontradas na seca nordestina

Os poetas cariocas Marcelo Pacheco e Chico Pereira retratam na letra da música “Nordeste”, as vidas desencontradas que a seca impõe ao nordestino em sua busca, cotidiana, pela sobrevivência e esperança por dias melhores. A música foi gravada pelo grupo Cambada Mineira, em 2000, no CD Cambada Mineira 2, produção independente.

NORDESTE
Amarildo Silva, Marcelo Pacheco e Chico Pereira

Vidas desencontradas
Nesse sol errante
Desfilam em debandadas
Essa gente caminhante
Que reza o ano inteiro pra chover
Abandonados não sei por que
E ainda assim cantam sem saber
Certamente comem não sei o quê
E ainda insistem em sobreviver
Nessa terra ardente
Nesse céu distante do nosso olhar
Sua chuva nunca vem nos molhar
Pra fazer brotar
Vidas, flores, ribeirão
Seus meninos são o limo desse chão
São mel de fruteira, flor de algodão
Que cisma em crescer
Nessa senzala a céu aberto
Nessa fornalha, nesse deserto
Mas esse sertão é um grande país
E suas mulheres serão felizes
Pois ainda sonham, será por que?
Essa gente ainda busca querer
Um caminho, um caminho

 (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

2 thoughts on “As vidas desencontradas na seca nordestina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *