Assessor de Bolsonaro alega que esvaziamento de ala ideológica enfraquece o governo

Filipe Martins é um dos protegidos do guru Olavo de Carvalho

Paula Ferreira
O Globo

Assessor especial do presidente Jair Bolsonaro, Filipe Martins usou o Twitter, na terça-feira, para fazer uma análise das pressões que o governo tem sofrido e afirmou que o cenário difícil para o presidente tem como causa o enfraquecimento da influência da área ideológica no governo. De acordo com Martins, com a redução da força desse grupo, o “establishment já se sente à vontade para eleger novos alvos”, como os militares.

Em uma live no último sábado, Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), acusou o Exército de se associar a um genocídio, em referência à falta de titular no Ministério da Saúde, que hoje é ocupado interinamente pelo general Eduardo Pazuello.

NEUTRALISMO TECNOCRÁTICO – No Twitter, Martins afirma que os ataques tentam minar “mais um pilar” de sustentação do governo, a exemplo do que foi feito com a chamada “ala ideológica”. Para ele, o núcleo ideológico era o responsável por dar unidade ao governo e sentido às escolhas que desafiavam o sistema. Quando renuncia a isso, o governo adere a um “neutralismo tecnocrático” e é incapaz de desafiar o discurso dominante.

“Isso significa que ao permitir que o discurso político-ideológico que lhe dá sustentação seja enfraquecido, o governo se coloca sob o risco de ser submetido a uma situação na qual suas únicas opções aceitáveis são aquelas predeterminadas pelos senhores da ideologia dominante. Ou seja, com o enfraquecimento desse discurso, o governo se vê obrigado a aceitar apenas propostas e políticas consideradas aceitáveis pelo establishment. Quando não aceita, acaba sendo rotulado de tudo, até de genocida, e o custo político de defendê-lo vai se elevando”, escreveu o assessor do presidente.

BASE CONSERVADORA – Martins finaliza defendendo que o governo precisa reverter o cenário por meio do fortalecimento da base bolsonarista mais conservadora:

“Portanto, a única forma de reverter a situação e salvaguardar as propostas que foram escolhidas nas urnas, bem como diminuir os custos políticos do apoio ao governo e proteger quem com ele colabora, é resgatar e proteger a base originária do governo e seu discurso conservador.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Esse rapaz é “aluno” de Olavo de Carvalho e sabe exatamente o que está pensando Carlos Bolsonaro, o coordenador do Gabinete do Ódio. É na sala de Filipe Martins, no terceiro andar do Planalto, colada no gabinete presidencial, que Carluxo opera os robôs bolsonaristas, com apoio de outro assessor, Tercio Arnaud, que é um dos principais investigados no inquérito do Supremo. (C.N.)

14 thoughts on “Assessor de Bolsonaro alega que esvaziamento de ala ideológica enfraquece o governo

  1. Esse moçoilo esta apenas defendendo os interesses dele.O discurso do ódio esta perdendo terreno e ele corre o risco de ficar desempregado.
    Só isso. O resto q se dane.

  2. Este governo é um governo com seus alicerces apoiados em cima de mentiras. Usam o terrorismo ideológico como arma. Ao serem privados dos mecanismos que permitem o anonimato, não terão argumentos minimamente convincentes para as mentiras que diariamente espalham.

  3. Muito bem escolhido o nome “Gabinete do Ódio”, o órgão que trouxe para si não só a defesa de Bolsonaro, mas a divulgação sistemática contra a esquerda e o comunismo como culpados pela situação brasileira atual.

    O erro crasso da atuação do tal gabinete é a generalização.
    Acusar indiscriminadamente a esquerda, sem que haja a separação dos crimes de Lula e do PT, caracteriza a função dos aliados de Carlos Bolsonaro como um reduto de vingança, menos de usar a verdade como esclarecimento à população, e dificuldade de Bolsonaro levar o país adiante, independente da incompetência e incapacidade que tem demonstrado desde que assumiu a presidência.

    Decididamente, o gabinete do ódio extrapola qualquer explicação a respeito da sua necessidade, até mesmo a ideológica.
    Ter como intenção fabricar notícias falsas contra a oposição, no lugar de enaltecer a sua, de mostrá-la capaz de levar o Brasil para novos e melhores rumos, essa ala de reveste como prejudicial e danosa ao povo e país.

    Nada explica e muito menos justifica nesse modelo de atuação, onde a divisão política do Brasil é a intenção principal, que traz para o governo ou benefícios ou solidez, pelo contrário.

    A ideia é mesmo desestabilizar, conflitar, gerar o ódio entre os cidadãos e, se possível, uma revolução.
    Eliminar a esquerda e o comunismo mesmo que seja através da violência é a intenção do tal gabinete, pelo fato de incutir na mente de incultos e incautos, os males causados pela ideologia de esquerda, que somente poderiam ser sanados mediante o desaparecimento em definitivo dessa tendência política e social.

    Bolsonaro quer concluir a tarefa dos militares na década de sessenta.
    Não só foi frustrante esse combate, quanto incentivou que a esquerda e o comunismo voltassem mais fortes tempos depois!
    Hoje temos um parlamento composto de esquerdistas e comunistas como nunca antes aconteceu na História Republicana Brasileira, comprovando efetivamente que o “serviço” à época foi incompleto.

    Vou mais adiante:
    A omissão das FFAA em não impedir que Lula e o PT roubassem o povo e país livremente, é a causa fundamental de a esquerda e o comunismo terem se fortalecido.
    Ao se submeterem às autoridades de Lula e Dilma, os militares concordaram tacitamente com a atuação petista onde governavam, alegando que defendiam a democracia.
    Agora é tarde.

    O gabinete do ódio deveria ser alertado sobre a sua ineficiência e ineficácia a respeito dessa sua atuação deprimente e altamente nociva e nefasta ao povo e país.
    Não só agrava cada vez mais a polarização e radicalismo político, quanto impede que haja a união necessária de todos nós para o Brasil reagir frente ao caos que atualmente nos esmaga contra uma realidade cruel:
    Miséria, pobreza, pandemia, desemprego, economia, política, saúde, educação, saneamento básico … em crises incomparáveis desde o nosso descobrimento!

    • Esse “gabinete do odio” criado por 3 deputados eleitos nas costas de Bolsonaro e que depois traíram, pois foi criação desse Ayan que está preso por vários crimes cometidos. Aí sim havia um grupo de ódio contra Bolsonaro. Os apoiadores bolsonaristas que foram presos baixo essa farsa foram soltos porque nada encontraram contra eles. A deputada igualmente com seu próprio gabinete de ódio amplamente noticiado pela TV não é mostrado neste artigo. Porque essa seletividade? É os do MBL igualmente amplamente divulgado pelas reportagens da TV porque não são mencionadas?

      Para mim se tivesse algum gabinete pro Bolsonaro já teria sido amplamente divulgado pela mídia igual ao Ayan e ao da deputada. O que vejo é o desespero destes “jornalistas” com o amplo apoio da população ao Presidente Bolsonaro e esse pessoal não aceita isto e até tentam ridiculizar chamando de “gado” porque eles não conseguem entender que o povo sabe elegir como fizeram com Bolsonaro e principalmente sabem defender suas posições e interesses o que choca a estes “ilustres sabichones” que na realidade são míopes que não conseguem entender a realidade.

      O importante para os brasileiros de bem é que Brasil vai superando seus desafios e a democracia é boa e assim para os detratores, infalíveis, etc. esperar 2022 ou tal vez 2026 porque como vai a carruagem Bolsonaro será reeleito em 2922.

    • Esses caras do Bolsonaro são mercenários doidos de pedra, inescrupulosos, capazes de tudo por dinheiro, só isso, não sabem fazer nada que preste em termos de administração pública.

  4. Nada convence mais do que a verdade. Esta parece uma frase óbvia, e até batida, mas é preciso ser repetida, principalmente em tempos quando se pensa que persuadir é o objetivo final de tudo.
    A persuasão tornou-se o objetivo. Os meios para isso irrelevantes. Se, no fim, o outro aceitar fazer o que eu estou lhe propondo, é isso que vale.
    Agora, imagine essa mentalidade que tem a firme convicção que o ser humano não é nada mais do que um animalzinho reativo, talvez apenas um pouco mais inteligente que os outros.
    O resultado é todo mundo usando todo tipo de artimanhas persuasivas, principalmente aquelas que provoquem o instinto do indivíduo para que ele aja de acordo com a vontade do manipulador.
    E a verdade nisso tudo? A verdade é dispensável. No processo persuasivo, a verdade é a ação buscada e se o ouvinte age de acordo com o proposto, esta passa a ser a verdade entre as partes. Dentro da mentalidade dos nossos dias, isso basta.
    A questão é que tratar os homens como meros bichinhos reativos é um erro. Somos mais que isso. Possuímos a razão e ela é o que temos de superior, a diferença específica que nos torna capazes de não apenas corroborar uma verdade, mas de explicá-la. É a razão que nos leva para além das meras impressões iniciais e nos permite ter alguma estabilidade em relação ao mundo que nos cerca.
    O coração dos homens não se alcança diretamente, mas por meio de suas cabeças. E ainda que os sentimentos deem alguns sinais, é na razão a confirmação de que esses sinais estão corretos.
    E se a razão confirma essa verdade é porque a verdade já estava lá.
    Por isso, quando alguém fala a VERDADE, isso vai ao encontro das convicções mais profundas de cada ser humano. Ele pode até não entender isso, mas a verdade lhe toca. Ele pode até brigar contra isso, mas, lá no fundo, a verdade lhe incomoda.
    Por isso, no fim das contas, não existe nada mais persuasivo do que a verdade.

    Pensem nisso senhoras e senhores.

  5. Incrível como este povo tem memória curta. O boçal elegeu a segunda maior bancada da Câmara, hábil como é tratou logo de destruir o partido pelo qual se elegeu. Fez de tudo para entrar em atritos inúteis, arrumar o maior número possível de inimigos, reais e imaginários. Fez dos três zeros ministros informais, deu ao guru da famiglia o poder de nomear e exonerar ministros. Agora este imbecil vem com este papo furado de um recomeço, a uma volta ao começo quando governo tinha a maioria na Câmara e poderia aprovar o que quisesse, até o boçal começar a se achar Dom Pedro III, só podia acabar mal

  6. Não conheço UM SÓ governo no mundo que para tudo o que faz peça a bênção desse Olavo de Carvalho. Esse crápula não sabe de absolutamente nada de nada. JAMAIS ouvi falar de um idiota dessa enormidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *