Até agora, nada do que disse o ex-ministro Moro foi desmentido, muito pelo contrário

Um novo capítulo da VazaJato: Moro mandava buscar e apreender sem ...

Charge do Paixão (Gazeta do Povo)

Antonio Fallavena

A cada dia, lembro mais e mais, do que o PT dizia de Fernando Henrique Cardoso quando entregou o governo: uma herança maldita! Lembram disso? Na verdade, a herança maldita de FHC a Lula já é muito menor – e bota menor nisso – do que o PT nos legou após seus 16 anos (eles dizem que foram 14 anos, mas é mentira…).

A herança maldita do PT foi um país desorganizado, desorientado, assaltado e por fim, para retirá-los do poder, sobrou-nos eleger Bolsonaro. Nenhum dos outros candidatos demonstrou ter condições de enfrentar a máquina esquerdopata.

PRESENÇA DE OLAVO – Deve-se reconhecer que Olavo de Carvalho muito lutou contra a esquerda. Nos últimos anos, foi o que mais atacou comunistas, socialistas e corruptos. Este mérito não se lhe retira, mas terminou sendo assumido como “guru” pela família Bolsonaro. E isto foi lógico!

Desequilibrado como é, agressivo e compulsivo, Olavo atacou quem queria e lhes disse tudo o que eram ou o que ele pensava que eram. As ações indenizatórias vieram e acumularam-se as penas financeiras. Tudo normal, dentro da sociedade atual.

As perguntas que estão esperando resposta são as seguintes: Quanto Bolsonaro e os filhos devem à Olavo de Carvalho? Se não arrumarem recursos, o que grande “filósofo” fará? Se nada mais acontecer e Olavo de Carvalho permanecer defendendo o governo, é sinal de que valores pretendidos foram alcançados. Se gritar novamente, poderá terminar como o caso Roberto Jefferson/Zé Dirceu!

O CASO MORO – Até aqui, o que o ex-ministro Sérgio Moro disse não foi desmentido, muito pelo contrário! As “bonequinhas de pano”, com mandatos de deputadas passam, quando muito, por “principiantes”. Esquizofrénicos, paranoicos e fanáticos não sabem o que seja política.

Moro foi o primeiro brasileiro a dar uma chance a verdade e a democracia nos últimos 30 anos! Política é coisa séria e não se presta à seitas! Aliás, é bom saber que política é razão e nunca deve ser paixão!

O tempo, senhor das verdades, se encarregará de colocar, um a um, nos seus devidos lugares. Vejam o caso de Lula, um ídolo mundial, que hoje é apenas um presidiário, eternamente um condenado!

22 thoughts on “Até agora, nada do que disse o ex-ministro Moro foi desmentido, muito pelo contrário

  1. Lula recebeu mais de 40 Títulos. Das mais diversas entidades e dos mais diversos países do mundo. Todos os Títulos lhe foram concedidos APÓS ele deixar a Presidência. E até agora NENHUM dos Títulos lhe foi retirado. Será por que?

  2. “Se não arrumarem recursos, o que o grande ‘filósofo’ fará?”
    Ué, se é esse o problema, não custa nada seus seguidores passarem a “sacolinha” nas redes sociais, tipo uma vaquinha.
    Luciano Hang, dono da Havan, prometeu descolar uma grana junto aos empresários, mas parece que a sacola ficou vazia.
    Se tudo isso esconde segredos que não podem ser revelados, aí tô fora.
    Dizer o quê se eu não sei de nada?
    O tempo dirá.

  3. O Brasil, e não sei quantos milhões de brasileiros (incluindo o articulista), alegremente, nas mãos de uma corja familiar, “democraticamente” eleita por vocês. Triste! Lamentável! Asqueroso!

  4. Conheci, há anos, um funcionário de gabinete parlamentar, analfabeto funcional, muito boa gente, que cavou numa Comissão, uma verba para uma instituição de ensino superior, referência na pesquisa do câncer e em agradecimento foi agraciado com um título de Doctor Honoris Causa. Fez alguns miles de cópias, na repartição, e se mandou para seu estado, candidatando-se a deputado federal e distribuindo as cópias como santinhos. Uma figura! Se tivesse sido eleito, poderia ter sido outro Lula.

  5. KKK o texto fala de um chorão e de um futuro chorão. O astrólogo-filósofo reclama que o abandonaram, ou seja, está faltando dinheiro para ele. Aí manda que enfiem naquele lugar as condecorações que pretendem lhe conceder, como as dadas ao 51. E o outro citado não conta mais com o apoio de ninguém, talvez por isto vive fazendo acenos para a Poderosa, quem sabe consegue algum. Vem bem a calhar-lhe aquela expressão popular, sabe nada inocente.

  6. Fallavena deve ser mais um político.
    Dizer que votou no Bolsonaro, porque não havia candidatos melhores soa como uma desculpa injustificável.

    De onde ele tirou essa ideia de que poderia dar certo?

  7. Sr Jaco, eu não subestimei a esperteza, o tino político, o raciocínio rápido, a falta de escrúpulos, o oportunismo e a velhaquice da jararaca, nem sua ambição desmedida por poder e dinheiro, como também conheço sua aguçada visão e compreensão das fraquezas morais dos políticos, principal fator de sua rápida e vitoriosa ascensão. O que eu ironizei foi o que tinha sido louvado nestes comentários como virtude e merecimento, a concessão dos títulos em questão. Peço desculpas se cheguei a ironizar algum atributo do ex-Presidente, que pela sua admiração acredito que se trate de um amigo, eu também cheguei a conhece-lo em São Paulo, no tempo em que negociava greves para dar tempo de empresas amigas baixarem seus estoques.

  8. Fallavena

    Peraí afirmar que Olavo combateu comunistas, socialistas e corruptos!
    Se algo lhe devem (e foi prometido pela família Bolsonaro) não é corrupção (?)

    Sobre Moro. Concordo que “tudo” que tenha afirmado não veio o governo desdizer. Quem tentou, foi pego na mentira, com o vídeo da reunião.
    Mas chance à Democracia(?) foi ele instrumento e um dos protagonistas cuja atuação (ele, enquanto juiz) promoveu o Golpe de 2016.
    Não sei o que seria pior. Ditadura do Bolsonaro (do seu vice Mourão) ou do Moro (eventualmente em 2022).

  9. Está certo o articulista, Moro declarou na sua saída que “o Presidente não cometeu crime algum” e também “que o Presidente nunca tentou interferiu na Polícia Federal”.

    Ambas afirmações foram confirmadas tanto no depoimento de Moro à PF e nos vídeos da sessão de ministros. Está certo o articulista!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *