Até o PT já admite que não há condições de evitar o impeahment de Dilma

Cardozo e Dilma sabem que não há mais escapatória

Deu no Globo

Em uma sessão que durou mais de 14 horas, a presidente afastada, Dilma Rousseff, fez, nesta segunda-feira, seu último discurso antes do julgamento final do impeachment e, possivelmente, também sua derradeira fala como presidente da República. Com um tom emotivo e com forte teor político, o discurso de Dilma foi elogiado por alguns senadores que ainda resistiam em declarar seus votos publicamente, mas, no próprio PT, a avaliação era que não funcionaria para alterar o resultado da votação desta terça-feira.

Ainda assim, dois senadores anunciaram que votarão contra o impeachment. Telmário Motta (PDT-RR) e Otto Alencar (PSD-BA) ainda não haviam revelado como se posicionariam. Com isso, são 20 os senadores que declararam voto contra a saída definitiva da presidente afastada. A tendência, segundo o presidente do Senado, Renan Calheiros, é que a votação seja definida na madrugada de quarta-feira.

Durante a defesa de Dilma, o presidente interino, Michel Temer preferiu agir como se nada de extraordinário ocorresse no Congresso. Do outro lado da Praça dos Três Poderes, no Palácio do Planalto, Temer recebeu atletas olímpicos e provocou risos ao vestir uma touca de polo aquático. E demonstrou pouco interesse pelo discurso de Dilma, afirmando que não teve tempo de acompanhar porque ficou “trabalhando nos despachos”. Temer chegou a telefonar para senadores aliados para saber como estava o clima na sessão e demonstrou angústia com a possibilidade de não tomar posse a tempo de viajar à China na manhã de quarta-feira.

SEM SURPRESAS – A tranquilidade de Temer pareceu ser justificada após ouvir a impressão de parlamentares de que o discurso de Dilma Rousseff não trouxe grandes surpresas e que a margem para uma reviravolta no esperado resultado pró-impeachment era mínima. A mesma avaliação fizeram petistas, que destacaram, no entanto, a importância da fala da petista para a construção da narrativa do “golpe”:

“A esta altura, acho muito difícil que ainda haja alguém indeciso a ponto de mudar de ideia. Mas a presidente deu um tom político que foi importantíssimo, porque estamos na disputa pela versão dos fatos. Historicamente, é fundamental”,  disse o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE).

A própria presidente reconheceu a dificuldade, indiretamente, em seu discurso, ao dizer que, apesar de estar presente para se defender, isso em nada mudaria o resultado. Ao final, a presidente afastada disse que, caso perca, recorrerá ao Supremo Tribunal Federal (STF) após o processo, que considerou “ilegítimo”, apesar da presença do presidente da Corte, o ministro Ricardo Lewandowski, no comando da sessão.

“Não há respeito ao devido processo legal quando julgadores afirmam que a condenação não passa de uma questão de tempo, porque votarão contra mim de qualquer jeito. Nesse caso, o direito de defesa será exercido apenas formalmente”, disse Dilma.

COMO VÍTIMA – Golpe foi uma palavra que Dilma usou em diversos momentos. Somente em seu discurso, foram nove vezes. A presidente afastada, que lembrou as sevícias que sofreu durante a ditadura militar, negou que tivesse cometido crime de responsabilidade e fez alusão a momentos históricos distintos em que houve ruptura democrática para comparar à sua situação. Assim como os ex-presidentes Getulio Vargas, Juscelino Kubitscheck e João Goulart,

Dilma se colocou como vítima de reação de “setores da elite econômica e política” que tiveram interesses feridos com sua reeleição. Curiosamente, o único presidente desde a redemocratização alvo de impeachment no Brasil antes dela, Fernando Collor, afastado em 92 envolvido em denúncias de corrupção, não foi citado em seu discurso.

26 thoughts on “Até o PT já admite que não há condições de evitar o impeahment de Dilma

      • Na eleição americana de 2012, Ann Romney foi alvo de ataques semelhantes, pelo fato de nunca ter tido profissão, embora fosse de família riquíssima. Se uma pessoa de família muito rica não trabalha, qual o problema nisso?
        Uma coisa engraçada é que as críticas contra pessoas ricas ociosas parece se limitar às mulheres. As pessoas se divertem em malhar Paris Hilton, mas idolatram gente como o falecido Jorginho Guinle, que passou a vida esbanjando a fortuna da família. Quantos artigos não foram escritos sobre Jorginho e sua ‘arte de gastar milhões’? Provavelmente Ann Romney e Marcela Temer desempenham um papel menos negativo na vida.

        • O fato não é esse, é que pela total falta de popularidade do Temer, conforme mostrou a pesquisa Datafolha, tentaram até usar a ‘beleza’ da madame para ver se ele ficava um pouquinho mais popular, coisa Jeca de jornalizinho suburbano.

          • Essa coisa toda de ‘primeira dama’ é em si uma bobagem. O que importa é a pessoa que ocupa o cargo público, não o seu cônjuge, seja qual for a sua atividade ou falta dela. Os americanos inventaram esse negócio, pra transferir a antiga curiosidade sobre a família real britânica para a família dos presidentes.
            E se acaso Temer tivesse uma esposa como a falecida Ruth Cardoso, as pessoas iriam zombar dela por causa do marido?

          • Se a mídia teve essa intenção, foi idiotice. Mesmo porque a popularidade da primeira dama ou a falta dela não costuma afetar o presidente, seja pro bem ou pro mal. Barbara Bush (que era ‘recatada e do lar’, mas não ‘bela’), foi muito popular quando primeira dama, mas isso não ajudou George Bush (pai) a se reeleger.
            Aliás, comentários sobre a beleza das esposas não costumam repercutir muito a favor dos maridos, em geral só servem para torna-los alvos de piadas, como foi o caso de João Goulart.
            Mas eu em referia, não às eventuais intenções da mídia, mas aos termos do deboche contra a esposa de Temer. Se a mídia quisesse puxar o saco de Temer, e descrevesse a esposa dele como ‘forte, independente e determinada’, ‘uma Hillary Clinton brasileira’ (supondo que houvesse base pra dizer essas coisas), as pessoas estariam fazendo piada sobre isso?

  1. Cuidado, tem muito senador vendendo o voto. Qualquer 50 mil compra um senador e o resultado pode virar rapidamente. Se o povo não for para as ruas e mostrar a sua posição, a Dilma volta. Até os movimentos pelo impeachment amaciaram (entrou o dinheiro sujo do PT).

  2. Manheeeeêê… O Temer golpista vai acabar com as minhas mamatas das licitações fraudulentas e vai passar as fraudes para outro fornecedor! !! Eu vi primeiro, mãe!!! Não é justo!!! Agora vai chegar fim do mês e vou ficar durango da silva! Buaaaaaaaáá! !!!

  3. Mais um suicidado, como não devia ter dinheiro para motel foi na árvore mesmo…

    Alvo da Lava Jato do Cerrado é encontrado morto em Goiânia
    Estadão
    Julia Affonso e Fausto Macedo17 horas atrás
    Claudionor foi encontrado no Jardim Botânico de Goiânia, segundo o jornal ‘O Popular’, enforcado em uma árvore. A Polícia Civil trabalha com a hipótese de suicídio.Segundo a investigação, Claudionor era um dos funcionários da empresa que tinha conhecimento do esquema Saneago. A Saneago teria bancado partidos com recursos do PAC, do BNDES e da Caixa, além da quitação de dívidas de campanha da reeleição do governador Marconi Perillo (PSDB), em 2014. Os desvios, segundo a PF, chegaram a R$ 4,5 milhões.Na quarta-feira, 24, a Polícia Federal e a Procuradoria da República prenderam o presidente regional do PSDB, Afrêni Gonçalves, por suspeita de envolvimento com o esquema.

  4. Dizem até que numa altura do bate-boca, a Dilma olhou para o
    lula, la nas galerias e disse: “Pai. perdoai, eles não sabem o que fazem.!
    O chico jabuti estava la para sentir o clima, pois deverá ser o autor da trilha sonora do “documentário do golpe”.
    Antigamente diziam que a polícia secreta portuguesa usava crachá. Assim também esta o “golpe” denunciado pela Dilma.

  5. Gostei quando enfiaram na cara do PMDB as gravações do Machado, que sumiram dos jornais ‘isentos’…
    estamos há 110 dias sem nenhuma operação da PF devido a escandalosa operação abafa que o Temer e asseclas estão fazendo, fato que prova a razão do Machado.

  6. O Triste Fim de Dilma Rousseff

    http://mundovelhomundonovo.blogspot.com.br/2015/09/o-triste-fim-de-dilma-rousseff.html

    A Sra. Dilma, que já não era de extremas filosofias, de acordo com o Sr. Antunes, adotou a convicção de que, sob o sol, nem tudo são vaidades, como deseja o Eclesiastes, nem tudo perfeições, como dita o Dr. Pangloss;

    já entendia que há amplo espaço de males e bens, e que a arte de sobreviver estriba-se em sacar o máximo bem do maior mal:

    A perfeição consiste na união da arte com a natureza. Didi Rousseff

  7. Simplificadamente, até a Revolução de 1930, seguíamos o Modelo Agrário Manual Exportador-Mercantil, baseado principalmente no Café, Açúcar, Couros, etc. Estado Mínimo. Política Externa alinhada com a Inglaterra. Mínima importância do Mercado Interno. 75% de Analfabetismo, e 70% viviam na Zona Rural.
    Economia completamente Subdesenvolvida e com mínima Capitalização.
    A partir de 1930, o grande Presidente VARGAS começou mudar este Quadro Econômico para melhor, buscando numa primeira etapa, a Industrialização Substituição de Importações, e numa segunda Etapa, Indústria de Base, Exportação de Manufaturados Brasileiros no Exterior. Isso implicava: ALFABETIZAÇÃO EM MASSA, ELETRIFICAÇÃO, MOTORIZAÇÃO DA AGRICULTURA, e especialmente um “Estado Forte” que Planejasse e dirigisse o crescimento para os setores Estratégicos. Grande prioridade para o MERCADO INTERNO. Política Internacional mais INDEPENDENTE. ( NACIONALISMO-DESENVOLVIMENTISMO-ESTATISMO). Foi um grande avanço.
    No Modelo puro de VARGAS, a Empresa com Matriz no Brasil (Estatal e Privada) tinha a preferência. Com o dinâmico Presidente KUBITSCHEK, passou-se a dar cada vez mais “campo” para a Empresa com Matriz no Exterior, (Multi-Nacionais). A meu ver, ganhamos em Quantidade e Rapidez, mas perdemos em Qualidade e em desenvolvimento de TECNOLOGIA NACIONAL. Perdemos AUTONOMIA.
    Os Governos sucessivos operaram dentro desses dois Polos.
    O Governo FHC-MARCO MACIEL optou claramente pelo Modelo KUBITSCHEK, sem a grandeza deste, e foram mal.
    O Governo LULA-JOSÉ ALENCAR tentaram o melhor que puderam defender uma Política mais VARGUISTA, e fizeram bom Governo.
    O Governo DILMA-TEMER tentaram seguir o mesmo Modelo VARGUISTA, mas a Presidenta DILMA por falta de “jogo de cintura POLÍTICO”, Voluntarismo Econômico Exacerbado, falta de Diálogo, por não ser Chefa de Partido, etc,etc, jogou o País numa tremenda Recessão e provavelmente será Condenada no Impeachment.

    Deve o Governo TEMER, dentro do possível, tentar Governar com uma Política VARGUISTA ( Nacionalismo, Desenvolvimentismo e prioridade à Empresa com Matriz no Brasil ( PRIVADA e Estatal), o melhor que puder, se não fracassará.

    No Mundo atual, inter-dependente, de Economia GLOBALIZADA não podemos mais ter um Modelo Puro, mas devemos fazer o possível para atuarmos para o Lado Certo, que é o máximo possível de AUTONOMIA NACIONAL.

  8. Ontem ela falou uma coisa de muito bom senso, que se o Temer – com sua popularidade zero – tentar fazer ‘na marra’ as reformas trabalhistas e da previdência, iremos entrar em um estado de convulsão social, pois ninguém vai aceitar perder, sem diálogo, os seus direitos, enquanto os sonegadores devem mais de R$ 2,3 ao fisco e continuam sonegando desavergonhadamente, como mostra o ‘sonegódrimo’ do Sindfaz.

  9. Até onde chega o ridículo do nosso judiciário, qua as suas ‘ novas jurisprudências ! Como dizer que as responsabilidades são individuais , personalíssimas e intransferíveis, se a defesa inicial foi feita tanto pela Dilma como pelo Temer. A nossa ‘ Constituição’ virou biruta de aeroporto, que muda conforme os ventos políticos !
    País vergonhoso !
    Discussão sobre separação das contas de Dilma e Temer deve acabar no STF

    Por: Severino Motta 30/08/2016 às 9:18
    http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/judiciario/discussao-sobre-separacao-das-contas-de-dilma-e-temer-deve-acabar-no-stf/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *