Atração fatal pelo dinheiro está levando Santana à cadeia

Charge do Sponholz (sponholz.arq.br)

Carlos Newton

O jornalista e marqueteiro João Santana e sua mulher Mônica Moura caíram nas malhas da força-tarefa da Lava Jato apenas por ganância. Espantosamente ricos, não tinham a menor necessidade de sonegar impostos, receber pagamentos e propinas ilegais e tentar esconder das autoridades brasileiras a criação da empresa offshore Shellbill Finance S.A., localizada no paraíso fiscal do Panamá. A impressionante cobiça por dinheiro acabou se tornando o ponto fraco de um casal altamente vitorioso, que já faturou a invejável quantia de R$ 229 milhões somente com o PT, desde que começaram a trabalhar na empresa Polis Propaganda e Marketing, que tem os dois como sócios a partir de 2001.

João Santana é um veterano jornalista baiano que teve destaque na profissão ao entrevistar o motorista Eriberto França para a revista IstoÉ, extraindo declarações que ajudaram a derrubar o então presidente Fernando Collor. A reportagem lhe valeu um Prêmio Esso e ele depois passou a trabalhar em marketing eleitoral com seu amigo e conterrâneo Duda Mendonça, com quem atuou na primeira eleição presidencial de Lula. A sócia Mônica Moura é sua sétima mulher e estão juntos há 15 anos.

Desde que Santana se separou de Duda Mendonça e criou a Pólis com a mulher, o faturamento dos dois tem sido impressionante. Além dos 229 milhões pagos oficialmente pelo PT à empresa Pólis, é preciso levar conta a bela receita que Santana teve em 2002 trabalhando para eleger Lula, quando ainda era sócio de Duda Mendonça, além dos trabalhos que vem fazendo desde 2003 em outros países – Argentina, Venezuela, Panamá, República Dominicana, El Salvador e Angola. O total recebido até agora só Santana e Mônica sabem, porque o faturamento é contabilizado no Panamá.

FATURAMENTO OFICIAL

Segundo levantamento feito pela Folha de S. Paulo no sistema eletrônico de prestação de contas do Tribunal Superior Eleitoral, o casal vinha fazendo uma trajetória invejável no ramos da marquetagem.

Em 2002, enquanto trabalhava com o sócio Duda Mendonça na vitoriosa campanha presidencial de Lula,  faturou pela Pólis mais R$ 2,2 milhões para eleger Delcídio Amaral no Senado. Na eleição seguinte, em 2004, a receita diminuiu para R$ 1,6 milhão, embora o trabalho tenha sido em dobro, ao fazer a campanha dos candidatos a prefeito Gilberto Maggioni em Ribeirão Preto e Vander Loubet em Campo Grande.

Mas na eleição seguinte, em 2006, começou a fase das vacas gordas, com a Pólis faturando R$ 24 milhões para reeleger Lula. Daí em diante, foi uma festa, porque em 2008 o PT pagou mais R$ 16 milhões para cuidar das fracassadas campanhas de Gleisi Hoffmann e Marta Suplicy para as prefeituras de Curitiba e São Paulo.

Em 2010, a receita disparou, com Santana e Mônica recebendo R$ 56,8 milhões para fazer a campanha de Dilma Rousseff à Presidência. Logo depois, em 2012, mais uma bela faturada, embolsando R$ 39,3 milhões para trabalhar o marketing de Fernando Haddad em São Paulo. E a grande tacada foi na última eleição, quando a Pólis levou R$ 88,9 milhões para atuar na campanha de Dilma à reeleição, um recorde absoluto na marquetagem da política brasileira.

Convém ressalvar que estes R$ 229 milhões foram o faturamento oficial da Pólis apenas com o cliente PT. Como agora se sabe que o casal Santana também recebia milhões por fora, o total que Santana e Mônica receberam do partido deve ter sido muito maior.

FATURANDO NO EXTERIOR

Desde 2003, João Santana e Mônica Moura passaram a faturar também no exterior, porém jamais divulgaram essas receitas. Somente na Argentina, entre 2003 e 2007 eles coordenaram o marketing político de sete campanhas legislativas, municipais e governamentais.

Em 2009, Santana foi o marqueteiro da vitória de Mauricio Funes em El Salvador, que encerrou 20 anos da hegemonia da direita no país. Na campanha, usou como uma das ferramentas a música brasileira, usando uma versão do samba “Canta Canta, Minha Gente”, de Martinho da Vila.

Em 2012, ajudou a reeleger Hugo Chávez, na Venezuela, e atuou como principal articulador da eleição de Danilo Medina na República Dominicana, que derrotou o ex-presidente do país, Hipólito Mejía. Fora da América Latina, ainda assinou a campanha de José Eduardo Santos em Angola – a qual também é alvo de um inquérito da Polícia Federal, sob suspeitas de lavagem de dinheiro.

João Santana voltou a atuar na Venezuela em 2013, trabalhando na campanha do atual presidente Nicolás Maduro. E em 2014 trabalhou por seis meses na campanha de José Domingos Arias no Panamá, que perdeu a eleição para Juan Carlos Varela.

Agora, o casal estava novamente na República Dominicana, tentando reeleger Danilo Medina, quando a prisão dos dois foi decretada pelo juiz federal Sérgio Moro.

NÃO TEM EXPLICAÇÃO

Como é que um homem riquíssimo como Santana, com mais de 60 anos e casado (pela sétima vez) com uma mulher bem mais jovem, arrisca seu futuro e o dela para acumular mais uns milhões no cofrinho, que não fazem a menor diferença?  E por que sujar o nome da própria filha, que passa a ser cúmplice de lavagem de dinheiro? Tudo isso é inexplicável. Mesmo se tivessem várias vidas, Santana e a mulher poderiam aproveitar à vontade e o dinheiro lícito não acabaria, bastava aplicá-lo de forma correta.

Agora, tentarão justificar o que não tem justificativa. Os muitos milhões farão a festa dos advogados deles, enquanto Santana repete a burrice de José Dirceu e está destinado a passar na cadeia grande parte desta fase final da vida, que antecede o juízo final. Como diz Paulinho da Viola, dinheiro na mão é vendaval. E como diz Jorge Benjor, se malandro soubesse como é bom ser honesto, seria honesto só por malandragem, caramba!

25 thoughts on “Atração fatal pelo dinheiro está levando Santana à cadeia

  1. Espero que agora João Santana reverta sua posição,e faça uma campanha a favor do Brasil e dos brasileiros,para redimir todo o mal feito.

  2. Eu não tinha conhecimento de que João Santana e Duda Mendonça tinham sido sócios. O detalhe desimportante explica muita coisa. Afinal, o Duda declarou ao vivo e em cores , na CPI dos Correios, em 2005 , que fora pago com dinheiro ilegal em uma off shore pela campanha à presidência do então Filho do Brasil, aquele que fora apunhalado pelas costas e já se desculpara do Mensalinho para a nação brasileira lá de Paris.Ou seja , a criminalidade eleitoral é antiga e impune.
    Naquela época de discursos cheios de testosterona em prol da ética na política , feitos na CPI e nos jornais por Alckmin, Aécio, Paes, Fruet, ACM Neto, Serra e de, atenção, tantas conversas obscuras entre Antonio Palocci, Márcio Thomaz Bastos e Fernando Henrique no sentido e de se evitar que a oposição descambasse para pedir o impeachment de Lula , mais do que de um Ilusionista, para que Lula não “sangrasse” até 2006, o PT já precisava de um marketing cúmplice.
    Ou seja, se o Feira, desde então, se recusasse a tais recebimentos em praias estrangeiras e torcesse o nariz às práticas pouco republicanas do partido, não teria sido jamais o fabulador -mor da quadrilha.
    De resto, realmente escapam-me os porquês desses caras envolverem nas suas delinquências, propinagens e crimes os próprios filhos.Prefiro continuar encarando de frente , os olhos dos meus.

    • Tambem nao sabia dessa sociedade, lembro bem do Duda Mendonca declarando na TV ao vivo e em cores ter recebido pagamento fora do Brasil, afinal, Duda Mendonca foi processado? Teve alguma penalidade? Alguem sabe alguma coisa?

  3. Hoje Newton é de tirar o chapéu. Teu artigo diz tudo o que os brasileiros devem saber da vida de João Santana. Tudo o que dizes é como se fora uma aula. Principalmente para os que estão começando na vida pensando somente em dinheiro. Dinheiro é bom mas tem um eleito devastador na personalidade do indivíduo. Quase sempre a personalidade muda. Passam a julgar-se infalíveis, desprezando as leis do seu e de outros países. Querendo sempre mais e mais . E para isso se arriscam a passar por vexame que hoje passa João Santana. Não creio que fique muito tempo na cadeia, pela idade e por ter muito dinheiro para gastar fazendo acôrdo com a justiça. O pior são os efeitos colaterais. Quantos serão envolvidos? (Já tem o presidente do Perú Hulama envolvido. Para Hulama que luta para permanecer no governo, e com acôrdos militares com os russos que estão atualizando suas Froças Armadas, para se contrapor aos chilenos, será um desastre). E o governo que estava até agora pensando não ter mais fogueiras para pular. “Depara-se com uma enorme fogueira que pode no mínimo queimar-lhe as pernas”.

    • Aquino, voce quer dizer Ollanta Humala, mas mudando de assunto, Maluf é milionario e enfiava a mao no pote. O Barusco por exemplo ja era milionario em 2002,e continuou roubando a Petrobras no governo Lula,o Cerveró ficou milionario roubando a Petrobras no governo de FHC e não parou continuou roubando a Estatal no governo Lula e no governo Dilma. O saco de negocio nunca enche. Talvez eles pensem em arrumar amantes e filhos com elas e depois terem de comprar apartamentos mundo afora para essa gente, dai haja dinheiro.

  4. Por pouco o marqueteiro não pode repatriar a grana no exterior utilizando a lei que foi feita para brasileiros como ele. Sergio Moro, se não fosse juiz, deveria ser jogador profissional de xadrez.

  5. Daí vem o idiota do eleitor luso-tupiniquim pobretão do interior de SP e repete igual papagaio que pilantras colocam em sua cabeça dizendo que vai votar em tal cara porque ele é rico e não precisa roubar. Mal sabe o infeliz que quanto mais rico é o sujeito, mais ele ele quer, mais ele precisa, mais ele sente necessidade de ter, à moda saco sem fundo, e adora ver o seu entorno na merda, fodido, pedindo-lhe esmolas. Pentecostes do partidarismo-eleitoral e do golpismo-ditatorial, velhaco$, que, ao que parece, a julgar até mesmo pelo fundo partidário, parece que atingiu o estágio de praia quase que totalmente dominada por psicopatas apaixonados por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, e que fazem de tudo e qualquer coisa para consegui-los e ampliá-los para deleito próprio e o resto que se dane. O pior de tudo é que nem mesmo pegos no flagra, com as respectivas bocas nas botijas, elle$ não se dão por achados, não se fazem de rogados, e não dão sequer uma palavra contra o sistema visceralmente podre, pelo contrário fazem de tudo para mantê-lo apontando os seus dedos sujos um para o outro apenas como manobra diversionista para manter a podridão sistêmica. Daí vem os novos e velhos malandros loucos de vontade que tomar as boquinhas, bocas e bocaças dos ditos cujos e vociferam: ” a culpa não é do sistema, são os Homens que não prestam”. E assim segue o enterro, para o bem de marajás, corruptos e CIA. Oxalá, o Moro não seja apenas mais um cujas segundas intenções seja apenas cavar para si a presidência, sob a égide do modello podre.

    • Se Moro mandfou prender a cunhada do Vacari, só por ser parente do tesoureiro do PT, imagine o João Santana com mais de 10 campanhas no exterior poderia receber em dolares ou em euros,deveria receber aqui no Brasil em contas no Banco do Brasil. So quem pode ter conta no exterior é um ex presidente corrupto, que não declarava as contas e que só agora, depois que a amante abriu o bico, começam a aparecer as contas bancarias e compras de apartamentos.

  6. Como sempre,acho que os jornalistas brasileiros deveriam começar o dia de trabalho, lendo este blog, pois são sempre informativos e esclarecedores, a começar pelos artigos do grande Jornalista Carlos Newton, imperdível.

  7. Mesmo que o dinheiro que esse bandido ganhou do PT para fazer as campanhas do Lulla e da Dillma fosse totalmente lícito, só o valor astronômico de R$ 229 milhões já faz a situação ser afrontosa! R$ 229 milhões???????????? Só na última campanha da Anta foram R$ 70 milhões!! R$70 milhões??? Isso é uma afronta !!! Como alguém pode ganhar milhões e milhões assim do governo e agora o mesmo governo vem falar em apertar o cintos?

  8. A cana dura fará João Santana abrir o bico diretamente de Curitiba. Afinal ele não parece ser uma pessoa que aguenta a dureza da cadeia sem delatar seus muitos cúmplices!

  9. Esta sua dúvida, Carlos Newton, é a que me inquieta há vários anos. Ela é mais grave quando um marqueteiro de talento ganha rios de dinheiro honestamente, que permite vida boa até a sua quinta geração, e aceita dinheiro que sabe que é ilícito e abre contas clandestinas no exterior. Mas o que me vinha inquietando, fora João Santana, são os políticos sem talento para mais nada, passam seus mandatos roubando sem parar, como Paulo Maluf, como o mineiro Newton Cardoso: pode um sábio falar para eles – olha Maluf, olha Newton, o que você já roubou dá para sustentar nababescamente suas próximas cinco gerações. Agora você já pode parar de roubar. No entanto, eles fariam ouvido de mercador e continuam a roubar mais e mais do patrimônio público até que a senectude já não os permita. Algumas vezes passam a vida tão ocupados em roubar que nem sequer a aproveitam.

  10. Francisco de Assis esse é um de meus maus costumes. Escrever de um só impulso e não voltar lendo com atenção para errar menos. O Nome do presidente do Perú é esse que escreves: Ollanta Humala. Valeu, obrigado.

  11. É sabido que o dinheiro é a materialização de todo o mal. Quem usa mal, e o persegue a todo custo, fica escravo dele e trabalha PARA ele e não por ele. Aí temos mais um exemplo claro de que o dinheiro potencializa a ganância de tal modo que outras faculdades ficam obliteradas.

  12. Um faturamento de 229 milhões!!!! Meu Deus! E eu fazendo fezinha na Loteria da Caixa e não faturo nem terno da quina nem quadra da Mega! Urge uma CPI de Loterias da Caixa!

  13. Carlos Newton, seu artigo faz com que meditemos e façamos a pergunta:
    o que leva uma pessoa a acumular um fortuna colossal, que não poderá gastar em toda a sua curta existência. A meu ver é pura vaidade.

  14. Pingback: PARA PETISTA, ALGEMA É BRASSELETE E FORCA É TRANCELIM… | Blog do Licio Maciel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *