Aumento do auxílio-caminhoneiro, vale-gás e auxílio-taxista não acrescentam votos para Bolsonaro

Charge do Amarildo (agazeta.com.br)

Pedro do Coutto

O Senado Federal, na noite de quinta-feira, aprovou uma incrível emenda constitucional, cuja validade vai até dezembro deste ano, permitindo que o governo, mesmo em período pré-eleitoral, dentro de uma situação de emergência, possa aumentar os benefícios sociais para a população.

A oposição acertadamente votou a favor para evitar que pudesse ser apresentada como uma força que impediu a contenção das vantagens previstas. No O Globo, a reportagem, edição desta sexta-feira, foi de Manuel Ventura, Alice Cravo e Camila Zarur. Na Folha de S. Paulo, de Renato Machado e Idiana Tomazelli.

PACOTE DE BONDADES – Entretanto, enganam-se os que consideram que o aumento do Auxílio Brasil, de R$ 400 para R$ 600 por mês até dezembro, a concessão do auxílio-caminhoneiro, a concessão do vale-gás, além da concessão de um auxílio para taxistas para que possam enfrentar o aumento dos combustíveis possam acrescentar votos para o presidente da República na corrida eleitoral.

Reconheço que eles acrescentam sufrágios a candidatos à Câmara Federal, uma vez que os benefícios geralmente são direcionados a redutos interligados com bases políticas. Mas não acrescentam nas eleições presidenciais, pois em primeiro lugar o seu raio de ação é limitado em termos de uma votação majoritária de caráter nacional.

Em segundo lugar, porque se de um lado os benefícios vão ao encontro de milhares de pessoas, talvez milhões, de outro lado deixa de fora tantos brasileiros e brasileiras que se sentem excluídos das concessões do governo. Mas não é somente este o problema.

LIMITAÇÃO – A questão é que a limitação do benefício até dezembro gera uma inquietação naqueles que vão ser beneficiados e, inevitavelmente, se perguntam: “E depois de dezembro de 2022, como ficará a nossa situação?”. O rol de dificuldades ainda não termina aí. Existe também a tendência de voto por classe social, conforme revelou pesquisa do Datafolha.

Menor renda, voto para Lula. Maior renda, voto para Bolsonaro, acentuando-se que menos entre as mulheres, diante do comportamento do próprio Bolsonaro em várias situações e, agora, agravado pelo episódio Pedro Guimarães.

Contemos agora também com a questão dos pastores do MEC e do ex-ministro Milton Ribeiro. Conforme afirmou Ruy Castro, ontem na Folha de S.Paulo, todos esses fatos somam-se para derreter o governo nas urnas de outubro.

EFEITO PEDRO GUIMARÃES –  O reflexo do comportamento do ex-presidente da Caixa Econômica Federal Pedro Guimarães foi muito bem focalizado pela jornalista Flávia de Oliveira na edição de O Globo de ontem. É o resultado também de um clima misógino que indiscutivelmente impera no governo Jair Bolsonaro; clima que produz um comportamento no qual as mulheres são interpretadas como objetos e seres de segundo nível.

Essa interpretação repugnante da realidade humana é que fornece condições para comportamentos como esse de Pedro Guimarães e de outros que formaram com ele a Diretoria da CEF. A investigação tem que ser feita pela própria Caixa Econômica e não por empresa particular, como estão propondo. Não faz sentido.

EM SP, BOLSONARISMO ESTÁ FRACO – Pesquisa do Datafolha revelada na noite de quinta-feira pela GloboNews e pelo JN da TV Globo, e também na edição de ontem da Folha de S. Paulo, inclusive objeto de reportagem de Igor Gielow, demonstram a liderança, se as eleições fossem hoje, de Fernando Haddad com 34% das intenções de voto, vantagem bastante ampla sobre Tarcísio Freitas e Rodrigo Garcia, empatados com 13%.

Essa pesquisa não incluiu o nome de Márcio França, já que a tendência é que ele concorra ao Senado pela chapa de Haddad. A votação de Rodrigo Garcia é consequência dele ser o atual governador de São Paulo. A de Tarcísio de Freitas reflete a popularidade de Bolsonaro em São Paulo, com 13 pontos. Está fraco no segundo colégio eleitoral do país. O índice abalará os planos de campanha do Palácio do Planalto.

CHICO XAVIER  – Marcelo Toledo, Folha de S.Paulo de quinta-feira, trata do acervo deixado pelo médium Chico Xavier, que resiste ao tempo 20 anos, após a sua morte. Entre o acervo, cartas psicografadas, resultantes de sessões espíritas que foram marcadas pela ideia da comunicação entre os que se foram na nuvem do tempo e os que mantinham parentesco próximo ou forte amizade.

Na minha impressão, trata-se de um assunto que merece uma análise mais detida, não só em função da dúvida, mas em função de um apelo que no fundo todos nós trazemos no sentido de decifrar o enigma entre a existência e a eternidade.

Há os que não acreditam não apenas no espiritismo, mas nas religiões em geral. Mas se as religiões, que têm mais de 5 mil anos de existência na face da Terra, fossem um absurdo total ou uma farsa, não poderiam resistir ao passar do tempo. Trata-se de uma questão que é eterna. Chico Xavier, lembra a matéria, sempre se afirmou cristão. Então, trata-se de um intelectual empenhado em unir a visão cristã, não apenas religiosa, mas humana, a um universo científico.

TESE DE LULA – O ex-presidente Lula da Silva, reportagem de Sérgio Roxo, O Globo de ontem, voltou a encapar uma tese da ala radical do PT que propõe absurdamente um tipo de medida capaz de regulamentar a atuação da mídia, sobretudo as redes de televisão e rádio. Pegou mal, pois trata-se de uma pessoa com grande destaque na mídia.

O equívoco central do radicalismo petista no plano que se aproxima do radicalismo bolsonarista é sonhar apenas com elogios tanto ao que foi feito quanto ao que não foi feito, fugindo da realidade. Não é por aí. A imprensa, seja ela pelos jornais, emissoras de TV e rádio, e agora também pela internet, é um reflexo da realidade diária, é uma testemunha da história.

22 thoughts on “Aumento do auxílio-caminhoneiro, vale-gás e auxílio-taxista não acrescentam votos para Bolsonaro

    • Amigos e cupinchas de Bolsonaro:
      Roberto Jeferson.
      Valdemar Costa Neto.
      Fernando Bezerra.
      Ciro Nogueira.
      Collor de Melo.
      Michel Temer.
      Arthur Lira.
      Aécio Neves.
      Está lista é extensa e todos participaram dos escândalo da Lava-jato e do Mensalão.
      Não esqueçamos de :
      Ronnie Lessa e Elcio Vieira, alem do Adriano da Nóbrega.
      Mais?
      Milton Ribeiro dos demais seguidores de Cristo, os picaretas Gilmar Santos e. Arilton Moura.
      Vamo lembrar principalmente de Pedro Guimarães e sua quadrilha de maníacos sexuais e também, dos meliantes atuantes na Amazônia.

    • Seria Eliel, uma nova versão piorada de Yvete, secretaria do picareta prefeito da cidade de Ventura, onde independente das falcatruas cometidas pelo mesmo,estava sempre de prontidão para defende–lo?
      Á vida emita a arte.

  1. Ufa! Ainda bem que os auxílios caminhoneiros, gás e taxista aprovados pelo governo NÃO retiram votos do Bolsonaro.

    Sobre o tal do assédio, quando a treta veio a público imaginei que o Presidente da CEF comportou-se como um cretino. Mas os áudios do “assédio” estão rolando na net e os que ouvi, claramente, foram retirados de contexto. Por exemplo, aquele do “tem que se fu$#&” é um recado aos petralhas da CEF que trabalham pelo retorno do ladrão Lula da Silva, o mesmo que saqueou o fundo de pensão dos funcionários. Uma das “assediadas”, feia de dar dó, é uma notória militante petralha. Vejamos se aparecem indícios mais consistentes sobre esses abusos do ex-presidente.

    • Délcio Lima,
      Vá vestir sua camisola.
      Economia e Política, não faz parte de seu cabedal.
      Praticas politicagem, e gosta de fazer fofoca, aliás, não és de se admirar.

  2. Para calar de vez o argumento de que o PT comprava votos com o mísero Bolsa Família, comprava votos de deputados com o Mensalão, agora sim descaradamente temos orçamento secreto e 50% no reajuste do auxílio emergencial.
    Mas só até dezembro!
    Ou votam no Bolsonaro ou em janeiro, ZERO.
    Precisa desenhar?

    • Precisa desenhar sim porque não se.entende nada do que afirmas.
      E um blá-blá-blá petista parecido com o do sapo barbudo.
      Petista não tem jeito, cada vez que se manifesta é só disparate.
      Aliás, a história vem mostrando o que é o petisco em seus devaneios desorientados que mais parece um bando de bruxos que não sabem onde meteram as vassouras.
      São muitíssimos parecidos com os bolsonaristas, e em falcatruas levam vantagens pelos seu poder de organização com a ajuda da Rede Globo e dos “trabalhadores” das estatais.
      Xô petistas de uma figa!

  3. Esse Pacote de Bondades, no limiar das eleições, é manifestamente Eleitoreiro. Além de ferir a Lei Eleitoral, que impede benesses e desonerações, seis meses antes das eleições, as quais, torna o pleito desigual para os candidatos que não estão no guarda chuvas do governo.
    Ao mesmo tempo, não deixa de ser, uma medida destinada a minorar a situação das classes sociais, que estão perdendo qualidade de vida, por conta da inflação e do Desemprego.
    Trata-se de um pacote Socialista de inspiração do governo Conservador. Eu diria, que o Socialismo da medida Bolsonarista, seria verdadeiro, se ele tomasse essa decisão no período mais grave da Pandemia, em março de 2020, até o final de 2022.
    Flávia de Oliveira demonstrou com excelência, no seu comentário ontem na Globo News, que o Pacote aprovado no Congresso, feito de afogadilho, sem passar pela Comissão de Constituição e Justiça, que o auxílio de 600 reais, para uma família unipessoal, por exemplo, um casal sem filhos e um casal com cinco filhos seria no mesmo percentual. Evidente, que a família com mais de cinco filhos terá maiores dificuldades, portanto, não observaram essa desigualdade.
    Quanto ao Voucher caminhoneiro, a categoria rebateu, que numa única viagem Rio / São Paulo, os 1000 Reais seria gasto. Mas, já é alguma coisa. Não dá para atender todo mundo, com esse cobertor curto.
    No que tange ao Vale Gás, houve uma melhora considerável, pois além de dobrar o valor pago antes do Pacote do Bem, passou de dois meses para um mês, o auxílio.

    Não há sombra de dúvidas, que haverá reflexos nas pesquisas em favor de Bolsonaro,. Só o tempo definirá o percentual adquirido com as benesses eleitorais

  4. A disputa para o governo de São Paulo está polarizada entre Fernando Haddad do PT e Rodrigo Garcia, o atual Governador. Tarcísio de Freitas estacionou em 13%, com os quatro pneus arriados, o que não é nada bom para o candidato presidencial do PL.
    Márcio França do PSB está empatado com Tarcísio, o candidato de Bolsonaro. Franca está protelando o acordo com Haddad para compor a chapa para o Senado.
    Ocorre, que o PT quer aliança em São Paulo, para abrir caminho para a vitória de seu candidato, mas, em contrapartida não cede no Rio de Janeiro, na qual o PSB pede o apoio da sigla de LULA ao candidato Alexandro Molon numa chapa puro sangue, com Marcelo Freixo, que lidera a disputa, segundo a mais recente pesquisa do Data Folha.
    O fato é uma constatação, de que o PT não aprendeu nada, com os erros do passado. Quer que os outros Partidos abram mão de seus candidatos, enquanto o PT não abre mão dos seus.
    Ora, o candidato do PT ao Senado pelo Rio, é o atual presidente da Assembléia Legislativa, André Ceciliano, muito ligado ao governador Bolsonarista Cláudio Castro. Persistir nesse quinta coluna em desfavor de Alexandro Molon, fará com que Lula acabe sendo ultrapassado por Bolsonaro no Rio de Janeiro.
    Andre Ceciliano não conseguirá vencer a candidatura ao Senado na frente de Romário, que é apoiado por Bolsonaro e o governador Cláudio Castro. Não é possível, insistir com tanta falta de visão política, uma característica do PT, que só dá bola fora.
    Também, com antas políticas do naipe de Gilberto Carvalho e José Dirceu, o PT não precisa de inimigos, esses dois se bastam.

    Lembro muito bem, a facada nas costas, que José Dirceu deu na candidatura de Vladimir Palmeira, atuando pela desistência de seu candidato ao governo do Rio de Janeiro em prol de um projeto nacional, que se mostrou na linha do tempo, como um fracasso colossal, que abriu o caminho para a ascensão do Bolsonarismo.
    Vão errar de novo no Rio, sem novidade, porque esses negociadores políticos erram sempre.
    Por essa razão, o PT nunca venceu uma disputa ao governo do Estado do Rio de Janeiro. As lideranças petistas, se preocupam em primeiro lugar com São Paulo, demonstrando um ódio visceral aos cariocas.

  5. Volta e meia, o ex-presidente Lula, levanta essa tese anti democrática de Regulação da Mídia. Ora, quem não deve não teme a imprensa. Regular é censurar. Se um cidadão comum, uma autoridade, quem quer que seja, se sentir injustiçado por uma notícia inverídica, já está no escopo do Código Penal a busca do direito a verdade com ações de Injúria, Difamação e Calúnia e o respectivo Direito de Resposta.
    Lula, ao insistir nesse assunto, que não agrega nenhum voto a sua candidatura, pelo contrário, tira votos, se assemelha ao seu adversário, Bolsonaro. Ambos, são exímios atiradores nos próprios pés.
    Essa do candidato falar cobras e lagartos dos banqueiros e empresários, chega às raias da loucura. Para que isso?
    O próprio Lula, cansou de dizer, que os empresários nunca ganharam tanto dinheiro, como no seus oito anos de governo.
    Se não tem o que dizer, o melhor que faz, é ficar calado. Mas, Lula não se emenda e acaba falando besteira. E o pior: uma atrás da outra.
    Bolsonaro dá gargalhadas homéricas no Planalto e Lula vira alvo de suas piadas sem graça, que todo mundo ri, por dever de ofício.

  6. KKK como diz o meu amigo do blog Visão Libertária, colocar o Braga Neto como vice é uma tremenda estupidez do miNto, o cara vai obter votos entre os bolsominions. E os pestistas radicais não se deram conta de que a mídia convencional está em decadência, 54% dos brasileiros não perdem tempo lendo a lacração dos jornalistas dos jornais, revistas e televisão. A idiotice dos dois bandos rivais é mesmo risível, eles vivem um Brasil que só existe na cabeça deles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.