Autorizado pelo STF, Aras terá acesso a relatórios da Lava-Jato sobre 38 mil pessoas

Toffoli determinou repasse de todos bancos de dados da operação

Aguirre Talento
O Globo

Com a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) de obrigar o repasse de todos bancos de dados das forças-tarefas da Lava-Jato para a Procuradoria-Geral da República (PGR), o procurador-geral da República Augusto Aras vai ter acesso a relatórios do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) feitos para a Lava-Jato de Curitiba sobre 38 mil pessoas físicas e jurídicas, que apontam transações financeiras suspeitas.

O banco de dados de informações financeiras da Lava-Jato de Curitiba inclui mais de 750 relatórios do Coaf, sobre transações financeiras de R$ 850 bilhões. A partir dessas suspeitas iniciais, também houve quebras de sigilo bancário que rastreiam transações financeiras totalizando R$ 3,9 trilhões. Os dados foram obtidos pelas investigações desde o início da operação, em 2014, e focam em alvos sem foro privilegiado.

CONFLITO – Em meio a um embate com a Lava-Jato, Aras terá acesso a todo esse material após a ordem de Toffoli. O conflito veio a público depois que a subprocuradora Lindora Araújo, auxiliar de Aras, foi a Curitiba tentar obter cópia do material. Com isso, a força-tarefa enviou um ofício à Corregedoria do Ministério Público Federal apontando que Lindora realizou uma manobra ilegal para tentar obter os dados de maneira informal.

Em novembro do ano passado, em meio a um embate sobre compartilhamento de dados do Coaf, Toffoli havia proferido uma decisão em termos semelhantes, que lhe possibilitou obter acesso a relatórios do Coaf sobre aproximadamente 600 mil pessoas físicas e jurídicas. Após a repercussão, o presidente do Supremo disse que não acessou o material.

AUTORIZAÇÃO – A nova decisão de Toffoli foi proferida a pedido da PGR, sob alegação de que as forças-tarefas não queriam repassar os bancos de dados sigilosos. Em suas respostas a ofícios enviados pela PGR, as forças-tarefas apontaram que o compartilhamento dos dados sigilosos com Aras poderia ser feito somente com autorização judicial, por isso solicitaram que a PGR especificasse quais dados sigilosos quer ter acesso.

A PGR, então, ajuizou uma reclamação no STF pedindo que o Supremo determinasse o fornecimento dos bancos de dados. Toffoli proferiu a decisão em meio ao plantão do Judiciário, já que o relator do caso seria o ministro Edson Fachin.

10 thoughts on “Autorizado pelo STF, Aras terá acesso a relatórios da Lava-Jato sobre 38 mil pessoas

  1. Será que nesses documentos estão os gastos que a amante do ex-presidente, Rosemary Noronha, fez no Brasil e no exterior, ao viajar em frequentes luas de mel internacionais no avião presidencial ?

    Documentos esses que até hoje são escondidos dos cidadãos que sustentam o Estado com impostos ?

    • Torcida, só é valida para times de futebol. Então vc acha que absolutamente TUDO da vida do Lula já não foi investigado? Dele, de todos os irmãos, filhos e netos. Espere deitado.

      • Claro que não.Luiz tem muita coisa da vida desse apedeuta que precisa ser desvendada.
        Falo de coisas públicas e de dinheiro surrupiar pelo maior ladrão da história da humanidade.
        Falo do matuto de Garanhuns metido a malandro do Estácio.
        Se deu mal , e Moro lhe pegou pelo rabo.

  2. Acho que o STF acordou. Mais algum tempo perderia completamente sua autoridade, deixaria de ser supremo. Quem sabe aproveitem a onda para apenas exercerem sua atividade fim que é julgar, e deixem os outros poderes tb exercerem seus mandatos?

  3. Ronaldo, meu caro … hummm.

    Ainda há detalhes a serem esclarecidos … conforme o Treino do Juízo Final vai finalizando.

    Realmente o MP, mesmo não sendo Poder … está com o que lhe cabe, no Título sobre os Poderes … sendo que cabe ao MP a Defesa do Regime Democrático.

    Interessante … muitíssimo interessante … é que as FFAA, mesmo sob o comando supremo do Presidente, não está no Título dos Poderes, como o Presidente … e está sim no Título da Defesa do Estado (Democrático de Direito) e da Defesa das Instituições Democráticas.

    Vale também lembrar que a Promulgação é contínua e ininterrupta (enquanto for a Cidadã, né???) … e caso não funcionem tais Defesas, podemos apelar a Deus, conforme os Constituintes de maioria do MDB histórico legislaram kkk KKK kkk
    🙂

    Sds.

  4. Bom dia , leitores (as):

    Senhores Aguirre Talento ( O Globo ) , Carlos Newton e Marcelo Copelli , á troco do que esse ” PGR Augusto Aras ” , quer ter acesso ” IRRESTRITO E SEM CRITÉRIO ” , mesmo sabendo da necessidade da apresentação formal que o justifique ?

  5. Transparência Internacional critica decisão de Toffoli sobre a Lava Jato .

    A Transparência Internacional afirmou que a decisão de Dias Toffoli sobre a Lava Jato “ameaça gravemente” a autonomia de órgãos de investigação, informa Fausto Macedo.

    Na quinta-feira (9), o presidente do STF mandou as forças-tarefa da operação compartilharem todas as suas bases de dados com a PGR de Augusto Aras.
    A decisão foi tomada após a PGR entrar com reclamação no Supremo contra os procuradores, que estariam investigando autoridades com prerrogativa de foro, como Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre –o que a Lava Jato nega.

    “Jamais a justificativa deveria ser utilizada para uma devassa autoritária conduzida pelo chefe da instituição –agravada pelo fato de ser respaldada pela autoridade máxima do tribunal constitucional brasileiro”, afirmou a ONG.

    A entidade acrescenta que a decisão de Toffoli “reitera um histórico de resoluções monocráticas, amplamente questionáveis, com consequências sistêmicas e deletérias ao combate à corrupção no país”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *