Azêdo derrotado na Justiça. Liminar suspende posse da diretoria da ABI.

 Azêdo amarga derrota

Carlos Newton

A situação da Associação Brasileira de Imprensa está cada vez mais vexatória. Para ser eleito pela quarta vez, o presidente Mauricio Azêdo fez uma série de manobras visando a inviabilizar a formação de uma chapa oposicionista, liderada por Domingos Meirelles, que era Diretor Financeiro e foi afastado do cargo sem explicações, tendo a mulher de Azêdo trocado a senha do programa que até então era acessado por Meirelles.

Vejam a que ponto chegamos, porque a mulher de Azêdo, Maria Ilka, sequer é jornalista, não pertence aos quadros da associação, mas mesmo assim quer mandar nos diretores, demite funcionários, são cenas patéticas.

Diante de uma série de arbitrariedades, com o próprio Azêdo pagando mensalidades atrasadas de membros de sua chapa, ao mesmo tempo em que impedia que os jornalistas de oposição pudessem se habilitar, a Justiça colocou a eleição de ABI sub judice. Mesmo assim, Azêdo não levou em conta a sentença deu posse à “nova diretoria” no dia 26 de abril.

A oposição recorreu, impetrando uma liminar, que foi deferida pelo juiz Gustavo Henrique Nascimento Silva, da 8ª Vara Cível, e a posse da diretoria de Azêdo foi cancelada.

Melhor assim, Azêdo está tão obcecado pelo poder na ABI que chegou a colocar em dia até as mensalidades de nosso amigo Tim Lopes, que morreu há mais de 10 anos.  Além disso, em fevereiro, antes da eleição, Azêdo mandou colocar andaimes em volta do prédio, para simular que está fazendo obras. Em quatro meses, ainda não apareceu um só operário. É uma desfaçatez sem limites.

###
PS – Daqui a pouco a gente fala sobre a Rosemary.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *