Baixa aprovação do governo torna bastante improvável a reeleição de Jair Bolsonaro

Charge do Aroeira (Arquivo do Google)

Pedro do Coutto

Pesquisa do Ipec, instituto de Carlos Augusto Montenegro e Márcia Cavallari, do antigo Ibope, revela com base na experiência deixada pelas eleições de 2018, que a aprovação baixa de candidatos, tanto aos governos estaduais, quanto à Presidência da República, tornam improváveis as suas reeleições.

Estão alinhados os ex-governadores Amazonino Mendes, Cida Borghetti, Ivo Sartori, José Eliton, Pedro Taques, Márcio França, Fernando Pimentel, Rodrigo Rollemberg, Robinson Faria e Sueli Campos. No momento, os governadores que assumiram em 2019, entre eles Renan Filho, Camilo Santana, Rui Costa, Ronaldo Azambuja, Flávio Dino e Wellington Dias, mantiveram aceitação alcançando índices contidos no desempenho de suas campanhas.

LULA NA FRENTE – Os exemplos, portanto, estendem-se a Jair Bolsonaro,  cuja aprovação no momento encontra-se na escala de 25%, que é também o número dos que votariam nele nas urnas de 2022. Mas Lula alcança 46%, deixando também para trás Ciro Gomes com 8 pontos. Estes três números foram revelados pelo Datafolha.

O tradicional Ibope foi adquirido pela empresa internacional Kantar, especializada em medir audiências na televisão e no rádio. A transferência de controle do Ibope foi concretizada há quase dois anos e até agora não vi publicada nenhuma pesquisa da Kantar.

É possível que tais pesquisas possam não ser públicas, mas, de qualquer forma, como é tradicional, vazariam informações. Mas este é outro assunto. Aliás, como dizia meu saudoso amigo Paulo Montenegro, “a única pesquisa que pode ter prognóstico conferido na prática é o levantamento eleitoral. Nenhuma outra”.

CONFERÊNCIA – Sabemos que a TV Globo lidera amplamente a audiência na televisão e tenho a impressão que a GloboNews ocupa o primeiro lugar nos cabos políticos por assinatura. Mas ninguém tem como conferir,  a menos que as emissoras se disponham a tornar público os dados. Porém, os resultados eleitorais são facilmente conferidos pela população.

As perspectivas não são boas para Jair Bolsonaro em 2022, sobretudo porque pegou mal a sua ameaça de não realizar eleições caso o Congresso não reimplante o voto impresso, o que seria um absurdo.

PAULO GUEDES –  Reportagem de Thiago Resende, Folha de S. Paulo, revela que o ministro Paulo Guedes e sua equipe no Ministério da Economia desejam que o Trabalho e Previdência Social, que passam a integrar a pasta comandada por Onyx Lorenzoni, possam retornar para as mãos de Guedes em abril de 2022 quando Lorenzoni poderá sair do cargo para disputar as eleições para a Câmara Federal. Um sonho em uma noite de inverno.

O Ministério do Trabalho e Previdência Social jamais voltarão a ser como antes após o desastre que lhe foi imposto pela administração de Paulo Guedes. É muita ingenuidade dos diplomados pelas universidades  de Harvard e Chicago acreditarem em tal hipótese. Na realidade, é possível até que Lorenzoni prefira jogar o seu destino na reeleição de Bolsonaro do que deixar o cargo para buscar o retorno incerto para a Câmara Federal.

NASCE UMA ESTRELA – Rayssa Leal, 13 anos de idade, em plena entrada na adolescência, conquistou a medalha de prata do skate feminino na Olimpíada de Tóquio. Só foi batida por uma grande veterana japonesa.

Rayssa é um exemplo para as novas gerações, para todos os atletas que vierem, após os atuais heróis da história dos jogos. Glória eterna a Rayssa Leal. Ficará para sempre na história olímpica universal.

FUTEBOL SE GANHA NO CAMPO – Sustentei essa realidade no artigo que publiquei no domingo, focalizando a luta do amanhecer no futebol da Olimpíada. A previsão que adoto sempre com cautela se confirmou; o Brasil empatou em 0 x 0 com a Costa do Marfim no Estádio Internacional de Yokohama, no Japão, neste fim de semana. Tivemos mais chances de vencer, apesar da rigorosa expulsão de Douglas ainda na metade do primeiro tempo. Cometeu uma falta grave segurando o adversário pela camisa e o derrubando.

Mas não havia cartão amarelo anterior e o juiz foi rigoroso demais, apesar de não estar errado. Mesmo assim, dominamos bem o segundo tempo e por pelo menos três vezes estivemos a um passo da vitória. Mas ela não veio. Futebol é assim.

FASCÍNIO – Devo lembrar  que na transmissão pela TV Globo, Galvão Bueno lembrou que vários jogadores da Costa do Marfim atuam no futebol europeu. Dois atletas são titulares de um dos grandes times ingleses, no caso, o Manchester United.  Acordei às 5h para ver a partida. A bola rolando sempre me fascinou e me fascina.

Hoje, terça-feira, desperto na madrugada para não perder a seleção feminina brasileira contra a de Zâmbia. Com quatro pontos obtidos, a seleção deverá se classificar para as quartas de final. No futebol masculino, a mesma confiança em relação ao time de Jardine que tem Richarlison como grande astro. Falta somente a partida contra a Arábia Saudita amanhã, quarta-feira. Vamos torcer. Futebol só se ganha no campo e os confrontos só terminam com o apito do juiz.

7 thoughts on “Baixa aprovação do governo torna bastante improvável a reeleição de Jair Bolsonaro

  1. O título do artigo poderia ser reflectivo da realidade: Alta reprovação do governo do imbecil Jair Bolsonaro torna impossível a sua reeleição.

  2. Se um candidato tem 46% de votos é certeza que tem o povo ao seu lado.
    Entonces porque o Luladrão, o maior depravado ladrão da história brasileira, não anda pela Avenida do Pato Amarelo ou Avenida YaKissoba do Kim Katacoquinho para ver o termômetro da sua popularidade.?
    Saí ás ruas Ladrão ..

  3. O pressuposto já parte de pesquisa fake, daí todo restante é dispensável. Levar em consideração dados falsos só leva à conclusões como esta.

  4. Pedro do Couto. O ministro Paulo Guedes sentiu o golpe desfechado pelo presidente Bolsonaro. Tinha poderes demais, conferido pelo presidente, na esperança do ministro entregar bons resultados econômicos e por consequência alavancar sua reeleição. Pois bem, deu tudo errado, a Economia está em frangalhos e não venham culpar a Pandemia como culpada do mal desempenho do super ministro.
    Então, em boa hora, Bolsonaro começa a desitratar seus amplos poderes.
    Perdeu o Trabalho e a Previdência Social para Onix Lorenzoni, que também, não é lá essas coisas. Sob o comando de Guedes, Previdência e Trabalho estão uma lástima. Abandonados a própria sorte, estão os aposentados e os trabalhadores, que vêm perdendo quase todos os seus direitos. Os Sindicatos estão sem força nenhuma. Um desastre. Política de terra arrasada.
    A Era Vargas foi mais progressista do que isso daí. Afinal, estão retrocedendo o país, como disseram que fariam. Um atraso de 72 anos, se considerarmos o início dos anos cinquenta (1950).
    A boiada está passando e os direitos sociais afundando.

  5. Raissa foi realmente fantástica no skate. E ela só tem 13 anos.
    Italo Ferreira ganhou o ouro no surfe. Pela primeira vez, o Hino Nacional foi cantado na Olimpíada do Japão. Já são cinco medalhas. É muito para o abandono dos governos brasileiros ao esporte. Graças aos nossos atletas, unicamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *