Balanço da Petrobras assegura condenação dos envolvidos

Pedro do Coutto

Ao divulgar o balanço de 2014 no qual configura que as perdas em decorrência da corrupção somaram 6,2 bilhões de reais, a Petrobrás de forma direta e indireta assegurou a condenação pela Justiça dos corruptos, corruptores e intermediários que levaram a esse resultado, uma vez que reconheceu oficial e publicamente os assaltos praticados contra a empresa.

O balanço assinala também um prejuízo de cerca de 22 bilhões em todo o exercício passado, resultado em grande parte verificado em consequência de um esquema organizado para roubar e desorganizado para administrar. Esse aspecto encontra-se plenamente destacado em duas reportagens publicadas ontem: a de Rachel Landin, Samantha Lima e Lucas Vetorazzo, na Folha de São Paulo; e de Ramona Ordonez, Bruno Rosa, Marcelo Correa, Henrique Gomes Batista e Renan Sette, no Globo. Isso de um lado.

De outro, imobilizou as tentativas de defesa dos acusados, porque a materialidade das denúncias está comprovada pelo balanço auditado pela Pricewaterhouse e acentuado pelo próprio presidente da estatal Aldemir Bendine, que considerou a existência dos 6,2 bilhões contabilizados uma vergonha na história da empresa. Na realidade, o prejuízo foi muito maior do que o resultado financeiro negativo de 22 bilhões de reais, pois não se pode escriturar quais teriam sido os lucros se a Petrobrás não mergulhasse no maremoto do assalto e do roubo praticamente generalizado. Como não pode haver débito sem crédito, princípio universal da economia, o que foi subtraído da empresa foi parar em outras contas absolutamente ilegais.

ATINGE O PT

A vergonha apontada por Bendine atinge em cheio o PT, principal endereço das propinas, e imobiliza setores do governo que até esta semana se empenhavam em minimizar os efeitos da devastação. Que podem dizer agora depois da revelação oficial? E não só desse montante, mas também da queda causada pela baixa de 44,6 bilhões no valor de seus ativos. Como é o caso, por exemplo, da paralisação das obras do Complexo Petroquímico de Itaboraí. Com a Comperj a empresa perdeu 21,8 bilhões e com a Refinaria Abreu Lima, 9,1 bilhões de reais. Além disso, a Petrobrás decidiu, o que é óbvio diante do prejuízo, não pagar dividendos aos acionistas. Como o governo é o principal acionista, por extensão deixa de arrecadar esta parte. O endividamento cresceu para cerca de 106 bilhões de dólares, montante que analistas da Moody’s calculam serem necessários quase cinco anos para ser saldado.

NO FUTURO

O quadro assim não se esgota no presente, mas se projeta no futuro, acarretando efeitos políticos inevitáveis. Pois afinal de contas, onde se encontravam os governos Lula e Dilma Rousseff que não conseguiram informar-se da torrente que rolava e dos reflexos inerentes a um processo de distância de acontecimentos tão graves? As delações premiadas confirmam as denúncias de forma objetiva e concreta,e nessas denúncias existe um ponto fundamental de convergência: a área em que operava o tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, João Vaccari Neto, cuja prisão antecedeu de poucos dias a publicação do balanço da Petrobrás.

As informações são confirmadas pelo tom em que são pronunciadas e a firmeza dos responsáveis pelas enormes fontes de recursos. Tão grandes que levaram a perdas bilionárias da Petrobrás e à impopularidade do governo. Afinal de contas, não poderia ser diferente a reação da sociedade brasileira diante de uma lista interminável de escândalos e de personagens responsáveis por todos eles. As perdas não se limitam, entretanto, ao campo moral, mas ao próprio país como Nação democrática.

5 thoughts on “Balanço da Petrobras assegura condenação dos envolvidos

  1. Maiores, bem maiores do que as perdas com a corrupção, foram as perdas causadas pela ingerência e más decisões dos responsáveis últimos pelo aparelhamento da empresa, que mandaram construir refinarias como a Abreu e Lima para afagar aliados estaduais (para só falar de uma das decisões) e segurar os preços internos de petróleo para fins eleitorais sem se preocuparem com os resultados óbvios para a empresa e seu principal acionista, que é o povo brasileiro. São estes que o Brasil espera ver punidos. Verá?

    • Perfeito, só com o represamento dos preços dos combustíveis – medida adotada para controlar artificialmente a inflação, isto é, medida eleitoreira-, os analistas calculam que a Petrobras perdeu mais de R $60, 0 bilhões em receita. Do segundo período de Lula até agora.

  2. Agora é que a Lava-Jato vai ficar mais “Emocionante” e os PeTistas em estado de desespero.

    “Governo italiano autoriza extradição de Pizzolato para o Brasil”
    Janaína Cesar, especial para O GLOBO
    24/04/2015 09:20

    ROMA – O ministro da Justiça da Itália, Andrea Orlando, deu parecer favorável na manhã desta sexta-feira ao pedido de extradição do governo brasileiro do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado no processo do mensalão. A partir de hoje, a Justiça do Brasil tem 15 dias para ir buscar Pizzolato e levá-lo à Penitenciária de Papuda, em Brasília.

    Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/brasil/governo-italiano-autoriza-extradicao-de-pizzolato-para-brasil-15962372.html#ixzz3YEGqybtw

  3. O dinheiro se autorroubou, segundo o deputado Sibá Machado, como gelo seco, foi embora naturalmente.
    A Petrobras fez somente bons negócios, como os gestores anteriores afirmaram na CPI (Foster e Cerveró). Os bons negócios gerariam lucros enquanto a Petrobras teve um grande prejuízo e reduziu patrimônio. Obriga-se hoje a se desfazer de ativos para gerar fluxo de caixa e tocar 2015.
    Se o balanço de 2014 saísse tempestivamente, as eleições estariam perdidas para o PT. Mais um fato contundente do indesculpável estelionato eleitoral.
    Segundo a presidente da república, em declaração à imprensa, a Petrobras, atualmente, está limpa.
    Embora tenha sempre mentido como candidata à presidência, agora acredito nela. Limparam a Petrobras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *