Balanço de um ano de gestão exibiu a insensibilidade do governo Temer

Resultado de imagem para um ano de governo

Arranjos florais na festa palaciana, sem nada a celebrar

Carlos Newton

“Uma imagem vale mais que mil palavras”, ensinou o pensador, político e filósofo chinês Confúcio (Chiu Kung era seu verdadeiro nome), que viveu entre 552 e 479 a.C, e ficou conhecido como o Mestre Kung, devido aos seus sábios provérbios. Realmente, foi chocante ver a imagem da “comemoração” de um ano da gestão do presidente Michel Temer, em meio à maior crise econômica já vivida por esta nação. A fotografia distribuída pela Assessoria de Imprensa do Planalto diz tudo – é um governo que não se preocupa com o país e com o povo.

Lembro do presidente Tancredo Neves, que nem conseguiu assumir. Seu lema, que o vice José Sarney citou na primeira reunião do ministério da autoproclamada Nova República, era o seguinte: “É proibido gastar”. Mas Temer, que já era político naquela época, não aprendeu a lição. A foto dessa comemoração de um ano de sacrifícios crescentes para o povo, sem a menor dúvida, exibe  um governo rico, que inunda o salão com arranjos florais e câmaras de televisão, para comemorar algo que não existia – as realizações do governo.

UM GOVERNO RICO – Vi esta patética foto ontem, ao acessar o site do Correio Braziliense, onde trabalhei na década de 80. É coisa de governo rico num país pobre. Mostra que a classe política vive em outro mundo, regado a mordomias custeadas pelo trabalho dos brasileiros, a ponto de o presidente da República se dar ao luxo de contratar a babá de seu filho como se fosse assessora presidencial, com salário de R$ 5 mil, para ser paga pelo povo, recebendo diárias de viagens e tudo o mais.

Nenhum jornal fala nada, a mídia se comporta como se essa celebração fosse normal. E a foto mostra na cabeceira da gigantesca mesa três políticos de ficha suja – Michel Temer, Rodrigo Maia e Cássio Cunha Lima, todos eles citados na Lava Jato e que, se estivéssemos num país minimamente civilizados, já teriam sido escorraçados da vida pública.

É sempre bom relembrar Lord Kenneth Clark, o genial filósofo britânico que se tornou nobre por reconhecimento de seu saber: “Civilização? Nunca encontrei uma, mas sei que, se algum dia encontrar, saberei reconhecê-la”.  Bem, se o Reino Unido ainda está longe da civilização, o que se pode dizer do Brasil?

7 thoughts on “Balanço de um ano de gestão exibiu a insensibilidade do governo Temer

  1. Caro Newton, Temer, como tenho dito, transformou o Brasil em grande senzala, com 22o milhões de escravos a sustentar a corrupção e a corja dos 3 podres poderes, De Gaulle tinha razão, o Brasil não é sério, vivemos em uma republiqueta democradura, sustentando mil patifes, e pergunto, os 3 patetas, chefiados por politiqueiro, caladinhos, usufruindo as mordomias; pagar Babá com nosso dinheiro, me faz lembrar, Renan, pagando amante, tendo que renunciar, e o povo alagoano, o trazendo de volta a esse congresso corrupto. Temer, & Cia, o Ranger de dentes te espera, por tuas obras malignas.
    Acabar com voto obrigatório, é preciso, para moralizar os sistema podre, em que vivemos..
    Onde andam os sindicatos e federações,!? pelegos, não defendem o trabalhador-cidadão, explorado pela corja.

  2. Pagar empregada, com subeterfugio de funcionária, e prevaricação, é roubar o cofre público, é crime contra a Administração pública, é corrupção. Temer, o tridente te espera e demais comparsas, no além túmulo, destino final de todos nós, para o acerto de contas, de nossas almas.

  3. “Uma imagem vale mais que mil palavras”, ensinou o pensador, político e filósofo chinês Confúcio .

    “”A humildade é a única base sólida de todas as virtudes.”””
    Confúcio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *