Bancada do “Centrão” repudia reeleição de Rodrigo Maia e quer presidir a Câmara

Resultado de imagem para rodrigo maia chargesRanier Bragon, Débora Álvares e Daniel Carvalho
Folha

Líderes dos partidos que formam o chamado “centrão” prometem uma batalha política e jurídica para barrar a intenção do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de tentar a reeleição em fevereiro de 2017. Derrotadas pelo deputado do Rio na disputa de julho —ocorrida após a renúncia de Eduardo Cunha (PMDB-RJ)—, essas legendas batem na tecla de que Maia tenta manobra ilegal para continuar no poder por mais dois anos.

“É um casuísmo como experimentado na época da revolução [ditadura militar], quando se trocava de regra a toda hora, de acordo com o interesse do mandatário de plantão. Tem que ter regularidade democrática, não dá para virar a mesa aos 40 minutos do segundo tempo”, diz Jovair Arantes (GO), líder do PTB e pré-candidato ao posto.

O mal estar na base aliada poderá afetar a votação da agenda econômica do presidente Michel Temer, sobretudo a reforma da Previdência.

GUERRA DE BASTIDORES – Um dos mais próximos aliados de Cunha, Jovair fala abertamente o que vários líderes partidários defendem apenas nos bastidores devido ao receio de se indispor, a três meses da eleição, com o deputado do DEM.

O “centrão”, que reúne cerca de 200 dos 513 deputados, frisa a disposição constitucional que proíbe a candidatura do presidente da Câmara a um mandato consecutivo.

Maia, por outro lado, busca pareceres jurídicos que sustentem a tese de que a vedação se dá àqueles eleitos para dois anos de mandato. Ele foi eleito para um mandato-tampão de seis meses e meio.

“Está escrito que não pode ter recondução, independentemente se é ou não mandato-tampão”, reforça Jovair.

Polêmica jurídica – Outro dos pré-candidatos do “centrão”, Rogério Rosso (DF), líder do PSD, adota palavras mais comedidas. Elogia Maia —”está fazendo um bom trabalho, com equilíbrio e responsabilidade”—, mas lembra que a reeleição pretendida “não parece ser matéria pacífica sob o prisma jurídico-constitucional.”

A eleição para o comando da Casa acontecerá em 1º de fevereiro. Aquele que conseguir a vitória cumprirá o mandato até janeiro de 2019 —ou seja, até após a próxima eleição ao Planalto—, sendo o primeiro na linha sucessória da Presidência da República.

Além de Jovair e Rosso, o “centrão” tem como pré-candidatos os deputados Giacobo (PR-PR) e Beto Mansur (PRB-SP), entre outros.

CONSULTA AO SUPREMO – Integrantes do grupo pretendem, já nas próximas semanas, provocar o STF sobre a possibilidade de Rodrigo Maia se reeleger. Consideram o debate jurídico inevitável e avaliam que, quanto antes ele acontecer, melhor.

Maia pode recorrer à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara ou à Mesa Diretora para ter pareceres sobre a sua viabilidade de concorrer. Sem se viabilizar juridicamente, será difícil formalizar apoios, avaliam aliados.

Outros deputados próximos a ele, no entanto, têm desencorajado qualquer consulta, para evitar uma antecipação da eleição. Defendem que ele conduza sua campanha baseado em pareceres jurídicos favoráveis à recondução e oficialize sua candidatura apenas no dia da disputa.
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG Rodrigo Maia vinha bem na presidência da Câmara, até armar a jogada para aprovar a abjeta anistia ao caixa dois, através de um projeto sem autor (?) e pautado para a calada da noite de uma segunda-feira, justamente quando ele não poderia presidir a sessão, por estar substituindo Temer, que viajara ao exterior. Vai ser difícil Maia se reeleger, não somente  por causa do problema jurídico, mas porque o PSDB, que tem a segundo maior bancada, pode lhe negar apoio. (C.N.)

 

8 thoughts on “Bancada do “Centrão” repudia reeleição de Rodrigo Maia e quer presidir a Câmara

  1. Não é nem questão de ser contra ou a favor do Maia! A questão simples e cristalina é ” chega de casuísmos!”
    Se fosse falta de opções, nem assim se justificaria! Há pelo menos uns 10 deputados capazes de assumir a presidência da casa, logo maia não é insubstituível!

  2. A Maldita da Reeleição……

    Aqui em São Paulo, na Câmara dos Vereadores tem Filhos duma Pátrias que já tem mais de 380 Reeleições, só para ficarem dando e mudando nomes de ruas, avenidas, praças, viadutos, pontes………

    Estamos atolados na mérida….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *