Banir um jovem do futebol? Torpeza, indignidade e crueldade

Trata-se de Jobson, 21 anos, jogador de futebol, apanhado em flagrante de droga. Concordo, não se pode pedir impunidade, mas é a única? Admito até a internação num centro de cura, mesmo que seja por dois anos. Com 23 anos estaria (ou não conseguiria, o problema não é tão simples) recuperado e exibindo suas habilidades, recuperando a vida e reconquistando-a. Para sempre? O que existe para sempre? Só conheço os exemplos de grandeza.

Jobson não se dopou, não procurou melhorar a atuação. Seu problema é de saúde, de tratamento, de atenção e não de expulsão.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *