Barbalho vai convocar Baiano para depor em Comissão do Senado

Jader Barbalho quer assustar o delator

Deu na Folha

O senador Jader Barbalho (PMDB-PA) anuncia que apresentará na próxima semana requerimento à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado Federal para a convocação dos lobistas Fernando Soares, o Baiano, e Jorge Luz.

Em depoimento à Procuradoria Geral da República, Baiano relatou ter pago entre 2006 e 2008 propina ao presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), e ao líder do governo na Casa Legislativa, Delcídio Amaral (PT-MS), em contrato de afretamento de navio-sonda da Petrobras.

Segundo relato de um investigador à reportagem, o petista e o peemedebista teriam dividido entre US$ 5 milhões e US$ 6 milhões com Barbalho e com Silas Rondeau, à época ministro das Minas e Energia. Segundo a investigação, o operador dos pagamentos foi Luz, considerado uma espécie de decano dos lobistas que atuavam na empresa estatal.

CONVERSA COM CUNHA

No depoimento, Baiano relatou aos procuradores uma conversa, em 2010, com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Na ocasião, Baiano foi ao escritório político de Cunha, no Rio de Janeiro, para pedir apoio para pressionar outro lobista, Julio Camargo, em relação a pagamentos atrasados de propina relativos ao contrato de um segundo navio-sonda, o Vitória 1000.

Baiano revelou ao deputado que Renan e Barbalho tinham recebido “comissão”.Indagado pelos procuradores se também havia mencionado Delcídio e Rondeau na conversa com Cunha, Baiano disse que preferiu citar apenas os senadores do PMDB.

O relato das propinas a Renan, Delcídio e Jader integram um dos anexos da delação de Baiano, homologada pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal.

9 thoughts on “Barbalho vai convocar Baiano para depor em Comissão do Senado

  1. Sou mais Fernando Baiano do que ladrão descarado. Seu passado é mais sujo do que pau de galinheiro. Não sei como nosso sistema eleitoral permite que pessoas iguais a este trambiqueiro sejam eleitos. Que me desculpe o povo do Pará, eles votam muito mal.

  2. Amanhã
    Guilherme Arantes

    Amanhã!
    Será um lindo dia
    Da mais louca alegria
    Que se possa imaginar
    Amanhã!
    Redobrada a força
    Prá cima que não cessa
    Há de vingar
    Amanhã!
    Mais nenhum mistério
    Acima do ilusório
    O astro rei vai brilhar
    Amanhã!
    A luminosidade
    Alheia a qualquer vontade
    Há de imperar!
    Há de imperar!

    Amanhã!
    Está toda a esperança
    Por menor que pareça
    Existe e é prá vicejar
    Amanhã!
    Apesar de hoje
    Será a estrada que surge
    Prá se trilhar
    Amanhã!
    Mesmo que uns não queiram
    Será de outros que esperam
    Ver o dia raiar
    Amanhã!
    Ódios aplacados
    Temores abrandados
    Será pleno!
    Será pleno!
    Add a playlist
    Cifra
    Baixe no celular
    Imprimir
    Corrigir
    http://letras.mus.br/guilherme-arantes/46300/

  3. Este sujeito bravateiro tá com a cara do Clóvis Bornai. Sua valentia midiática é uma piada. Como os demais escapa da cadeia com conivente morosidade do STF. Tenho nojo de tudo isso. Greve Geral JÁ!

  4. Tudo de mentirinha. Mais um que levará do STF o direito de permanecer calado. Aliás, não tem o que falar mesmo para um bando de bandidos hipócritas e descarados. Taí a CPI da Petrobrás chegou ao final sem identificar culpados.

  5. Marinor mostra a folha corrida de Jader no Senado
    20/04/2011 – 07:24 – Brasil

    A cruzada da senadora Marinor Brito (PSOL-PA) em defesa do seu mandato e contra o ex-deputado Jader Barbalho (PMDB-PA), que poderá assumir a sua cadeira na Casa por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), chegou à Tribuna do Senado Federal. Em um duro discurso na tarde de ontem, a senadora começou sua fala descrevendo a ficha corrida do seu adversário político, alertando seus pares que a decisão do STF poderá trazer para o convívio deles um dos políticos mais devedores da Justiça brasileira, de todos os tempos.

    ‘Afirmo que não é fácil para as pessoas de bem, honestas, que se pautam pela ética, verem políticos que cometeram crimes gravíssimos, obterem um atestado de bons antecedentes e retornarem ao cenário político como se nada de muito grave tivessem cometido contra as leis de nosso País. Mas vamos aos fatos que já são do conhecimento de muitos, mas que o povo brasileiro, infelizmente, ainda desconhece sobre a história desse político de ficha suja’, disse.

    A senadora lembrou das acusações feitas em 2000 pelo senador Antonio Carlos Magalhães, já falecido, sobre o envolvimento de Jader Barbalho nas fraudes da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), no desvio de recursos do Banco do Estado do Pará (Banpará) e pelas operações fraudulentas com os Títulos da Dívida Agrária.

    ‘Corre em segredo de Justiça o Inquérito nº 2909, que apura o envolvimento de Jader Barbalho em crimes contra a ordem tributária. As denúncias nesse processo vão da sonegação no recolhimento de impostos como pessoa física e pessoa jurídica, até a entrega de declarações fraudulentas à Fazenda Estadual e à Receita Federal. Segundo dados da Receita Federal, Jader está devendo cerca de R$ 2 milhões e 800 mil ao Fisco, resultante de uma série de artifícios para deixar de recolher o Imposto de Renda. Nessa fiscalização, a Receita descobriu várias irregularidades, que vão da venda simulada de gado à existência de frigoríficos que não tinham nenhum registro contábil’, afirmou.

    Marinor salientou que, em 2001, Jader Barbalho renunciou ao mandato de senador para escapar de processo investigatório que poderia levar à sua cassação, o que o tornaria inelegível por dez anos. Nessa época, segundo ela, vieram à tona as gravíssimas denúncias sobre o tráfico de influência por ele exercido e desvios de recursos públicos em vários órgãos sob sua influência direta. Citando outras ações que mostram o quanto o ex-deputado deve à Justiça, ela lembrou a existência da Ação Penal 336, por emprego irregular de verba pública, a Ação Penal 398 por Peculato, a Ação Penal 339 por crime contra o sistema financeiro nacional, a Ação Penal 397 por falsidade ideológica, formação de quadrilha, estelionato e crime de lavagem, a Ação Penal 374 de crime contra a administração em geral.

    Televisão – ‘Acrescento mais um fato à ficha corrida deste cidadão, o senhor Jader Barbalho omitiu na Justiça Eleitoral a propriedade de 50% da empresa Rádio e TV Tapajós Ltda. Em 2001, Jader tornou-se sócio da empresa, localizada no município de Santarém. No documento de alteração contratual, ele passou a ter 50% do capital. Desde então este documento permaneceu dentro de uma gaveta, não sendo formalizado na Junta Comercial do Pará. Obviamente, nada sobre o fato foi declarado para a Receita Federal ou para a Justiça Eleitoral’, relatou Marinor.

    Ela explicou aos senadores que o outro sócio da empresa, Joaquim da Costa Pereira, que possuía 49% da empresa, faleceu e a família começou a discutir a partilha dos seus bens. Jader Barbalho, com medo de perder metade da empresa que possuía desde 2001, em março deste ano, ou seja, dez anos mais tarde, se apressou a registrar a alteração estatutária na Junta Comercial. Com o intuito de investigar esse escândalo, ela disse que protocolou, na última sexta-feira, na Procuradoria do Ministério Público Federal, em Belém, representação contra o ex-deputado.

    ‘Na representação, sustento juridicamente que Barbalho incorreu, entre outros, em crime de improbidade quando não declarou à Justiça Eleitoral, em 2010, que era sócio do Sistema Tapajós de Comunicação, desde 2001, em Santarém, interior do Pará. Desta representação devem derivar pelo menos três consequências jurídicas. Em primeiro lugar, uma investigação da Promotoria Civil, pois o fato apresenta características de falsidade na alteração contratual, provocando evasão tributária. ‘, destacou.

    Fonte: O Liberal

    tags:

Deixe um comentário para Mara Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *