Barro no ventilador

O doleiro Youssef apenas repetiu o que Costa já havia revelado

Carlos Chagas

O doleiro Alberto Youssef prestou ontem novo depoimento em Curitiba, onde não apenas confirmou, mas enfatizou a acusação à presidente Dilma, ao Lula, a Graça Foster, José Dirceu, Ideli Salvatti, Edison Lobão e outras altas figuras do governo sobre terem tido conhecimento das falcatruas verificadas à sombra da Petrobras e de poderosas empreiteiras.

Convenhamos, é barro no ventilador, ainda que o criminoso, como tal, possa não merecer crédito. Mas como abafar a denúncia se formulada sob o risco e a proteção da delação premiada? Youssef sabe muito bem que se for flagrado em mentiras, perderá os benefícios do recurso e poderá transformar-se num condenado a vinte anos de prisão em regime fechado. Ousaria arriscar seu futuro inventando mentiras?

Importa afirmar que as figuras relacionadas não foram acusadas de participar da lambança, mas apenas de saber de sua existência, coisa que não configura participação, mas omissão. Crime, quando praticado por governantes.

QUAL A CONCLUSÃO?

Fica difícil, a partir dessa renovada denúncia, evitar suas consequências. Que conclusão devem tirar os integrantes da CPI da Petrobras? Complicado, mas não impossível, será ouvir a presidente da República e seu antecessor, até pela falta de materialidade na acusação, limitada ao depoimento prestado por um bandido. Sem provas além de sua palavra.

Será, no entanto, possível aos acusados manter o silêncio verificado até agora? Ignorar a afirmação de que sabiam da corrupção reinante em importante setor da administração pública seria desastroso para o grupo hoje impedido até de sair às ruas sem manifestações populares de rejeição. Alguma coisa precisa ser feita com urgência pelos acusados, porque o barro lançado sobre o ventilador começa a atingir indiscriminadamente culpados e inocentes.

6 thoughts on “Barro no ventilador

  1. O bandido de hoje, é o companheiro de ontem. O lubrificante que azeitava a máquina, que agora emperrou
    por falta de óleo.
    Aqueles que estão com o rabo na reta, agora dizem que é apenas a palavra de um “bandido”, tentando se
    salvar.
    O Youssef abriu o bico, justamente com o medo da gaiola, porem deve arrastar uma malta de políticos
    vagabundos para o inferno também.
    Se o Brasil, desta vez, não for “passado a limpo”, podemos fechar o pais e entregar a chave para a bandidagem, que é a força mais “viva”, que esta em atividade.

  2. O Alberto Yosseff e Paulo Roberto Costa são os únicos que estão botando a boca no trombone, alguém acha que com comandava o esquema de corrupção nas estatais iria querer depósitos em conta corrente, é obvio que jamais poderá provar, não assinam nada e desmentem descaradamente, mas se querem fazer direito apure o crescimento patrimonial, ai saberão quem está mentindo.

  3. Acho patético to petralha, mais este Luiz Sérgio (PT-RJ) ao comentar ontem que não se deve confiar no Youssef. Pois ele é um bandido, sua palavra não vale nada. Quem no pt merece alguma confiança, pois quase todo o quadro político e dirigente já esteve envolvido ou esta envolvido em algum escândalo. Vejam Dirceu, João Cunha, Jenonino, o homem do dolares na cueca, Palocci, Berzoini, Vaccari, João Cunha, Ideli Salvatti, Paulo Bernardo, Gleisi Hoffmann, Gilberto Carvalho, etc. Em qeum devemos confiar no Youssef ou nos petralhas.

  4. Aliás esses governantes, principalmente o notório “MULLA 9 DEDOS” e a “ANTA PRESIDANTA”, só resta 2 hipóteses em cima dos fatos notados, relatados e delatados:
    1) São mentirosos contumazes, mentem sem qualquer freio
    ou menos provável
    2) São 2 perfeitos idiotas, verdadeiros débeis mentais que não tem a minima noção do que fazem e portanta jamais deveriam ter governado e desgovernado a nação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *