Bate-boca entre Joaquim Barbosa e Lewandowiski leva a fim de sessão


Erich Decat  Estadão

Um bate-boca no plenário entre o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, e o vice-presidente, ministro Ricardo Lewandowski, levou nesta quinta-feira ao encerramento da sessão que analisava os embargos dos réus do processo do mensalão. O desentendimento começou quando Barbosa e Lewandowski passaram a discutir sobre a lei usada na dosimetria da pena aplicada ao ex-deputado federal Bispo Rodrigues (extinto PL-RJ, atual PR).

A divergência acontece sobre a data da prática do crime. De acordo com o vice-presidente do STF, a pena não deve ser aplicada com base na Lei 10.763, de 2003, uma vez que Bispo Rodrigues teria cometido o crime em 2002. Em meio à explanação de Lewandowski, o presidente do STF o acusou de querer abrir uma discussão protelatória que tinha sido realizada durante o julgamento em 2012.

“Para que servem os embargos?”, questionou Lewandowski. “Não é para arrependimentos, ministro”, rebateu Barbosa, lembrando que a votação foi unânime. Em seguida, ele afirmou que o vice-presidente do Supremo estaria fazendo uma “chicana”. “Vossa excelência está acusando um ministro de estar fazendo chicana? Peço que o senhor se retrate agora”, retrucou Lewandowski. Barbosa disse que não se retrataria.

Em meio ao bate-boca, o presidente do Supremo decidiu encerrar a sessão sem que houvesse conclusão do julgamento dos embargos do ex-deputado do extinto PL do Rio. A discussão entre Barbosa e o vice-presidente da Corte se arrastou até a sala de lanches, que fica atrás do plenário.

Após o encerramento da audiência, o ministro Marco Aurélio Mello lamentou o episódio, segundo ele, causa descrédito da instituição. “É ruim em termo de credibilidade da instituição. É ruim em termo de entendimento que deve haver no colegiado”, afirmou. “Acho que houve um arroubo de retórica e a essa hora o presidente deve estar arrependido”, acrescentou.

Bispo Rodrigues foi condenado por lavagem de dinheiro e corrupção passiva a uma pena de 6 anos e 3 meses de prisão mais pagamento de multa no valor de R$ 696 mil. Conforme a Procuradoria-Geral da República (PGR), ele recebeu R$ 150 mil do “valerioduto” para votar a favor do governo durante o esquema do mensalão, descoberto em 2005. A data de uma nova sessão ainda não foi confirmada. Além do embargo do Bispo Rodrigues, ainda restam 17 recursos, de um total de 26, apresentados pelos condenados para serem julgados pelos ministros.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

16 thoughts on “Bate-boca entre Joaquim Barbosa e Lewandowiski leva a fim de sessão

  1. Esse Barbosão tem jeito não! Prepotente, autoritário, vaidoso, dono da verdade, orgulhoso, não respeita ninguém! Adora humilhar quem não concorda com ele. Deve se achar o único sem pecado nenhum, nem o pecado original! Asqueroso é o que ele é!

  2. Entre eles é assim mesmo. A instituição está batendo pino. Quando o Gilmar Mendes ocupou a presidência fez a mesma coisa com esse Benedito. Ele quis na época até encarar o Gilmar, apesar das dores na hérnia de disco, disse que ele queria tratá-lo igual a seus capangas armados de sua fazendas. Foi um barraco tremendo, ou melhor, um supremo BARRACO federal.

  3. O min. Marco Aurélio Mello – primo do Collor de Mello – é mesmo uma piada. Não acho que discussão entre ministros gere o descrédito de instituições. Ao contrário. Aliás, são nessas discussões que aparecem algumas verdades… De um lado, na presidência do STF, realmente temos um presidente que não tem traquejo, calma e habilidade verbal para insuflar suas razões, mas que parece um sujeito honesto e distante das rodinha ocultas da corrupção. Do outro lado, temos alguns bandidos de toga que só querem tumultuar. Ora, porque não deixá-los discutir? Por que um ministro não pode acusar o outro? Não vejo problemas em acusações fundamentadas. Quem tem medo de acusação é quem tem casa com telhado de vidro.

  4. JOAQUIM BARBOSA TA CERTO.

    QUEM DESRESPEITA A CORTE?

    LEWANDOSWSKI CLARO!

    CASOS:

    1)Estou com a corda no pescoço, não pude fazer nada.

    2)Aprovação de contas de Lula e Dilma mesmo com parecer técnico contrário.

    3)Defesa dos corruptos

    4)ETC….

  5. Carmen Lins tem toda a razão. Joaquim Barbosa age como um verdadeiro Idi Amin, agressivo e prepotente, ofendendo a todos (Presidente, parlamentares, juízes, advogados, jornalistas, e, dessa forma, principalmente, a população que paga seu salário). Ele certamente não sabe o que é democracia, direito à livre expressão, e respeito aos demais Poderes. Enquanto quer aparecer como grande moralista, não explicou à população, que tem o direito de saber, por que gastou um dinheiro (nosso) excessivo na reforma dos banheiros do STF, a origem dos recursos da compra de seu “modesto” apartamento em Miami, porque o comprou em nome de uma companhia, escondendo seu nome como proprietário (e violando a lei, apesar de ser juiz do Supremo), o que fez de favores à Globo para conseguir um empregão para o filho, porque não incluiu TODOS os funcionários do Branco do Brasil no chamado Mensalão (já que diz ser tão “transparente), e outras coisas mais. Senhor Joaquim Barbosa, tem a palavra!

  6. Por falar no Idi Amin Dada, não faz muito veio a falecer em seu exílio na Arábia Saudita convertido ao mesmo ramo sunita do Bin Laden. Consta que a família Al Saud lhe concedeu anos atrás cidadania e uma aposentadoria equivalente a executivo da Al Qaeda por sua simpatia à família real. Morreu como um “bacan” cercado de mulheres negras e brancas, superando em número as do Martinho da Vila.

  7. Lewandoswski imita Maluf.

    Maluf.

    Se você tem desejo sexual, estupra mais não mata.

    Lewandoswski.

    Se você roubou recursos públicos, não tem problema. Eu darei a menor pena possivél

    Toffoli.

    Se você rouba recursos públicos sem violência física, então a pena tem que ser mais branda como a prestação de serviço e pagamento de 1/2 cesta básica.

    Marco Aurélio.

    Temos que nos preocupar com esses reús que não estão acustumados a ser condenados e viver em celas super-lotadas. ÁS de multas deveriam ser apena 1/2 salário mínimo ou 1/2 cesta básica.

    Barroso.

    Às penas retritivas para esses réus tem que ser bem menor do que uma pena imposta aos réus pretos, pobres e putas devido aos grandes serviços prestados a nação Brasileira por parlamenatares ideológicamante preocupado com a população e a democracia.

    Ás penas restrstivas tem que ser domiciliar

    Às penas de multas tem que ser distribuição de sanduiches do Macdonald’s por 3 meses em escolas públicas perto de sua residência do réu.

    TIMA MAIA DIZIA:

    Este país não pode dá certo!

    a)Aqui prostituta apaixona-se por seus clientes

    b)Cafetão tem ciúme

    c)Traficante se vicia

    d)Pobre é da direita

    e)Juízes só condenam a prisão perpetua. Pretos, Pobres, Putas e Paraibas.

  8. Concordo com o ministro Joaquim Barbosa.
    Todos conhecem os reais motivos da procrastinação tão adorada pelos mensaleiros e por Lewandowski.
    Graças a Deus ainda temos um ministro corajoso, que não se vendeu.
    Vaidoso? Quem não é?
    Importante é a verdade por trás dos fatos. E sabemos o que os mensaleiros pretendiam.

  9. Espera aí, gente! Toda a pauleira em cima do JB? Qual a razão? Ah! entendi, por causa do seu destempero verbal. Será que entendi mesmo? Tenho mais a perguntar: se o artigo 535, do CPC, reza que “Cabem embargos de declaração quando (I)houver, na sentença ou no acórdão, obscuridade ou contradição, ou (II) for omitido sobre o qual deveria pronunciar-se o juiz ou tribunal”, por que razão haveria o ministro Lewandovsky de falar sobre questão superada, a dosimetria da pena imposta ao bispo Rodrigues?

  10. Perfeito,Sr. José Valente,inclusive O “juiz”Lewandovsky,condenou o tal”bispo”Rodrigues.
    Pelo jeito,está arrependido. Até pode voltar atrás,mas não queira confundir delito praticado
    em 2003,com 2002. JB percebeu a jogada,chutou o balde,mais uma vez,com razão.

    Tem um Pagode que diz:
    Aí vem o negão/cheio de razão/ti catar/ti catar!!!!!!!

  11. O Joaquim está certíssimo… é necessário falar com TODAS AS LETRAS para que o povo brasileiro entenda o que está em jogo, diante dos melífluos e convescotes dos advogados “bem pagos” e “ministros” do STF que foram indicados somente para “defender e acobertar” as bandalheiras dos “poderosos de plantão”.

  12. Vejo tudo isso como manifestação da “vaidade nossa de cada dia”, como está no título do livro magnífico de Joacy Góes.
    No fundo, são figuras pequenas ocupando cargo além do merecimento. É a desproporção entre a grandeza do cargo e a pequenez do ocupante.
    Buscam prestígio popular.Não sei qual deles, quando estudante, lutou contra a ditadura.
    Há por esses tribunais, ditos superiores, quem demonstra valentia depois de passado o perigo! Quando estudante, dizia que não gostava de política! Na realidade apoiava a direita no poder!

  13. Concordo com o comentarista,Hugo,pois os mesmos, com aquelas capas horrorosas pensam que são deuses.Tenho certeza que o peso das capas com certeza atrapalham os ministros.eles lutam apenas pelo poder…..

  14. jb É DESPREPARADO E desequilibrado para o cargo que exerce.
    e muitos comentaristas, aqui tambem. A maioria fala apenas por simpatia e sem nenhum argumento.
    MENSALINHO E VERDADEIROS MENSALOES, MAS, mesmo SENDO um dos menores e nao envolvendo recursos publicos, os nossos criticos esqueçem os outros. Foi preciso um orgao de imprensa estrangeiro lembrar. Vejam e comparem.
    Barbosas, so existem, quando se trata de, ppp e petistas.

    http://4.bp.blogspot.com/-jAQeHh-k8Cw/UJj3uOp5SjI/AAAAAAAAY34/T1OK7xeJhXg/s239/Mensal%25C3%25B5es.jpg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *