Battisti driblou a Polícia Federal, que chegou a procurá-lo num barco no rio Amazonas

Cesare Battisti, ao prestar depoimento à polícia boliviana

Camila Mattoso
Folha

Nos quase 30 dias de caça a Cesare Battisti, a Polícia Federal tomou dribles do italiano. Fez busca na casa de amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, visitou embaixadas para capturá-lo e foi a um barco no rio Amazonas.

Poucas horas após seu sumiço, a conclusão já era clara: não havia mais nenhuma pista do paradeiro do terrorista. Foram mais de 30 diligências realizadas desde o dia 14 de dezembro, quando ele passou a ser considerado foragido.

NO RIO AMAZONAS – Em um das mais excêntricas diligências, agentes tiveram que ir a um barco do rio Amazonas para verificar, sem sucesso, se Battisti estava presente.

Nenhum dos indicativos apontou para o lugar certo, como comprovou o desfecho do caso: Battisti despistou a polícia, conseguiu sair do Brasil e foi preso no sábado (12) em Santa Cruz de La Sierra, no centro da Bolívia.

Um avião com policiais italianos chegou a pousar no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, em dezembro. Os agentes acharam que levariam o terrorista, mas voltaram para casa sem notícias do paradeiro dele.

UM FRACASSO – A nova diretoria da Polícia Federal considera essa uma das mais fracassadas operações da história do órgão. O ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal), decretou a prisão em dezembro, a pedido da PF, e dias depois o então presidente Michel Temer assinou a sua extradição.

O diretor-geral da PF ainda era Rogério Galloro quando o mandado foi expedido — foi substituído em janeiro por Maurício Valeixo, o atual chefe.

Nos bastidores, a informação é de que a polícia dizia ter certeza de que iria pegar Battisti, porque em tese fazia uma espécie de acompanhamento dele por meio de celular.

ERA ENGANO – O celular manda sinais que permitem saber a localização da pessoa, de forma aproximada, com ajuda das operadoras de telefonia. Quando a polícia chegou a um dos endereços oficiais do italiano, ele não estava lá. Mais do que isso, os agentes perceberam que não havia ninguém no local havia muito tempo e que Battisti tinha montado um jeito para despistar a polícia.

Depois de perceber que o terrorista não estava mais sendo monitorado, a PF passou a seguir denúncias anônimas e tentou juntar informações mínimas que existiam no passado.

Assim, um dos primeiros locais visitados foi a casa do petista e ex-deputado federal Luiz Eduardo Greenhalgh, que advogou para o italiano até 2017. O ex-parlamentar estava no local, em São Paulo, no momento em que os agentes chegaram. Ele os informou que não estava com Battisti — Greenhalgh foi procurado pela Folha, mas não atendeu as ligações.

BUSCA INÚTIL – Apenas com um mandado de prisão, a PF não tinha autorização para entrar em lugares, como ocorre quando há mandado de busca e apreensão.

Dessa forma, nas diligências cumpridas, os policiais apenas podiam bater na porta e perguntar pelo procurado. A PF também tentou encontrar o terrorista em duas embaixadas no Brasil, depois de receber informações de que ele poderia estar escondido. ​Os dois endereços do italiano no Brasil eram em Cananéia, litoral paulista, e São José do Rio Preto, interior de São Paulo.

8 thoughts on “Battisti driblou a Polícia Federal, que chegou a procurá-lo num barco no rio Amazonas

  1. Damares Alves: conheça a história da ministra que se envolveu em polêmicas
    Fantástico conta a história da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, que sofreu abuso sexual na infância, e depois virou pedagoga, advogada e pastora evangélica.
    Por Fantástico

    Nas duas primeiras semanas de governo de Jair Bolsonaro, teve alguém que chamou muito a atenção pela capacidade de criar polêmicas: Damares Alves, a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos.
    O Fantástico conta agora a história dessa mulher que sofreu abuso sexual na infância, e depois virou pedagoga, advogada, pastora evangélica e ativista pelos direitos das crianças.

    https://g1.globo.com/fantastico/noticia/2019/01/13/damares-alves-conheca-a-historia-da-ministra-que-se-envolveu-em-polemicas.ghtml

  2. Realmente, driblar a Polícia e a Justiça para os “Jornalistas Politicamente Corretos e Apoiadores de Lula, Chavez, Fidel, Dilma, Maduro e Ditadores Corruptos e Sanguinários Cubanos, enfim de NarcoDitadores Corruptos Latinos e Africanos” isso é uma Vitória do Terrorismo Internacional, para alegria delles os “globaisdatafolhensestadões” !!!! A que nível chegou esse país, e depois falam que são democratas apoiando bandidos assassinos terroristas porque são tão esquerdopatas como eles, há diferença de Lula, Chavez e Maduro para Batisti senhores Jornalistas Politicamente Corretos ????? No caminho dessa gente há milhares de cadáveres e Famílias Órfãs na miséria total, olhai bem aqui perto o que acontece na Venezuela, é isso que vocês sonham e querem para o Brasil, mas, não acontecerá !!! Um recado ao Papa Francisco, como Católico quero saber quando o Papa vai defender e apoiar o Povo Venezuelano assassinado diariamente e escravizado pelo seu Ditador Maduro ??? O Povo da Venezuela tá fugindo para não morrer nas mãos bandidas do bolivarianismo corrupto ditatorial comunista e socialista de Maduro sob um silêncio sepulcral da Igreja Romana, inclusive a CNBB que acolhe os refugiados venezuelanos !!!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *