Blindagem de ministro foi um recado à mídia

René Amaral Jr.

Caro Carlos Newton, a ‘blindagem’ do ministro, como você colocou, não é blindagem coisa nenhuma, é simplesmente um recado à mídia canalha (da qual suponho você não faça parte, como não faz o Helio Fernandes) que insiste em pautar o governo com todo tipo de truque sujo. Até parece (da forma como os fatos são revelados, divulgados e repercutidos) que o PT e o governo Lula inventaram a corrupção.

Nas várias pesquisas e estudos realizados regularmente, há a revelação de que a percepção de corrupção aumentou, isso não quer dizer que a corrupção tenha aumentado, está simplesmente mais visível, perceptível. Isso se dá, em parte, graças à sanha da grande mídia, recentemente tornada disposta a investigar e denunciar, como nunca dantes nesse país; e em parte graças ao governo, que nunca deixou de investigar denúncias contra ministros e autoridades, também como nunca dantes nesse país.

Nos anos tucanos e colloridos as denúncias só apareciam quando interessava aos conglomerados de mídia. O “Fora Collor” por exemplo (da mesma forma que o diretas já) só teve atenção da Globo (integrante do grupo GAFE: Globo, Abril, Folha e Estado) nos momentos finais, quando se percebeu que o Collor estava disposto a dar uma rasteira nos Marinho e começar seu próprio império midiático.

Nos anos FHC a coisa foi ainda pior, já que o presidente, totalmente comprometido com a mídia vendida, raramente era associado aos escândalos envolvendo autoridades e penduricalhos do governo (esse sim) mais corrupto já visto nessas paragens (nas palavras de Helio Fernandes, “A corrupção do PT é no varejo, a do PSDB era no atacado!”), e todas as denúncias e pedidos de investigação, sempre prontamente arquivados pelo engavetador Geral da República, o Sr. Geraldo Brindeiro, e de brinde ainda éramos obrigados a assistir a crimes de lesa pátria com as privatarias criminosas de Vale e outros bens de valor incalculável, só pra cobrir o rombo da roubalheira, entreguismo e incompetência.

Não tenho simpatia pelo Orlando Silva, sei que vem sendo acusado e denunciado, sempre sem provas, desde 2006, no caso da tapioca, o que torna toda história ainda mais ridícula. O próprio Paulo Henrique Amorim, defensor empedernido dos governos Lula/Dilma, postou uma série dessas denúncias em seu site, de novo sem provas.

Sei que “à mulher de César não basta ser honesta, tem que parecer honesta”, mas as denúncias, vindo de onde vieram (um criminoso fardado, investigado e já denunciado por corrupção) e pela mentirosa revista Veja (já tá parecendo mais um folhetim!) não se sustentam, mesmo tornadas em inquérito (em tempo recorde, como o caso do IPI) pelo STF sempre célere em investigar e julgar a esquerda, mas leniente e bonzinho com figuras da direita como Daniel Dantas, Salvatore Cacciola e Roger Abgelmassih, todos soltos, sendo que dois fugitivos, sentenciados, mas agraciados com habeas corpus por diferentes bandidos togados.

Logo, “blindar” o ministro era o caminho, o caminho de dizer que “o governo sou eu (a Dilma) e vocês se recolham à sua obrigação, sempre esquecida, de divulgar a verdade factual, sem factóides, sem artifícios, sem seletividade”.

Caro CN (desculpa a intimidade da abreviação), por favor, concentre-se um pouco nas denuncias de venda de emendas em SP durante o governo ssERRA antes que a CPI seja melada pela turma que só quer transparência e honestidade do outro lado da cerca!

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *