BNDES esquece o Brasil para subsidiar os países amigos do PT

Carlos Newton

Para quem conhece o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e trabalhou lá, é inacreditável o festival de protecionismo oferecido pelos governos de Lula e Dilma Rousseff a países da América Latina e da África. Nunca antes, na História deste país, houve tamanha libertinagem com os recursos públicos manejados pelo BNDES, que opera com repasses do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) e do Tesouro Nacional, através de títulos públicos remunerados como a taxa Selic, que atualmente é de 13,75%.

Levantamento realizado pela revista Veja mostra que 70% dos 11,9 bilhões de dólares emprestados entre 2007 e 2014 a esses países foram financiamentos a juros abaixo de 5% ao ano. Isso equivale a 58% dos 516 contratos firmados no exterior neste intervalo.

Diante desses juros ridículos, inacessíveis a qualquer empresário brasileiro, fica explicada a insistência do BNDES e do governo em tentar manter ilegalmente em sigilo as operações do banco de fomento, com a presidente Dilma Rousseff até mesmo arriscando seu mandato, ao vetar irregularmente uma lei aprovada no Congresso para dar transparência aos financiamentos.

O fato é que nos governos do PT os empréstimos do BNDES foram tornados secretos, apesar de existir expressa obrigatoriedade de divulgação na Lei do Sigilo Bancário, que o governo insistiu em descumprir, sujeitando a presidente Dilma à cassação por crime de responsabilidade, vejam a que ponto chegou a insensatez destas autoridades.

JUROS À CUBANA

Segundo a revista Veja, “do total de 682 milhões de dólares que a instituição liberou para a construção do Porto de Mariel, na ilha dos irmãos Castro, 400 milhões de dólares foram cedidos a um custo entre 4,4% e 4,8% ao ano – abaixo da TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo) e do custo de captação do FAT”. No caso da Venezuela, a operação foi semelhante.

As condições dos empréstimos para Cuba, Venezuela e outros países amigos não são “normais”. Pelo contrário, são absolutamente “anormais”. Nos mais baratos financiamentos do BNDES para empresários nacionais ou estatais com o a Petrobras, não existem juros abaixo de 5%, porque é cobrada a TJLP, que hoje é de 6% ao ano, mais a taxa de apoio financeiro, por volta de 1,5%, acrescida da taxa de risco, em média de 1,0, já atingem um total de 8,5%.

Como os juros cobrados aos países latino-americanos e africanos são inferiores à TJLP, isso significa que o Brasil está subsidiando o desenvolvimento dessas nações, ao invés de estar fomentando a economia nacional, que por lei é (ou seria) a finalidade única do BNDES. Mas que importância tem a lei para os governos do PT?

E AS GARANTIAS?

O BNDES sempre foi implacável com relação a garantias. Foi o que salvou o banco de uma exposição maior no caso das empresas de Eike Batista, cujo prejuízo principal ficou com os bancos comerciais que intermediaram as operações.

No caso dos empréstimos a Cuba, segundo o jornalista Claudio Tognoli, do Yahoo, as garantias são oferecidas pelo próprio governo brasileiro, através de um fundo garantidor que é gerido pelo BNDES.

“Entrei no site do BNDES Transparência e chequei o seguinte: os empréstimos a Cuba são tutelados por esse fundo garantidor, que é do Ministério da Fazenda do Brasil”, escreveu Tognoli.

Não é preciso dizer mais nada. E não vai acontecer nada, porque estamos num país de cidadãos politicamente emasculados, digamos assim.

17 thoughts on “BNDES esquece o Brasil para subsidiar os países amigos do PT

  1. Este espetáculo de sinistro deboche que assistimos nos anos de administração PT do nosso dinheiro só pode ter fim com a ruptura entre o regime antigo e um novo, que nunca vem. O máximo que um cidadão comum pode fazer é se indignar, ir para as ruas reclamar e exigir que as vias institucionais empreendam esta necessária ruptura. Ruptura não é golpe, é modificação de paradigmas de comportamento. Mas os representantes políticos que o povo possui não captam este desejo de ruptura. Como resolver uma situação em que os presidentes Dilma, Renan e Eduardo Cunha possuem passivos morais colossais e tentam se blindar para fugir de investigações diversas? O congresso faliu junto com o executivo. Falência moral.
    O que é mais triste disso tudo é a falta de oportunidade que os jovens tem de conhecer o lado bom da política, como ocorre em países minimamente civilizados, onde jovens conhecem a esquerda e a direita dos fatos. Este passivo, imposto a todos nós desde a ditadura militar é uma perda definitiva. O parlamentarismo, embora morto há anos, mais que nunca se revolve na tumba.

    • O máximo que o cidadão comum, dePinho, pode fazer, não é se indignar e ir para as ruas, é se organizar e votar. Se os representantes que temos não nos atendem, se os partidos atuais não nos representam, é preciso criar novos. Mas criar com a intenção de criar partidos de verdade, saídos de um amplo movimento popular, e não estes partidinhos que se formam para conseguir as vantagens financeiras que invejam dos partidos maiores. é por isto que fico indignado com a posição equivocada de protesto dos que dizem que a solução é não votar.
      Dirão que é muito difícil, que é uma luta impossível, mas é a única arma de que o povo dispõe na democracia. Mas há que acordar esse povo, mostrar para ele que as coisas não têm que ser sempre como são. Eu sei que é mais fácil falar do que fazer. Qualquer um de nós, sózinho, sente que não tem forças para isso. Sei que eu mesmo já estou desanimado depois de tantas décadas de desilusão. Mas somos só nós, cidadãos, que podemos sair dessa situação. Porque só o protesto nas ruas não vai mudar nem quem está no poder nem os demais congressistas, que só querem manter as estruturas que os mantém lá em cima.

  2. Texto magistral do colega e amigo Variguiano Jose Carlos Bolognese.
    Leiam e compartilhem o mesmo para todos os brasileiros e brasileiras.
    TODOS DEVEM SABER O QUE ESTE DESGOVERNO ESTÁ FAZENDO HÁ MAIS DE 9 ANOS COM TODOS NÓS EX.TRABALHADORES DA VARIG E TAMBÉM DA TRANSBRASIL.

    A (Amarga) Taça Transborda
    Nunca pensei que apenas para exercer o direito básico a uma aposentadoria, teria de tomar de conhecimento de coisas que me são refratárias, indigestas e me fazem mal só de ler e ouvir sobre elas. Estou cansado de ações, antecipações de tutela e seu oposto – postergações de tutela – processos, liminares, embargos de declaração, movimentos legais, ilegais, advogados, advogados da “união”, procuradores e toda essa fauna que invade o meu espaço mental quando o que devia estar acontecendo era eu estar tocando a vida, o estado longe de mim e eu mais longe ainda…dele.
    Minha aposentadoria, pela qual paguei, é bom que se lembre – ao contrário de tantas outras falsas, junto com inúmeros “benefícios”, “vantagens” e outras senvergonhices arrancadas do lombo de quem trabalha por parte de quem pode manipular o estado – está sendo roubada há mais de nove anos. Esta é razão porque estou cansado deste circo onde o palhaço, sem nenhuma vontade de minha parte, sou eu mesmo. Mas aí eu lembro que estou “vivendo” em um país onde – alguém recentemente disse com sabedoria:
    “Um dos lugares mais adequados do mundo para você desperdiçar sua vida.”
    Qualquer um que não teve a mente abduzida por essa ideologia podre vigente no país há de concordar, embora eu, ao contrário dos abduzidos, conceda aos idiotas o direito que eles me negam:
    Por mim são livres para pensar e acreditar em besteiras, desde que besteiras não se transformem numa agenda deles para nos prejudicar – o que infelizmente é o que se passa neste lugar onde desperdiçamos nossas vidas. E é neste lugar que uma senhora idosa, indiferente aos que lhe são semelhantes neste quesito – os idosos – passa os dias falando asneiras e dando pedaladas pra trás levando essa trapizonga chamada Brasil de volta para os primórdios do século passado.
    Eu não sei se a parte boa e maior deste país e da qual faço parte, vai continuar através de sua oceânica tolerância, sendo apenas boa e trabalhadora, mas também deixando-se utilizar como o instrumento ideal dos canalhas que estão destruindo a nação.
    Como ex trabalhador da Varig e assaltado do Aerus, sei que tem gente lutando para reverter essa situação criminosa, sei que os caminhos da justiça de Justiça têm apenas o nome e que o país caminha para uma recessão cuja data inicial, não detectada pelos incautos, é primeiro de janeiro de 2003, início do lullalato. Foi quando começou o desmonte não só da Varig, mas de tudo que se consegue pelo trabalho duro e pelo mérito e que existia de bom nesse país.
    Estar há mais de nove anos à margem da vida e por obra de um bando de canalhas realmente me tira toda a vontade de acompanhar a peça sinistra que se desenrola, com um ou outro passo à frente e uma longa corrida para trás, supondo que um dia ainda estarei vivo para usufruir do que paguei para ter. Não dá mais, como disse antes, para ouvir falar em tutelas, embargos, AGU, Adams (da família Luís Inácio), Previc, advogados, sindicatos e o que quer que se proclame – mas não resolva – uma situação que nem era para ter acontecido. Não posso permitir que os miasmas da putrefação institucional em curso no país me roubem o que ainda me resta de sanidade emocional. Talvez eu tenha chegado ao ponto em que esses canalhas quiseram nos colocar, não sei. É a taça que transborda.
    JC Bolognese

    • Excelente caro amigo José Carlos Bolognese. Muito bom. Estava sentindo sua falta, porém mais uma vez vc foi magistral descrevendo para todos este crime de lesa-pátria que se cometeu há 9 anos atrás contra a VARIG e contra todos nós seus ex.trabalhadores. Obrigado. Obrigado por voltar a luta pelos nossos direitos caro e grande amigo.

  3. Como nos livraremos desta cambada de criminosos, se está tudo aparelhado por eles ? Não tenho esperança na justiça deste país. Para cada Moro, quantos lewandovskis, barrosos, toffolis e similares a escarnecer de nossa impotência ?

  4. Isso é uma vergonha. Onde estão os Orgãos do Conselho Monetário Nacional e o Banco Central para punirem por crime de lesa-pátria, passando por gestão temerária e outros Artigos da Constituição e do Sistema Financeiro Nacional os Dirigentes deste BNDES ???? Esse dinheiro não é do PT e dos petralhas, é do povo brasileiro, e, prova que estamos sob o comando de uma organização criminosa que prevarica para sustentar estes pulhas no poder , se não punirem os Dirigentes do Banco e todos que participam deste e outros crimes que virão com uma investigação maior é melhor fechar o país !!!! Onde estão ou onde estiveram as Autoridades Responsáveis pela Fiscalização do Patrimônio Público que não viram estas imoralidades ??????

  5. Depois que Lula demitiu o economista Carlos Lessa da presidência do BNDES, um homem culto, transparente e nacionalista, o hospital das empresas privadas perdeu a credibilidade. O uso do FAT, o Fundo de Amparo ao Trabalhador para socorrer países e empresários amigos do poder é um tapa na cara da sociedade e sobretudo no estômago do trabalhador. O mais estarrecedor é o silêncio constrangedor das Centrais Sindicais. Por esta razão, os trabalhadores lentamente se desfiliam dos Sindicatos, cujos dirigentes pensam que estão no governo, mas no fundo não passam de marionetes usados pelo poder.

    No governo de FHC, as Centrais faziam muito barulho, que não deram em nada, pois os tucanos privatizaram o que queriam privatizar e provocaram o maior arrocho salarial da história do servidor público. Agora, as Centrais deixam privatizar sem dar um pio e se quedam inertes diante das demissões provocadas pelo ajuste fiscal comandadas por um neoliberal da Escola de Chicago.

    A nação em perigoso pessimismo com os rumos da recessão, ainda é obrigada ouvir o comandante da economia, que a recuperação virá a longo prazo. Mas, quando virá esse longo prazo? Ate lá, estaremos todos mortos.

    Esta na hora de tirar o S de Social do BNDES. De S o hospital das empresas privadas é uma negação, meu irmão.

  6. De tantos casos de desvio de dinheiro que vemos desde que este bandidos assumiram o poder. Será que não estão usando o BNDES para fazer um fundo de reserva para esta cambada de ladrões. Depois do caso mais recente do caso do pimentel em que uma pessoa simplória doou 35 milhões para sua campanha. Esta na hora desta oposição omissa para de se esconder e começar a passar o Brasil a limpo. Será que uma parte destes empréstimos não volta nas cuecas dos petralhas.

  7. Aforando a questão da segurança do banco nos empréstimos que concede a governos estrangeiros, o fato é que o nosso banco de fomento, toma dinheiro emprestado nos bancos múltiplos como BID e BIRD a juros baixíssimos o que lhe permite repassar financiamentos de serviços de empreiteiras nacionais a estes países de terceiro mundo a juros muito abaixo dos praticados em território nacional.

    Tomo o exemplo dos juros captados pelo BNDES no mercado internacional no dia 16/07/2012; naquela data o nosso banco de fomento conseguiu empréstimos de apenas 3,403% a.a. para subsidiar suas operações.

    O que nos irrita é o fato de o banco não poder fazer o mesmo em relação às empresas nacionais no mercado interno.

  8. O saldo de recursos do FAT no sitema BNDES em 30-04-2015 foi de R$201,56 bilhões.

    Os recursos do FAT de posse do BNDES são corrigidos da seguinte forma:

    89,29% dos recursos são remunerados pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) e 10,71% pelas taxas de juros do mercado internacional (FAT cambial).

    Os recursos do FAT de posse do BNDES que porventura não estejam sendo utilizados em empréstimos são remunerados pela SELIC. Daí haver repasses do próprio Tesouro Nacional ao Fundo de Amparo ao Trabalhador.

    No final das contas é o próprio Tesouro Nacional que arca com as taxas subsidiadas pelo BNDES, inclusive em relação às perdas com rendimento constitucional garantido ao FAT.

    Constituição da República Federativa do Brasil

    Art. 239. A arrecadação decorrente das contribuições para o Programa de Integração
    Social, criado pela Lei Complementar nº 7, de 7 de setembro de 1970, e para o Programa de
    Formação do Patrimônio do Servidor Público, criado pela Lei Complementar nº 8, de 3 de
    dezembro de 1970, passa, a partir da promulgação desta Constituição, a financiar, nos
    termos que a lei dispuser, o programa do seguro-desemprego e o abono de que trata o § 3º
    deste artigo.

    § 1º – Dos recursos mencionados no “caput” deste artigo, pelo menos
    quarenta por cento serão destinados a financiar programas de
    desenvolvimento econômico, através do Banco Nacional de
    Desenvolvimento Econômico e Social, com critérios de remuneração QUE LHE PRESERVEM O VALOR. (destaquei)

  9. JBS/Friboi: ela não fere apenas os cofres do BNDES.
    Brasil 03.06.15 22:54
    O Partido dos Trabalhadores tem como principal financiador de campanhas eleitorais a empresa com mais Irregularidades e violações de direitos trabalhistas do Brasil.
    Nos últimos quatro anos, a JBS/Friboi deixou 7.822 funcionários doentes ou incapacitados — o que dá uma média de cinco ocorrências por dia.
    A notícia foi publicada pelo Congresso em Foco. Aqui: http://www.oantagonista.com/posts/jbs-friboi-nessa-nao-da-para-confiar
    E aqui: http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/friboi-a-campea-nacional-em-acidentes/

  10. Sr. Newton, melhor aguardar o parecer do TCU, pois, o BNDES apenas repassou um juros menor nos empréstimos a esses países, uma vez que conseguiu captar no mercado externo, também, juros junto ao BID e ao BIRD com taxas menores.

    Até aqui, tudo bem, pelo visto, em relação a estes empréstimos externos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *