Bolsa família: Dilma anuncia controle mais rigoroso


Pedro do Coutto

Em entrevista na Etiópia, a presidente Dilma Rousseff admitiu ter ocorrido uma falha no programa Bolsa Família, quando se verificou num final de semana a veiculação de uma onda de boatos que causou simultâneos em doze estados do país. Começou pelo Maranhão e se alastrou principalmente nas regiões Norte e Nordeste, chegando a Brasília e ao Rio de Janeiro. A entrevista foi publicada domingo. Mas os jornais de sábado divulgaram os primeiros resultados da investigação feita pela Polícia Federal, apontando uma agência de telemarketing como a primeira fonte da boataria. Não foi revelado o nome da agência, tampouco quem a contratou, se foi o caso, a veiculação alarmista e infundada. Vamos  ver o que acontece nos próximos dias.
Entretanto, ao falar aos jornalistas que a acompanharam naquele país africano, a presidente Dilma admitiu ter ocorrido – disse – uma possível falha. Nós somos humanos, acrescentou. Mas não é uma falha tópica que explica os problemas surgidos em doze estados. O enigma permanece. Pois se ocorreu a falha, ela foi de quem? Fica a pergunta. Junto com outra indagação: por qual motivo a direção da Caixa Econômica Federal antecipou, no sábado e domingo, a liberação do pagamento mensal?
Seria lógico ou antecipar para sexta-feira, quando as agências estão abertas, ou deixá-lo para segunda feira. Isso de um lado. Mas, de outro, continua faltando uma explicação lógica e plausível para que o boato alcançasse a dimensão que alcançou.
TELEMARKETING
O sistema de telemarketing baseia-se na eficiência do cadastro que montou (ou recebeu) contendo os telefones dos beneficiários do programa. São 13 milhões de família, portanto um universo ainda maior de pessoas. Calcula-se que a movimentação surpreendente tenha reunido cerca de 900 mil a 1 milhão de pessoas aflitas. Logo, a comunicação perversa atingiu um grau de eficiência em casos assim. Quais, na íntegra, as mensagens utilizadas? E em quanto tempo? Inclusive as notícias eram conflitantes. Uma dizia que o de maio seria o último pagamento do programa. Outra acentuava que estava sendo liberada parcela extra, uma bonificação pela passagem do Dia das Mães. A primeira versão era restritiva. A segunda em outro sentido, no caso oposto. Porém é possível que a última parcela fosse acompanhada da bonificação.
Mas como divulgar o conteúdo total das duas comunicações num prazo tão curto? Além disso, O Globo e a Folha de São Paulo publicaram informação da própria CEF, que retificou sua primeira versão para dizer, numa segunda divulgação, ter liberado a parcela antecipadamente – assinala – para melhorar o cadastro de informações sociais do banco. E que antecipações podem ocorrer em casos de calamidade ou necessidade de melhorias no sistema.
Calamidade, no caso, só a que decorreu em face da onda de boatos. Melhorar o sistema? Nesta hipótese sim, mas a afirmação traz consigo a existência de pelo menos uma dificuldade a ser sanada. Pois só se melhora o que precisa ser melhorado.
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

3 thoughts on “Bolsa família: Dilma anuncia controle mais rigoroso

  1. VERGONHA!!!!!!!!!!
    Quem ve as fotos ou assistiu as cenas das filas e do povão para retirar a famigerada bolsa, sentiu-se saqueado e envergonhado como o governo distribui dinheiro da area social para tantos vagabundos. Pessoas que tem condição de trabalho recebem essa Bolsa que devia ser nominada de BOLSA VOTO já que é comprovadamente distribuída a pessoas que não tem a minima condição de recebe-la. Essa Bolsa estimula que viciados e marginais lancem crianças no mundo para receber a mesma para a finalidade compra de drogas e bebidas. A televisão a poucos dias mostrou um casal que matou seu filho de 3 anos por espancamento. Ela e viciada em droga e ele traficante de drogas e armas. Esse e o tipo de favorecidos com essa BOLSA VOTO do PT

  2. Caro Pedro do Coutto, tudo isso vai passar. O maior problema da Bolsa Família, é saber,
    quem realmente precisa deste benefício. É importante que o governo faça uma triagem e verificar
    quem realmente precisa da Bosa família.

  3. Pinga Fogo
    .
    Brasil das bolsas, bolsa pra ninguém botar defeito; ou, Brasil dos Fs, do jeitinho e das espertezas.
    .
    Bolsa pra tudo que é paladar, visão, tato, odor e sensibilidade. A cara do brasileiro. Bolsa dos F’s: Bolsa Festa, Fé, Futebol; Bolsa Fumo da fumada mente FHC. A inigualável sabedoria popular avisa que: ficar velho todos têm direito, mas de envelhecer, não! FHC, meu velho…Arrego!
    Bolsa Feijão com Farinha já existe. Feijão não, foi retirado pelo preço.
    Mais recentemente temos uma que provocou frisson nos políticos: a tão discutida e badalada Bolsa Faxineira.
    .
    Esse negócio político do “Bolsa Faxineira” vai resultar em Desobediência Civil sustentada por um legítimo “estado de necessidade exculpante” da família brasileira.
    Hum!

Deixe um comentário para Nélio Jacob Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *