Bolsonaro avaliza e governo aumenta em R$ 2,2 bilhões estimativa de orçamento para a Defesa em 2021

Proposta final deverá ser encaminhada ao Congresso no dia 31

Leandro Prazeres
O Globo

Com o aval do presidente Jair Bolsonaro, o governo decidiu ampliar em R$ 2,2 bilhões a estimativa do orçamento do Ministério da Defesa para 2021, o que pode levar o orçamento da pasta para R$ 110,1 bilhões. A ampliação do chamado “referencial orçamentário” consta de documentos do Ministério da Economia aos quais O Globo teve acesso.

O referencial orçamentário é a estimativa entregue pelo Ministério da Economia todos os anos às outras pastas indicando qual montante de recursos que o governo pretende incluir no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA). Depois de entregue, os ministérios podem recorrer à equipe econômica pedindo mais recursos. A proposta final do orçamento do governo deverá ser encaminhada ao Congresso Nacional no dia 31 de agosto.

PEDIDO DE AUMENTO – No caso da Defesa, o referencial monetário entregue em julho pelo Ministério da Economia foi de R$ 107,9 bilhões. No dia 11 de agosto, o Ministério da Defesa enviou um ofício à equipe econômica solicitando um aumento dessa estimativa no valor de R$ 752 milhões.

Na segunda-feira, dia 17, o Ministério da Economia enviou um ofício para informar que, após consulta ao presidente Jair Bolsonaro, ficou decidido que o referencial orçamentário no orçamento da Defesa seria ainda maior: R$ 2,2 bilhões.

“[…] tendo, em 17 de agosto de 2020, submetido à consideração do Excelentíssimo Senhor Presidente da República, que decidiu modificar a distribuição de recursos feita naquela reunião, resultando em alteração nos referenciais monetários informados ao MD (Ministério da Defesa)”, diz um trecho do ofício.

DESTINOS – Desse total, R$ 22 milhões seriam destinados às despesas obrigatórias (folha de pagamento e custeio), R$ 620 milhões seriam para despesas discricionárias e outros R$ 1,557 bilhão para despesas discricionárias e projetos especiais do Ministério da Defesa. Caso essa expansão seja confirmada, isso vai aumentar ainda mais a diferença na estimativa de orçamento para 2021 entre o Ministério da Defesa e o Ministério da Educação.

Conforme reportagem publicada nesta terça-feira no O Globo, a estimativa era de que o orçamento destinado para a Educação em 2021 fosse de R$ 101 bilhões enquanto do da Defesa era de R$ 107,9 bilhões. Com a ampliação, a diferença que era de R$ 6 bilhões vai para R$ 8,2 bilhões.

A reportagem enviou questionamentos tanto ao Ministério da Economia quanto à Presidência da República sobre o assunto, mas, até o momento, nenhuma resposta foi enviada.Já o pedido de Renan Calheiros acusa o procurador de atuação político-partidária por ter feito campanha contra a eleição do emedebista para o comando do Senado em 2019.

5 thoughts on “Bolsonaro avaliza e governo aumenta em R$ 2,2 bilhões estimativa de orçamento para a Defesa em 2021

  1. Bela foto: um presidente imbecil e patriotas fardados varonis e servis. E o povo sem pão e sem ovo aplaudindo. O Brasil tá com a cara de uma rachadinha.

  2. O engulho continua, haja Vonau!
    Para onde pode ir um país que corta recursos à Educação e Saúde e aumenta a dotação das FA?
    Será que pretende atacar a China?
    Falando em China, uma entrevista imperdível do Marco Antonio Villa com o ministro-conselheiro chinês, Qu Yuhui, no You Tube, ontem, muito interessante para os não alienados, os acólitos não entenderiam, e uma aula de diplomacia para seu Arnesto.

  3. Bem vindos ao país que a defesa poderá ter um orçamento maior que a educação. Talvez esteja faltando mais dinheiro para pintar as guias….
    Como diz o sempre Simão “Acorda Brasil que eu vou dormir e pingar o meu colírio alucinógeno!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *