Bolsonaro chama Moro de Judas e diz que ninguém dará um golpe em cima dele

Em dia de depoimento, Bolsonaro chama Moro de Judas | Política ...

Bolsonaro acusa Moro de evitar investigação de Adélio Bispo

Talita Fernandes
Folha

O presidente Jair Bolsonaro chamou neste sábado (2) o ex-ministro Sergio Moro de “Judas” e afirmou a apoiadores na porta do Palácio do Alvorada que ninguém dará um golpe em seu governo. Bolsonaro falou sobre golpe a simpatizantes que criticavam o STF (Supremo Tribunal Federal).

“Ninguém vai fazer nada ao arrepio da Constituição, fiquem tranquilos. Ninguém vai querer dar um golpe em cima de mim, não, podem ficar tranquilos”, disse.

ATAQUE AO SUPREMO – A declaração foi dada depois de um dos apoiadores citar o Supremo. “Fizemos vaquinha para vir aqui para te dar apoio para repudiar o que aquele Supremo Tribunal Federal está fazendo com o senhor”, afirmou um dos presentes.

Pouco depois, em rede social, o presidente publicou um vídeo sobre as suspeitas em relação ao mandante da facada que levou na campanha de 2018. “Os mandantes estão em Brasília?”, escreveu.

“O Judas, que hoje deporá, interferiu para que não se investigasse?”, disse Bolsonaro, citando o depoimento que Moro prestará neste sábado à Polícia Federal sobre as acusações que fez contra o presidente ao sair do governo.

BOLSONARO DESAFIA -“Nada farei que não esteja de acordo com a Constituição. Mas também NÃO ADMITIREI que façam contra MIM e ao nosso Brasil passando por cima da mesma Constituição”, afirmou o presidente.

A informação divulgada na noite desta sexta-feira (1º) de que Moro prestará depoimento neste sábado, em Curitiba, elevou a tensão nas redes sociais bolsonaristas.

A narrativa nessas redes sociais de aliados de Bolsonaro é de um golpe de Estado em curso arregimentado pelo STF, que nos últimos dias impôs uma série de derrotas a Bolsonaro, como a suspensão da posse de Alexandre Ramagem como novo diretor-geral da Polícia Federal e a derrubada das restrições à Lei de Acesso à Informação.

APRESENTAR PROVAS – A oitiva de Moro foi marcada após o ministro Celso de Mello, do STF, dar o prazo de cinco dias para a corporação ouvir o ex-ministro.

Moro deve detalhar as declarações dadas ao pedir demissão do Ministério da Justiça e Segurança Pública, no último dia 24. Em entrevista à revista Veja, ele afirmou que tem provas para incriminar Bolsonaro e disse que as apresentaria à Justiça.

Moro acusou o chefe do Executivo de tentar interferir na autonomia da PF para ter acesso a relatórios de inteligências e a investigações em curso, o que não é permitido. Para isso, Bolsonaro queria exonerar Maurício Valeixo do comando da instituição, o que gerou o atrito com o então ministro Moro, e nomear alguém que tivesse relação direta.

NOMEOU O AMIGO – Ao se despedir do governo, o ex-juiz da Lava Jato disse que o desejo do chefe do Executivo era indicar Alexandre Ramagem para o comando do órgão.

Ramagem foi chefe da segurança de Bolsonaro após ele ter sido eleito presidente, quando se aproximou da família se tornou amigo do vereador Carlos Bolsonaro, investigado pela PF sob suspeita de articular esquema de disseminação em massa de informações falsas. Bolsonaro nomeou, de fato, Ramagem para o cargo. O ministro Alexandre de Moraes, do STF, no entanto, suspendeu a indicação por entender que não observava os princípios da impessoalidade e da moralidade pública.

Além dos integrantes da PF, três procuradores da República acompanham hoje o depoimento de Moro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGBolsonaro é um completo idiota e acaba de cometer mais um crime, ao acusar Moro de interferir na investigação de Adélio Bispo. Como não tem provas, ficará caracterizada a denunciação caluniosa. (C.N.) 

21 thoughts on “Bolsonaro chama Moro de Judas e diz que ninguém dará um golpe em cima dele

  1. Pôxa bagaçado depois de tudo o que o Moro passou dizer que ele não aguentou a pressão?!!!
    Só hum detalhe: Para levar o Moro para o governo, o PR prometeu combate sem tréguas a corrupção e que “doesse em quem doesse e que ‘conheça a verdade e ela o libertará’.” E logo que fisgaram o 01 no episódio das rachadinha, ele correu para negociar com os “demônios” e aí ele entregou todas as bandeiras de sua campanha sendo a última a do “Não existirá o ‘toma lá dá cá’.”
    Acho até que pelo que o Moro passou e aguentou, tem “caroço neste angú”.

  2. que o bozo é o bozo eu não discuto mas me causa bastante te estranheza é hoje sábado 02 de maio o Moro já estar presando depoimento uma semana depois de sua menos de uma semana do inquérito.

    Processo mais rápido da historia?

    • As petistetes também reclamavam o tempo todo sobre o processo em andamento para o impeachment da Dilmanta, que segundo eles estava andando rápido demais. As petistetes usam como comparação o processo de julgamento do Collor.

      Resumindo: Bolsonarete e petistetes são o mesmo lixo.

  3. O bozo de acordo com o jornal hoje ele não sabe usar a mascara ante covid19 mas até agora não mostraram ele pegando dinheiro da caixinha.
    Já prefeito de são paulo comprou 38 mil urnas , 13 mil covas, mas leito que é bom nada, os governadores vão pagar caro pelo escarnio que estão fazendo com a população e os abestados do jornalistas vão estar juntos.

  4. “A seara político-partidária-eleitoral é mesmo da pá virada, um antro de “safos”, nela quanto mais se reza e se ora mais assombrações aparecem. Como se não bastasse a guerra pelo poder entre direita, esquerda e centro, agora agregou tb a guerra entre religiões e até entre segmentos evangélicos, tb pelo poder, dinheiro, vantagens e privilégios, sem limite$. No caso Bispo/Bolsonaro, a julgar pelas declarações e interrogatório do próprio réu, Adélio Bispo, à imprensa e à polícia, talvez esteja mesmo existindo prevaricação quando à responsabilização do possível mandante, até porque, ato contínuo à perpetração do fato, Adélio Bispo disse com todas as letras que havia sido Deus o mandante da facada, o qual não se sabe porque cargas d”água não fora indiciado no ato. E tudo indica que, pelo sim ou pelo não, Deus ou o Diabo realmente participou do fato, usando o Bispo como possível laranja, no mínimo pelo fato de a facada não ter sido fatal, e de quebra premiado a vítima com a presidência da república em função do fato. Na real, tudo indica que Bispo agiu mesmo sozinho, à moda “lobo solitário” mesmo, por motivo de rivalidade política e religiosa mesmo, pessoal, na visão do qual talvez Bolsonaro lhe representava um triplo charlatão, político-militar-religioso, invasor da seara do seu possível pupilo, Cabo Daciolo, tb candidato a presidente contando com os votos dos mesmos segmentos, que, com a retirada de Bolsonaro do páreo seria o único beneficiado com a possível concentração dos votos desses segmentos, valendo lembrar que não obstante tudo Daciolo ainda conseguiu arrebanhar mais de 1 milhão de votos, nos mesmos segmentos político-militar-evangélico, o qual tb dava como certa a sua eleição, tb por obra de Deus, e cá, entre nós, menos ignorante, menos xucro e muito mais jeitoso do que o Bolsonaro, inclusive no manuseio da Bíblia. E o pior é que o resto da democracia-partidária não pode reclamar porque eles venceram no voto, nas urnas. https://www1.folha.uol.com.br/colunas/painel/2020/05/procurador-da-facada-defende-pf-e-diz-que-ate-bolsonaro-parou-de-sugerir-como-achar-suposto-mandante.shtml?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=compfb&fbclid=IwAR3h0HnIAxYxgmOxfSGNeKCWtHQjBawyqzp4V_XfEs7h4v6luu6D01Oei-8

  5. KKK o boçalnaro acredita que agora que está de bem com o Centrão está acima da lei. Aí insiste em dar declarações idiotas como esta de hoje. Está crente de que se tanto a Câmara como a suprema corte tentarem sacá-lo do poder, é ele que dá um golpe. Pobre coitado, vai sonhando porque a sociedade vai apoiar a queda do boçal. E não o contrário.

    • Sr Stryge, imagine-se na Presidência. Você “negociaria” com o legislativo e o judiciário ou não ?
      Dica: a princípio, se não “negociasse”, você seria o herói nacional. Mas aí, poderiam barrar todos os seus projetos, não ? Daí, aqueles mesmo que lhe puseram o pomposo título de “herói nacional”, diriam que você não queria diálogo com o congresso etc etc. De novo: você “negociaria” ?
      Assim faz a manada de todas as manadas, isto é, todas as tendências fazem, quando profissionais de qualquer categoria fazem greve objetivando melhores condições de trabalho (profissionais da saúde, da educação etc). No princípio, todos são simpáticos à greve. Mais à frente, a mídia – jornais, revistas, estações de rádio, blogs, estações de TV – passa a exigir que não ninguém aguenta mais a greve e que todos devem regressar ao trabalho imediatamente. A mãe de todas as manadas baixa a cabeça, baba e adere à mídia.
      Tudo tem uma exceção. Na greve, é o advogado. É o único profissional que não faz greve e que não é obrigado a resolver a lide para a qual foi contratado. Perdendo ou ganhando, você tem que pagar os (mal) ditos honorários. Pode, Arnaldo ?

  6. Quem é o judas? Só para ilustrar: Bolsonaro foi eleito numa campanha de combate ao crime dizendo que ia nomear o Sérgio Moro Ministro da Justiça. Eleito cumpriu a promessa de campanha, nomeou o Moro. que deu credibilidade ao seu governo e deu-lhe carta branca, Moro acreditou na palavra do presidente, foi um abnegado que deixou 22 anos de brilhante carreira, sabendo que se morresse, ou fosse exonerado do cargo de ministro sua família ficaria sem nenhum amparo, mas falou mais alto a vontade de combater toda sorte de crimes como Ministro da Justiça.
    Logo que o Flávio Bolsonaro foi denunciado pelo COAF, Bolsonaro começou a pressão sobre o Valeixo e Moro e transferiu o COAF, órgão importantíssimo de combate ao crime financeiro para o Banco Central, diminuindo assim o poder de Moro no combate ao crime. No pacote anticrime do Moro enviado ao Congresso, Bolsonaro não moveu uma palha para ajudar a aprovação e sancionou na íntegra o pacote pró crime do Congresso.
    Com a denúncia dos outros filhos, Bolsonaro quis se imiscuir nos assuntos da PF. e não devia ser apenas relatório, haja vista que a ABIN, órgão de informação enviava relatórios para à Presidência. O diretor da PF, Valeixo, não deu as informações que Bolsonaro pleiteou.
    Bolsonaro exonerou o Valeixo, o que obrigou o Moro a fazer o que uma pessoa honrada faz, pediu sua exoneração e explicou o porquê.
    Logo depois Bolsonaro fez uma declaração e chamou o Moro de mentiroso, o que obrigou o Moro mostrar contato pelo wathsapp com Bolsonaro e uma deputada do PSL, mostrando que não mentiu.
    Tirar uma pessoa do emprego com 22 anos de carreira prometendo-lhe carta branca e sem motivo demiti-lo, aí sim é coisa de judas

  7. Esta na cara, pela movimentação das peças, que o Foro de São Paulo tem envolvimento com o caso Adélio. É muito esforço para evitar que se descubra quem é o mandante ou mandantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *