Bolsonaro diz que não há mais problema com Mandetta: “Foi tudo acertado, segue a vida”

Bolsonaro diz que “ponto de atrito” com Mandetta foi resolvido

Daniel Gullino e Gustavo Maia
O Globo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira, dia 8, que está “tudo acertado” entre ele e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, após os dois se reunirem. Bolsonaro disse, em entrevista à Band, que os dois estão estressados devido ao trabalho, mas negou-se a responder se cogitou demitir Mandetta.

“Foi acertado. É comum, Datena, alguma coisa…Até em casa, a gente tem problema muitas vezes com a esposa, com o esposo, né? É comum acontecer no momento em que todo mundo está estressado de tanto trabalho, eu estou, ele está. Mas foi tudo acertado, sem problema nenhum, segue a vida”, afirmou.

PELA TANGENTE – Questionado se pensou em demitir o ministro, como revelou O Globo, Bolsonaro desconversou e fez piada com o apresentador José Luiz Datena: “Um beijo para você, Datena. Um abraço hétero para você, Datena”.

Depois, sem referir-se diretamente a Mandetta, o presidente criticou subordinados que tentam impor sua vontade e aparecer muito na televisão: “O que não pode acontecer é você ter um subordinado aí na televisão pra cima de você e tu não pode viver sob tensão com essa preocupação, tá certo? É péssimo trabalhar num ambiente onde o superior queira botar toda a sua vontade 100%.”

IRONIA – Após Datena afirmar que a falta de resposta parecia uma confirmação, Bolsonaro disse, entre risos: “Então você vai falar “pensou”. Pô, Datena, eu penso cada coisa, é bom você não perguntar o que eu penso de você, não, Datena”.

De acordo com o presidente, Mandetta “se convenceu” a flexibilizar sua posição sobre a utilização da cloroquina, e o parabenizou por isso.

“Ele, inclusive, a questão da hidroxicloroquina de ontem para hoje ele decidiu aí também fazer com que as pessoas, no início da manifestação possam ser atendidas, foi muito bem-vindo da parte dele. Então eu o parabenizo no tocante a isso. Isso tinha um ponto de atrito entre nós. E ele, como médico, entendeu perfeitamente e se convenceu disso”, finalizou.

 

9 thoughts on “Bolsonaro diz que não há mais problema com Mandetta: “Foi tudo acertado, segue a vida”

  1. “Diz o velho ditado que ‘quem fala a verdade não merece castigo’. E em verdade eu vos digo, a República 171 rolo de cobra$ não tem mais conserto, perda total, lembra até uma antiga TV a válvulas toda corrompida, com todas as placas em curto-circuito, tomadas por traças, bactérias, vírus, parasitas e afin$, de modo que a dita-cuja realmente não tem mais jeito, e o militarismo politiqueiro tb não é o segmento apropriado para resolvê-la, até porque, caso fosse, a teria resolvido durante os 21 anos consecutivos que a governou, ou na qual reinou absoluto, armado até os dentes, pelo argumento da força militar, sem oposição, sem imprensa, sem nada que a contrariasse, e por ela tb foi devorado. Portanto, não foi à toa que elaborei, levantei e estou na estrada há cerca de 30 anos com a RPL-PNBC-DD-ME, o Novo Brasil Confederativo, como Democracia Direta e Meritocracia, como evolução natural a ser colocada no lugar do fracasso retumbante da dita-cuja e seus operadores , o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, que, desde o início quando parecia loucura, sempre teve a intenção de desarmar a gigantesca bomba-relógio que é a república 171 rolo de cobra$, prestes a explodir, esta sim a grande loucura que, ao longo dos seus 130 anos, levou o país inteiro à loucura, sendo a loucura da ora, sob o teto da dita-cuja, a tara por cadáveres do Covid-19, que até parece mais um candidato às suas próximas eleições ou golpes, pra lá de picareta$, se sobrar gente deste lado da linha do equador, é claro, para contemplar a beleza da salvação da dita-cuja bichada dos pés à cabeça.”

  2. Para quem não está cego pelo ódio como é o normal de um esquerdista, pode observar claramente que Bolsonaro, apesar de sua linguagem que não agrada frescos, demonstrou humildade desde o começo do mandato: quando toma algumas medidas duvidosas ou polêmicas, ele entra em contato com os ministros para uma melhor avaliação do ato, o que muitas vezes o faz voltar atras e se retratar em público. Pessoas que tem um mínimo de caráter são assim. Não têm vergonha de assumir um equívoco, um erro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *