Bolsonaro em Nova York, se falar o que pensa, vai escandalizar a ordem mundial

Resultado de imagem para bOLSONARO chargesFernando Gabeira
O Globo

Bolsonaro deve falar nesta tera-feira em Nova York. o acontecimento da semana, embora as semanas no Brasil surpreendam com frequncia. Escrevi um artigo tentando elaborar sobre o contexto que espera Bolsonaro. No passado no era assim. Os presidentes brasileiros inauguravam a sesso da ONU com discurso protocolar e bocejos na plateia.

Sarney foi criticado por citar um obscuro poeta maranhense em seu discurso. Se o problema agora fosse esse, nem valeria escrever sobre o tema.

FORTE REAO – Bolsonaro ignora o mpeto das foras que despertou com sua poltica amaznica. Ningum o avisou. Seu chanceler acha que a Nasa no distingue fogueira de queimada. Internamente, estimulou os predadores. Era evidente que o enfraquecimento da fiscalizao, a promessa de trazer mineradoras americanas para atuar na Amaznia, tudo isso contribuiu para a frase que estava no ar: da prxima vez o fogo.

Nos Estados Unidos houve quem afirmasse que as queimadas na Amaznia so uma grande ameaa segurana nacional e devem ser tratadas como armas de destruio massivas.

Macron recuperou, timidamente, o discurso de Mitterrand sobre soberania limitada. Mitterrand a mencionou em dois casos: destruio ambiental e grandes violaes dos direitos humanos.

CONSEQUNCIAS – Esse debate aparece pouco no Brasil. Mais concretas so as consequncias econmicas. Fundos de penso estrangeiros, que administram trilhes, exigem uma poltica de preservao da Amaznia. No meio da semana, a ustria fez saber que no apoiaria o tratado da Europa com o Mercosul por razes ambientais.

So muitas as oportunidades que o Brasil pode perder se insistir no tom de Bolsonaro. O centro do debate no a soberania, mas o que o Brasil faz dela numa regio especfica que interessa ao planeta.

Num contexto tradicional de buscar as melhores vantagens para o pas, a Amaznia dos maiores trunfos para nossa diplomacia. Basta reconhecer como legtima a preocupao internacional, que no apenas dos lderes mundiais, mas tambm de seus eleitores.

COOPERAO – A partir da, possvel definir um amplo campo de cooperao. S no fico aflito porque sei que uma coisa Bolsonaro e suas redes; outra o Brasil real. Nove governadores da Amaznia Legal falam pela regio e desenvolvem uma poltica prpria. Sabem melhor o que esto fazendo porque conhecem a Amaznia e se preocupam com a sorte de 28 milhes de pessoas que vivem na regio.

De uma certa forma, isso acontece tambm com o Trump nos Estados Unidos. Os governadores que levam a srio as mudanas climticas desenvolvem uma poltica prpria.

O problema, no caso brasileiro, que Bolsonaro um presidente bastante conhecido no exterior. Nova York no se importa tanto com a ONU e os discursos. Mas a imprensa e a televiso certamente vo se interessar. Ser uma semana de grandes debates sobre o clima na ONU. Manifestaes e tudo mais.

O QUE DIR? – No sei precisamente o que Bolsonaro falar. Mas, se falar o que pensa, vai escandalizar; se falar o que no pensa, talvez no seja convincente.

Se pelo menos citasse poetas maranhenses. O passivo j grande. preciso reconstruir a relao com os europeus, afastar as sempre presentes ameaas de boicote comercial.

Bolsonaro v a Amaznia com os olhos dos fazendeiros que o apoiam. Critica os fiscais e ignora um campo em que precisa crescer: o combate biopirataria.

CONHECIMENTO – O centro da tragdia de sua poltica amaznica subestimar o conhecimento que a floresta pode produzir e o j acumulado pelos seus habitantes. No Par existe um homem que cria cobras e vende seu veneno para a indstria farmacutica. Ganha bem, e o veneno tem inmeras utilidades medicinais. Novas espcies so identificadas pelos pesquisadores, s vezes cinco por semana.

O conhecimento da Amaznia o instrumento estratgico que o Brasil precisa manobrar, definindo a cooperao estrangeira, direitos autorais de povos da floresta, enfim exercendo sua soberania nos fatos onde realmente ela interessa, e no em discursos para entusiasmar eleitores, cada vez menos entusiastas, cada vez mais envoltos nas brigas internas.

Quando no h horizontes, a sensao de naufrgio, que, alis, se define mesmo como a perda do horizonte.

15 thoughts on “Bolsonaro em Nova York, se falar o que pensa, vai escandalizar a ordem mundial

  1. no h nada de bom que Bolsonaro possa dizer que uma rpida busca no Google no desminta: quem falava em matar, em desmatar, em garimpar, em escorraar ndios de suas terras? Pouco vai adiantar desfilar a cunh que embalou como bagagem para l.

    http://bit.ly/2mGjoqW

  2. “…sabem melhor o que esto fazendo porque conhecem a Amaznia e se preocupam com a sorte de 28 milhes de pessoas que vivem na regio.”

    -U?
    -Parece que os Coronis do Norte s comearam a se preocupar com a misria das pessoas da regio agora, depois do dia 01 de janeiro de 2019.
    -Sendo assim, ento o Bolsonaro, o “despertador das virtudes”, deveria ter sido presidente na poca do Jos Sarney, para fazer esse “despertar” acontecer mais cedo na alma de quem sempre usou o Estado para si. A teramos trinta anos de preocupaes com a pobreza, com o emprego e com o desenvolvimento da regio.
    -Talvez esses patriotas, que tm “amazonino” at no nome, j tivessem resolvido esses problemas, que foram todos mantidos no esquecimento at 31 de dezembro de 2018.

  3. Os dados sobre o desmatamento na Amaznia mostram que de 1994 ate 2004 (pico) ocorreu um elevado aumento no desmatamento, mas de 2004 ate 2012 (minimo), a queda no desmatamento foi constante e colossal.

    Essa queda evidencia os esforos dos governos federal e locais para a melhoria do quadro. E olhe que nesse perodo, o Brasil experimentou forte crescimento econmico e social. O Brasil virou referncia mundial nesse quesito. Seria possvel crescer economicamente e preservar o ambiente.

    Mas, desde 2012, o desmatamento vem aumentando a uma taxa crescente, com 2018 chegando a um valor acima do esperado.

    Com Jair na presidencia, surge o alerta vermelho: o desmatamento nos primeiros meses do ano de 2019, muito maior do que todas as previses mais pessimistas.

    Ento, ou Jair mostra ao para reduzir o desmatamento na amaznia ou ser visto como um genocida ambiental, que esta queimando os esforos de uma dcada do Brasil para reduzir os desmatamento e garantir a preservao do maior tesouro da Amaznia: sua biodiversidade.

    • “De admiradora de Jean Wyllys a eleitora de Bolsonaro: a youtuber indgena que defender o governo na ONU:

      “Existe muito fake news dizendo sobre as queimadas. Esto dizendo que culpa do governo Bolsonaro, que ele entrou e est queimando todo o Xingu. No existe isso da. A nossa cultura fazer roa pra plantar mandioca e pra plantar outras coisas. Isso faz parte da nossa cultura, no porque entrou um novo governo e ele t queimando tudo. Nessa poca de ano, essa poca quente, sempre houve queimadas pra queimar roa. Isso faz parte, normal. Isso tudo exagero que a mdia est fazendo, no culpa do governo”, afirma Ysani em um vdeo de dois minutos e meio postado h dois dias na pgina do Ministrio das Relaes Exteriores do Brasil, com legendas em ingls.”

      https://www.bbc.com/portuguese/brasil-49804834

      (Evoluir preciso!)

    • Se depender de passado Bolsonaro est perdido, pois era apaixonado por Hugo Chavez e votava com o PT. Inclusive chegou a ser preso quando era capito do exrcito porque descobriram um plano dele para explodir bombas em quartis por aumento de soldo.

  4. A nvel mundial grupos conquistaram direitos de autonomias regionais e at independncia por presses mundiais e da ONU.
    Tem poltico (e jornalista) brasileiro mais preocupado em mostrar indignao s insinuaes e assdios estrangeiros ao territrio, mas a via para alcanarem um determinado status pode ser outra, indireta, ao incluir o elemento povos indgenas.
    Se os militares e o governo que pretende demonstrar nacionalismo sem (de fato) ser quisessem o Brasil respeitado, agiria com respeito s minorias.

  5. Com todo respeito que Fernando Gabeira merece, no concordo com seu artigo publicado aqui.
    Primeiramente, com o nvel de candidatos que disputaram a eleio passada, daria para Gabeira se eleger presidente ou governador (parece ter conhecimento necessrio para assumir ambos os postos, mas prefeririu no se candidatar a nenhum dos dois. E agora, assim como FHC, usa essa tribuna para dar pitacos prematuros).
    interessante lembrar, que o governo iniciou em janeiro e a “porteira” estava arrombada. Nenhum poltico brasilieiro seria capaz de fazer nenhuma melhoria acentuada em to pouco tempo e bom lembrar que “vrios polticos sobrenaturais” simplesmente se omitiram de fazer algo, pois sabiam da baguna que encontraria o pas.
    A esses, tenho um ditato bem objetivo “ MUITO FCIL SER PEDRA, QUERO VER SER VIDRAA”.

  6. Aprendi mais um termo, Despertador das Virtudes.
    fato, depois que ele assumiu houve um surto de virtudes despertadas e os virtuosos esto em p de guerra, como pode um cara desse ser presidente?
    A esquerda o bero desse parto de virtuosidade.
    Antes era o cu, agora inferno.

Deixe um comentário para Alex Cardoso Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.