Bolsonaro está sonhando muito. Quando acordar, pensará que o Brasil é uma nova Alemanha…

TRIBUNA DA INTERNET | As provas do caso Abin são desmoralizantes e só resta a Bolsonaro atacar a imprensa

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Carlos Newton

O Brasil é um país altamente surrealista, de fazer inveja à criatividade de Salvador Dali. Aqui acontecem coisas que são verdadeiramente inacreditáveis. Quem poderia imaginar que um presidente da República tivesse criado um cargo público de alto salário para sustentar a amante, abrindo um luxuoso escritório para ela em São Paulo, com assessores, secretárias, motorista e automóvel de luxo, tudo pago com recursos públicas, e durante anos levando-a como companheira em dezenas de viagens internacionais, com direito a uso de cartão corporativo para gastar à vontade, e nada tivesse acontecido a ele?

E a segunda-dama viajava com passaporte diplomático, mas de forma clandestina, para que a primeira-dama jamais pudesse tomar conhecimento dessas viagens de lua-de-mel no AeroLula.  Será que um imbróglio desses seria encarado como novo normal, se acontecesse em outro qualquer país minimamente civilizado?  Claro que não.

A AMIGA DE DILMA – Aqui no Brasil, a sucessora Dilma Rousseff decretou segredo no cartão corporativo da segunda-dama de Lula. Deixou vago o cargo de Rosemary, mas contratou uma velha amiga, Sônia Lacerda Macedo, para ser chefe de Gabinete da Presidência da República em Belo Horizonte, cargo público que não existe em nenhuma outra cidade.

A totalidade das nações verdadeiramente democráticas não admite esse mau uso dos recursos públicos, especialmente quando motivado meramente por interesse sexual.

Na Alemanha da chanceler Angela Merkel, por exemplo, o comportamento de Lula da Silva daria um escândalo interminável se fosse repetido por qualquer governante germânico.

O MARIDO DE MERKEL – Na Alemanha, além de ser condenado judicialmente, Lula seria obrigado a reembolsar todos os gastos públicos provocados pelo cortejo à amante. Imaginem a quanto isso montaria, pois seriam cobrados dele todas as despesas do escritório, inclusive a gasolina do carro oficial de Rosemary Noronha, primeira e única chefe do Gabinete da Presidência da República em São Paulo, cargo que depois dela ficou desocupado.

Enquanto isso, na Alemanha, o professor de química Joachim Sauer, marido de Angela Merkel, quando pretende acompanhá-la em alguma ida ao exterior, viaja sempre em avião comercial, porque sai muito mais barato do que o custo calculado pela autoridades alemãs para levar um carona no avião presidencial.

SONHO DE BOLSONARO – Empolgado com a impunidade de seus antecessores, Bolsonaro faz o que bem entende. Sua gestão é surrealismo puro, no melhor estilo dadaísta, sem lógica e sem racionalidade, num governo bipolar, dividido entre militares e adoradores de Olavo de Carvalho

Lula criou o Gabinete da Amante, Dilma tinha o Gabinete da Amiga e Bolsonaro instituiu o Gabinete do Ódio, dentro do Palácio do Planalto, funcionando no terceiro andar, ao lado da sala presidencial e comandado pelo filho 02, Carlos Bolsonaro, e pelo assessor Tercio Arnaud, especialista em fake news, atos antidemocráticos e robótica digital.

Ainda não satisfeito, o atual presidente se acha no direito de interferir na Polícia Federal e na Agência Brasileira de Espionagem, com o único objetivo de evitar que o filho 01, Flávio Bolsonaro, seja processado por prevaricação, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

###
P.S.1 –
Bolsonaro pensa (?) que não vai acontecer nada, embora já esteja sendo investigado em quatro inquéritos no Supremo. Quando for aberto o primeiro processo contra ele, causando seu imediato afastamento por 180 dias, com certeza Bolsonaro vai achar que o Brasil rapidamente se tornou uma nova Alemanha, onde a lei tem de ser cumprida por todos, mas ninguém avisou nada a ele. (C.N.)

11 thoughts on “Bolsonaro está sonhando muito. Quando acordar, pensará que o Brasil é uma nova Alemanha…

  1. No Brasil, as coisas sempre podem piorar um pouquinho mais… Depois de Lula e Dilma, jamais pensei que poderia aparecer um boçal nato, MAS APARECEU !!! Hoje, totalmente descrente, admito que pode ocorrer qualquer coisa, inclusive sua reeleição. Deus tenha piedade de nós !!!

    • Ficou muito bem claro no texto as poucas vergonhas do Lula e Dilma, dignos sim de cadeia e impeachment, mas quando chegou a vez de Bolsonaro faltou argumento e inventou o gabinete do ódio, que, diga-se de passagem, ódio é produto especial de Lula, Dilma e esquerdismo em geral.

  2. Data vênia caro C.N., tanto você como eu sabemos que nada disto vai acontecer e por uma razão bem simples, o Pinóquio vai fazer os presidentes da Câmara e do Senado e fica o dito pelo não dito. Os presidentes governam como imperadores, ao estilo napoleônico, podem tudo e só fazem o que querem. Quando tal estado de coisas vai acabar, esta não sei se Deus sabe.

  3. Talvez tenha faltado a Carlos Newton citar também nesse artigo a subserviência total de Augusto Aras a Jair Bolsonaro.

    Na 6ª feira, três senadores encaminharam uma representação contra Augusto Aras ao Conselho Superior do Ministério Público.

    Esses senadores parecem não ter bons assessores jurídicos. Se prestassem mais atenção, poderiam ler o que realmente está escrito na Constituição e reverter a escolha de Augusto Aras feita no Senado.

    Em vez da inconstitucional indicação de nome feita pelo presidente da República, poderiam ter aceitado diretamente a lista da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República)

    Nos comentários ao artigo de ontem de Carlos Newton, reproduzi textos sobre esse assunto.

    Uma simples consulta à Constituição revela que não cabe ao presidente da República fazer a “indicação” de nome para o cargo de procurador-geral da República.

    A “indicação” de nome pelo presidente da República para ser sabatinado e escolhido pelo Senado só está determinada no caso da alínea b do inciso III do art. 52, não está para a alínea e (procurador-geral da República)

    Ou seja, sempre se fez errado desde 1988.

    Art. 52. Compete privativamente ao Senado Federal:
    (…)
    III ‐ aprovar previamente, por voto secreto, após arguição pública, a escolha de:
    a) Magistrados, nos casos estabelecidos nesta Constituição;
    b) Ministros do Tribunal de Contas da União “indicados” pelo Presidente da República;
    c) Governador de Território;
    d) Presidente e diretores do banco central;
    e) Procurador‐Geral da República;

    Portanto, Augusto Aras é um procurador-geral da República indicado de forma inconstitucional.

    Outro comentarista, talvez para discordar, lançou então o que diz o art. 128, §1º:

    Art. 128. §1º O Ministério Público da União tem por chefe o Procurador-Geral da República, nomeado pelo Presidente da República dentre integrantes da carreira, maiores de trinta e cinco anos, após a aprovação de seu nome pela maioria absoluta dos membros do Senado Federal, para mandato de dois anos, permitida a recondução.

    Recomendei-lhe, então, uma leitura mais atenta, destacando estes trechos:

    “NOMEADO” pelo presidente da República …… “APÓS” a aprovação de seu nome pela maioria absoluta do Senado …

    “Após” significa “depois”, “não” “antes”.

    E isso também mostra que “somente” compete ao presidente da República “assinar o ato de nomeação”, e não fazer, antes, a indicação do nome ao senado.

    O mesmo está no art. 84, inciso XIV: “nomear”, “após” aprovação pelo Senado.

    Art. 84. Compete privativamente ao Presidente da República:
    (…)
    XIV – nomear, após aprovação pelo Senado Federal, os Ministros do Supremo Tribunal Federal e dos Tribunais Superiores, os Governadores de Territórios, o Procurador-Geral da República, o presidente e os diretores do banco central e outros servidores, quando determinado em lei;

    E também que se se prestar mais atenção ao que realmente diz o art. 84, XIV, será possível descobrir que o mesmo igualmente se aplica aos casos de nomes de ministros do STF.

    E sobre a competência do presidente da República ser “apenas” o da nomeação (ato de assinar), “depois” da aprovação pelo Senado, e “não” “antes” indicando um nome para o cargo de ministro do STF, isso já tinha sido mostrado por um promotor de Justiça de Minas Gerais, vide:
    https://www.conjur.com.br/2011-fev-07/presidente-republica-apenas-nomeia-ministros-supremo

    Ou seja, todas as indicações de nomes de ministros para o STF e de procuradores-gerais da República foram feitas por presidentes da República sem o necessário embasamento constitucional que lhes desse essa competência.
    Vício de iniciativa.

    E é importante recordar também que, há alguns anos, neste mesmo Blog, o advogado João Amaury Belem sugeriu que fosse feita a indicação ao Senado do nome do advogado Jorge Béja para ministro do STF, lembrando, numa correta leitura da Constituição, como essa, que não é da competência privativa constitucional de presidente da República fazer essa indicação de nomes.

    Isso deveria ser amplamente divulgado para evitar novas inconstitucionalidades nas indicações de nomes para os cargos de ministro do STF e de procurador-geral da República.

  4. A gente sabe o quanto a imprensa brasileira é ordinária e vil, quando em uma matéria dessas, para falar de Bolsonaro, o sujeito tem que escrever sete parágrafos sobre Lula e Dilma. É mesmo um escroto. E tem mais: Bolsonaro é a cria desta mesma imprensa que hoje tenta colocar nos dois pratos da balança, de um lado Bolsonaro, do outro Lula, Dilma e o PT.

    Vocês perderam completamento o senso de decência. É isso? Bolsonaro é vossas escolhas, quando por ódio ao PT e aos governos progressistas resolveram dar poder a esse senhor que nunca enganou ninguem. Bolsonaro é o menu da política que vocês criaram e colocaram à mesma quando em 2014 juntamente com o cretino do Aécio Neves, não aceitam mais um mandato, (o quarto consecutivo) do PT.

    Foram com muita sede ao pode, com o coração carregado de ódio e preconceito, nutriram o reacionarismo, a estultície a incompetência, (tudo porque não suportavam o pt governando) dando-lhes procuração para tal. Agora, com náuseas e sem saber o que fazer com a cria, veem com esse discurso escroto, falando do Bolsonaro e o que é pior. Tentando colocá-lo no mesmo balaio do Lula, Dilma e PT.

    Aqui, de articulistas e comentaristas não escapa um.

    Por isso, por tudo isso eu lhes pergundo:

    -Por que vocês são desse jeito hien?

    Tenho dito… E sempre!!!

    Em tempo: Tenham dignidade e salvem vosso presidente. Neste momento ele precisa do apoio de vocês. Imaginem que ele está em campanha. Façam como fizeram em 2018.

  5. Extremamente interessante o posicionamento do nobre dr. Marcos franco sobre a competência para indicação de nomes para altos cargos na República. Adoraria ouvir o nosso mestre dr. Jorge Béja a respeito dessa discussão jurídica. Pode ser, caro Carlos Newton.?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *