Bolsonaro fracassa como presidente, mas confia que vai se dar bem como ditador

O presidente sou eu', diz Bolsonaro sobre fala de Mourão em defesa ...

Comparado a Bolsonaro, o vice Mourão parece ser um grande estadista

Carlos Newton

Jair Bolsonaro é um fenômeno da enganação política semelhante a Jânio Quadros e a Lula da Silva. Seu carisma é impressionante, apesar de ser um governante omisso, que se dedica à reeleição (ou ao golpe) 24 horas por dia. Em 2018, o eleitorado votou nele julgando que iria tomar as seguintes iniciativas: 1) lutar contra a corrupção e a favor da Lava Jato; 2) reduzir os privilégios e penduricalhos salariais dos três Poderes; 3) conter os gastos do governo; 4) colocar na cadeia os criminosos e corruptos, reduzindo a criminalidade; 5) criar empregos e diminuir a desigualdade social. 

Essas cinco metas eram a sensacional plataforma do candidato que empolgou as massas, mesmo sem verba vultosa para a campanha e sem horário gratuito no rádio e TV. 

Agora, já se passou mais de um ano de governo, mas nem se pode fazer um balanço, pois tudo continua em gestação. Na verdade, o presidente ainda não fez absolutamente nada quanto às promessas de campanha. Vamos conferir, item por item.  

1 – Lutar contra a corrupção e fortalecer a Lava Jato – No tocante a esse quesito, Bolsonaro se omitiu claramente e até torceu contra, pois não fez a menor pressão no Congresso para aprovar o Pacote Anticrime do ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Além de rejeitar o Pacote, o Congresso aprovou um projeto a favor do crime, ao criar a Lei do Abuso de Autoridade, e o presidente não protestou. Enquanto isso acontecia no Congresso, o Supremo extinguiu a prisão após segunda instância, para garantir a impunidade das elites, e Bolsonaro também não disse uma só palavra contra, porque seu interesse era proteger os filhos, envolvidos em rachadinhas e funcionários fantasmas.

E assim a Lava Jato sofreu um retrocesso impressionante, enquanto Bolsonaro se dedicava a tentar demitir Sérgio Moro, por considerá-lo um futuro oponente.

2 – Reduzir os privilégios e penduricalhos salariais – Esta esperança dos eleitores de Bolsonaro se desfez logo no início. Ao preparar a reforma da Previdência, em nenhum momento a equipe econômica aventou a hipótese de reduzir aposentadorias dos servidores beneficiados pelo teto, que é alto demais para a realidade brasileira.

E agora, na reforma administrativa, a frustração é absoluta. O ministro Paulo Guedes preparou o projeto  sem tocar em nenhum privilégio dos múltiplos penduricalhos que elevam salários nos três Poderes, por considerá-los “direitos adquiridos”, uma regalia que a Constituição até proíbe. A ideia é impedir reajustes, penalizando o servidor de médio e baixo salário.

Bolsonaro não mexeu em nada, manteve a farra dos carros chapa-branca, com combustível liberado, as outras mordomias e até mesmo o cartão corporativo, cujos gastos são mantidos em sigilo.

3 – Conter os gastos do governo – Essa promessa o governo também vai ficar devendo. Paulo Guedes não conseguiu superávit no primeiro ano e confessou que também não ia conseguir no segundo ano, mas veio a pandemia, foi declarada calamidade pública, e não se fala mais no assunto. Esse quesito vai ficar para o próximo presidente, que está arriscado a ser o próprio Bolsonaro, caso não sofra impeachment, hipótese cada vez mais provável.

Os outros dois itens que fizeram Bolsonaro ser eleito também não serão cumpridos até 2022. Seu governo não vai colocar na cadeia os criminosos e corruptos, e os principais já foram até soltos pela Justiça, sem que em nenhum momento o presidente Bolsonaro tivesse manifestado ao Supremo sua contrariedade com a prisão somente após quarta instância, liberalidade que só existe no Brasil, um privilégio verdadeiramente medieval..

Quanto ao desemprego e à redução da desigualdade social, o governo também deixará para outra oportunidade. Com toda a empolgação do primeiro ano, o ministro Paulo Guedes só conseguiu fazer o PIB aumentar 1,1,%, enquanto Henrique Meirelles, que pegou a economia destroçada pelo PT, emplacou 1,3%  nos dois anos do governo Milton Temer.

###
P.S. 1
Nesse caos institucional causado pelo desequilíbrio emocional de Bolsonaro, o mais surrealista é verificar que ele é apoiado justamente em função das promessas eleitorais que deveria ter cumprido, mas já demonstrou que não cumpriu nem vai cumprir.

P.S. 2E a culpa, de quem é? Ora, a culpa é de quem votou em Bolsonaro porque ele era o menos pior. Na prática ele já demonstrou que é apenas mais um enganador como os outros.

P.S. 3O vice Hamilton Mourão, comparado a Bolsonaro,  fica parecendo ser um grande estadista. E assim la nave va, cada vez mais fellinianamente. (C.N.)  s

23 thoughts on “Bolsonaro fracassa como presidente, mas confia que vai se dar bem como ditador

  1. Aproveitam-se da pandemia, momento em que os mais sensatos estão trabalhando, estudando e produzindo em isolamento, para pedirem pela dupla morte: do seu próprio corpo e de seus familiares e amigos e da democracia e da coerência histórica no Brasil.

    • Ah!, CN, você está mostrando quem realmente és. Não preciso falar mais nada, apenas dizer que estou decepcionada com tudo que escrevestes. Protesto, e com veemência pelos teus dizeres, que não coadunam com meus pensamentos e fe milhões de eleitores de Bolsonaro. Resumindo: você está sendo um crápula em emprestar o nome a uma causa menor. Fica o registro.

        • 1) Tenho a ligeira impressão de que o jornalista CN está se preparando para fazer as provas do ENEM da Vida.

          2) Nunca vi uma pessoa receber tanta pancada pelo que escreve.

          3) Antigamente as “cartas dos leitores” eram filtradas e só publicavam as educadas.

          4) Pessoal, se não gostam, parem de ler a TI, desapeguem. Abram um blog, é fácil e grátis.

        • Aviso aos bolsonaristas que ainda não se tornaram fanáticos: não façam com o Bolsonaro o que os lulistas fizeram com o Lula. Ele não é Deus, para ser idolatrado.Como qualquer ser humano, é passível de cometer erros. E como erra! E como não reconhece seus erros! Igualzinho ao seu antecessor.

  2. 1) Li por aí, acho que foi aqui na TI, um comentário, infelizmente não lembro o autor.

    2) Mais ou menos assim: como é que um Congresso velho, com péssimas práticas políticas vai fazer algo novo e melhor? Impossível, só se fosse um milagre, mas esta área milagrosa não faz parte da política.

    3) Parlamentares, políticos, pessoas públicas são aves de rapina do erário do povo… com raras exceções…

    4) “O dinheiro é do povo, é seu, é meu, é nosso” bem disse certa feita a grande primeira ministra Margaret Thatcher, mais ou menos como está entre aspas.

    5) O atual presidente foi eleito no rastro da raiva anti PT. Era uma raiva incubada que saiu do armário ideológico, Uma raiva que, lamentavelmente, continua, permanece e está fazendo muito mal ao País.

  3. O barco do, AINDA, Governador de São Paulo, João Dória, começou a fazer água, aliás, muita água. Foi muito imprudente. Arriscou demais. Pensou que tinha carisma. Imaginou que tinha cacife para bancar a rodada. Coitado…
    Luiz IV, Rei da França, disse certa vez: “A impaciência em vencer pode, rapidamente, nos fazer perder”.
    Muitos companheiros do Governador paulista já diminuíram o tom sobre Bolsonaro, alguns já até se calaram, enquanto outros ensaiam uma mudança de time. Dória começa a falar sozinho. Antes, impávidos, Ibaneis, Witzel e Caiado empalideceram. Witzel, inclusive, dá a impressão de nem estar no Brasil. Simplesmente sumiu. Caiado ensaia uma reaproximação com o Planalto, mas não sabe como. Cada um que se expôs ao trair o Presidente sofreu um tombo gigantesco em suas popularidades. Vide, Joice Hasselmann. Antes uma séria concorrente à prefeitura de SP, hoje ocupa o penúltimo lugar nas pesquisas. Desprezada, ridicularizada virou uma paisagem inconsequente; irrelevante.
    Maia e Alcolumbre não podem sair à rua sem um pelotão de escolta. Hoje, Maia não seria eleito nem vereador, tamanho o desprezo que possui junto ao povo.
    Com um pedido de impeachment já protocolado, Dória amarga um futuro incerto no Palácio Bandeirantes.
    A ideia de derrubar Bolsonaro, destruindo a economia do país para ferir sua imagem, se voltou contra ele. Aliás, contra todos que embarcaram nessa canoa anti-patriótica. No princípio desse imbróglio, Dória possuía 17% de aprovação, agora, algumas semanas depois, sua popularidade despencou ainda mais. Em desespero, continua com seus ataques diários ao Presidente, mas essa verborragia boomerang, vem drenando seus apoios. Parece não haver ninguém para alerta-lo. Mas isso é comum. Políticos, muito amiúde avaliam mal seu próprio carisma.
    Canalhas ordinários, como Dória, se recusam a compreender que houve uma mudança no país. Sua eleição, como a de muitos, deveu-se à Bolsonaro. A base de apoio popular ao Presidente continua crescendo. Suas Redes Sociais recebem mais adeptos e seguidores a cada dia. É um fenômeno, de fato. Bolsonaro pode ter um apoio reduzido no parlamento, mas nas ruas à população o admira, nas redes sociais é imbatível.
    Político sem apoio popular NÃO SOBREVIVE. Mais cedo ou mais tarde, quem precisa de voto acaba aderindo a quem tem muito e quem não tem nenhum fica sozinho.
    Dória pode ter algum apoio no parlamento, mas já sem popularidade, com suas mentiras e falsidades aparecendo todo dia e com suas armações expostas num ambiente onde as redes sociais estão ativas e vigilantes do jeito que estão…(!!??!!)
    Passou a ser um cavalo de três patas. Não se consegue mais encobrir o cheiro de seu fracasso. Se sua administração fosse boa ou regular, talvez o odor pudesse ser camuflado, mas nem isso. Sua administração é um fracasso retumbante. Uma incompetência vexatória.
    Politicamente Dória morreu.
    Quem continua falando é seu fantasma que não viu a luz.

    Bolsonaro provou hoje a toda nossa nação que é um gênio politico, do qual eu nunca tinha visto antes em toda minha vida num presidente da republica do Brasil! Extremamente estrategista e muito bem assessorado, manteve o Mandetta por enquanto, deixou claro quem manda, colocou o Dr. Kahlil na linha de frente, em uma semana desmontou o Doria, Witzel, David Uip, Maia, Globo e por fim Mandetta. E o melhor, fez tudo sem falar mal de ninguém. E ainda, Já tinha colocado o exercito pra produzir a Cloroquina, Fez o acerto com a Índia, Liberou o auxilio de R$600,00 com uma logística absurda, abriram milhões de contas em poucos dias, renovando o cadastro de todos brasileiros e ainda está combatendo os hackers tentando pegar a grana. Os brasileiros nunca viram algo parecido na vida, Bolsonaro mostrou hoje porque veio, está cercado de gênios nos bastidores que nem imaginamos, falando com experts e lideres alinhados do mundo há semanas. Deu um verdadeiro show para todos nós os brasileiros que nem sabíamos mais como era ter um verdadeiro líder político! Confesso que hoje pela primeira vez senti algo novo, sentimento de patriotismo e orgulho de um presidente brasileiro!

  4. Quanta hipocrisia, quanto besteira, lamentável. No item 1, Bolsonaro não tinha e não tem maioria no Congresso para lutar contra o Centrão do bandido Nhonho Botafogo. No item 2, a mesma coisa, sabemos que caso colocasse na proposta da previdência o corte destes privilégios não sairia nada e hoje estávamos voltando a era Mandioca, ele disse que os privilégios seria em uma segunda etapa. O item 3, então é a mentira mais deslavada do artigo. O país está com o menor juros da série histórica, o déficit estava caindo para cerca de 80 bilhões. E quanto ao crescimento não adianta apenas jogar dinheiro no mercado, pois o PIB cresce mas vem junto a inflação. Triste ver que uma pessoa se expõe assim, sem o menor constrangimento de mentir.

  5. Muito atual a lembrança do comentarista Antonio Rocha, agregando verdades ao artigo.

    País latino não pode ter governo localizado distante do povo, pois acaba gerando corrupção, compadrio e impunidade.

    O Brasil tem sua capital distante de seu povo.

  6. “P.S. 2 – E a culpa, de quem é? Ora, a culpa é de quem votou em Bolsonaro porque ele era o menos pior. Na prática ele já demonstrou que é apenas mais um enganador como os outros.”

    Perfeito!

    Não esqueçamos que ele passou 27 anos de sua vida, diga-se de passagem se aproveitando do erário, para nada fazer.

    Sabe muito bem como funciona a política. Tanto sabe que tornou-se professor de seus filhos no que diz respeito às maracutaias que “devem” ser feitas para se tornar um “verdadeiro” político; um “verdadeiro estadista”.

  7. Esta´ bem; então eu votaria no “andrade”.
    Se anulasse o meu voto e o “andrade” fosse o vencedor do pleito por um voto, eu não me perdoaria para toda a eternidade. Dito isto; votaria outra vez no Ogro.

  8. Bastam os 4 itens para caracterízar o governo.
    Demonstração de eficiência, que é por definição, o que precisa ser feito.
    E de eficácia, que é , por definição, o que precisa ser feito, com o menor custo, no menor tempo.
    Alguém duvida do que esteja sendo feito?
    Podem até duvidar, mas, que vão ser beneficiados pelas medidas econômicas e financeiras, como exige esta crise, isto vão.
    O governo cumpre o dever.
    Só comunistas empedernidos não reconhecem.
    Imaginem o ladrão animal, ou a imbecil a gerenciar esta crise.

  9. Já conversaram com o povo sobre o anunciado golpe? Conversa e análise estranhas , patéticas e imundas. O Brasil tem o dever de andar para a frente, jamais regredir. Poderão dizer que os governos militares produziram muito em beneficio do Brasil. Não havia corrupção. Verdade, Como agora. Mas duvido que membros destacados das Forças Armadas estejam endossando panorama tão sombrio. O medo, pavor, pânico, do governo é o retorno do PT ao poder. Mas como, se Lula, está impedido de ser candidato? Portanto, calma com o andor que o santo é furioso e raivoso, não é de barro.

  10. Que raio de democracia é essa que nos impõe apenas duas opção nas urnas: a ruim e a pior. Filhota do sistema podre que tb só nos impõe duas opção: ditadura militar ou ditadura partidária, dois sacos da mesma farinha vencida. Tanto é assim que Bolsonaro representa as duas ditaduras: a militar e a partidária, a duas vias do sistema podre, que, na moral e no jogo limpo, não resistem sequer a um debate à luza do sol com a Terceira Via de Verdade, que é a Democracia Direta com Meritocracia. E, por tudo isso, Bolsonaro tornou-se até uma figura emblemática, que passa a ser enigmática quando em frente ao QGM, cercado de faixas pedindo a volta do famigerado AI-5, discursa dizendo que “agora é o poder do povo”. E que raio do “poder do povo” é essa que o Bolsonaro fala. Será aquela que o povo pediu nas ruas do Brasil em Junho de 2013, aos gritos de “sem partidos, sem golpes, sem violência, basta, chega dos mesmos, democracia direta já…” ? Portanto, a menos que Bolsonaro explique a contento o que seja esse seu “agora é o poder do povo”, restará muito claro que trata-se de um charlatão, psicopata, camaleônico, velhaco, mentiroso, bravateiro, sofista, etc. e tal, sendo, pois, a síntese da sinopse, do resumo, do esquema do sistema político podre, forjado pelas ditaduras militar e partidária, que perfazem o sistema político podre, com prazo de validade vencido há muito tempo, que, à evidência, está sofrendo de um problema muito sério de junta, que implica em juntar tudo e jogar no lixão da história do Brasil.

  11. Na lista dos enganadores se esqueceram de incluir os nomes do caçador de marajás, impichado. E daquela infeliz, também impichada. Mas não me culpem por ter acreditado nas promessas deste boçal, era ele ou o poste do 51. Como já conhecia a obra pestista …….

  12. Carlos Newton, quando eu vejo que você, a extrema imprensa, o PT, o PSOL, o PSDB, o Rodrigo Maia, Alcolumbre , Gilmar Mendes, Toffoli, são totalmente contra o Bolsonaro, eu tenho certeza absoluta de que ele está certo, no caminho certo. Bolsonaro segue os ensinamentos de Franz Kafka: “Não se curve, não dilua nada; não tente tornar lógico; não edite sua alma de acordo com a moda. Pelo contrario, siga implacavelmente suas obsessões mais intensas”.
    Vocês todos vão ter que amargar a derrota, pois Bolsonaro está certo e ao lado da verdade, ao contrario de vocês, que sempre estiveram ao lado da politicalha e sempre fizeram o povo de idiota, se servindo da ignorância dos menos informados e mais humildes. Vocês que conseguiram vencer a decência e a honestidade de Bolsonaro. Podem falar mal `a vontade, a maioria do povo está com ele e o povo é soberano. No final vocês vão ter que pedir perdão de joelhos à população e ao Bolsonaro.

  13. Lula não enganou ninguém,nunca se declarou Socialista,afirmava que era sindicalistatinha como vice um empresário,Meirelles o banqueiro no BC,Luiz Furlan na ind e comercio na agricultura Boberto Rodrigues latifundiário,quem Lula enganou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *