Bolsonaro, Mourão e ministro da Defesa comemoram aniversário do golpe militar de 64

Bolsonaro disse que golpe militar foi ‘grande dia da liberdade’

Marlla Sabino
Estadão

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira, dia 31, que o aniversário do golpe militar de 31 de março de 1964 é um “grande dia da liberdade”. Ele fez a declaração após um comentário de um simpatizante sobre a data na portaria do Palácio da Alvorada.

A deposição do presidente João Goulart, naquele ano, foi o início de uma ditadura de 21 anos que cassou direitos políticos, exterminou adversários e censurou a imprensa e a cultura. Ainda pela manhã, o vice-presidente Hamilton Mourão escreveu no Twitter um post para defender o golpe militar.

REFORMAS – Ele publicou que as Forças Armadas “intervieram na política nacional para enfrentar a desordem, subversão e corrupção que abalavam as instituições e assustavam a população”. “Com a eleição do General Castello Branco, iniciaram-se as reformas que desenvolveram o Brasil”, destacou. Mourão ainda divulgou a hashtag #31deMarçopertenceàHistória.


O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, numa “Ordem do Dia”, lida nos quartéis, afirmou que o golpe foi “um marco para a democracia brasileira”. “O Brasil cresceu até alcançar a posição de oitava economia do mundo”, ressaltou na nota.

QUESTIONÁVEL – Tanto Bolsonaro, quanto o vice e o ministro seguiram uma interpretação, que hoje se limita à caserna, desqualificada por historiadores brasileiros e brasilianistas, de que o País avançou na economia e na liberdade política a partir da queda de João Goulart.

O ciclo militar deixou marcas de crescimento econômico, industrialização e expansão da infraestrutura. Mas a ditadura também foi marcada por recessão, fechamento do Congresso, fim de eleições diretas, demissão de ministros do Supremo Tribunal Federal e uma máquina de tortura e assassinatos políticos.

CRISE – Entidades de direitos humanos estimam que 434 pessoas foram mortas por agentes do Estado. Quando o poder voltou às mãos de civis, com José Sarney, em 1985, o País vivia uma longa crise econômica, uma alta de inflação e denúncias de corrupção.

No ano passado, Bolsonaro chegou a propor ao Ministério da Defesa que o 31 de março fosse festejado. Juízes reagiram e o governo teve que recuar. Geralmente, o presidente e seus ministros costumam fazer referências ao período militar e dar declarações polêmicas sugerindo medidas autoritárias para mudar o foco político em tempo de crise.

15 thoughts on “Bolsonaro, Mourão e ministro da Defesa comemoram aniversário do golpe militar de 64

  1. “Bolsonaro, Mourão e ministro da Defesa comemoram aniversário do golpe militar de 64.”

    -Totalmente normal. Seria anormal se o poste do Lula fosse o presidente e fizesse tal comemoração.

  2. De repente no dicionário dos esquerdas, democracia é o regime cubano. Porque o que a história conta é que o Brasil era o país a se tornar comunista, a intervenção militar não deixou o processo socialização prosseguisse frustando terroristas como José Dirceu e Dilmandioca.

  3. Quem participou, pode contar do que o Brasil se livrou.
    Toda a minha família, Albuquerque Lima, cumpriu o dever , cada um nos postos e funções, para impedir a tentativa de implantar o comunismo no Brasil, reconhecido até pelo globo lixo, folha de papel higiênico de São Paulo, estadão, e vários outros, que, hoje, não reconhecem o trabalho excepcional do governo.
    Brasil, acima de tudo.
    Deus, acima de todos.

    • Infelizmente, os militares deixaram que esta gente cretina contasse a sua versão da história. Além disso, infiltraram no meio acadêmico que aderiu a farsa da ditadura, quando na verdade quem implantaria a ditadura do proletariado eram estas vagabundos da esquerda. A culpa é dos próprios militares que não souberam passar a msg para a sociedade. E ainda inventaram o Molusco, achando que ele seria um contrapeso no jogo político. Tomara que agora, os militares saibam com quem estão lidando e toda precaução é pouca.

  4. Pois é, tanto os bandidos radicalizaram contra um presidente eleito legitimamente, com realce apenas em sua estética, de que não gostam, pois são das elites corruptas , imprensa, congresso e stf e por isso estranham a linguagem do povo, que hoje os militares mostraram tranquilamente de que lado estão.

    Assim, o melhor é aceitar a democracia, aquele que foi eleito pelo povo, que não cometeu nenhum crime e procurem se acostumar com o Brasil que vcs não conhecem e merece respeito.

    Em 2022 teremos eleições e se o povo, que é de quem o poder emana, não gostar do atual presidente, ele o demitirá na forma da lei.
    NO VOTO …….. NA DEMOCRACIA.

  5. Desde quando Brasilianista e historiadores são fonte confiável de informação?Essa turma distorce fatos e reescreve a história, gritam até hoje, a plenos pulmões que os comunistas de outrora lutavam pela democracia, é possível maior incoerência? Só debilóide e a turminha da erva acredita! Outro dia vi um cidadão negro no metrô, usando orgulhosamente uma camiseta do Tchê, um racista da pior espécie.Essa molecada da atualidade não sabe de nada, uma geração perdida, de retardados, pior, se reproduzem!

  6. Nossos comunas são hilários, sem pejo ou vergonha na cara comemoraram a revolução de 1917 na Russia no congresso e ainda cantaram o hino da Internacional Socialista.
    Mas acham que quem comemora o 31 se março é torturador.
    Esqueceram, sofrem de esquecimento seletivo, de quantos aquela revolução matou.

  7. A tentativa de golpe por uma cúpula militar no governo Getúlio Vargas, só não aconteceu porque Getúlio Vargas suicidou-se.
    No governo Juscelino houve duas tentativas, uma antes de tomar posse. Juscelino foi salvo pelo general Henrique Texeira Lott e a outra de Jacareacanga. Não conseguiram.
    Na renúncia do Jânio Quadros, não conseguiram dar o golpe graças ao Brizola.
    A mesma cúpula militar conseguiu dar o golpe no governo João Goulart com o consentimento e ajuda da matriz. Os agentes da CIA invadiram o Brasil, haviam 3 navios de guerra na costa do Espírito Santo pronta para desembarcar caso houvesse reação.
    O primeiro ato do Castelo Branco, assim que tomou posse foi revogar a Lei de Remessa de Lucros, em que os maiores interessados eram as multinacionais americanas.
    João Goulart, por amor ao povo, mesmo com a ajuda que teria do terceiro exército e a maioria do povo, resolveu não resistir, prevendo que seria uma guerra civil que, sabe-se como começa, mas não sabe-se como acaba.
    Quem tiver dúvidas, procure os artigos do falecido jornalista Carlos Chagas sobre o golpe de 64.

  8. Conversa entre um *Russo* e uma *Brasileira*:
    *Russo* – Como eu amo a liberdade
    *Brasileira* – É. Não há nada pior que a ditadura.
    *Russo* – Mmmm ? Vocês também tiveram ditadura no Brasil ?
    *Brasileira* – Ô ! E como tivemos ! Os militares deram um golpe e tomaram o poder.
    *Russo* – Mas como ? Fuzilaram o congresso todo ?
    *Brasileira* – Não exatamente. Foi o próprio congresso que instituiu.
    *Russo* – Mas você não disse que foi um golpe?
    *Brasileira* – Sim.
    *Russo* – Não entendi. Mas enfim …. Quantos morreram pelo menos?
    *Brasileira* – 357 pessoas !!!!
    *Russo* – É … Para um dia só é bastante.
    *Brasileira* – Não, 357 no total.
    *Russo* – No total do que ?
    *Brasileira* – Da ditadura !
    *Russo* – Peraí, mas foi só uma coisa de uns dias e depois acabou ?
    *Brasileira* – Que uns dias que nada ! foram 21 anos de opressão !
    *Russo* – E quem foi esse ditador “genocida” que matou 357 pessoas em 20 anos.
    *Brasileira* – Foram 5 ditadores.
    *Russo* – De uma vez só ?
    *Brasileira* – Não, um depois do outro.
    *Russo* – Um depondo o outro ?
    *Brasileira* – Claro que não ! Terminava o mandato e vinha outro.
    *Russo* – Tipo presidente ?
    *Brasileira* – É … Mas so que não. A gente não podia votar !
    *Russo* – Então ao invés de um ditador, vocês tiveram 5 representantes com mandato temporário e que matavam 17 pessoas por ano ?
    *Brasileira* – Sim. Mas o povo se levantou e tirou eles de lá !
    *Russo* – Ah no fim depuseram os militares?
    *Brasileira* – Pode se dizer que sim. Eles saíram do poder.
    *Russo* – Mas tá estranho isso. Eles não controlavam o exército ? Como o povo conseguiu isso ? Ou eles se armaram também, ou atacaram em grande número. De uma forma ou de outra deve ter sido a maior carnificina !
    *Brasileira* – Até que não. Os militares anunciaram eleições democráticas e deixaram o poder.
    *Russo* – Deixaram ???? como assim ? tipo por conta própria?
    *Brasileira* – É que o povo, no fim, já tava meio contra também …
    *Russo* – No fim ??? Mas péra ! Para sair assim, na boa, so podem ter levado uma fortuna antes ! Devem estar tudo ricos hoje !
    É certo que ditadores deixam os países minguados, sem infraestrutura, as pessoas passando fome, a economia falida, aumento da criminalidade ….. e fogem.
    *Brasileira* – Hummm … Não exatamente. Pelo contrário, foi o melhor período econômico do nosso País. Para se ter uma ideia, em 21 anos de ditadura crescemos cerca de 3 (três) vezes mais do que os 21 anos seguintes de democracia.
    As infraestruturas criadas na época são as principais até os dias de hoje, algumas delas são as únicas do setor, da região.
    As pessoas não passavam fome, pois viviam com dignidade.
    Os índices de criminalidade eram insignificantes, comparados com os dos dias atuais.
    Não fugiram, as famílias vivem até hoje com os recursos que eles receberam trabalhando, de forma simples.
    *Russo* – Cara, eu respeito sua historia e tal, mas tá meio difícil de acreditar que vocês tiveram uma ditadura.
    *Brasileira* – Como assim?¹ A opressão era real ! Morreram muitos heróis lutando pela nossa liberdade!
    *Russo* – Então havia até mesmo uma oposição?
    *Brasileira* – Ah se havia ! Eles matavam soldados, sequestravam gente importante, roubavam bancos, plantavam bomba em quartéis.
    *Russo* – Que horror ! E os revolucionários, como combatiam isso ?
    *Brasileira* – Não, caramba ! Tô falando dos heróis, os revolucionários! Presta atenção!
    *Russo* – Tá bom, entendi. Mas esse lance de matar soldado, explodir bomba… hoje em dia isso não seria terrorismo?
    *Brasileira* – Talvez. Não sei. Mas na época era justificado. Tinha que derrubar aquele governo cruel.
    *Russo* – Mas e roubo a banco e sequestro… não é crime isso dai também?
    *Brasileira* – É …Talvez …. mas eles tinham que tirar dinheiro de algum lugar para manter o movimento , né?
    *Russo* – Sim, mas do povo? …
    *Brasileira* – Não tinha alternativa ! a União Soviética não estava mais sustentando a revolução como antes…
    *Russo* – Opa ! Um momento ! A gente que estava financiando vocês contra os militares?
    *Brasileira* – Sim. Os comunistas soviéticos estavam nos ajudando a derrubar a ditadura e instaurar a democracia no Brasil.
    *Russo* – E você acreditou ? Pois a nossa ditadura foi comunista! Matou 21 milhões, durou 74 anos e deixou o país afundado! Você nunca conheceu opressão, e por isso mesmo não entende o que é liberdade!
    (Autor desconhecido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *