Bolsonaro participa de funeral de paraquedista morto em treinamento no Rio

Bolsonaro integrou a Brigada de Infantaria Paraquedista no Exército

Deu no Correio Braziliense

O presidente Jair Bolsonaro esteve no Rio de Janeiro na manhã deste domingo, dia 21, para acompanhar o velório do soldado Pedro Lucas Ferreira Chaves, de 19 anos, que faleceu ontem em um treinamento no Campo dos Afonsos, no Rio, após seu paraquedas não abrir corretamente.

O velório aconteceu no ginásio do 26º Batalhão de Infantaria Paraquedista, na Vila Militar, na Zona Oeste do Rio. A imprensa não pode acompanhar a cerimônia. Bolsonaro integrou a Brigada de Infantaria Paraquedista em sua carreira no Exército.

ACIDENTE – Pedro estava a bordo de uma aeronave C-105 Amazonas para um exercício e, segundo o Comando Militar do Leste (CML), ficou preso à aeronave e, após os procedimentos de emergência, “a abertura do paraquedas do militar não ocorreu adequadamente”.

“O soldado Chaves sofreu ferimentos graves por ocasião de sua chegada ao solo, recebendo, de imediato, os primeiros socorros por parte da equipe médica local”, informou o CML.

O militar foi levado para o Hospital Geral do Rio de Janeiro, na Vila Militar, mas não resistiu. O CML afirmou que “está sendo prestado todo o apoio psicológico e religioso à família do militar”

26 thoughts on “Bolsonaro participa de funeral de paraquedista morto em treinamento no Rio

  1. Sinal evidente de depressão e apreensão!
    Essas pessoas, que para bancarem duronas, desprezam o sofrimento alheio, como é o perfil de Bolsonaro. Quando se encontram arrasadas, num inferno astral, procuram levar “solidariedade” a situações outrora ignoradas.
    1- A morte é um evento irreversível. Para os não suicidas, não há algo pior. -Logo, consolando alguém que perdeu um ente querido, faz o pequeno se sentir maior, diante de tamanha penúria.
    -A questão do “marketing urubulino”: passa a imagem pública de uma criatura que conforta os aflitos, nos seus estertores. Tão bãozino, né quilança?

    • Souzza,

      Eu tinha um comentário pronto sobre a “sigla” que Alfinete publicou, que teria sido algo absurdo contra o Mediador, CASO levássemos a sua tradução mediante o que pensamos inicialmente.
      Antes de eu postar a minha impressão, Alfinete explicou o que quis dizer.
      Se verdade ou não, ele foi claro em dizer que jamais pensaria no que imaginamos que fosse.
      Fazer o quê?

      Basta de encrenca, briga desnecessária, ofensas, insultos … já encheu o saco.

      Portanto, diante da minha admiração por ti, uma relação amistosa legal que temos, deixa prá lá.
      Segue postando teus textos, e deixes de te importar com besteiras.
      Se o Newton não se incomodou, a ponto de nada ter publicado, evidente que não seríamos nós a tomar-lhe as dores, lá pelas tantas, forçando uma expressão que Alfinete disse que era diferente das críticas que recebeu no dia.

      Enfim, eis mais um dos sintomas pérfidos da ideologia;
      Mais uma demonstração do quanto nos envolvemos estupidamente com uma política deletéria, deplorável;
      Mais um momento perdido em ofensas ou indiretas, na defesa daqueles que nos roubam, exploram e manipulam!

      Abração.
      Saúde e paz.
      Te cuida, meu!

      • Boa noite, querido Bendl! Faltou “sagacidade do CN, pelo conjunto da obra (depois de velho, ele tem preguiça de ler). Já não sabe diferenciar o que é contexto e pretexto. E la nave va… Um grande abraço, meu amigo!

      • Caro Bendl,
        hoje assisti uma live em homenagem aos 16 anos da morte de Leonel Brizola. Ele pode ser acusado de tudo, de ter sido um demagogo, etc.. Mas por uma coisa não pode ser criticado. O de não entender e principalmente, de não colocar ações concretas em favor da educação. Se há um legado que o mesmo deixou, é o da importância e da compreensão que só a educação poderia fazer o nosso país sair do subdesenvolvimento.
        Infelizmente, fomos perdendo ao longo do tempo essa premissa. Um abraço, saúde e vida longa.

        • Vidal, meu caro amigo e conterrâneo,

          Não é por nada que na Educação não temos sequer outro governante, além de Brizola, que podemos dizer que tenha feito algo nessa área.
          Não existe!

          Brizola sabia que a nossa verdadeira independência estaria no estudo, que abriria as portas para o desenvolvimento social, econômico, e até político.

          Mas, o conhecimento também traria para o cidadão senso crítico, capacidade de discernimento, sem a necessidade de formadores de opiniões.

          Logo, o brasileiro deixaria de ser tão roubado, explorado e manipulado, condição que, absolutamente, o governo não quer que aconteça!

          Abração.
          Saúde e paz.
          Te cuida, meu!
          (acabei de ouvir que, passamos de 50.700 mortes por conta da pandemia, e nós sem ministro da Saúde)!!

          • É Bendl,
            com um ministro interino permanente na saúde, sem ministro da educação (mas acho que o que saiu não faz falta), com a secretaria de cultura ocupada por uma pessoa, cujas credenciais são somente ser um ativista das redes sociais em prol do presidente. Estamos mal, amigo Bendl.
            Abração.

  2. Essa notícia mudou meu dia… sqn
    Bolsonaro foi fazer média com os praças e suboficiais.
    Como sempre, busca nos braços do seu eleitorado a proteção contra um processo legítimo de impedimento ou mesmo de crimes, inclusive contra a humanidade, por ele e sua turma praticados.

    • É verdade…Interessante, estudei na Celso Suckow da Fonseca em 1979 (desenho mecânico) e saí em 1980 (fui para um convênio – CPS ) e cursei Biologia. Fui obrigado a deixar a Faculdade por um emprego no Banco Itáu). Bons tempos…

  3. Quantas morreram de covid no nosso Brasil e não comoveram Bolsonaro não tem conta. Sua resposta aos parentes e amigos dos combalidos sempre foram “e dai, eu não sou coveiro”. Um ser que se porta como ele, sem empatia e compaixao, merece o desprezo de todos nós.

  4. Essa ida de Bolsonaro a velório de um militar nada mais é do que uma maneira de bajular os militares num momento em que ele perde milhões de apoiadores a cada semana, com seu péssimo governo, atitudes neofascistas, indícios de crimes vindo à tona em avalanches, e atuação genocida em relação à epidemia por Covid-19.

    Obviamente essa viagem infame aumenta ainda mais a revolta dos cidadãos com o presidente.

    Com ou sem bajulações a militares, o fim de Bolsonaro na presidência está cada vez mais próximo, para o bem do país.

  5. Lamentável que nenhum serviçal graduado de Bolsonaro coloque na cabeça dele que o uso da máscara ajuda a preservar vidas. Reitero : quem não quer usar máscara e quer morrer, que morra, mas não matem os outros.

  6. É mais fácil pegar o coronavírus entre os políticos e jornalistas que dentro de uma Brigada de Paraquedistas.
    Eu não uso mascaras, só onde é obrigatório, se funcionasse médicos e enfermeiros não se contaminavam.
    No funeral, Bolsonaro, ex paraquedista, cumprimentou amigos e familiares do militar
    no 26° Batalhão de Infantaria Paraquedista, e a imprensa não foi autorizada a entrar no local.
    Eu acho que foi por assepsia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *