Bolsonaro protesta contra ‘cerco jurídico’ e discute com ministros a prisão de Queiroz

Bolsonaro: Está chegando a hora de colocar tudo em seu lugar

Hoje, Bolsonaro nem parou no Alvorada para entreter o público

Gustavo Uribe
Folha

Com a prisão do policial militar aposentado e seu amigo Fabrício Queiroz, o presidente Jair Bolsonaro afirmou a aliados nesta quinta-feira (18) que o Judiciário tem tentado construir um “cerco” político com o objetivo de tirá-lo do cargo. Segundo relatos de assessores palacianos, o presidente considerou que não foi uma coincidência o fato de, na mesma semana, terem sido feitas buscas e apreensões contra aliados, no âmbito do inquérito que corre no STF (Supremo Tribunal Federal) sobre atos antidemocráticos, e prendido, via decisão judicial do Rio, seu amigo Fabricio Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

O mandado de prisão de Queiroz foi expedido pela Justiça do Rio de Janeiro, a pedido do Ministério Público do estado, que coordena a operação. Ainda não houve denúncia, e a suspeita é de interferência de Queiroz nas investigações, por isso a prisão preventiva — ele não era considerado foragido.

REUNIÕES NO PLANALTO – Nas conversas reservadas desta quinta-feira, Bolsonaro se queixou, de acordo com relatos feitos à Folha, de que estão tentando a todo custo encontrar alguma evidência que o prejudique, mas ressaltou que reagirá ao que chamou de “cerco jurídico”.

Nesta quinta-feira, o presidente se reuniu com os ministros militares para discutir uma estratégia de reação. Conforme noticiou o Painel, o ministro da Justiça, André Mendonça, também foi chamado. O ministro-chefe da AGU (Advocacia-Geral da União), José Levi, foi convocado posteriormente.

No governo, há tanto quem defenda que o presidente deve reagir publicamente à prisão do amigo, com uma crítica dura ao Judiciário, como há assessores que acreditam que ele deve deixar a resposta oficial para a defesa de seu filho, tentando, assim, se afastar do episódio.

PEÇA NO TABULEIRO – Flávio afirmou que a prisão do ex-assessor é “mais uma peça movimentada no tabuleiro” para atacar seu pai. “Encaro com tranquilidade os acontecimentos de hoje. A verdade prevalecerá! Mais uma peça foi movimentada no tabuleiro para atacar Bolsonaro”, escreveu em rede social.

O receio, sobretudo na cúpula militar, é que, ao se posicionar, Bolsonaro reforce ainda mais o seu vínculo com Queiroz e com o advogado Frederick Wassef. O policial aposentado foi preso em Atibaia em um imóvel de Wassef, que é advogado do presidente.

###
NOTA DA REAÇÃO DO BLOG
Bolsonaro vai reagir??? Só se for mais uma Piada do Ano. Ele não tem como reagir. Ao demitir o então ministro Sérgio Moro, Bolsonaro pensou (?) que poderia dominar a Polícia Federal. Foi um engano, ninguém controla a PF, que auxiliou a Polícia Civil a prender Queiroz e agora está atrás de Márcia, a mulher de ex-assessor, que revelou a uma amiga que Queiroz continuava dando ordens no esquema de Flávio Bolsonaro. Quanto ao próprio Queiroz, a esperança da Polícia é que ele cante como um passarinho. (C.N.)

13 thoughts on “Bolsonaro protesta contra ‘cerco jurídico’ e discute com ministros a prisão de Queiroz

  1. carta de despedida do então Presidente Jãnio Quadros,

    “Fui vencido pela reação e assim deixo o governo. Nestes sete meses cumpri o meu dever. Tenho-o cumprido dia e noite, trabalhando infatigavelmente, sem prevenções, nem rancores. Mas baldaram-se os meus esforços para conduzir esta nação, que pelo caminho de sua verdadeira libertação política e econômica, a única que possibilitaria o progresso efetivo e a justiça social, a que tem direito o seu generoso povo.
    “Desejei um Brasil para os brasileiros, afrontando, nesse sonho, a corrupção, a mentira e a covardia que subordinam os interesses gerais aos apetites e às ambições de grupos ou de indivíduos, inclusive do exterior. Sinto-me, porém, esmagado. Forças terríveis levantam-se contra mim e me intrigam ou infamam, até com a desculpa de colaboração.
    “Se permanecesse, não manteria a confiança e a tranqüilidade, ora quebradas, indispensáveis ao exercício da minha autoridade. Creio mesmo que não manteria a própria paz pública.
    “Encerro, assim, com o pensamento voltado para a nossa gente, para os estudantes, para os operários, para a grande família do Brasil, esta página da minha vida e da vida nacional. A mim não falta a coragem da renúncia.
    “Saio com um agradecimento e um apelo. O agradecimento é aos companheiros que comigo lutaram e me sustentaram dentro e fora do governo e, de forma especial, às Forças Armadas, cuja conduta exemplar, em todos os instantes, proclamo nesta oportunidade. O apelo é no sentido da ordem, do congraçamento, do respeito e da estima de cada um dos meus patrícios, para todos e de todos para cada um.
    “Somente assim seremos dignos deste país e do mundo. Somente assim seremos dignos de nossa herança e da nossa predestinação cristã. Retorno agora ao meu trabalho de advogado e professor. Trabalharemos todos. Há muitas formas de servir nossa pátria.”

    Brasília, 25 de agosto de 1961.

    Jânio Quadros”

  2. O presidente não deveria se preocupar, pois ao fim a “verdade prevalecerá”. “Não pode é esticar a corda”! Do contrário haverá “consequências imprevisíveis”!
    Ai,ai, esses amadores…

  3. Vai ser uma verdadeira sinfonia brasileira:

    – Queiroz cantando com um passarinho, o gado bolsonarista mugindo, e os microfones amestrados passando panos.

  4. Agora a coisa ficou realmente totalmente fora de controle.
    Uma catadupa de notícias.
    Difícil analisar todas.
    Realmente é melhor aguardar!

  5. Queiroz ‘teme pela vida’ e deveria ir para presídio da PM, diz advogado.
    Eu também acho. Não só ele deveria ir para o presídio da PM, mas os outros presos também. Ou não há equidade no nosso sistema, ou há algum poderoso protegendo-o? Mistério!

  6. Se Fabrício continuar leal ao pacto faccioso, celebrado e assinado a sangue com Flávio, ele contará com três fontes libertárias, em seu favor:
    -Dinheiro público via Flávio;
    -Grana das facções, tendo o senador também como ponte;
    -A influência do patriarca da Familícia Bolsonavírus, embora já moribunda.
    Porém, se Queiroz, na ansiedade de querer ver-se livre, logo, e começa a entregar geral; aí corre o risco de sofrer um suicídio terceirizado na prisão!

  7. Weintraube não serve para ser ministro do governo Bolsonaro mas vai nos representar no World Bank.
    Depois não reclamem de chamarem o país de Banana Republic.

  8. Em que consiste o “auxílio” da Polícia Federal na prisão do Queiroz?
    Que eu saiba, nenhummmm
    A Tribuna da Imprensa está supondo coisas?
    Qual a fonte?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *