Bolsonaro quer Sergio Moro no Ministério da Justiça ou no Supremo

Jair Bolsonaro (PSL) durante entrevista ao Jornal Nacional Foto: Reprodução/TV Globo

Bolsonaro deu entrevistas a cinco emissoras de TV

Marco Grillo
O Globo

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou nesta segunda-feira que vai convidar o juiz Sergio Moro para ocupar o Ministério da Justiça ou uma das vagas no Supremo Tribunal Federal (STF) que serão abertas durante o seu mandato, com a aposentadoria de ministros — a escolha, segundo Bolsonaro, caberá ao magistrado. A interlocutores, o juiz diz que não descarta participar do governo Bolsonaro .

O futuro governante, que concedeu entrevistas ontem para cinco emissoras de televisão (TV Globo, Record, SBT, Band e RedeTV!), defendeu ainda que pelo menos um trecho da reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer seja aprovado pelo Congresso. 

SEM OPORTUNISMO – Bolsonaro afirmou que vai convidar o juiz Sergio Moro para ocupar uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF) ou o Ministério da Justiça. O presidente eleito ainda não procurou o magistrado, mas ressaltou que quer agendar a conversa em breve. Pelo menos duas vagas na Corte serão abertas nos quatro anos de mandato do capitão da reserva, com as aposentadorias compulsórias dos ministros Celso de Mello e Marco Aurélio Mello.

— Se tivesse falado isso lá atrás, soaria oportunista. Pretendo sim (convidar Moro) não só para o Supremo, como quem sabe até para o Ministério da Justiça. Pretendo conversar com ele, saber se há interesse e, se houver interesse, da parte dele, com toda certeza será uma pessoa de extrema importância em um governo como o nosso — disse Bolsonaro.

PRESIDÊNCIA DA CÂMARA – O presidente eleito também defendeu que o próprio partido, o PSL, não ocupe a presidência da Câmara na próxima legislatura. Ele, no entanto, evitou se comprometer com a defesa da recondução de Rodrigo Maia (DEM-RJ), que já começou as articulações para permanecer mais dois anos no posto.

— O que tenho falado para a minha bancada é que eu gostaria que não lutássemos pela presidência da Câmara. Seria um gesto de humildade da nossa parte, porque queremos que todos participem do governo. Não posso falar que sou (favorável à recondução de Rodrigo Maia). Tem vários nomes ali. O presidente não pode entrar nessa briga. O que tenho dito é que houvesse uma compreensão e que o PSL ocupasse uma função na mesa (diretora), não a presidência.

COM TEMER – Bolsonaro vai a Brasília na semana que vem conversar com o presidente Michel Temer e defendeu que ao menos um trecho da reforma da Previdência seja aprovado pelo Congresso. Nesta segunda-feira, no entanto, o futuro ministro da Casa Civil, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), criticou a proposta sobre a Previdência apresentada pelo atual governo e afirmou que as mudanças devem ocorrer de uma vez só.

—Buscaremos aprovar (este ano) alguma coisa, como reforma da Previdência. Se não tudo, alguma parte, pois evitaria problemas para o futuro governo.

Sobre as agressões recentes contra homossexuais, o presidente eleito afirmou que os atos precisam ser punidos de forma severa. “A agressão contra um semelhante tem que ser punida na forma da lei e, se for por motivo como esse (em função da orientação sexual), tem que ter pena agravada” — afirmou.

HOMOFÓBICO – Bolsonaro afirmou que ganhou o rótulo de homofóbico por ter se posicionado contra a divulgação pelo governo de materiais contra a homofobia, o que o presidente eleito chamou de “kit gay”. Ele citou novamente o suposto “9º Seminário LGBT Infantil” que teria sido organizado na Câmara para discutir o assunto. A informação é falsa, conforme já mostrou o “Fato ou Fake”, blog de checagem do Grupo Globo. O que foi realizado foi o “9º Seminário LGBT no Congresso Nacional”, evento organizado atualmente.

Depois de uma eleição bastante polarizada, Bolsonaro fez um aceno para os eleitores que não o apoiaram durante a eleição: “Quero dizer a todos vocês que não votaram em mim que nós estamos no mesmo barco. Se o Brasil não sair dessa crise ética, moral e econômica, todos nós sofreremos as consequências do que se aproxima. Temos tudo para sermos uma grande nação. O que falta é união de todos”.

SEGURANÇA E ARMAS – Jair Bolsonaro voltou a defender que a Câmara aprove o excludente à ilicitude para evitar que policiais sejam responsabilizados por crimes cometidos em serviço e disse que os bandidos serão responsabilizados “pela lei ou sendo abatidos”:

— Quem está à margem da lei tem que entender que, fazendo algo errado, ele vai ser responsabilizado, quer seja na lei ou quer seja sendo abatido. Não podemos cada vez mais deixar que a bandidagem fique à vontade, sabendo que a lei está muito mais do lado dele, do que do lado de quem está defendendo o Estado.

Além das mudanças no Estatuto do Desarmamento, facilitando a posse de armas, o presidente eleito foi além e defendeu a flexibilização do porte — o que permite aos cidadãos saírem de casa com o armamento. Hoje, a legislação praticamente proíbe o porte, que está restrito a casos muito específicos.

CAMINHONEIROS – O porte de arma de fogo tem que ser flexibilizado também. Por que um caminhoneiro não pode ter porte de arma de fogo? Ao reagir se alguém estiver furtando ou roubando seu estepe, o caminhoneiro armado vai dar exemplo para a bandidagem: atirou, o elemento foi abatido em legitima defesa, ele (caminhoneiro) vai responder, mas não tem punição. Vai diminuir a violência, com toda certeza — defendeu Bolsonaro.

O presidente eleito defendeu, em um primeiro momento, a redução da maioridade penal para 17 anos. Bolsonaro afirmou que luta pelo tema desde que se elegeu deputado federal há 28 anos, mas disse que nunca teve êxito porque a esquerda sempre teve força no Congresso e barrava a proposta. “— Se não for possível (a redução da maioridade penal) para 16 anos, que seja 17. Como futuro presidente, se tiver resultado, podemos tentar 16. Eu gostaria que fosse 14, mas com 14 anos a chance é quase zero de ser aprovado”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGMoro não se manifesta sobre o convite que Bolsonaro fará a ele para ser ministro da Justiça ou então do STF. “Não tem comentário. Vou ficar devendo”, disse ele à colunista Mônica Bergamo, da Folha, na segunda-feira (29) por telefone. Questionado se já foi procurado por emissários do presidente eleito, voltou a repetir: “Vou ficar devendo”. (C.N.)

32 thoughts on “Bolsonaro quer Sergio Moro no Ministério da Justiça ou no Supremo

  1. Jovem bolsonarista desafia PM para duelo e é morto com dois tiros no Piauí

    “Essa negraiada vai morrer!”, diz londrinense em vídeo ao votar em Bolsonaro

    Roberto Jefferson celebra eleição de Bolsonaro: ‘a vitória é nossa’

    Eleitor de Bolsonaro posa com arma no Facebook e ameaça: “está com medo, petista safada? É a nova era”

    Professores e jornalistas são alvos de repressão por apoiadores de Bolsonaro

    Jornal holandês saúda eleição de Bolsonaro com suástica verde e amarela

    Jornalistas são agredidas enquanto cobriam festa no comitê de Bolsonaro

    Deputada de SC convoca estudantes a “denunciarem” manifestações políticas de professores

    Bolsonaro já havia convocado alunos a gravarem “professores doutrinadores”

    Ministério Público vai apurar ‘canal de denúncias’ contra professores criado por deputada do PSL

    MPF em Chapecó recomenda que instituições de ensino não permitam assédio moral a professores

    Eleitor de Bolsonaro toma batida da PM, apanha em nome de Bolsonaro e conta seu “arrependimento de ter votado nele”

    https://goo.gl/189z96

    Bem vindo a selva de Bolsonaro.

    • O texto acima, do Alex Cardoso, é do blog sujo Diário do Centro do Mundo, que não tem qualquer credibilidade, porque sempre viveu de verbas imundas oriundas da quadrilha lulopetista para fazer jornalismo chapa branca.

      Bolsonaro venceu. Mas os derrotados podem escolher entre trabalhar ou chorar. Só que esta última opção não leva a lugar algum.

    • Alex! Se você quisesse ser honesto, consigo mesmo, poderia ter procurado frases que contivessem elogios ou valorações que à estrutura do presidente eleito. Basta você perceber que a maioria dos eleitores brasileiros não deram a mínima importância às frases que seu instinto escolheu… É pelo livre arbítrio que se escolhe o bem ou o mal e são os nossos arquivos empedernidos que direcionam tal escolha…

  2. Eu ia responder as mentiras de Alex Cardoso, incurável no seu sectarismo doentio pelo PT, mas não vale mais a pena.

    Deixá-lo choramingar sem qualquer contestação será o seu castigo.

    Concordo com o dr.Béja.

    Moro, se aceitar o convite de Bolsonaro, deve escolher o STF, e não o Ministério da Justiça, conforme explicou o nosso eminente advogado.

    Moro, se levado à Alta Corte pelo novo Presidente, começará uma nova era naquele Tribunal, levando consigo não só seus conhecimentos profundos sobre leis, mas a sua isenção, imparcialidade, a sua ética e moral indiscutíveis.

    Tomara que se realize essa possibilidade, e Sérgio Moro seja o próximo ministro do Supremo!

  3. O agora eleito insiste na exótica excludente de ilicitude… que não existe em nenhuma legislação penal – ao menos de país sério.

    Está a criar uma licença para matar em serviço com a tão somente possibilidade ou sentimento pessoal da existência de uma ameaça segundo juízo subjetivo do próprio agente, sem lógica e proporcionalidade que deve guardar os atos estatais, segundo a Constituição os atos estatais, portanto eis que uma legislação com norma do tipo será declarada inconstitucional…

    O que existe: estado de necessidade, legítima defesa e exercício regular de um direito, como, ainda, as excludentes de culpabilidade, bastam!

  4. Os petistas lembram aquelas crianças mimadas que nao sabem perder, e ao primeiro sinal de derrota, pegam a bola, acabam o jogo, e vão se esconder embaixo da saia da mãe.
    Aprendam a perder dignamente, petralhada dos infernos!!!!

  5. O presidente Bolsonaro também deveria considerar o juiz De Santis e anistiar o delegado Protógenes Queiroz. são pessoas que, a seu tempo, combateram sozinhas a corrupção no Brasil.

  6. Bom dia! Moro só tem a ganhar ficando calado. Ajudará bem mais no STF. Caso surja uma vaga no STJ antes, pode fazer uma breve “escala” por lá. TODOS os tribunais superiores estão aparelhados e/ou contaminados em função dessa verdadeira desgraça que são as indicações políticas sem que haja minimamente a capacidade técnica exigida. Vide o MEDÍOCRE do Dias Tofolli!!!1

  7. Temer ainda quer ser Temer. Deveria se manter longe das decisões polêmicas e não tentar pegar carona na popularidade do recém eleito. Isso vale também para o eleito em não se deixar receber o “abraço de afogado” de Temer. Reforma da previdência é coisa muito séria e não brincadeira em que se esconde o que não pode dizer. Temer tem credibilidade zero e sua equipe mostrou que não ganha nem do voto em branco nas eleições, deveria entender sua importância para a nação, que por questão de justiça, nem representante deveria ser. Colocar sua viola no saco e pedir licença. Isso antes que acabe sendo linchado nas ruas. Que ele leve isso a serio. Não deveria mais brincar com a paciência do povo. As eleições comprovam, este mudou.

  8. No STF ou STJ Moro estará impedido de votar nos processos que julgou na lava-jato.
    Como Ministro da Justiça ele poderá nomear pessoas que não irão bloquear as investigações e impedir os ataques políticos e jurídicos tentando libertar os condenados.
    O STF é para depois, quando a creolina tiver sido usada e a desinfecção do país estiver avançada.
    Se Ministro da Justiça não é importante porque lula e dilma se debatiam tanto para indicar Aragão, Cardozo e outros apaniguados petistas? Além de Thomas Bastos e Tarso Genro, que jogavam com a camisa do PT por debaixo do terno.

  9. Por falar em malucos. Joaquim Barbosa, o carrasco do PT, mostra para que foi nomeado por Lula ao STF. Quando ajudou ao povo a destravar o Mensalão do PT, recebeu todo carinho e apreço que fez por merecer de seu povo, mas agora perde e muito de sua popularidade ao atacar Bolsonaro e se posicionar favorável a quem mais o atacou, durante e depois do Mensalão.

  10. MORO AO LADO DE BOLSONARO, será o fim da Lava Jato. Ajoelhou tem que rezar, agora temos que ir até o fim do $istema podre. Ainda está tudo por fazer, a limpeza do Brasil ainda é uma criança. Agora, mais do que nunca, temos que ser, todos, liberdade plena de expressão, na veia, sem a qual não há verdade, não há esperança, não há libertação e não há Solução.” Os podres poderes mundiais”, a República 171 temerária do Brasil, e os seus cinco poderes temerários, executivo, legislativo, judiciário, midiático e econômico. ERA SÓ O QUE ESTAVA FALTANDO, A TAMPA DA PANELA, a confissão pública de que foi tudo marmelada, forjada por instituições aparelhadas e usadas como trampolim de fariseus espertalhões, nada a ver com o novo de verdade que precisa ser estabelecido, mas, isto sim, tudo a ver com o velho que já morreu, e que urge ser sepultado. Moro e a Lava Jato acenas acenavam para o novo de verdade, mas, a confirmar a adesão ao velho que já morreu, restará claro que flertava mesmo e mantinha aliança com o velho que já morreu, soando como cobrança de fatura a declaração feita pela esposa de Moro, direto do cristo redentor do Rio de Janeiro, via Twitter, dizendo-se “Feliz” com a eleição de Bolsonaro, logo após o anúncio do resultado das eleições. Aliás, por falar em Rio de Janeiro, um estado dominado pela corrupção e criminalidade em geral, vergonha nacional da federação falida, deveria fazer um imenso favor ao Cristianismo: tirar a estátua do Cristo Redentora de lá, jogá-la ao mar, e colocar em seu lugar a estátua do Sataná$, porque é com o dito-cujo que o Rio de Janeiro parece pactuado, infelizmente e desgraçadamente. https://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2018/10/30/sergio-moro-na-pasta-da-justica-seria-absurdo/?fbclid=IwAR1ueKpqusa3Dq2MG5xXERpkV70tLFrAQPm2imeXFGvEzk4gbLXuMcQTIPY#co

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *