Só há uma explicação: Bolsonaro está quieto porque recebeu ordens superiores

Congresso já derrubou nove MPs de Bolsonaro esta ano - Política - iG

Eis  o maior mistério do país: quem conseguiu acalmar Bolsonaro?

Carlos Newton  

Recentemente lançamos um concurso aqui na Tribuna da Internet, para saber por quanto tempo o presidente Jair Bolsonaro manterá essa linha “Ternura”, sem defender golpe de estado, dizer asneiras ao encontrar admiradores fanáticos diante do Palácio do Planalto ou afrontar os outros Poderes da República.

Realmente, esse comportamento exemplar do presidente da República provoca muita incerteza, porque Jair Bolsonaro decididamente não é assim, sua postura atual nada tem a ver com o procedimento que vem adotando desde que assumiu o governo.

NÃO É A COVID – É bom ressalvar que não se pode atribuir essa mudança de hábitos ao fato de ter contraído a covid-19. Isso ocorreu antes de ter sido contaminado e perdura até agora.

Essa  insondável calmaria ocorre justamente quando se agrava a situação do filho Flávio, o senador, cujas investigações estão avançando perigosamente, assim como aumenta o cerco ao chamado “Gabinete do Ódio”, que pode incriminar os três filhos, que agem em conjunto na disseminação de “fakes news” e assassinato de reputações, exatamente como o PT procedia quando estava no poder.

Ao mesmo tempo, só falta o depoimento do presidente para fechar o inquérito sobre as interferências na Polícia  Federal, que acumula provas contra Sua Excelência, inclusive o testemunho que o general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional, prestou contra ele.

PAZ INFINITA – Com tanto problema grave ocorrendo simultaneamente, sem falar no inquérito do Supremo sobre “fake news” e na CPI Mista do Congresso que também apura o assunto, parece que o mundo desabou, mesmo assim Bolsonaro mantém uma paz infinita, essa postura zen budista de fazer inveja ao Dalai Lama.

Em tradução simultânea, deve ter acontecido algo de muito grave com o presidente. Pode ter escorregado no mármore do banheiro do Alvorada e batido com  a cabeça na privada; pode ter tomado Haldol ao invés de Rivotril; pode ter recebido um passe fora da curva de algum desses gurus que infestam Brasília…

São diversas hipóteses, ninguém sabe o que foi, mas algo de muito estranho aconteceu com Jair Messias Bolsonaro.

ORDENS SUPERIORES – Como se trata de um militar de carreira, que sempre se orgulhou de suas origens castrenses, só pode haver uma explicação – ele recebeu ordens superiores. E onde se lê superiores, por favor mudem para Alto Comando do Exército. No Brasil, não há nada superior a essa instituição, que informalmente exerce o famoso Poder Moderador.

Ao que parece, Bolsonaro levou um ultimato para ficar quieto, deixar o general Braga Netto governar com apoio da ala militar e não permitir interferência dos filhos nem do guru virginiano. Acredite se quiser.

###
P.S. – Resta saber por quanto tempo vai durar essa fase zen budista do presidente. Façam suas apostas. (C.N.)

22 thoughts on “Só há uma explicação: Bolsonaro está quieto porque recebeu ordens superiores

  1. NÃO SEI O QUE ESTÁ ACONTECENDO. NUNCA VOTEI EM BOLSONARO E NUNCA VOTEI NO PT. PARA MIM SÃO PARA O PAÍS O MESMO QUE O CORONAVID É PARA O MUNDO: UMA PRAGA PESTILENTA. E OS CULPADOS SÃO OS ELEITORES, QUE VOTAM MUITO MAL !!!!!!!
    E OS PRINCIPAIS CULPADOS SÃO OS ELEITOS, QUE FAZEM UM PÉSSIMO GOVERNO E DESDENHAM TOTALMENTE DA EDUCAÇÃO, FATOR DE IMPORTÂNCIA PRIMEIRA PARA O DESENVOLVIMENTO DE QUALQUER POVO.

  2. Bolsonaro tem que ser estudado pela NASA!

    Mesmo tendo sido confirmado, pelo Hospital das FFAA que ele foi contaminado pelo coronavírus, 40 pessoas que estiveram com ele, testam negativo para COVID 19.

    Aparentemente, ele não transmite o coronavírus.

    Deve ser a condição atlética do PR:

    • Até os assintomáticos transmitem o coronavírus.
      Como tudo com o PR é envolto em mistérios …
      … será mais um caso a estudar.
      Talvez o Ministro da Saúde Pazuello possa explicar – ou não?

  3. Vi na TV que alguns animais se fingem de mortos quando subjugados e em perigo. A cobra é um deles.
    Não estou certo se a espécie a que pertence o presidente tem o mesmo comportamento, mas é o que aparenta no momento.

  4. Eu não se é o seu ou de outro comentarista que faz contraponto (eu sou péssimo em guardar nomes); mas, percebi que alguns comentários, que desmascaram a esquerda, estão sumindo.
    `
    PS: Comentarios sem xingamentos, apenas com desmascaramentos.

    • Prezado Newton,

      Os comentários da piadinha são fracos, destituídos de conteúdo, e contendo muitos erros gramaticais.

      Diante da superficialidade de suas postagens, eu arriscaria a idade de Rosana, seu nome verdadeiro:
      uma menina entre 22 a 26 anos de idade.

      Apesar de adulta, mulher feita, como se dizia antigamente, a mente é muito juvenil, facilmente manipulada, pois sem qualquer lapidação da vida e experiência adquirida, em decorrência, que lhe acrescentariam maturidade.

      Uma jovem embevecida com o serviço prestado a gente má, maus cidadãos e péssimos brasileiros.

      Espero que aprenda o quanto antes que deve respeitar as diferenças em todas os segmentos da sociedade e entre as pessoas, caso contrário, posso afirmar que será uma mulher infeliz, algo impensável para o gênero feminino, diante da sua superioridade intelectual e física sobre o homem!

      Rosana está se deixando humilhar de maneira inaceitável, e poderá pagar um preço elevado pela falta de discernimento.

      Abração.
      Saúde e paz.
      Te cuida, meu!

    • Não. E ainda a vagabundagem quer acabar com o anonimato de pessoas simples; sendo que está grande medica, está sendo perseguida, só por não comer no coxo esquerdista, ao defender as pesquisas feitas com cloroquina.

      PS: Enquanto a OMS apaga as pesquisas feitas com cloroquina, vocês perseguem quem as divulga.

  5. As relações entre robôs e a TI era uma espécie de rolo de papel higiênico:
    A cada cagada do pessoal e ia diminuindo, até chegar ao fim.

    Até que durou muito, dando a entender que a metragem era maior que a costumeira ou, então, alguns sequer usavam o produto, pois apenas puxavam as calças para cima.

    Enfim, os “minions bolsonaristas” esqueceram que há sempre um ônus a ser pago, que ninguém vive impunemente as delícias dos extremos.

    Se o anonimato permite o “livre trânsito” pelas redes sociais, precisa o anônimo ter consciência que pode ocasionar uma reação de o seu e-mail ser publicado, ainda mais se as ofensas, insultos e acusações não forem procedentes contra o alvo escolhido.

    E foi este caso na TI, de o Mediador ser tão agredido – e não foi por falta de aviso! -, ainda mais por robôs, que tomou a decisão de publicar seus e-mails.

    Em outras palavras:
    Não eram postados os pensamentos dos anônimos, mas o que mandavam que publicassem; não eram críticas ao blog, mas tentativas de desqualificá-lo e até tirá-lo de circulação; não eram registrados os contraditórios, porém a intenção escancarada de tirar alguns comentaristas do blog porque ferinos nas suas palavras contra o governo federal.

    “Não há mal que sempre dure e muito menos bem que nunca acabe.”

    A lamentar, que cidadãos desse país se prestam para esse tipo de serviço venal, rasteiro, solerte.
    Que todos nós precisemos nos sustentar, ganhar dinheiro, proporcionar saúde e educação aos filhos, tais obrigações são indiscutíveis.
    No entanto, essas “tarefas” são contra o povo e país! Trata-se de uma traição à nação e à pátria!
    Há limites que devem ser preservados pela ética, pela moral, mediante um caráter forte e resistente às tentações.

    Os robôs demonstraram – alguns, especialmente – que sequer se importam consigo mesmos, que não dão importância sobre o que estão fazendo e, que neste Brasil, tudo vale e tudo pode.
    Mas não é como pensam e queriam, pois do outro lado existem pessoas que agem e entendem diferente, e foi exatamente a desconsideração pelo respeito ao próximo, que ocasionou a reação do Mediador.

    Diga-se de passagem, uma medida que apoio e concordo, até porque não me interessam seus endereços eletrônicos, haja vista que nada vou ganhar enviando mensagens para essas pessoas, pelo contrário, perderei tempo.

    Espero que tenham aprendido.
    Jamais a TI se opôs ao contraditório, à oposição, ao debate entre seus comentaristas.
    Nunca antes vi esse blog agradar correntes ideológicas ou políticas, religiosas ou filosóficas.
    Se o Mediador se declara comunista, muito menos a sua escolha pelo regime influenciou as suas postagens ou temas publicados na TI diariamente. Trata-se da sua convicção pessoal, do seu discernimento, do seu conhecimento, que não interessa a ninguém.

    Dito isso, deploro a reação ainda desaforada, mal educada e desrespeitosa da robô piadinha, que passei a desconfiar que era mulher quando me criticava veementemente pelo registro que eu fazia da beleza da Andréia Sadi.

    Ué, pensava eu com os meus botões, os comentaristas estão concordando comigo, então por que a reação da piadinha como se fosse para ela que eu estivesse me dirigindo?!

    Quando Newton publicou o e-mail da piadinha, minhas dúvidas se confirmaram.
    Mas, confesso, me surpreendi com uma mulher fazendo esse trabalho indigno, pois assim o considero!
    Se uma pessoa que nunca me viu, não me conhece pessoalmente, nada sabe da minha vida e, volta e meia, insultava e ofendia a minha família, decididamente isso é conduta de homem sem caráter, covarde, safado, jamais de uma mulher!
    Me enganei, lamentavelmente.

    Os tempos são outros com Bolsonaro, e para piores!

    • De acordo com a minha índole, Rosana, depois que eu soube que tu és mulher encerrei as discussões contigo.

      Porém, não me desafias, pois tenho, sim, as tuas ofensas aos meus filhos, apesar de Newton as ter deletado.

      Quanto ao nome Rosana pertencer a uma das mulheres da tua vida, nada contra o homossexualismo feminino ou masculino.
      O negócio é ser feliz, desde que não seja machucando outras pessoas para essa intenção se realizar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *