Bolsonaro tem a pior avaliação no início de governo eleito, aponta CNI/Ibope

O presidente Jair Bolsonaro em cerimônia no Palácio da AlvoradaFoto: SERGIO LIMA / AFP

Pesquisa do Ibope confirma os números anteriores do Datafolha

Eduardo Brescini
O Globo

O governo Jair Bolsonaro tem a pior avaliação para o início de um governo eleito desde a redemocratização segundo os dados da pesquisa Ibope, contratada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgada nesta quarta-feira. De acordo com os dados, 35% consideram a gestão ótima ou boa, 31% como regular e 27% como ruim ou péssimo. Primeiro presidente eleito pelo voto direto após a ditadura militar, Fernando Collor tinha 45% de avaliação ótima ou boa, em maio de 1990, Fernando Henrique registrou 41% em março de 1995, Luiz Inácio Lula da Silva ficou com 51% em março de 2003 e Dilma Rousseff registrou 56% em março de 2011.

COMPARAÇÕES – A avaliação do governo Bolsonaro só é melhor do que do início das gestões Itamar Franco (34% em janeiro de 1993) e Michel Temer ( 4% em setembro de 2016), dois presidentes que assumiram após um processo de impeachment. O governo atual tem avaliação positiva pior do que Lula tinha ao iniciar o segundo mandato em 2007, 49%, mas melhor que Fernando Henrique (22% em março de 1999) e Dilma Rousseff (12% em março de 2011) após suas reeleições.

A pesquisa Ibope aponta que 51% aprovam a maneira de Bolsonaro governar, enquanto 40% desaprovam e 9% não sabem ou não responderam. Foram 51% também os que disseram confiar no presidente, enquanto 45% disseram não confiar e 4% não souberam ou não responderam.

Para 51% dos entrevistados o governo atual é melhor do que a gestão de Michel Temer, 31% consideram igual, 13% acham pior e 5% não souberam ou não responderam.

PRÓS E CONTRAS – A pesquisa atual mostra que 45% acreditam que o restante da gestão Bolsonaro será ótima ou boa e 23% que será ruim ou péssima. Antes da posse, em dezembro do ano passado, a pesquisa CNI-Ibope aponta que 64% dos entrevistados acreditavam que a gestão Bolsonaro seria ótima ou boa e 14% esperavam um governo ruim ou péssimo.

O gerente-executivo Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca, afirma que o fato de Bolsonaro ter a pior avaliação de início de um governo eleito decorre da própria forma com que o presidente chegou ao Planalto. Ele observa que o percentual atual de ótimo e bom, 35%, é próximo do que Bolsonaro tinha em pesquisas às vésperas do primeiro turno.

— Isso faz parte de como ele foi eleito. Se olhar as intenções de voto antes do segundo turno está parecido. Aquelas pessoas que não estavam engajadas desde o início com a sua agenda e votaram como voto de confiança a ele ainda não estão convencidos que seus anseios serão atendidos — afirmou Fonseca.

SEGURANÇA – De acordo com o levantamento a área de segurança pública é a mais bem avaliada da gestão atual, com 57% de aprovação e 40% de desaprovação. Entre as áreas apontadas, na econômica a “taxa de juros” é a que tem maior desaprovação, com 57%, ante 33% de aprovação.

O Ibope realizou uma outra pesquisa em março, sem ter sido contratada pela CNI. Naquele levantamento, 34% consideravam o governo ótimo ou bom, 34% regular e 24% ruim ou péssimo.

O Ibope entrevistou 2 mil pessoas em 126 municípios entre os dias 12 e 15 de abril. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o nível de confiança da amostra é de 95%.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A avaliação até que foi boa, para um governo que até agora só tomou duas medidas acertadas – o fim da contribuição sindical obrigatória, que vai pôr fim à república sindicalista de Dirceu e Lula, e a extinção dos conselhos e outros órgãos inúteis que inflam a máquina estatal. A terceira medida acertada, o pacote anticrime, todo mundo sabe que é da cota de Sérgio Moro. (C.N.)

18 thoughts on “Bolsonaro tem a pior avaliação no início de governo eleito, aponta CNI/Ibope

  1. -Também…
    -Só compararam o governo dele com governos de ladrões e de estelionatários! Se ele tivesse aberto as torneiras dos recursos públicos para esses institutos, teria tirado dez na avaliação.

  2. Pergunto a alguém de bom senso: alguém que participa deste blog, inclusive o Sr. Carlos Newton, acha que o epobi tem algum resquício de credibilidade?
    Gostaria de saber.
    Atenciosamente.

  3. Considerando que os números sejam verdadeiros, o que é pouco provável, o governo tem 61% de aprovação.

    Se eles divulgam 61% de aprovação, é porque o verdadeiro é bem maior, deve está em 70% fácil.

  4. Tem razão, o Alex Moura.
    Se fosse confiar nestas pesquisas, o Presidente do Brasil não seria quem é.
    É necessário verificar no detalhe diversas medidas que vêm sendo feitas para , então, se criticar.
    A divulgação do governo está fraca. Já comentei com o General Heleno, meu amigo.
    Vai haver mudanças e ajustes.

  5. Até que a pesquisa é favorável considerando que pelo IBOPE Jair Bolsonaro não é o Presidente da República:

    “Bolsonaro perde para Haddad, Ciro e Alckmin no 2º turno, diz Ibope”

    “Único candidato com quem o deputado federal empata é Marina Silva. No levantamento anterior, Jair Bolsonaro empatava com todos adversários”

    https://veja.abril.com.br/politica/bolsonaro-perde-para-haddad-ciro-e-alckmin-no-2o-turno-diz-ibope/

    ===> Gargalhadas!

  6. Mais uma realização do governo de Jair depois de 100 dias:

    fechamento de mais de 43 mil postos de trabalho no mês de março.

    A continuar assim… logo logo vai disputar com Temer quem tem o pior governo da história.

  7. Para o Ibope e Data Folha, Haddad é o presidente.
    Esses dois se fizerem uma pesquisa pra saber quem roubou mais em quatro meses de governo, Bolsonaro ou a Dilma, o resultado vai ser que o capitão roubou mais de cento e vinte por cento que a Dilma.
    Mâs a corte dos aloprados não vai querer saber o montante da Dilma, e irão fazer um gigantesca passeata para inocentar a dama dentuça.
    Ibope e Data Folha me lembra o Homer Simpson que alegava que a culpa era dele então ele a colocaria em quem quisesse.
    Esse Montenegro é o nosso Simpson macunaímico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *