Brasil no se interessou em sediar o Banco dos BRICS, mas todos os outros pases queriam

Flavia Villela
Agncia Brasil

O Banco e o Fundo do Brics, que esto sendo criados na sexta reunio de cpula do bloco, que termina hoje em Braslia, no sero competidores do Banco Mundial (Bird) nem do Fundo Monetrio Internacional (FMI), mas suplementares a essas entidades, segundo o embaixador Jos Alfredo Graa Lima, subsecretrio de Poltica do Ministrio das Relaes Exteriores.

Os financiamentos sero para projetos sustentveis e de infraestrutura. O banco suplementa o Bird e o arranjo de contingente de reservas espelha o FMI. Os pases do Brics tm propostas de reformas que no podem ser atendidas, especialmente pelo FMI. De certa maneira, a criao do arranjo contingente de reservas e do banco atende a essas necessidades, disse ele. O foco da participao do Brics est na responsabilidade em uma ordem mais justa, no para ter mais poder. Nos dias de hoje no importante apenas crescer, preciso crescer com melhor distribuio da renda, e disso que estamos justamente tratando na 6 Cpula do Brics, completou.

CAPITAL INICIAL

O capital inicial autorizado do banco ser US$ 100 bilhes e o capital subscrito do banco ser US$ 50 bilhes, igualmente distribudos entre os cinco pases que integram o Brics. O primeiro escritrio regional do banco ser na frica do Sul, a primeira direo da equipe de governadores ser da Rssia e a primeira direo da equipe de diretores ser do Brasil.

Depois da assinatura do acordo para sua criao, o banco ter que ser aprovado pelos Parlamentos dos cinco pases. O fundo ter capital inicial de US$ 100 bilhes para fazer face a desequilbrios nos balanos de pagamentos de algum dos pases do Brics que venha a enfrentar dificuldades.

A expectativa que outros pases em desenvolvimento tambm possam tomar emprstimos do banco, mas os critrios para tanto sero definidos em um segundo momento, disse Graa Lima.

No seu entendimento, com esse aporte de recursos e foco no desenvolvimento sustentvel, o banco deve influir em uma ordem econmica mais justa. Isso parte de uma estratgia no escrita, mas muito segura, dos pases do Brics, de procurar influir, mas de maneira construtiva, comentou.

BRASIL NO SEDIAR

A presidncia do banco, que ser rotativa, e a sede sero definidas na cpula, bem como o conselho de administrao e outras questes tcnicas. O Brasil foi o nico membro que no se candidatou a sediar o banco. As opes eram Xangai (China), Joanesburgo (frica do Sul), Moscou (Rssia) e Nova Delhi (ndia). A escolhida foi Xangai e a primeira presidncia do rgo ser de um representante da ndia.

O primeiro escritrio regional do banco ser na frica do Sul, a primeira direo da equipe de governadores ser da Rssia e a primeira direo da equipe de diretores ser do Brasil. A presidncia do banco ser rotativa entre os integrantes do bloco.

###
NOTA DA REDAO DO BLOGO desinteresse do Brasil em sediar o Banco inexplicvel. Havia interesse em sedi-lo no Rio de Janeiro, mas a delegao brasileira deixou para l. Foi uma grande bobeada. muito mais importante ter uma instituio desse porte em nosso pas do que sediar uma Copa ou uma Olimpada. (C.N.)

14 thoughts on “Brasil no se interessou em sediar o Banco dos BRICS, mas todos os outros pases queriam

  1. sempre muito importante a criao de instituies multilaterais como o Banco de Desenvolvimento dos BRICS. Ainda mais sendo uma instituio financeira que tender a subsidiar recursos para os outros pases em desenvolvimento que queiram implantar ou estender as relaes comerciais, principalmente, com os pases do BRICS.

    Acredito que o banco servir para pulverizar recursos para esses pases com menor representatividade na economia mundial, servido para dinamizar a conjuntura econmica mundial em uma lgica de escala. Mas, preciso que o custeio desses recursos oferecidos pelo novo banco sejam – de preferncia – mais acessveis at do que os recursos oferecidos pelo FMI. Com menos poltica envolvida e menos entraves burocrticos, sem, entretanto, perder a segurana dos emprstimos.

    Um primeiro pas que pode ser beneficiado com a recente criao da instituio, e que me vem de memria no momento, a Ucrnia.

    A ideia principal fornecer recursos para promoo de investimentos, mas, em funo do pequeno volume inicial (o capital integralizado de apenas US10,0 bilhes), vai servir mesmo de esteio para os pequenos pases que necessitam de dlares para realizar suas transaes comerciais com o resto do mundo.

    A matria no disponibiliza, mas, espera-se que o capital subscrito de US$50,0 bilhes seja, no mais breve espao de tempo integralizado. A mesma coisa em relao ao capital autorizado de US$100,0 bilhes. Sem o que, ser impossvel utilizar os recursos da instituio para a promoo de investimentos em infraestrutura, pois, este tipo de gasto demanda um volume grande de recursos, que, por hora, no so suficientes.

    De qualquer maneira , de fato, um grande e positivo fato pelo qual no s os BRICS, mas, todo o mundo deve comemorar.

    Em suma o Banco de Desenvolvimento dos BRICS fruto do cooperativismo entre os pases que se encontram imbudos em um mesmo objetivo: crescer juntos. E isso timo!

    • Em tempo, concordo inteiramente com a nota da redao do blog.

      O Brasil assim: as oportunidade vo passando… e o pas deitado em bero esplndido.

      A outra grande oportunidade que tivemos foi com relao janela aberta de oportunidade dos juros americanos to baixos que se aproxima de zero. Isso desde dezembro de 2008!

      Poderamos ter substitudo toda a dvida pblica interna cuja taxa de juros implcita est em 16% a.a., por uma dvida em ttulos do governo americano pagando as mais baixas taxas de juros histricas. E nada para se preocupar em relao ao cmbio, pois as reservas em quantidade suficiente so garantia de liquidez.

      Pois … passou!

  2. A aliana econmica com o Brasil vantajosa, estratgica at. As reservas petrolferas da Petrobras so fantsticas, o pr-sal j comeou a produzir. A produo bateu nos 500 mil barris dirios. O BRICS com certeza ser fortalecido com o Brasil que junto com a Rssia detm reservas de petrleo para formar um bloco poderoso. O Brasil s pobre e miservel e subdesenvolvido na cabea da oposio. Mas a realidade econmica do Brasil outra. Aqui o Brasil enxovalhado pela oposio, dona da mdia, no estrangeiro somos respeitados pela nossa riqueza bem administrada. Nunca estivemos to ricos. Duvida ? Consulte os anais.

    • Tens razo Renato. Observou que sequer faziam aluso a ideia da criao do BANCO pelos BRICS como fato inovador e positivo e agora criticam o fato do Brasil no ter se candidatado a sedia-lo? Aposto que se o BRASIL tivesse se candidatado e sido escolhido iria comear a campanha: (NO VAI TER BANCO DOS BRICS). No seria surpresa se amanh mesmo aparecesse um requerimento para uma CPI pra investigar tal acordo alegando que ” O BRASIL TERIA FEITO UM PSSIMO NEGCIO”. Que este recurso deveria ser investido na educao ao invs de servir para financiar economias estrangeiras etc…

  3. Sobre o comentrio do senhor Moderador, pertinente, uma nica e modesta opinio: o Itamaraty s tem olhos para a “ilha” e as dvidas de alguns pases africanos.

  4. Que o brasil riqussimo em metais nobres e terras raras qualquer brasileiro alfabetizado (- 40% de analfabetos) sabe. Estrangeiros, ento, nem se fala, j que “os donos do mundo” tm, muito bem mapeadas, todas as reservas minerais do brasil (no sei se o brasil tem esse mapa, at pela incapacidade ‘tcnica’ dos “ministros” de minas e energia de hoje e de antanho). S de nibio, temos 98% da reserva mundial. Os outros 2% so do Canad, que os aproveita muito bem em benefcio do seu povo…
    Agora, que o povo que aqui nasce (andar de baixo) vive abaixo da linha de pobreza, tambm no segredo para ningum. Parafraseando o ex-ditador de planto, Joo Figueiredo, ao recusar-se a trazer a copa para o brasil, na poca: “O senhor j entrou numa favela do rio de janeiro?” De l para c elas ‘explodiram’, mesmo sendo chamadas de ‘comunidade’ pela imprensa criminosa, que faz de tudo para convencer os incautos e incultos que viver na favela viver com dignidade, da “vista maravilhosa” do rj , etc. Alis, aproveitou-se muito bem a copa do mundo para alardear essa mentira, junto com a propaganda oficial, das “acomodaes/penses/albergues confortveis” nos altos dos morros cariocas. Varrendo para debaixo do tapete a promiscuidade das construes precrias, da falta de espao para respirar, dos altos ndices de tuberculose, do esgoto cu aberto, do livre comrcio das drogas ilcitas (alis, esse um dos chamarizes, para os ‘turistas’ que aqui aportam), etc. Existem bairros aqui no rj, que j foram, literalmente, cercados por favelas, com alto ndice de violncia e toda a ausncia de qualidade de vida acarretadas por estas. Agora, vai comear a “farra do boi” s avessas, onde os polticos (os que j esto pendurados na teta e os que querem mamar) sairo atrs do ‘gado’ pelo voto, para entrarem os novos e se perpetuarem os velhos no que o prefeito do rio nomeou muito acertadamente de suruba (ele sabe do que est falando, participa da mesma h anos – est riqussimo juntamente com a famlia).
    O eterno (e, a meu ver, insolvel) problema/contradio/absurdo do pas exatamente esse: um pas riqussimo, cujo povo vive de forma miservel, porque as riquezas do pas s trazem benefcio para uma parcela nfima da populao (famiglias que se locupletam desde as capitanias hereditrias) e impedem toda e qualquer ao poltica que tenha por alvo o andar de baixo. O brasil no s pobre e miservel na cabea da oposio, no senhor. A maioria da populao brasileira pobre e miservel, no por nascer num pas pobre e miservel, pelo contrrio, nascemos num pas que, em matria-prima, temos de quase tudo, em grande quantidade. S que os governantes ( exceo de Getlio Vargas, segundo meus pais me diziam, eu no era nascida poca) e os polticos aliados uma elite corrupta e mal acostumada a ser sustentada com o sangue e suor do povo. O comentarista diz que “nunca estivemos to ricos.” Permita-me discordar do seu argumento, senhor. O brasil j nasceu rico e muito rico: tudo aqui tem grandezas continentais. Diz um ditado popular que “o sol nasce para todos.” Mas aqui, neste rico pas, acrescenta-se: “mas a sombra s para alguns.” Assim foi estabelecido pelo sistema que domina o mundo e assim segue esse pas rico de habitantes miserveis. Mesmo a ‘esmola’ bolada’ por D. Rute Cardoso, a qual o pt trocou de nome e ampliou, incomoda. Para a elite tudo, para a patulia (royalties a Elio Gaspari), nada.
    Durante a Ditadura Militar, poca do “milagre”, o Sr. Delfim Neto dizia que tinha que aumentar o bolo para depois dividir: como o que bom eles divulgam, o que ruim eles escondem, ele ‘esqueceu’ de explicitar o seu verdadeiro objetivo: aumentar o bolo (das elites, sempre). Ponto final. Os mesmos continuam nas sinecuras de sempre, o que permite-lhes acumular vrias aposentadorias pagas com os nossos suados impostos que ultrapassam em muito o ‘teto’ do salrio do presidente da repblica, com o auxlio luxuoso do stf, sempre a postos para ‘legalizar’ a sangria do Tesouro Nacional e avalizar o Salrio Mnimo, este sim que, se majorado de forma decente, quebrar o Tesouro (de ali bab).

  5. O governo brasileiro continua roubando o povo, mesmo em ano de eleio, o governo tem 10 bilhes de dlares no caixa sobrando e no gasta no pais , fazendo moradia, escolas , hospitais , estradas , saneamento bsico enfim tudo que precisamos, o maior golpe que ja vi nos meus 52 anos. Parabns Dilma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.