Brasil quer Venezuela de volta à democracia sem “medida extrema”, diz Mourão

Vice-presidente Hamilton Mourão cumprimenta militares durante reunião do Grupo de Lima, em Bogotá (Colômbia) — Foto: ASSCOM/VPR

O vice Mourão representou o Brasil na reunião do Grupo de Lima

Por G1 — Brasília

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou nesta segunda-feira (25), na Colômbia, que o governo brasileiro acredita que é possível encontrar uma solução “sem qualquer medida extrema” para, segundo ele, “devolver a Venezuela ao convívio democrático das Américas”.

Mourão deu a declaração durante pronunciamento em encontro do Grupo de Lima realizado nesta segunda em Bogotá. O governo brasileiro foi representado pelo vice-presidente e pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

TREZE PAÍSES – O Grupo de Lima foi criado, em 2017, por iniciativa do governo peruano, com o objetivo de pressionar o regime Nicolás Maduro a restabelecer a democracia na Venezuela. Além de Brasil e Peru, mais 11 países integram o grupo: Argentina, Canadá, Colômbia, Costa Rica, Chile, Guatemala, Guiana, Honduras, México, Panamá e Paraguai.

“O Brasil acredita firmemente que é possível devolver a Venezuela ao convívio democrático das Américas sem qualquer medida extrema que nos confunda com aquelas nações que serão julgadas pela história como agressoras, invasoras e violadoras das soberanias nacionais”, discursou Mourão diante dos representantes dos outros países do Grupo de Lima.

O vice-presidente ressaltou ainda que, no contexto atual, o governo brasileiro reconhece que a Venezuela “não vai conseguir se livrar sozinha do regime Maduro”. De acordo com ele, só haverá uma alternância de poder no país sul-americano se houver uma ajuda externa.

MAIS SANÇÕES – Mourão ponderou que a comunidade internacional deve avaliar a imposição de ainda mais sanções contra o regime chavista. Sugeriu pressão sobre Caracas por parte de organismos internacionais – como as Nações Unidas (ONU) e a Organização dos Estados Americanos (OEA) – e também agências de aplicação de tratados internacionais, tribunais e bancos de fomento e investimentos.

“À luz dos acontecimentos acumulados há mais de uma década, sabemos que a Venezuela não vai conseguir se libertar sozinha da opressão do regime chavista. A hora é de solidariedade latino-americana”, destacou.

O vice-presidente brasileiro também afirmou que, nos últimos anos, houve uma corrida armamentista na Venezuela patrocinada pelo regime chavista. Segundo Mourão, as compras de equipamentos bélicos sofisticados por parte de Caracas desde 2009 contrastam com o fato de a América do Sul ser a região menos militarizada do mundo.

CRIMES TRANSNACIONAIS – Ele também acusou integrantes do governo Maduro de estarem envolvidos com crimes transnacionais. Em janeiro, o Itamaraty divulgou nota na qual afirmava que o regime chavista é baseado no tráfico de drogas e de pessoas e no terrorismo.

Após o encontro, Mourão e Ernesto Araújo concederam entrevista à GloboNews. Questionado sobre uma declaração que deu sobre o fato de a Venezuela ter dado espaço para atores estranhos à região e se estava se referindo à Rússia, o vice-presidente afirmou que seria “muito ruim” trazer um “clima de Guerra Fria” para a região.

“São os outros países, as grandes potências que têm interesse na Venezuela, e que seria muito ruim trazer um clima da antiga Guerra Fria para dentro do hemisfério ocidental, para a América do Sul, seria muito ruim isso daí”, respondeu Mourão, sem responder se estava se referindo à Russia.

SEM CONFLITO – O vice disse ainda que o país “vai buscar de todas as formas que não haja conflito” na região e repetiu que a atuação deve evitar “trazer conflito para o nosso hemisfério”.

Ao lado de Mourão, o ministro das Relações Exteriores foi indagado sobre o fato de o presidente norte-americano, Donald Trump, estabelecer diálogo com o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, mas de “rechaçar” o diálogo com Nicolás Maduro, assim como o Brasil.

Araújo afirmou que “são situações geopolíticas diferentes” e que Maduro está oprimindo o seu povo de maneira brutal. “Não sei se [na Coreia do Norte] necessariamente [existe uma repressão] com esse grau de brutalidade que se viu nesse fim de semana. São situações que não necessariamente se pode comparar, aqui existe toda essa mobilização regional, que não existe lá”, disse o chanceler brasileiro.

RECADO DOS EUA – Convidado especial do encontro do Grupo de Lima, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, prometeu sanções “ainda mais fortes” ao que classificou de “rede de corrupção financeira” do regime de Nicolás Maduro.

Pence pediu que o Grupo de Lima congele os bens da PDVSA, a petroleira estatal da Venezuela, e os transfira para a administração do líder da oposição venezuelana Juan Guaidó. Presidente da Assembleia Nacional venezuelana, Guaidó se autoproclamou no mês passado presidente interino da Venezuela.

O vice dos EUA fez um apelo para que todos os países do Grupo de Lima reconheçam os representantes do presidente autoproclamado venezuelano.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Os EUA pedem que os outras países congelem os bens da PDVSA. A Venezuelana tem bens vultosos nos EUA, onde possui três refinarias, oleodutos e a rede Citgo, com quase 14 mil postos de abastecimento, mas, ao que parece, apenas os bens da PDVSA estão bloqueados por lá, porque a Citgo é uma sociedade anônima.  Aqui no Brasil, era sócia da Abreu e Lima, mas não entrou com um tostão, a Petrobras bancou tudo sozinha. (C.N.)

24 thoughts on “Brasil quer Venezuela de volta à democracia sem “medida extrema”, diz Mourão

  1. Os EUA importam apenas 6% do petróleo do total de seu uso da Venezuela.

    A questão dos EUA com a Venezuela é geo-política e a antítese contra a influência da Rússia e China na AL.

    Quando se trata com demente bolivariano sanguinário como Maduro toda a conversa pacifista é mera retórica tipo “mãe Dináh”.

    Se o Brasil for atacado ou o espaço aéreo da amazônia continuar inviabilizado tudo que o Mourão falou vira perdigoto.

    E teremos que apelar ao Tio Sam para nos salvar.

  2. CORRETIVO PRESIDENCIAL — Na reunião do Grupo de Lima, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que a posição brasileira será um contraponto de um eventual movimento dos Estados Unidos em defesa de intervenção na Venezuela: “vamos manter a linha de não intervenção, acreditando na pressão diplomática e econômica para buscar uma solução. Sem aventuras”. https://noticiasinterativas.com.br/noticias/mourao-diz-aos-eua-que-brasil-nao-entrara-em-guerra-e-peita-bolsonaro-que-quer-atacar

  3. É mesmo um anjinho inofensivo.

    Maduro colocou direcionada ao Brasil uma bateria de mísseis S300 que pode atingir aeronaves até em Manaus, trazendo riscos à todos os voos comerciais na região.

    Muito legal e pacífico nê vermelhinho?

  4. Se os EUA que fizeram uma guerra a milhares de quilômetros como a do Iraque ( sempre fui contra essa guerra que deu no que deu), na Venezuela não precisa de país nenhum para também fazê-la.
    Se cuida Maduro, não se esqueça de Sadan Houssen , Noriega , Kadafi…..

    • Não depende do Mourão ou Bolsonaro o Brasil se envolver num conflito com a Venezuela.

      Depende das circunstâncias, muito mais de Maduro e Trump.

      Trump conta com bases militares na Colômbia e se começar um ataque o Brasil vai ser obrigado a se juntar aos EUA.

      Mourão não fala coisa com coisa tem gente super capacitada nas Forças Armadas Brasileiras contando com todas as possibilidades.

      E a palavra final do que fazer é do presidente Jair Bolsonaro, comandante em chefe das Forças Armadas.

      • Não se pode também esquecer que tem um número grande de venezuelanos que fugiram do país e a maior parte está na Colômbia e que, de uma hora para outra, até podem se dispor a formar um exército de patriotas para se juntar aos americanos e derrubar o tirano.

          • Ele vai fazer é o Eduvaco Trapanaro ajoelhar na almofadinha, isso sim!

            Reéza pra uma guerra… Uma bomba faz o buraco pra traíras do Brasil caírem direto na Oustraulia, dentro do abatedouro do Tião Maia, onde moem extrangeiro pra fazer a ‘much-malign baloney’ tipo export pra China….
            Traíra brasileiro virando bolota de ração pra comunista.
            Uél uéll , ué!

        • Também podem decidir ir tomar os ‘piers’ de San Francisco dos leões marinhos!
          Plantar alface na Antártica!

          Que Exercito de Patriota é coisa de Comunista Trotskista!

      • ♪♫♪♫ ♪♫♪♫
        Vai entrar no cuzcuz, acarajé e abará.
        Na Casa Branca já dançou a batucada de ioiô, iaiá

        Brasil, esquentai vossos pandeiros
        Iluminai os terreiros que nós queremos sambar!

        Há quem sambe diferente noutras terras, outra gente
        Um batuque de matar

        Batucada, reunir vossos valores
        Pastorinhas e cantores
        Expressão que não tem par, ó meu Brasil

        Brasil, esquentai vossos pandeiros
        Iluminai os terreiros que nós queremos sambar
        Ô, ô, sambar…
        ioiô, sambar!
        ♪♫♪♫ ♪♫♪♫

  5. Seu presidente idiota está queimando arroz na fronteira!
    É só….

    A Grobo esta mandando um Tang geladinho para vossas casas, via motoboy, bozómínimos….!

    KRÁFT!!!

    Hare Krishna

    Olha a biriba!!!

  6. O PT fez um estrago incomensuravel mesmo!

    Os flancos de doido varridos que estão soltos por aí e que são mais perigosos que a chave e o botão na mão do Trump…

  7. “…o ministro das Relações Exteriores foi indagado sobre o fato de o presidente norte-americano, Donald Trump, estabelecer diálogo com o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, mas de “rechaçar” o diálogo com Nicolás Maduro, assim como o Brasil.
    “Não sei se [na Coreia do Norte] necessariamente [existe uma repressão] com esse grau de brutalidade que se viu nesse fim de semana”, disse o chanceler brasileiro.”

    -Conversa FIADA do chanceler!
    -O líder norte-coreano tem a bomba atômica e meios para lançá-la, por isso é respeitado e chamado à mesa de negociações com os donos do mundo, coisa que não aconteceu com o Saddam, que foi achado escondido em um buraco!

  8. OPOSIÇÃO PASSOU DO PONTO: Por mais insuficiências que Nicolás Maduro apresente, ele conseguiu provar que a oposição é muito pior. Seu discurso diante de dezenas de milhares de pessoas, evitou atacar o Brasil e centrou fogo na Colômbia e nos EUA. Quer ajuda humanitária, mas de organismos multilaterais (legais). Maduro deu concretude ao que Chávez e ele próprio bradam há duas décadas: o Império quer mesmo invadir a Venezuela. O presidente venezuelano obteve algo raro: união nacional contra o inimigo externo. É bem provável que se convocar agora um referendo revogatório de seu mandato, será vitorioso com boa margem. https://dialogosdosul.operamundi.uol.com.br/america-latina/55032/sete-fatos-que-provam-que-maduro-teve-uma-vitoria-espetacular-sobre-guaido-e-os-eua

    CADÊ AJUDA HUMANITÁRIA? Após 30 dias do crime, muitas famílias ainda sobrevivem com a angústia de não poder enterrar seus entes queridos (e o governo Bolsonaro prefere mexer com a Venezuela, um país amigo). Há um mês, os moradores da cidade de Brumadinho (MG) tornaram-se vítimas de uma das maiores tragédias socioambientais do mundo. O rompimento da barragem da mineradora Vale, no Córrego do Feijão, causou a morte de 176 pessoas. Trabalhadores, mães, pais, filhos e filhas, soterrados pela avalanche de lama tóxica, vítimas de um crime, mais uma vez, protagonizado pela maior mineradora do Brasil. Outras 134 pessoas ainda não foram encontradas. https://dialogosdosul.operamundi.uol.com.br/meio-ambiente/55026/balanco-critico-um-mes-do-crime-ambiental-da-vale-em-brumadinho-minas-gerais

  9. O comentário do colunista está errado, pois os EUA já congelaram os bens da PDVSA e pediram que o mundo faça o mesmo. Estão pisando no tubo de oxigênio da ditadura.

  10. MAS QUE BARBARIDADE: O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, lançou ameaças a militares que mantêm apoio a Nicolás Maduro na Venezuela exortando-os a fazerem “a escolha certa por suas famílias” e fiquem ao lado de Guaidó. “Todas as opções estão na mesa. Para quem apoia Maduro, tenho um recado do presidente [Donald] Trump: Vocês podem apoiar a oferta generosa de anistia do presidente interino, Juan Guaidó, e viverem no seu país em paz”, disse Pence.

    PAÍS MAIS TRANQUILO QUE BRASIL: Nem desabastecimento, nem epidemia de fome, nem Ditadura os males da Venezuela são. A grande imprensa mente. O problema da Venezuela é a Carestia. E isso não se resolve com bombas americanas e nem com o bloqueio econômico imposto pelos Estados Unidos e Europa ao País. O vídeo do link adiante mostra o outro lado da fronteira, um país bem mais solidário e tranquilo do que o Brasil. http://www.facebook.com/jornalistaslivres/posts/1068310269959516

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *