Brasileiros passando vergonha em Portugal e outras anotaes de uma rpida viagem

Resultado de imagem para brasileiros em portugal

H brasileiros se comportam de uma maneira pouco conveniente…

Antonio Rocha

Antes de viajar, li alhures que o Brasil estava dividido em trs partes: os que votaram no atual presidente, os que no votaram e uma terceira parte que assiste espantada as mudanas e no sabe o que fazer.

Nas vezes anteriores que fui a Portugal observei que ao encontrar outro brasileiro naquelas plagas havia uma certa alegria pela identificao da nacionalidade, desta vez, notei que o clima de divergncia que est grassando aqui, tambm est l.

COXINHA OU PETRALHA? – H desconfiana nos olhares e ningum se identifica por completo. Parecem questionar: Ser que esse cara coxinha ou petralha? E aquela mulher? conservadora ou reacionria? Para evitar dissabores ningum mais pergunta nada. S os conhecidos comentam algo entre si.

Por exemplo, fiquei pasmo quando vi uma senhora brasileira de nvel universitrio que se dizia esquerdista, em um vago do metr, colocar os ps no banco da frente que estava vazio.

Veio uma portuguesa de meia idade e disse para a tupiniquim que parecia estar querendo aparecer: Isto aqui nosso, do povo portugus, uma conquista social e vocs vem l de fora com hbitos ruins estragar um bem pblico, pois sua atitude impede que outras pessoas sentem.

SO BRASILEIROS… – Nisso, outros portugueses que estavam perto falaram baixo, mas eu ouvi: So brasileiros que vem para c danificar o nosso patrimnio pblico.

Eu fiquei chateado, pois a atitude estranha da progressista carioca ajudava a prejudicar mais ainda a impresso negativa que os brasileiros agora tm por l.

Fiquei tentando refletir, por que ser que ela fez isso? Notei que estava alcoolizada e tonta, ser que ela faria isto em um metr no Brasil?

Por essas e por outras os brasileiros que moram em Lisboa, dentro do possvel, evitam-se.

Fiquei cinco dias na capital portuguesa nesse ms de julho que est findando, depois eu conto mais.

 

21 thoughts on “Brasileiros passando vergonha em Portugal e outras anotaes de uma rpida viagem

  1. Somos um povo ensandecido, enlouquecido, e mal educado. Perdemos a nossa docilidade no convvio social. Viramos erva daninha, onde pisamos nada mais cresce.
    Os portugueses esto comeando a ter que conviver com a vida selvagem.
    Vo se arrepender amargamente desta aventura de acolher brasileiros (j aconteceu isso num passado recente).
    Quem viver ver.
    Simples assim.
    Atenciosamente.
    P.S.- No estou generalizando.

  2. Procuro no fazer parte dos que tem um sentimento consolidado de que nada do que brasileiro tem valor ainda mais se comparado com “primeiro mundo”.

    Entre as coisas que nos distinguem est o calor humano, o acolhimento incondicional, a amizade pronta , sentimentos com os quais acolhemos todos e que a todos encanta.

    Mas a banca paga e recebe.

    esta informalidade tambm se aplica a muitos de nossos gestos e costumes e os povos menos acostumados a estas manifestaes, tambem adoraram receber os benefcios desta informalidade mas tem imensa dificuldade em conviver com a perspectiva desta informalidade em suas vidas.

    Por isso o choque de culturas e quando isto acontece em “seus domnios” causa ainda mais estranheza e para descambar para preconceito e graus variveis de racismo e segregao, um passo.

    Seguir o velho ditado ” em Roma, como os Romanos” ajuda muito, mas nem sempre e em todos momentos, nos apercebemos disso, conseguimos ou queremos fazer isto.

    Feita esta ressalva, meu filho recentemente estava em um hostel em Londres, em que todos estavam dormindo quando em torno de 2-3 da madrugada, chegou uma brasileira( unica alem dele no ambiente) , acendeu as luzes, preparou-se longamente para dormir com nenhuma preocupao com luz, barulho e com os demais (12 ) que estavam no mesmo ambiente.

    O fato se repetiu na outra noite e quando meu filho tomou a iniciativa de chamar-lhe a ateno, suas palavras literais ” s me faltava fazer silencio num hostell, te liga , cara”.
    Somente uma admoestao mais enrgica, trouxe a paz ao ambiente, mas ilustra , mesmo que modestamente alguns dos casos (isolados esperemos) mas que fornecem o combustvel para a classificao xenofoba generalizada.

    Uma pena, pois a alegria e espontaneidade de nosso povo sempre foi exaltada pelos nossos visitantes.

    Difcil ajustar isso ao ambiente em que visitamos.

  3. Em princpio no leio artigos que usam como suporte das idias do autor afirmaes tais como “ouvi do primo da minha vizinha” ou “ouvi alhures”. Mais um erro: Um todo pode ser dividido em muitas partes, dependendo do critrio usado para a diviso.
    O Brasil no est dividido entre os que votaram, no votaram e os que esto descontentes. No h meios de definir o humor do brasileiro com essa simplificao de contentes e descontentes – deve haver uma gradao numerosa de tipos de contentamento e h os que no votam como as crianas, que so brasileiros e no esto nem a.
    Inferncias como as feitas pelo autor no podem ser consideradas a no ser pela pesquisa de um universo muito grande. Esse ouvi isso, ouvi aquilo de um transeunte em Portugal e universalizar uma concluso no mnimo pouco cientfico e muito irracional.
    Parei por a por inferir que o resto no valeria meu tempo, que precioso.

  4. Carlos Newton, como pode algum que no tem Profisso Definida e no formado em nada, nem emprego fixo, consegue Casa, Comida e Dinheiro para morar em Portugal ? Esse o retrato da fuga de milhares de Petralhas para Portugal, aqui em Pernambuco foi assim, quando perguntamos por fulano ou sicrano a resposta a mesma…”T morando em Portugal”,. Os que ficaram milionrios morando em apartamentos de 1 Milho de Reais pr cima, ajudam financeiramente (vale ressaltar que so analfabetos funcionais e sem profisso que ficaram ricos com os cargos e penduricalhos lulopetralhas que destruram a economia brasileira e o Brasil) e l vai a militancia morar em Portugal. Amigos meus, Portugueses e l residentes, ficam envergonhados verem tanta gente sem fazer nada, andando pelas ruas e com farras homricas ,ostentando riqueza que sua condio intelectual e profissional no apontam para a existncia de tanta riqueza a cu aberto. E esses Portugueses, Profissionais e Intelectuais sempre me dizem que agora tem a certeza absoluta que o Brasil foi assaltado e destrudo pelo Lulopetralhismo !!!

  5. J vi situao semelhante em Miami. Uma carioca loiraa oxigenada cheia de razo se queixando para uma vendedora hispanica. Um portunhol horroroso, falava mais ou menos assim:
    EUZITA NO QUERO SABER DISSO! Logico que a vendedora no entendeu coisa alguma do que a loiraa falava, mas ela estava causando, dando a sua lacrada!
    Situaes cmicas, mas nessas horas me d uma certa vergonha de ser brasileiro. Coisa de emergentes da Barra, que est com um punhado de dolares ou de euros e se acham os donos do mundo, os reis da cocada preta. Qualquer semelhana com outros membros dessa fauna na politica, na mdia ou nos esportes no mera coincidncia. UM PADRO! .

    • Padrao Miami. No confunda alho com bugalo.
      Miami o fundo dum balde de lixo, natural haver somente degenerados por l.
      Quem sabe voce sinta totalmente o oposto, pleno orgulho de ser brasileiro, ao visitar a verdadeira America e no a da esquina de Cuba.

      • Nessas coisas eu penso diferente de vcs que ficam medindo os outros pelas psicoses de suas rguas.

        Penso que a loiraa tem todo o direito de reclamar e, em vez de ter vergonha , eu teria teso e me prontificaria em ajud-la.
        Ajud-la totalmente , se que vcs dois me entendem.

        • “Todos se esforam por remediar a vida de todos; aspiram a isso at os mendigos, inclusive os incurveis: as caladas do mundo e os hospitais transbordam de reformadores. A nsia de tornar-se fonte de acontecimentos atua sobre cada um como uma desordem mental ou uma maldio intencional. A sociedade um inferno de salvadores! O que Digenes buscava com sua lanterna era um indiferente.”

          (Emil Cioran)

  6. 1) Obrigado a todos…

    2) Em especial ao nosso editor CN pela publicao da crnica (arte literria com pinceladas de licena potica).

    3) No escrevi ensaio acadmico ou cientfico.

    4) Uma das belezas da TI aceitar Textos Informais…

  7. Uma vez fui a Portugal e vi um brasileiro pedindo esmola. Isso quer dizer que devo inferir que os brasileiros so mendigos em Portugal? O caso da loira oxigenada do seu Willy acima se encaixa no mesmo caso do mendigo.
    Seu Willy, conviva com a turma do Vale do Silcio na California e o senhor ver muitos brasileiros de classe ganhando uma boa grana. Vou dar um chute sem querer generalizar: cerca de um milho de reais por ano. Vivem bem e dirigem Tesla, BMW, Mercedes. Mas so engenheiros e muito bem formados na nossa ptria amada.
    No entanto, se o senhor for para a Florida a situao diferente.
    O mal educado mal educado em qualquer parte. No podemos generalizar uma coisa que apenas anedtica.

  8. Brasileiro viaja para o exterior, imagina-se em casa, leva consigo a falta de educao, respeito e cidadania, gritam uns com os outros, falam alto e acham que normal, principalmente os adolescentes e milennials.Ano passado, carioca na faixa dos 14 anos, circulando de nibus em Orlando, fone de ouvido com som alto, senhor aproxima-se e pede para abaixar o volume para ler seu jornal em paz, o moleque, olhou com desdm e fez que no escutou, bastou gritos, xingamentos e ameaa de ser retirado do coletivo para respeitar prontamente!Dia 21 de julho em Vancouver, turma fazendo algazarra, falando alto em portugus, garotinha tomou uma bela mochilada, saiu reclamando e alegando, adivinhem? Xenofobia!Faz-me rir, tudo preconceito!

  9. Morei de 2015 a 2017 em Portugal acompanhando minha esposa que estava fazendo mestrado e no vi nada disso por l. Muito pelo contrrio, vi muita gente chegando para estudar, empresrios tentando um novo negcio, aposentados procurando lugares mais sossegados. Enfim gente que, possivelmente deixar boa impressa aos portugueses, claro, mal-educados existem por toda parte.

  10. Antonio Rocha, prxima parada na terrinha, suba ao Castelo, entre no Chapit, converse com brasileiros l.

    Em todos os paises onde encontra brasileiros, h uma mxima, evitar viver onde se aglomeram, criam comunidade. a mesma coisa, seno pior que no Brasil, uma desigualdade social sem tamanho.
    Quando pessoas se associam em grupos preciso que estejam guiadas por motivos corretos e que adotem atitudes corretas.
    No isso o que ocorre com grupos de brasileiros vivendo no exterior.
    O interesse desses grupos pode ser comum, as intenes tambm, mas so as diferenas, distines do grupo, formado mais por necessidade do que espontaneidade, que acabam gerando suspeitas, conflitos, isso sem falar da falta de adequao aos padres culturais do pas estrangeiro.

    J perdi a conta, mais de 12 anos vivendo no exterior . todos os continentes menos na sia.
    A revista brasileira de maior circulao na Inglaterra publicou a foto do caixote com pedras e tocos de pau que os nativos da Universidade de Lisboa colocaram no campus com um cartaz incitando a atacar os estudantes brazucas de l, em 2019.

    No piso em Portugal desde 2005.
    Da minha experiencia em Lisboa no ano de 1995, quando ainda dormia em albergue, gosto de lembrar do dia em que saimos do albergue eu, um recifense, uma novaiorquina herdeira da Helena Rubinstein e duas portuguesinhas, uma do Algarve e, a outra moambicana radicada em Portugal, eram todos alunos do Chapit, menos a americana.
    A rdio da unio mdos estudantes oferecera cedo alguns convites para a apresentao mde gala (fechada) que o grupo Madredeus faria no Centro Cultural Belm, consegui ingresso para o grupo e assistimos a um espetculo de show, digno dos Deuses que criaram esse povo portugues maravilhoso!
    Foi tambm meu primeiro contato com uma camera HDTV, algo 9que levaria ainda alguns anos para aparecer mas j filmavam o evento naquele formato.

    Portugal o maximo! Quem merecer ter a experiencia de sua vida, quem desmerecer s levar pedrada.

    O I CHING nos ensina que, quando na estrada, estamos sujeitos a todo tipo de fortuna, mesmo perigos, quando nos envolvemos com pessoas inferiores ou com projetos abaixo da nossa dignidade.
    Estamos merc, de certa forma, das pessoas que encontramos no caminho.
    preciso estar alerta, cuidadoso, flexivel e educado.
    Como estrangeiros temos menos direitos que os locais, no que tange lei.
    preciso preparar muito para criar um ambiente confortvel e seguro que permita sentirmo-nos em casa.
    Mesmo assim, na minha opinio, nunca estaremos “em casa”.
    Lembro do meu primeiro retorno ao Brasil depois de um longo periodo no exterior, aeroporto do Galeo, uma hora de saguo aguardando o transfer para Sao Paulo. Uma faxineira aproximou-se, cantando, enquanto passava pano no cho do saguo; e, cara! S de ouvir a lngua me, a melodia, deu vontade de esquecer o cansao e danar com ela! Nunca esqueci aquele momento, e 40 anos j se passaram.

    A prosperidade, seja onde for que voce a procure, no coincidncia e tem uma tendncia a desaparecer se mal cuidada.
    Fossemos um povo unido num propsito prspero comum, eu nunca teria vivido um dia sequer fora do Brasil.
    Nem pra visitar….
    ? assim que pensa muita gente na cidade onde vivo.
    Recursos e aeroportos aos montes, vo levando a boa vida, sem se incomodar….
    ? preciso ter arte para poder conviver em lugares assim.

    • Seu AndreBr, seu comentrio surpassou o artigo. Excelente. S discordo da sua opinio sobre a ptria doce lar. Ptria aquela que nos acolhe, que nos dignifica, que nos proporciona oportunidades – especialmente para os descendentes.
      Estrangeiro somos at nos aculturamos ao novo pas, o que leva muito tempo devido ao domnio da lngua e dos personagens nacionais. Dai em diante o estranho se torna familiar e a gente passa a amar a nova morada.
      Uma pessoa aculturada a uma boa regio americana se sente apavorada no Rio de Janeiro mesmo sendo carioca da gema!

  11. Durante sculos, Portugal mandava os filhos d’algo para c como punio e estes enriqueciam as custas do Brasil “na corrupo” e voltavam depois de terminada a pena ou perdo Real, para gozar o $ amealhado/roubado.
    Agora hora de nos livrarmos dos nossos filhos do brasil inviabilizando a permanncia deles aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.