Briga de Ricardo Teixeira com a TV Globo esquenta e o presidente da CBF ameaça retaliar a emissora.

Carlos Newton

A melhor novela da TV brasileira atualmente é a que transcorre nos bastidores do futebol, com cenas empolgantes entre o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e a própria TV Globo. Antes se amavam tanto, viveram juntos emoções e empreendimentos inesquecíveis, por que brigar a essa altura do campeonato, antes da Copa Global?

Tudo começou com a reportagem sobre os gastos públicos irregulares do governo do Distrito Federal no amistoso entre Brasil e Portugal, em 2008, divulgada pelo “Jornal Nacional” da TV Globo, dia 13 de agosto, estremecendo a relação entre o presidente da CBF e a emissora.

Ricardo Teixeira diz que está sofrendo retaliações e que a motivação para a reportagem de denúncia foi a mudança nos horários dos jogos de sábado do Campeonato Brasileiro, porque a CBF tirou as partidas das 21h. Detalhe: mesmo após a denúncia, as relações comerciais entre CBF e Globo permanecem intocáveis, porque as relações podem até ser discutidas, mas os negócios ficam sempre à parte.

Recentemente Teixeira disse à revista “Piauí” que só se incomodaria com denúncias veiculadas no “Jornal Nacional”. Na verdade, já faz tempo que o presidente da CBF virou alvo de protestos. A revista Carta Capital, por exemplo, recentemente dedicou a Teixeira uma edição quase toda. No dia 30 de julho, durante o sorteio preliminar da Copa-2014, no Rio, manifestantes pediram a saída de Teixeira e o fim dos gastos públicos no Mundial. No dia 13 de agosto, movimento semelhante foi organizado na capital paulista.

Quem saiu em defesa de Teixeira foi seu ex-sogro e criador, o presidente de honra da Fifa, João Havelange, que reclamou da recente veiculação pela TV Globo de denúncias contra seu ex-genro e presidente da CBF, Ricardo Teixeira.

“Por que isso? Porque mudou horário de jogo. O Ricardo só não serve na hora que não faz as vontades. Enquanto interessou à Globo, era um gênio. No dia em que ele quis tomar uma medida que poderia ferir a emissora, ela se volta contra ele”, disse em entrevista à revista “Poder” de setembro.

Em resposta, a Central Globo de Comunicação afirmou que “o jornalismo da TV Globo é absolutamente independente e não existe quem possa influenciar a sua linha editorial, baseada sempre em critérios de correção e isenção”. E completou: “Objetivamente, nunca deixamos de noticiar qualquer fato relevante envolvendo a CBF ou qualquer outra entidade. Quem acompanha nosso noticiário, incluindo o mais recente, sabe que isso não procede”.

Agora a briga esquenta, porque o presidente da CBF disse a cartolas próximos que, se a emissora continuar produzindo reportagens contra ele, irá dificultar a vida da Globo na compra dos direitos de TV da Copa América de 2015, que será no Brasil. Prometeu agir nos bastidores para que a rede carioca não seja soberana na disputa.

Ainda não está definido quem levará os direitos de transmissão da Copa América-2015. As empresas Traffic e Full Play estão na disputa. Mas se Traffic ganhar, nada muda, porque a TV Globo tem ligações muitas estreitas com ela, que pertence ao jornalista J. Hawilla, que é dono de grande número de repetidoras da Globo no interior de São Paulo (uma notícia, aliás, que este Blog dá com absoluta exclusividade, pois você não leu nem vai ler em jornal algum).

Por fim, quem se anima com a briga e acha que possa afetar Ricardo Teixeira ou a própria TV Globo, pode desistir. Essa briga vai acabar em novo romance mais do que duradouro. Teixeira e Globo, tudo a ver.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *