Briga entre Mercadante e Temer é permanente e dissimulada

Como se diz, uma foto vale mais do que mil palavras

Vera Magalhães
Folha

O vice-presidente Michel Temer preferiu não explicar à presidente Dilma Rousseff sua declaração de que é difícil que o governo resista mais três anos e meio com popularidade baixa.

O vice-presidente acha que, diferentemente de quando disse que o país precisava de um “reunificador”, desta vez não houve ruído em sua fala.

Em guerra com Aloizio Mercadante, o grupo do vice preferiu difundir a versão de que o titular da Casa Civil tratava de amplificar a repercussão da fala para afastar ainda mais Temer e Dilma.

REAVALIAÇÃO

Incrédulos com a declaração, ministros palacianos chegaram a questionar na quinta-feira se o autor da frase era de fato Temer.

Os bombeiros da equipe de Temer diziam que a própria presidente, quando tomou conhecimento da fala na íntegra, fez chegar ao vice a avaliação de que não viu nela um ataque à sua permanência no cargo.

Aliados do vice-presidente preparam nova artilharia contra Mercadante na reunião da coordenação política de terça-feira. A mensagem será que Dilma não tem como reverter o quadro negativo sem interlocução confiável no Congresso, o que, dizem, é dificultado pelo ministro petista.

Temer agradeceu ao ministro Edinho Silva (Secom) pela entrevista que concedeu, dizendo que a fala dele, dentro do contexto, tinha outro sentido.

Mas o contato do vice com o mundo empresarial, que irritou Dilma, segue ativo: ele almoçou com Paulo Skaf, presidente da Fiesp, na sexta-feira.

4 thoughts on “Briga entre Mercadante e Temer é permanente e dissimulada

  1. Com um governo desses quem precisa de oposicao ? Eles se arrebentam sozinhos.
    Ate o Stedile chamou a Dilma de burra e mandou-a ler as pesquisas.
    Tentam queimar o Cunha , depois voltam atras e so um deputado do PT assinou o pedido de afastamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *